SHINee Portugal

SHINee Portugal

Um lugar de carinho, uma segunda casa, um lugar de encontro de Shawols e não só!
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 It's war~ [Fanfic]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1 ... 13 ... 22, 23, 24  Seguinte
AutorMensagem
kk-angel
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1742
Reputação : 0
Data de inscrição : 01/04/2012
Idade : 21
Localização : na minha casa c/ os meus husbandos/lovers/Brothers & Cousins ㅋㅋㅋㅋ

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 21 Maio - 20:14:34

YAAAYY~
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://hysteriee.tumblr.com/
cataemin & Miss Zelo
Dangerous Addicted
Dangerous Addicted
avatar

Feminino Mensagens : 9287
Reputação : 0
Data de inscrição : 08/08/2011
Idade : 21
Localização : lisboa- I live with SHINee forever eheh(i wish)

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 21 Maio - 20:16:07

fixeeee
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 21 Maio - 20:19:02

dêm uma hora ou 2 ~
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 21 Maio - 20:50:10

postei mais um pouquinho ali onde está o espaço~
Voltar ao Topo Ir em baixo
kk-angel
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1742
Reputação : 0
Data de inscrição : 01/04/2012
Idade : 21
Localização : na minha casa c/ os meus husbandos/lovers/Brothers & Cousins ㅋㅋㅋㅋ

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 21 Maio - 21:01:40

Ameii o restinho que puseste *_*

Olha fui engolidaa por uma cena preta..é bem!! yDDD uma coisa tão normaly~


*now me esperaring for more yD *
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://hysteriee.tumblr.com/
cataemin & Miss Zelo
Dangerous Addicted
Dangerous Addicted
avatar

Feminino Mensagens : 9287
Reputação : 0
Data de inscrição : 08/08/2011
Idade : 21
Localização : lisboa- I live with SHINee forever eheh(i wish)

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 21 Maio - 21:02:56

Citação :
-Em breve não poderás falar
Bia: mas… e ele?
-Ele não se importa contigo… anda vem comigo, pega esta manta..
Bia: o que faço com ela? E ele?
-Tem calma.. ele está bem…ou melhor…estará se te cobrires com esta manta~
Bia: E depois?
-Depois… ele voltará para ti… sem mais nenhum senão
Bia: A sério?
-Deh… não posso mentir…afinal sou o teu anjo da guarda

-----Tao----
Daesung:; TAO LARGA-A RÁPIDO!
Larguei-a e ela caiu no chão… deixámos de ouvir a HyoSung e como consequência disso a Nena deixou de ver a cabeça dos anjos.
Uma luz preta saiu de dentro da Bia, uma coisa estranha peganhenta..como se fosse petróleo tomou posse do corpo dela enrolando-a numa manta e ela foi engolida por uma bola grande…
-Fugam, peguem no Tao..
Tao: Como foi isto possível???? Ainda não passaram 2 dias!
Daesung: Se a vítima aceitar a manta do demónio no sonho será automaticamente possuída por ele…
Tao: Não acredito…
Nena: Podem deixar de falar assim?
-Nena tu hás de perceber tudo…
Daesung: Agora temos apenas 1 para proteger, 5 animais para encontrar, outras 2 raparigas e ainda 3 salvadores…no entanto… 1 deles não faz ideia de nada disto…
Tao: Que bem…
Daesung: E agora mais dificuldade haverá… não ouvimos o demónio…
Nena: É bem é bem…mas podem parar com a festa de carnaval? É que já assusta…
Tao: Qual festa de carnaval qual quê?
Daesung: Deixa que ela é parva
Tao: HyoSung? Hey HyoSung?
-Diz
Tao: Ainda não adormeceste?
-Não..mas em breve adormecerei..estou a ficar sem forças…
Nena: Mas se tu ainda estás acordada porque é que deixei de ver a tua cabeça?
-Porque é preciso eu estar completamente recarregada para que isso aconteça…mas como podes constatar não estou em muito boas condições…

-----Baro----
Baro: Não podemos permanecer mais tempo aqui…
SuMin: E de onde é que tiraste esta…caixa…?
Baro: Pois… eu depois expl-
SuMin: Explica agora…estou farta que me digam que explicam depois… vocês só me estão a mentir…
Baro: Queres a verdade?
SuMin: Deh…
Baro: Então prontos…isto vai parecer ridículo… eu quando era pequeno sempre estive com um anjo e com um demónio… o meu anjo e o meu demónio são o teu anjo e o teu demónio… portanto.. yah… como tal eu sou ‘’o teu salvador’’ *>.<* isto contado assim parece ridículo *T.T* o mago enviou-me a mim e a mais 4 discípulos para podermos juntar-nos a vocês e não deixar que os demónios vos possuam..e .. basicamente…tu vais ter de salvar o teu mundo comigo…e mais 8 pessoas que não conheces de lado nenhum… *o.o*
SuMin: Eu acredito…
Baro: Eu sabia que tu não i- espera..acreditas?
SuMin: Quero dizer…estamos dentro de uma caixa….a minha umma está possuída e sabia que tinha trazido alguém para casa mesmo que não tenhas feito barulho… e aquela faca mais as vozes… acho que acredito..
Baro: Quem me dera puder teletransportar-me..
SuMin: Porquê?
Baro: Porque ao usares instrumentos neste mundo estás a tornar o demónio mais forte…
SuMin: Então para que os trazes?
Baro: Para proteção…
SuMin: mas isso não protege…apenas o torna mais forte..
Baro: Mas dá mais tempo de manobra~

amei*-*
but.. i want more
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 21 Maio - 21:12:39

Bia; Ainda bem *-*
XD POIS FOI XD hahaha o.o não haja dúvida que é normal u.u XD

Catarina : :3 ainda bem
>.< mim is fazating XD
Voltar ao Topo Ir em baixo
lenitta
Flaming Charisma
Flaming Charisma
avatar

Feminino Mensagens : 2574
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2012
Idade : 25
Localização : Setúbal - Montijo

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 21 Maio - 21:24:39

ohhhh quero maissss soube a pouco
Voltar ao Topo Ir em baixo
Rafiki
Drunken Lover
Drunken Lover
avatar

Feminino Mensagens : 6421
Reputação : 0
Data de inscrição : 03/02/2012
Idade : 19
Localização : caca

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 21 Maio - 21:34:40

*_______________* ESTA ME*** TÁ A FICAR TAO FIXE CA**** o.o pronto.. desculpa... tive um momento de... parvoice.... AMEEEEEEEEEEEI *__________* TAL COMO ELAS.. QUERO MAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAIS :67: :67: :67: :67:
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 21 Maio - 21:39:09

ainda bem XD
Voltar ao Topo Ir em baixo
cataemin & Miss Zelo
Dangerous Addicted
Dangerous Addicted
avatar

Feminino Mensagens : 9287
Reputação : 0
Data de inscrição : 08/08/2011
Idade : 21
Localização : lisboa- I live with SHINee forever eheh(i wish)

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 21 Maio - 21:43:56

yoyo escreveu:
Bia; Ainda bem *-*
XD POIS FOI XD hahaha o.o não haja dúvida que é normal u.u XD

Catarina : :3 ainda bem
>.< mim is fazating XD


^^
FIXEEE *-*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 3 Set - 17:31:33

bem, minhas saranhés eu tenho mtas saudades vossas ;s
tou tao triste mas...
espero que apreciem...eu só consegui passar para o pc até ao cap que trago :/ eu depois tento postar o resto >.<
bem minhas saranhés espero que gostem!!! :D


17º capítulo


----Tao-----
Olhando à volta era praticamente inútil. Tudo era a mesma coisa, todas as ruas tinham prédios gigantescos como que se houvesse alguma simetria em todas as ruas.
Nena: Meu que comichão…
A rapariga não parava de se coçar.
Daesung: O que foi?
Nena: Nada, tenho comichão aqui…
Mostrou o pulso.
Olhei de relance para Daesung com uma cara de pânico,
Tao: T-tu tatuaste-te?
Nena: Não nem gosto de tatoos…
Estranho….
O pulso dela estava completamente vermelho, provavelmente era por ela se ter coçado da maneira que se coçou…
Daesung: Isto não é bom…para além disso eu sei lá se ela nasceu com o símbolo ou se apenas apareceu agora… de qualquer maneira descobriremos isso quando chegar-mos ao outro mundo..
Tao: Pois…vocês os dois não se matam um ao outro se eu for procurar as 3 pessoas que faltam?
Nena: Desde que essa pulga loira fique calada…não me importo.
Daesung: Digo o mesmo.
Tao: Okay então, voltarei dentro de uma hora.
Era uma corrida contra o tempo. Algo se formava no céu, talvez uma tempestade.
Sem poder ouvir HyoSung ou ter Bia por perto aprecei-me a tirar do meu bolso o skate, que iria dar poderes estra a Sulli.
Este foi tirado com cuidado, após sair do bolso começou a aumentar.
Pus-me em cima dele e acelerei o mais que pude.
Não conhecia bem a cidade pelo que tive de arranjar um gps, não aqueles que são normalmente usados pelos humanos mas sim uns que me ajudavam a detetar auras.
Peguei no gps e vi um grande ponto vermelho, o que só poderia significar uma coisa…
Tao: Caçado,
Recuei para chamar Daesung,
------Daesung-----
Daesung: Eu? Tu é que reclamas por eu dar um passo…. Raios partam a rapariga! Irra!
Nena: Duas bofetadas nessa cara de cu e já vês.
Ela contorceu-se.
Daesung: Ei… estás..?
Não consegui acabar de falar porque me virei ao ouvir Tao a gritar o meu nome que nem um louco
Tao: Daesung ol-
Daesung: Mas tu estás maluco???
Tao: Não há tempo! Olha! Está vermelho!
Daesung: Pois … não há tempo para isto, Tao vai à frente eu vou arranjar um meio de transporte terrestre. Não cheguei a tirar carta dos aéreos…
Achei Minzy muito calada mas nada podia fazer, podia estar a dormir ou estar ocupada com outra coisa qualquer.
Tao partiu imediatamente.
Avistei uma bicicleta. Peguei nela
Daesung: Anda. Não temos tempo!
Agarrei-lhe na mão e esperei que ela se movimentasse da forma brusca como fala.
Não o fez.
Daesung; Agarra-te a mim mas não me sufoques.
Ela agarrou-se a mim com firmeza mas não da forma brusca como age.

-----Baro-----
Baro: SuMin, alguém está por perto, sinto uma aura estranha.
Senti como que um calr nas minhas mãos.
SuMin: Mas vão ajudar?
Baro: Em princípio… São 3 pessoas sendo 2 delas salvadores e uma hospedeira. 1 demónio e um anjo.
SuMin: Huh? Hospedeiro?
Baro: É a pessoa portadora do anjo e do demónio…
SuMin: Então eu també…
Baro: Certo Sra. hospedeira. Tenho que te fazer chegar lá fora. Seja como for…
SuMin: E tu?
Baro: Não precisas mais de mim, seguirás com eles. Depois, assim que conseguir vou ter com vocês.
Senti um arrepio.
Não conseguia ver nada pois estava dentro de uma caixa. Mas tinha de arranjar alguma maneira de tirar dali SuMin, ao menos um dos dois haveria de se safar. Sabia que ou era eu ou era ela. Para além disso já vi tudo o que tinha a ver e pode ser que ela se ‘’divirta’’ com isto tudo…
Baro: SuMin, vais fazer como eu te disser. Eu vou tirar daqui uma esfera, desta mala. Enquanto a esfera estiver a aumentar terás de saltar para dentro dela… percebeste?
Ela acenou com a cabeça.
Abracei-a poderia ser a última vez que a iria ver.
Sabia bem os riscos que corria.
SuMin; E tu?
Ignorei a pergunta.
Baro : esta será a única hipótese que terás.
Tanto ela como eu estávamos nervosos.
Eu sabia perfeitamente o perigo da situação se algo falhasse, preferi nem pensar nisso.
Baro: Confio em ti.
Inspirei fundo e tirei a esfera da mala – que era a única coisa que sabia perfeitamente que se encontrava atrás de mim – que trazia comigo.
A esfera começou a aumentar e SuMin saltou para dentro dela – como previsto. Ao fazer isso, a caixa onde nos encontrávamos explodiu. Causou-me ferimentos ligeiros pela explosão, mesmo não estando fisicamente bem empurrei a esfera. SuMin estava dentro dela e notavelmente irritada. Talvez irritada por eu não ter ido com ela, mas não pude se ela não fosse eu também não ia, para além disso estou mais preparado do que ela para estas situações.
A esfera cumpriu o seu dever, embateu contra a parede, esta rebentou e após isso não sei o que aconteceu pois o demónio havia-se apercebido da situação e tomou proveito disso.
O demónio encontrava-se atrás de mim, ‘’ceifou-me a alma’’.
---Tao----
Tao: É por aqui…
Estava a passar por uma das ruas simetricamente iguais onde, no gps, havia o ponto vermelho – uma concentração enorme de energia.
Algo explodiu num dos prédios gigantescos. Uma bolha enorme causou a explosão. Logo de seguida também a bolha rebentou.
Num ato sem pensar carreguei com força na parte amarela do meu skate – o que fez com que este levantasse voo como um jato – apanhei a rapariga morena, um pouco mais baixa que eu que caíra do prédio.
Tao: Suponho que sejas a 3ª hospedeira…
SuMin: Komawo… Provavelmente, e tu quem és?
Tao: o teu 2º salvador pelos vistos….
Levantei o meu olhar e fiquei horrorizado.
Nunca pensei ver um demónio a consumir um salvador – já ouvira histórias sobre isso mas não pensei que fosse assim e muito menos que um dia iria assistir a uma coisa dessas.
O rapaz, que era bem parecido com o mago, estava com um ar de terror estampado na cara. Chorava, acho eu… pelo menos dava para notar pequenos rios de lágrimas a correr pela sua face…
O demónio aos poucos o abraçava, fazendo com que surgisse fogo à volta de ambos – para que ninguém pudesse passar para lá ou impedir aquilo.
Daesung chegou ao local e chamou-me.
Pousei a rapariga cujo nome não me lembro – não prestei atenção quando mo disse.
Voltei a levantar voo.
Encontrei uma faca perto de amos – estava no chão e segundo o que tinha estudado, pela forma estranha da faca, pelos estranhos desenhos e pela sombra que prendia era a faca cujo demónio utilizava para que o hospedeiro ou o salvador não pudesse escapar – com cuidado retirei-a. De pouco adiantou, mas o demónio não consumiu Baro por completo.
Tao: Daesung, será que podemos passar para o ‘’nosso mundo’’ só com elas as duas e nós? É que tenho a leve impressão que os demónios perceberam que nos capturando elas não podem passar…
Daesung: também te apercebeste disso? Eu não sei se podemos. Talvez se encontrássemos a princesa neste mundo…mas duvido muito porque ela está no outro…Ou então se encontrássemos os 2 salvadores que faltam…

--Thunder---
Thunder: Catarina, temos de sair…
Catarina: E o meu pai?
Thunder; Saímos pela janela.
Olhei pela janela e vi que não era muito difícil cair em terra firme, apenas tínhamos de saltar uns 3 ou 4 metros.
Thunder: Eu vou primeiro, se precisares que te apanhe, estou lá em baixo.
Ela concordou.
Achei a noite mais escura que o habitual. Teria aquilo a ver… com aquilo que eu senti?
Catarina: Thunder~ vamos.
Olhei meio abananado para Catarina e depois para a janela do quarto dela, ela sorriu-me.
Mesmo não sabendo do que se tratava , aprecei-me
Fomos para o centro da cidade – segundo GooHara deveríamos fazê-lo – mas não estava lá ninguém pelo que , esperámos.

---DongHae----
DongHae: Huh? Olá!
Olhei para um rapaz moreno e alto com uma rapariga, também alta e de cabelo…. Preto? Encontravam-se sentados num banco de jardim.
DongHae: ‘’Suponho que o rapazito seja o salvador e a rapariga a hospedeira’’ Ei vocês aí!
Ambos me olharam com ar de quem não quer a coisa.
DongHae: Prazer! Sou o DongHae e acho que vocês estavam destinados a encontrar-me . Agora levantem-se! Eu não tenho tempo a perder, precisamos de passar para o outro mundo.
Ambos me olharam incrédulos com ‘’o queixo caído’’. O rapazito fez sinal para a rapariga esperar
Thunder: Prazer, suponho que sejas o salvador.
DongHae: Agora falamos a mesma língua, sou mas por azar cheguei depois do que devia…De qualquer maneira Thunder e Catarina vamos despachar-nos!
Catarina: Eu conheço-te de algum lado por acaso para saberes o meu nome?
DongHae: Não, eu tenho poderes, assim como o teu primo mas como é um iniciante não sabe lidar com eles.
Thunder: Hum… Okay…
DongHae: Bem não podemos perder mais tempo. O tempo é escasso e se um demónio apanha alguém estamos feitos…
Sentia-me como que um professor, os dois olhavam para mim como os olhos a brilhar. Era um super herói…

----SuMin-----
Algo havia acontecido a Baro…mas ele disse que viria ter connosco, portanto ele vem.
Era de noite, pouca coisa dava para ver. Estávamos debaixo de luzes, candeeiros de rua.
Porém ainda conseguia ver a cara de terror do ‘’meu 2º salvador’’ – não cheguei a perguntar-lhe o nome.
Conseguia também ver uma rapariguinha não muito alta de cabelo e olhos castanhos e de pólo com calças de ganga – tratava-se da irmã de Kim – estava abraçada a um rapaz louro, algo estranho.
Tao: anda sobe, temos de encontrar mais 2 salvadores… Agarra-te a mim, vamos voar, eles vão por terra. A propósito sou o Tao, importas-te de repetir o teu nome?
SuMin: Está bem então. Claro.. sou a SuMin.
Esqueci-me de mencionar agora via duas cabeças uma de Amber e segundo Nena a outra era de Minzy.
E agora? O que faço? Estou completamente perdida aqui no meio… não conheço ninguém…enfim.
O meu telemóvel tocou. Atendi.
Jonghyun: Então tudo bem?
Estava um pouco desanimada e a minha voz estava rouca.
SuMin: Sim, dentro do possível e contigo?
Tao: SuMin, nós vamos ficar cá durante mais uma fora, depois disso desliga o telemóvel, vamos para outro sítio, depois explicamos tudo.
Jonghyun: comigo também, Quem é esse gajo, é o Baro?
SuMin; Ok Tao. Não Jonghyun, não é o Baro. Aliás o Baro está no hospital – menti.
Jonghyun: Deste-lhe uma chapada assim tão forte? – percebi que pelo tom de voz dele que estava a gozar.
SuMin: Não. Ele caiu da janela. Vou desligar.
Não estava com disposição para falar fosse com quem fosse…
Jonghyun: Ficaste chateada? Não fiques sim? Eu queria estar aí….Queria abraçar-te mas sabes como é….então falamos depois… Saranghae~
Certamente esperou que eu respondesse
SuMin: Hum..também eu
Jonghyun: Até depois então.
SuMin: Sim.
Desligou o telemóvel.
Queria chorar, mas não me apetecia…era um é mas não é…
Nena: Ei Su…. Olha vou-te chamar Su…sorry esqueço-me sempre dos nomes…. Está tudo bem?
SuMin: Su? Faz como quiseres… Sim está tudo bem….
Nena: Mentira.
SuMin: Verdade
Olhei-a com um ar sério. Ela fez uma careta.
Nena: Mentira. Olha só até os cabelos da pulga dizem que é mentira!
SuMin: Rapariga, vai tratar-te no hospital mais próximo…
Parecia uma típica cena de anime que costumava ver quando era pequena… Ela fez beicinho, pôs as mãos na cara – como normalmente aparece nos animes quando perdem algo – e fingiu o inicio de um choro.
Nena: Eu não posso… Sabes, ele não me leva ao hospital… é uma pulga chata.
SuMin: Ah… pulga chata.. é bem…para quem estava a abraça-lo…
Nena: Era para não cair, ele não sabe controlar a bicicleta…parece que nunca andou numa porra quase caímos para o rio… Mas agora a sério – voltou a por a cara séria – o que se passa?
SuMin: Não é nada já disse, estou um pouco rouca só isso.
Nena: Sabes que isso pode ser o início de uma depressão?
SuMin: O quê? Ficar rouca?
Nena: Não… afastares-te das outras pessoas… eu vou ser chata. Vou chatear-te muito vais ver
Chegaram 3 pessoas, 2 rapazes e 1 rapariga. Quando se aproximaram de nós foi possível ver mais uma cabeça, melhor agora viam-se as partes superiores do corpo de 3 pessoas… ou 3 espíritos. Apenas não se viam pernas nem pés.

--Catarina----
Tao: Omo! És a última.
DongHae: O que dizes? Foram capturadas quantas pessoas então?
Tao: Acho que 3, deixa ver… Baro faz 1 mais a irmã da Nena faz 2 e a Bia 3… São três ao todo..
DongHae: Não pode… o Baro? WAE? ASFHKNDJFWSOR!
O rapazito estava a entrar num estado crítico.
Daesung: O que tem o Baro?
DongHae: O Baro conseguia detetar auras… Afnicsd! E agora?
Daesung: Agora temos de passar para o outro lado imediatamente.
Tao: Exatamente não podemos adiar mais…
DongHae: Ok então….
O rapaz vestido de branco era moreno e os seus olhos eram pouco alegres, também castanhos.
Com os dentes arrancou um pouco da sua camisa branca de lã, e amarrou uma ponta a uma árvore. Depois mordeu o dedo e criou uma pequena ferida, deixou uma gota de sangue cair sobre o fio que criara com a sua camisa.
DongHae; Vocês tem de saltar aos pares, caso contrário isto não vai resultar e vocês vão perder-se. Thunder e Catarina esperem por mim, nenhum de vocês conhece o comigo. É só saltarem por cima do fio.
Assim sendo Nena aproximou-se do fio.
Donghae: Ei! Não vás sozinha.
Mas ela saltou na mesma.
Tao: Daesung, salta tu também!
E assim fez também o rapaz.
Em seguida saltaram também SuMin e Tao.
E por fim saltei eu, o Thunder e Donghae que após chegarmos a uma espécie de escadaria fechou o ‘’portal’’ que voltou a fazer parte da sua camisa branca.

---Nena---
Nena: na na na não eu descubro sozinha~
Deparei-me com uma porta
Daesung: Quieta! Não entres aí!!
Não era minha intensão abrir a porta, mas a minha mão involuntariamente puxou a maçaneta.
Daesung pôs a mão na porta impedindo que ela se abrisse completamente.
Daesung: Empurra!
Ambos empurrámos a porta e esta fechou-se.
Ele fitava-me com um ar zangado.
Eu baixei o olhar e muito baixinho quase a sussurrar disse:
Nena: Desculpa.
Daesung: Devias ter consciência das coisas… sendo tu descendente da família real…
Mas que raio anda este paspalho anda aqui a dizer?
Nena: huh?
Daesung: Pensas que não sei que és tu?
Huh? What the… deixa-me rir…
Nena: Hem? Olha-me lá mas o que é que tu bebeste??
Ele parou de andar, voltou-se para mim, suspirou e agarrou-me no meu pulso.
Daesung: Vamos ver se tu percebes… No ‘’meu mundo’’ vivemos numa monarquia… e eu, Kang Daesung conheço todos os símbolos possíveis e imaginários, estudei durante anos e não há dúvida que esse oito invertido, o símbolo do infinito pertence à família real. Tem mais significados…mas estou confiante que sejas a pessoa de quem andamos à procura… Percebeste agora?
Nena: Não pode! Mentira, isso é mentira, a minha irmã não tem isso no pulso! Isso é impossível! Tu enganaste-te!
Daesung: Faz como quiseres, tu é que sabes da tua vida…
Que raiva.
Olhei para o meu pulso, seria aquilo verdade?
Kang Daesung, vais pagá-las. Deixa só o pessoal adormecer e vamos ver a barbie e as princesas….
Ele juntou-se ao grupo, eu fiquei para trás. Tentei ignorá-lo mas o seu cabelo sobressaía em relação ao grupo inteiro. Ou talvez eu estivesse a tomar mais atenção a ele…
Tao: Bem pessoal vamos mas é sleepar… Ainda vamos demorar a lá chegar. Para além disso vocês vão mudar de nome.
Mudar de nome?
Tao: Eu depois explico…
Dormimos todos separados uns dos outros
Nena: ‘’Bem menino Kang Daesung está na hora de brincarmos às barbies…’’
Assim que todos adormeceram, tirei uma caneta vermelha da bolsa que Daesung tinha posto a seu lado antes de adormecer. Vi também um caderno velho que tinha aspeto de ser um caderno de apontamentos, pelo que também o tirei.
Abri e vi bastantes símbolos, tinha muitos por onde escolher mas acabei por optar pelos mais simples.
Puxei a mão da catarina e da SuMin, peguei na caneta e com cuidado, desenhei o mesmo símbolo que estava no meu pulso.

18º Capítulo - consequências
‘’Não foi de prepósito só não queria ser a única…’’

Depois disso apenas peguei no pulso do tao e gravei-lhe um Yin Yang em miniatura, guardei o livro no lugar certo e fui gravar nos restantes.
Após isso adormeci.

---Donghae---
Senti uma impressão no pulso, que me fez acordar.
Sentia-me lentamente a enfraquecer.
Ainda nos encontrávamos na escadaria segunda a qual chegaríamos ao outro lado.
DongHae: Bem pessoal é hora de acordar. Ei, SuMin~ acorda! Thunder? Daesung? Tao? Nena??
Nena: Hummm….o que foi? – Ela abriu lentamente os olhos
Donghae: Ajuda-me a acordar os restantes…
Nena: Acorda os rapazes que eu acordo as raparigas… - respondeu ela ainda ensonada.
Assim o fizemos. Eu fui acordar os rapazes e ela as raparigas.
Donghae: Ó boy desperta cinderela~
Sentei-me em cima de Tao, ele começou a tossir e acordou.
Tao: TU estás maluco meu?
Donghae: Não, tu é que estavas a dormir, e era um sono pesado…
Tao: Sim abelha…
Donghae: É verdade…mas não és só tu, lha à tua volta…
Tao: Até parece…queres ver? – Aproximou-se de Thunder e soprou-lhe no ouvido.
Thunder: Fogo? Onde? Quem? Como ? Quando?
Tao: Vês? É uma questão de jeito…
Nena: Eu não as consigo acordar…
Thunder: Deixa que da Catarina trato eu~
Thunder aproxima-se de Catarina e faz-lhe cócegas, por azar leva com um pontapé na cara, mas Catarina acorda.
Donghae: Faltam 2…
Nena: Eu acordo o Daesung, mas tens de vir comigo..
Donghae: Okay…
Chegámos ao pé de Daesung.
Nena: Donghae: Põe-te à minha frente sim?
Concordei. Ela ajoelhou-se e estendeu uma das mãos até à cabeça de Daesung. Apoiou-se numa das minhas pernas e puxou-lhe o cabelo loiro.
Nena: uh oh… arranquei-lhe algum cabelo… Ah! É por isso que ele pintou o cabelo! Ele é um velho da 3º idade! Sim sim~
Ela escondeu-se atrás de mim. Mas mesmo assim ele olhou para ela com olhar de assassino. Senti-me como um escudo humano… Ela sorriu, melhor, mostrou os dentes e ele suspirou.
Donghae: ‘’Olha-me que estes dois…’’ Bem lado positivo, falta 1 pessoa~
Catarina: Não, ela já acordou.
Donghae: Ainda bem, já perdemos muito tempo aqui…

--Daesung---
Levantei-me ainda um pouco zonzo com o sono e pus-me a olhar para o meu lado esquerdo, algo estava mal, a minha caneta vermelha não estava na mala.
Olhei de relance para toda a gente, mas também poderia ser eu a tê-la tirado…
Vi no meu pulso direito o Yin Yang, fiquei bastante alarmado o que me fez ir ver os pulsos dos restantes…
SuMin e Catarina tinham o símbolo real no pulso…mas… não me parece que sejam da família de Minzy ou Baro…
Tao, Donghae, Thunder e eu Tínhamos o Yin Yang
Fiquei com receio que aquilo lhes provocasse algum efeito secundário… mas também não sabia se algum deles tinha aquele símbolo antes. Eu pelo menos não o tinha.
Daesung: Nena, posso falar contigo?
Ela pareceu um pouco desconfiada, verdade seja dita que eu não falava muito com ela…
Nena: Acho que sim… bem, depende…
Tao: Não se demorem…
Daesung: Acho que dois minutos são suficientes. Vão comendo.
Afastámo-nos do resto do grupo.
Daesung: Tens algo a ver com a caneta?
Nena: Qual caneta?
Daesung: A caneta.
Nena : Qual caneta?
Daesung: A caneta.
Nena : Qual caneta?
Daesung: A caneta.
Nena : Qual caneta?
Daesung: A caneta.
Nena : Qual caneta?
Daesung: A caneta.
Nena : Qual caneta?
Daesung: Não te faças de desentendida! Eu sei que foste tu! Mais ninguém sabia do símbolo sem seres tu, eu e o Tao…
Nena: Continuo sem saber ao que te referes… E quem te garante que fui eu e não Tao?
Daesung: Fácil. Tu és irresponsável – salientei – provavelmente nem sabes o que acabaste de fazer – acusei e prossegui – o Tao é rapaz. E por último…ficaste descontente quando descobriste a que pertencia o símbolo no teu pulso. Ah é verdade, não sabes mentir.
Nena: Irresponsável a tua avó!
Daesung: Não fales do que não sabes!
Nena: É a tua avó , a tua mãe, a tua prima e o resto da tua famí-
Daesung: Tu ouve-me bem, voltas a dizer isso e nem sabes o que te acontece.
Nena: Olha eu cheia de medo de uma pulga feia como tu!
Daesung; Deixa lá que tu também não ficas NADA atrás.
Thunder: Ei! Vocês vêm ou vão ficar para trás a criar raízes?
Daesung: Não obrigada, eu já conversei tudo com ela, e já sei o que queria saber~
Juntei-me ao resto do grupo. Sem mais demoras começámos a andar.
Mas pouco depois parámos…alguém se sentiu mal.

----Tao---
Que dor de cabeça…
Daesung olhou, pela segunda vez no mesmo dia para Nena com um olhar de assassino. Um olhar frio.
Daesung: Consegues levantar-te? – Acabou por desviar a sua atenção para mim. – Acho que ALGUÉM, meteu a pata na poça, e desta vez foi GRAVE!
Nena escondia-se atrás de Catarina e de SuMin que falavam sobre algo. Acabei por perceber que ela tinha alguma coisa a ver com o mau humor de Daesung.
Tao: Acho que sim – Respondi tentando levantar-me - …Eu só caí tem calma!
Daesung: Eu sei mas… graças a ALGUÉM isto vai atrasar-nos… Para além disso quero ver se nada VOS acontece – deu a perceber que estava a excluir alguém.
Nena: Humm…eu, volto já.
Donghae: Não te separes de nós, não sabes o caminho de volta, queres que vá contigo?
Nena: Não obrigada. – Olhou para Daesung apesar de Donghae estar a falar com ela – eu trato de mim SOZINHA.
Daesung suspirou.
Daesung: Não sejas irresponsável! TU só trazes problemas. Se queres atenção vai para o circo. Donghae vai com ela.
Nena: Donghae, não tenho nada contra ti…mas eu impeço-te de teres filhos se te aproximares de mim. Vai tu para o circo, pode ser que tenhas futuro como palhaço.
Donghae: Calma… - pediu.
Alguém intimidou o Mr.Donghae~
Espero que Nena saiba o que está a fazer.
Olhei para Daesung.
Tao: Ela se calhar não quer continuar…
Donghae: Podias não ter falado daquela maneira com ela.
Ele está sempre a par de tudo. O raio do Donghae prevê o futuro, mas pelo que parece ainda não sabe usar ou tirar proveito daquilo…
Daesung: Tu ainda a defendes? Tu sabes que se isto correr mal elas as duas podem morrer! O mestre pode não gostar da brincadeira! Para além disso… Nenhum destes símbolos vai sair de quem quer que seja. – notava-se um certo nervosismo na sua voz.
Tao: Falem baixo…ainda assustamos as outras duas…
Catarina e SuMin continuavam a falar, um pouco distantes de nós.
Daesung: A porra da gaja não podia ser humana? Tinha que nascer elfo ainda por cima??
Tao: Tens a certeza do que dizes?
Daesung: não tenho 100% de certeza, apenas 99,9%..
Agora Daesung apenas resmungava consigo de vez em quando em voz alto, talvez isso se devesse ao facto de os elfos serem traiçoeiros…
Catarina: Ei…pessoal… devíamos de nos por a correr… vêm ai um furacão e não é pequeno…
Apontou para uma das escadarias encaracoladas.
Via-se perfeitamente. De longe avistava-se um remoinho.
Daesung: Porra! Eu sabia! Raio da miúda! Ela abriu uma porta…Caramba! Se eu a apanho vou esmaga-la.

---SuMin----
Aquela miúda realmente só faz porcaria. Mas… na realidade ela não parece ser assim, enfim.
Baro: SuMin?
Eu conheço esta voz….
No meu do furacão via-se uma figura humana.
Baro: SuMin! Estás aí! Procurei-te por todo o lado! Ajuda-me não consigo sair daq- NÃO SAI FOGE! – Repentinamente a sua cara mudava de expressão. – Cala-te anda cá SuMin.
Tao: SuMin despacha-te! Temos que sair daqui.
SuMin: Baro?
Tao: O Baro?
Donghae: Aonde está o Baro?
SuMin: Ali dentro!
Donghae: Mas SuMin, não há nada lá dentro…
Baro: SuMin…
SuMin: não vão vocês…vou eu!
Tao: Daesung, Donghae não a deixem passar!
Ambos me agarraram
Agora dava-me jeito uma das frases da Nena.. enfim, com ou sem Nena vou sair daqui ou não me chamo SuMin.
SuMin: Eu vou bater-vos aos 2!
Daesung: Bate se tens coragem. Ponho-te logo a dormir.
SuMin: Olha que eu grito!
Donghae: Grita.
SuMin: Ficam sem filhos!
Donghae: Se lá chegares…
SuMin: Vocês os dois estão tão feitos comigo! Larguem-me! Já! Larguem-me, porque é que não agarram a Nena?
Comecei a espernear mas mesmo assim os dois me agarravam.
Frequências, se atingir a frequência certa os dois largam-me.
Tao: Daesung e Donghae! Tapem-lhe a boca!
Daesung: O quê? Não oiço! É o quê? Está muito barulho!
Donghae: Tapa-lhe a BOCA! A boca!
Daesung: O que é que interessa agora se eu tenho roupa?
Donghae: Eu disse boca!
Daesung: Queres roupa? Mas tu estás vestido!
O furacão começou a aproximar-se cada vez mais.
A minha voz não saía.
Já só me lembro de acordar na relva.

---Catarina----
Thunder: Onde estamos…exatamente?
SuMin: Baro? Baro? Baro? – Olhava desesperadamente à volta à procura de Baro.
Donghae: Na vossa linguagem…chegámos ‘’ao outro mundo’’. - Informou
Catarina: Que giro~
Thunder: Pois é~ - Concordou.
Tao: Um, dois, três, quatro, cinco, se- espera falta uma pessoa!
Daesung; Quem ficou para trás?
Catarina: Eu estou aqui, o Thunder também, Daesung, SuMin e Tao. Donghae…falta a Nena.
SuMin: Eu vou lá busca-la!
Donghae: Nem penses! Eu sei muito bem que queres voltar para trás para ires buscar o suposto Baro que lá está!
Tao: Não vamos discutir, a partir daqui, vocês têm de mudar de nome. Quando isso acontecer vão encontrar-se com os anjos. Elas depois dir-vos-ão o que fazer.
Catarina: Para quê mudar de nome?
Daesung: Para confundir os demónios, há muitas ‘’pessoas’’ digamos assim, com a mesma aura , como Baro agora faz ‘’parte deles’’ a aura pode confundir-se, ou seja os nomes é para vos dar mais tempo para atuar-mos. Se bem que cada um tem a sua própria aura.
SuMin: E a aparência? Ele vai reconhecer alguns…
Tao: Só o poderemos fazer quando os animais chegarem…
Catarina: Que animais?
Daesung: Despois no tempo certo vêm~
Donghae voltou a abrir o portal e desta vez apenas Daesung saltou lá para dentro.
SuMin: Onde vai ele?
Tao: Buscar a rapariguinha…
SuMin: Também quero ir!
Tao: Não. Tu não estás com o teu salvador e o demónio pode atacar-te com ilusões.
Okay percebi o porquê de lhe terem agarrado.
Mas acho que eles também deviam perceber como ela se sente…
Cataria: Já agora…Hum estou só a pensar~ se o Baro consegue sentir almas e o Donghae abrir portais…o que é que o resto faz?
Tao: Pois… o poder do Donghae não é bem abrir portais… na realidade, qualquer um de nós consegue fazê-lo com certas condições. Mas vocês vão passar por uma espécie de escola quando estiverem com os anjos, aí vão aprofundar o que fazemos e o que somos. Bem continuando, o Donghae prevê o futuro mais próximo, por isso se pôde tapar a boca da SuMin.
SuMin: Não faz sentido! Foste tu que lhe disseste para me tar a boca! – Apontou para Tao.
Tao: pois…é outra coisa que vão aprender na escola. Mas cada um de nós tem poderes diferentes. Os meus são parar o tempo e os normais como… perceber o que a pessoa vai fazer com o simples movimento da boca. Quando ao Daesung…bem chegados ao ‘’nosso mundo’’ faz uma análise a cada um de vocês como que um raio x e prontos basicamente é isso. Depois vão aprofundar mais as coisas – explicou.
Então segundo o que percebi… o Donghae prevê o futuro, o Tao pára o tempo, o Daesung, é médico? E Baro sente auras…
Catarina: Duas perguntas~ 1 o Thunder faz o quê? E se todos vocês conseguem saber o que a pessoa vai fazer pelo movimento dos lábios, então do que vale o poder do Donghae?
Donghae: Tao acho que temos de ter cuidado com a Catarina – ambos se riram e Tao concordou – agora respondendo às tuas perguntas; sobre o Thunder nada sabemos, tens de perguntar a Daesung. E… quanto à outra pergunta, devo levar a peito?
Catarina: Não…de modo nenhum! – Respondi meia atrapalhada.
Donghae: Pois bem. O pensamento da pessoa pode alterar o futuro ou seja nunca é certo o que ela faz ou vai fazer. Por isso… os lábios não são muito fiáveis e prever o futuro… por exemplo eu sei o que vai acontecer a Daesung, e isso é certo.
Catarina: Ah okay okay~
Voltar à escola..Wo Hu… que emoção.

----Taemin----
Jonghyun: Sinto saudades da SuMin vou chorar!
Minho: Que lamechas… Desde que a conheces és uma pessoa diferente…
Key: É mesmo, estou farto de ouvir falar da rapariga…
Taemin: Acalmem os ânimos…
Key; Tu cala-te também, tudo te corre às mil maravilhas
Taemin; Mil maravilhas o tanas, tu não sabes de metade…
Key: Sim abelha…
Onew: Mas que grande confusão que aqui vai… E que tal pensar-mos que vamos estar em casa daqui a uns tempos e que vão poder resolver as coisas? – Sugeriu.
Taemin; Eu estou calmo…
Jonghyun: Eu também~
Key: Pois sim abelha…
Minho: é mesmo…
Onew: Ainda bem, vêm almoçar?
Taemin: Deixa adivinhar, é galinha? – Perguntei.
Onew: Não sei…mas duvido que seja~ o produtor já enjoou.

---Daesung----
É impossível meter-se em tantos sarilhos…A sério…em 12 mundos onde raio a vou procurar?
Ora bem… calma vamos excluir a terra… e o nosso mundo…okay restam 10…
Das duas uma, ou vou pela sorte ou tento pensar…Vamos pensar…o planeta do signo dela é Saturno… então vamos a saturno!

---Nena---
Nena: Wow incrível, então é por isso! Que giro~ eu sou ‘’filha’’ de Saturno?
Titan: Parece que sim~
Titan era portador de uma beleza incrível. Segundo o que eu havia percebido, o meu nome é Pan em Saturno. Titan tem uma irmã chamada Janus e outra Phoebe. Phoebe é sua noiva.
Phoebe: Bem vinda a casa Pan~
Nena: Obrigada~
Phoebe: Deves ter feito uma viagem mesmo cansativa…
Nena: Bem mais ou menos… sabes~ é difícil de explicar até porque não vi m diretamente de lá…
Titan: Já agora como é a Terra? Nunca tempos a oportunidade de chegar mais perto porque Saturno não o permite…
Nena: bem…a Terra é completamente diferente de Saturno. Também é muito mais pequena, eu diria que Saturno é umas 30 vezes maior que a Terra…ou mais. Para além disso Saturno é muito menos povoado. A Terra tem muita população. A Terra não tem anéis.
Titan: Isso é estranho mas bem..somos 18 ‘’irmãos’’ a contar contigo~ mas a maioria é considerado marido e mulher.
Nena: Nascem comprometidos?
Phoebe: Mais ou menos… Bem tenho que ir.
Um pequeno satélite passou e Phoebe saltou para cima dele.
Titan: Bem lá se foi a Phoebe…Parece que eu tenho de ir andando se não já só volto para lá daqui a +/- 16 dias terrestres.
Nena: E eu fico sozinha?
Titan: Desculpa Pan, não tenho culpa de ter a minha casa a passar de 16 em 16 dias…
Nena: Pois percebo… já agora qual é o meu satélite?
Titan: É o que mais vezes vês aqui. Pan, é o mais pequeno e o que mais perto está de Saturno. Também o mais misterioso dos 18. – Explicou.
Nena: Que giro~
Titan: É não é? Bem olha eu tenho que ir andando. Tenho que ir buscar o jantar à cidade e depois voltar antes que o meu satélite passe~
Nena: Hum, e…em nenhuma ocasião eu podia acompanhar-te?
Daesung: Não! Tu voltas para trás!
Nena: Uh oh…. Sarilhos à vista…
Daesung: Podes querer sua portadora de ideias malucas
Pensa Nena, pensa…como é que te livras da pulga…? Já sei!
Nena: Titan ajuda-me! Aquela pulga raptou-me do meu país e quer levar-me para não sei onde…
Bem….não menti na totalidade.
Titan: Anda, vem comigo!
Titan agarrou-me na mão e começou a correr

Capítulo 19 – Salvador, ou demónio?
Corremos para uma cidade ‘’fantasma’’ e como é normal, a pulga esteve sempre atrás de nós.
Perdemos a pulga de vista umas cinco vezes, mas acabava por nos encontrar na mesma.

--Thunder---
Segundo o que Tao nos disse as raparigas iam para um lado, os rapazes para o outro.
Thunder: Só uma coisa…e…quanto a elas não se perderem? é que… elas são como eu…
Tao: Thunder - suspirou – isto é uma prova que vocês são seres vivos, vocês têm de passar por esse labirinto sentimental onde todo o vosso passado vos será revelado, eu e o Donghae já passamos por isso.
SuMin: recuso-me a entrar!
Donghae: Apenas tu vais ‘’ver’’ o teu passado. A escolha é tua. Não te obrigamos a nada…
Catarina: anda lá… eu também não estou completamente à vontade….
Tao: Nós percebemos o vosso medo…confesso que também já o tive.
Donghae: Também eu.
Estávamos perante duas portas gigantescas, à volta haviam pequenos arbustos. Haviam duas serpentes esculpidas em pedra à frente de ambas as portas.
Tao; Bem, está na hora… como se costuma dizer, ‘’é agora ou nunca’’, quem quiser continuar que dê um passo em frente. Quem se recusar, voltará ao ‘’vosso mundo’’
SuMin: Eu…
Catarina interrompeu-a.
Catarina: Ela vem connosco; vai entrar lá dentro – Deu um passo em frente e obrigou SuMin a fazer o mesmo.
Donghae: Sinceramente pensei que SuMin, se recusaria – Sorriu com ironia.
Tao: Pois bem, tenho a avisar-vos antes de entrarem que o vosso futuro, ou pelo menos parte dele ser-vos-á revelado~
Engoli a seco, creio que isto é assustador pelo menos descobrir o que me acontecerá…
Donghae: Mais uma coisa, cuidado, não estamos lá apenas vocês poderão distinguir a realidade das ilusões criadas pela vossa mente…
Ou seja… talvez saiamos dali sem nada saber…
Tao apanhou um pequeno lenço que branco que se encontrava no chão. Rasgou-o em dois. Em seguida cobriu os olhos das serpentes de pedra que se encontravam ali. Estas transformaram-se em serpentes reais.
De um momento para o outro a serpente pôs-se à minha frente e com os seus dois dentes mordeu-me. Algo tomou conta do meu corpo, num impulso empurrei a porta que se encontrava à minha frente.
Tao: Boa sorte. Espero que consigas resistir~ - Foram as últimas palavras que ouvi antes de entrar. Não conseguia falar
A principio via tudo negro. Mas a cada passo que dava, aproximava-me de algo…
Entrei numa sala, onde conseguia ver-me claramente. Seung Ho sentado a meu lado, no chão. Mir e Lee Joon sentados no sofá a conversar. G.O. não se encontrava na sala.
Mir: Não, o Thunder é estranho!
Lee Joon: Não digas isso~ é novato~ só isso~.
Seung Ho: Não te preocupes, vais ver que acabamos por nos dar todos bem…
Estranho… Não me lembro disto…

---Catarina----
Estava dentro de uma penumbra. Ao longe avistava uma luz já minha conhecida…
Médico: Não se preocupe…é apenas uma fratura no pé, ela ficará bem depois de repousar uns dias.
Mãe da Catarina: A sério? Ai que alívio!
A minha mãe chorava.
Reconheci de imediato a situação em que encontrava. Tinha sido a primeira vez que vira Taemin, logo após conhecê-lo.
Um passo mal feito, Acabei por partir o pé. Estava demasiado elétrica por ter conhecido alguém tão parecido comigo que… enfim , aquilo correu para o torto.
Mais à frente vi uma luzinha azul que me despertou uma certa curiosidade.
Ao alcançar a luz, reparei que era o dia do meu 15º aniversário. Um dia passado na praia. À noite. Encontrava-se lá mais de metade da minha família, e alguns colegas de escola.
Para meu espanto, ao olhar para o mar, vi uma onda enorme. Tentei falar, mas a minha voz não saía, tentei tocar nas pessoas mas a parecia um jogo, sempre que tocava numa delas essa dissipava-se.
Não pude fazer nada. A grande onda cada vez estava mais perto.
Tentei fugir mas os meus pés estavam enterrados na areia e por mais que os tentasse desenterrar não conseguia, aparecia mais areia… a areia era fina e bem amarela.
Dei por mim a respirar debaixo de água.

---Bia---
Bia: Está aí alguém? Alguém? Acudam! Key? Tao? Minho? Alguém? Treinador?
Não sei onde estava, estava com alguma fome. Estava num espaço completamente preto.
Algo peganhento estava espalhado por todo o meu corpo, desde os fios dos meus cabelos até às unhas dos pés, mesmo que estivessem dentro dos sapatos.
Tentei abrir uma saliência por pequena que fosse, mais nada conseguia fazer.
Comecei a pontapear o que se encontrava à minha volta.
Fosse o que fosse era elástico…
O elástico rebenta sempre…ou seja…tenho que arranjar uma maneira para esticar isto…
Mas depois lembrei-me que, não tinha nada que me pudesse ajudar… estava de fato de treino, não tinha mada mais. Tinha ficado tudo no balneário.
Eu estou a enlouquecer mas vou tentar!
‘’Taooooooo!!! Ajuda-me ou ainda levas um pontapé nesse rabo de panda!’’
Pft….o que estou eu aqui a fazer? A pensar que sou super mulher, tenho super poderes e posso falar com Tao pela mente? Bia…cresce…sinceramente…

---Donghae----
Tao começou a olhar à volta
Donghae: O que se passa?
Tao: A BIA ACORDOU! – Exclamou feliz mas continuando a olhar à volta para ver se não se tratava de uma partida.
Donghae: Como é possível? Huh? O que dizes? Até hoje NENHUM humano conseguiu fugir da manta!
Tao: Eu sei lá! – Exclamou com lágrimas a correrem pelos olhos – ao menos sei que está bem…. – riu-se – e irritada também… - arregalou os olhos.
O portal abriu-se.
Daesung saiu de lá a puxar Nena. Ambos vinham a resmungar um com o outro.
Daesung: Prontos esta também já está… Agora deixa lá olhar bem para ti…
Os olhos de Daesung tornaram-se verdes.
Devia estar a analisar a pequena.
Nena: Waaaaa! Os olhos da pulga mudaram de cor! – Deu um salto para trás apontando para ele com o susto
Daesung: Fica quieta!
Nena: Humph…
Daesung: Prontos já está…
Tao: Então?
Daesung: Afinal não é elfo….E aquele símbolo que ela tem…não pertence à família real… mas sim…
Donghae: Ao descendente do tigre…
Tao: Ao menos já se aclararam as coisas…
Daesung: Para além disso esta pelo que parece, vive de ilusões causadas por Gyuri… o pai dela não matou a mãe…mas isso é coisa que ela tem de descobrir – disse a sussurrar de tal forma rápida que nena não percebeu. Voltou-se para ela – Desculpa, pensei que tu fosses MinJi, a princesa desaparecida nascida do céu…

---SuMin---
SuMin: Baro Inácio Gertrudes Almeida da Serra! Sai imediatamente do MEU armário!
À quanto tempo…
A tanto tempo que isto acontecia…
Baro: AAAAAAAAAAAAhhhhhhh!
Apesar de saber o que havia acontecido assustei-me e corri para abrir o armário. Depressa me apercebi que não o conseguia fazer…
SuMin: Baro? Ei…baro? Oppa? Isto não mete piada….Baro?
Esperei pacientemente que ‘’eu’’ abrisse a porta do armário. Baro não se encontrava lá dentro. Entrei lá para dentro e o ‘’meu outro eu’’ ficou ‘’assustado’’ à porta do armário e foi a correr chamar a minha mãe,
Enquanto isso coscuvilhei o armário, acabei por encontrar um portal, fazia todo o sentido que Baro tivesse caído por ali…se realmente isto tivesse acontecido.
Senti-me curiosa sobre o portal, acabei por entrar nele não ficando para trás para ouvir a conversa que se iria seguir sobre o psicólogo…
Desta vez já não me via em pequena….
Via-me a respirar fundo, talvez pelo nervosismo…. Tinha um microfone à frente, duas mesas e uma aparelhagem.
Pelo calor que sentia – sendo o tato e a visão os únicos sentidos que me restavam – penso que era Verão. Estava de calções e Top, com o cabelo solto – coisa que normalmente não faço… - e por fim, tinha uns ténis.
Homem: Vemo-nos outra vez nas finais Lee SuMin.
Fechei os olhos e quando voltei a abri-los estava num sítio completamente diferente…

---Catarina----
Encontrava-me agora numa das minhas piores recordações… tenho mesmo que relembra-la?
‘’Catarina, os teus medos são o que te tornam mais fortes, acredita, eu voltarei…’’ que frase…Thunder…
Thunder: …ela é um boneco…
Tapei os ouvidos, não quero, recuso-me a voltar a ‘’viver’’ toda aquela cena, outra vez NÃO!
Fechei os olhos com muita força, tapei os ouvidos e baixei-me, antes que aquela horrível frase voltasse a ecoar na minha cabeça.
Abri um dos olhos e vi 15 pessoas, nas quais reconhecia: Donghae, Minho, Daesung, Onew e Nena, baro, Jonghyun, SuMin, Tao, Key, Bia e por fim, Thunder, Taemin e eu…
De um momento para o outro voltei a poder falar, Donghae e Tao sorriam-me – havia voltado para a frente da porta.
Tao: Foi assim tão mau?
Catarina: Um bocado…
Donghae: Muitos choques emocionais?
Catarina: Alguns…
Reparei que Nena também se encontrava lá, assim como Daesung.
Catarina: E eles, estão outra vez a discutir?
Tao: Hum? Quem? – Ele olhou para onde eu estava a apontar – Ah eles, não, desta vez o Daesung está apenas a tirar algumas conclusões.
Catarina: Conclusões? – Perguntei baralhada.
Donghae: Sim, está a fazer-lhe ‘’um exame’’ para tirar algumas coisas a limpo. E a seguir és tu~
Catarina: Eu?

---Thunder---
Algo estava errado… A porta onde eu queria entrar, não abria e não havia nada à minha volta.
Apareceu um cavalo com olhos vermelhos, era branco, a crina e a cauda eram vermelhas também.
O cavalo aproximou-se de mim, tinha uma chave era prateada e tinha como que diamantes a revesti-la.
Cavalo: Abre-a – incentivou.
Até agora, havia sido a única interação que tinha tido com….um ser vivo
Cavalo: Vejas o que vires, segue em frente.
A voz do cavalo era-me familiar, já havia ouvido aquela voz antes…
Abri a porta e continuei a andar, deixando para trás o cavalo.
Mas à frente encontrei um pequeno espelho que dizia ‘’toca-me’’. Toquei-lhe.
Apareceu uma rua iluminada por três candeeiros de rua. Encontrava-se lá um rapaz baixo com as mãos nos bolsos, á chuva.
De repente apareceu uma rapariga que lhe agrediu. Aí consegui ver o rosto e aperceber-me que o rapaz era eu…
Fiquei espantado, por me ver a ser agredido assim… no meio da rua… por… uma rapariga… não que as raparigas não possam agredir pessoas mas….
De um momento para o outro, encontrava-me em casa da rapariga.
Ela pegou numa cassete e pô-la no leitor.
Surgiu um pequeno filme no pequeno quadrado.
Na TV apareceu o nosso single ‘’oh yeah’’ que, segundo o que parece foi chacota por…todo o mundo…
Caí dentro do espelho. Fui parar a um labirinto, onde cada vez que virava uma esquina me deparava com situações tristes.
A primeira esquina que virei, vi a separação dos MBLAQ.
Na segunda esquina esperava-me a separação dos meus pais. Na 3ª a morte da minha irmã.
E a última antes de chegar ao centro, suicídio.
Quando cheguei ao centro, surgiu um vento muito forte, fechei os olhos.
Quando os abri encontrava-me novamente ao pé de Tao.
Tao: Então rapaz? Que cara é essa?
Thunder; É a minha, não vês?
Donghae: elá~ o rapaz vem fera~
Catarina: Então primo, como correu?
Daesung: Catarina~ Anda cá.

---Daesung---
Tinha acabado de analisar nena, a rapariga é muito estranha.
Daesung: Catarina, se não te importares, agora vou-te ‘’examinar’’-
Nena_: Pft a mim é o mais bruto que consegue mas com os outros ‘’sou dou Juan em pessoa’’
Catarina: Ei ei…clama meninos… Nena, acho que o Tao quer falar contigo…
Nena: Porra que os gajos são chatos… Um dia destes fugo deles….eles não me largam!
Donghae de longe: Se conseguires fugir…
Daesung: Não me falas rir atrás de ti?
Nena: Já o fiz uma vez não tenho problemas em voltar a fazê-lo!
Daesung: E quem te abre os portais?
Nena : Abro-os eu!
Desmanchei-me a rir, mas ela estava com um ar extremamente sério.
Daesung: Bem, tenho trabalho a fazer.
Ela afastou-se extremamente irritada.

---Bia---
EU acho que avariei completamente… eu devo de estar a falar com uma parte qualquer do meu cérebro…
‘’Olha boa já tentei mas não vejo nada!’’
‘’Estás a duvidar que tenho os olhos abertos?’’
Senti o espaço onde me encontrava a diminuir.
‘’Ei…isto está a encolher, vê se te despachas…!’’

--Tao—
Tao: Donghae vê se dás conta do recado…tenho que encontrar o animal antes que isto dê para o torto….
Donghae: Cuidar desta miúda não deve ser tão difícil. Vai ao aeroporto.
Tao: descreve-o, se não te importares – pedi.
Donghae: Bem…não é feio… Cortou o cabelo. Tem os olhos e o cabelo castanhos. Vem num grupo de mais 4 rapazes e tem por volta dos 22 anos. É tudo o que consigo dizer.
Tao: Okay obrigada~
Donghae: É verdade, leva Catarina, reconhecê-los-á logo que os vir.
Tao: É um grande risco… eu não sou o salvador dela…
Donghae: Quem não arrisca, não petisca.
Daesung: Amarrem a ….coisinha, não tenho outro nome para lhe chamar e esqueci-me do nome. De outra maneira ela irá atrás do Tao.
Nena: A coisinha tem nome!
Tao: certifica-te que as portas se fecham e abre-lhe a porta.
Donghae: Não seria melhor abrir a porta agora? Depois abria-mos os portais. Assim ela não conseguirá sair dali~
Tao: Não porque eu tenho que ir o mais cedo possível. Catarina, vamos.
Thunder: Aonde?
Tao: Buscar os 5 animais…
Thunder: Vou co-
Tao: Não, quanto menos pessoas forem melhor. É menos confusão.
Thunder: Hum… e porque não a SuMin?
Tao: Não está cá.
Thunder: E a nena?
Tao: Não me responsabilizo….
Nena começou a resmungar.
Donghae: Tao, só vais poder voltar a abrir o portal amanhã…
Tao: Tempestade?
Donghae: Exato~
Abri o portal e levei catarina comigo.
Voltámos à escadaria, onde agora, tudo estava mais calmo.
Catarina: Hum… Quem vamos buscar exatamente?
Tao: Depois vês~ Acho que os conheces

---SuMin---
Havia chegado ao pé de Donghae.
Reparei que Nena estava lá. Daesung também.
Desta vez faltavam Catarina e Tao.
Donghae: Como foi?
SuMin: Estranho. Fora do normal. Para esquecer… Queres que continue…?


Voltar ao Topo Ir em baixo
kk-angel
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1742
Reputação : 0
Data de inscrição : 01/04/2012
Idade : 21
Localização : na minha casa c/ os meus husbandos/lovers/Brothers & Cousins ㅋㅋㅋㅋ

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 3 Set - 17:57:58

OMO OMO OMO O.O

SONECAS IS BACKY *^*



JÁ TENS NET `^´ ??? ESTÁS BEM???? WAE U SAD? ;3;

new chap *-*
Mi vai leri ...

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://hysteriee.tumblr.com/
Mada/Yeri
Beautiful Stranger
Beautiful Stranger
avatar

Feminino Mensagens : 1281
Reputação : 6
Data de inscrição : 18/06/2012
Idade : 17
Localização : Setúbal

Ficha do personagem
Grupos:
0/10000  (0/10000)
Aulas&Pontuação!:
0/10000  (0/10000)

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 3 Set - 17:58:27

Já li os outros capitulos desta tua fic e adorei, estao lindos e este tbm :)
Fico á espera o prox ;)
as meninas vao ficar muito felizes por teres voltado ao forum :)
FGHTING!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 3 Set - 18:04:14

bia: ainda n :s
*-* espero q ames xD

mad: bigada *-*

a catarina vai postar os últimos q eu n consigo >.<
bjs saranhés amo-vos a tdas e bgd por tudo ;)
volto outro dia ;)
Voltar ao Topo Ir em baixo
kk-angel
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1742
Reputação : 0
Data de inscrição : 01/04/2012
Idade : 21
Localização : na minha casa c/ os meus husbandos/lovers/Brothers & Cousins ㅋㅋㅋㅋ

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Seg 3 Set - 21:55:15

Awnnnn ;3; espero que voltes o mais depressa possivel *^*

I missss you Sonecas ;3; ,Saranghaeee <33 ^^

Etto....AMEI Os 3 chaps *^*

Foram tão comicos yD e emocionais tbm T^T ....im waiting for more *-*
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://hysteriee.tumblr.com/
cataemin & Miss Zelo
Dangerous Addicted
Dangerous Addicted
avatar

Feminino Mensagens : 9287
Reputação : 0
Data de inscrição : 08/08/2011
Idade : 21
Localização : lisboa- I live with SHINee forever eheh(i wish)

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Ter 4 Set - 22:43:17

AMORRRR Q SAUDADES *-*

AMEIII o cap
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Qui 18 Out - 12:39:41

Capítulo 19 – Salvador, ou demónio?
Corremos para uma cidade ‘’fantasma’’ e como é normal, a pulga esteve sempre atrás de nós.
Perdemos a pulga de vista umas cinco vezes, mas acabava por nos encontrar na mesma.

--Thunder---
Segundo o que Tao nos disse as raparigas iam para um lado, os rapazes para o outro.
Thunder: Só uma coisa…e…quanto a elas não se perderem? é que… elas são como eu…
Tao: Thunder - suspirou – isto é uma prova que vocês são seres vivos, vocês têm de passar por esse labirinto sentimental onde todo o vosso passado vos será revelado, eu e o Donghae já passamos por isso.
SuMin: recuso-me a entrar!
Donghae: Apenas tu vais ‘’ver’’ o teu passado. A escolha é tua. Não te obrigamos a nada…
Catarina: anda lá… eu também não estou completamente à vontade….
Tao: Nós percebemos o vosso medo…confesso que também já o tive.
Donghae: Também eu.
Estávamos perante duas portas gigantescas, à volta haviam pequenos arbustos. Haviam duas serpentes esculpidas em pedra à frente de ambas as portas.
Tao; Bem, está na hora… como se costuma dizer, ‘’é agora ou nunca’’, quem quiser continuar que dê um passo em frente. Quem se recusar, voltará ao ‘’vosso mundo’’
SuMin: Eu…
Catarina interrompeu-a.
Catarina: Ela vem connosco; vai entrar lá dentro – Deu um passo em frente e obrigou SuMin a fazer o mesmo.
Donghae: Sinceramente pensei que SuMin, se recusaria – Sorriu com ironia.
Tao: Pois bem, tenho a avisar-vos antes de entrarem que o vosso futuro, ou pelo menos parte dele ser-vos-á revelado~
Engoli a seco, creio que isto é assustador pelo menos descobrir o que me acontecerá…
Donghae: Mais uma coisa, cuidado, não estamos lá apenas vocês poderão distinguir a realidade das ilusões criadas pela vossa mente…
Ou seja… talvez saiamos dali sem nada saber…
Tao apanhou um pequeno lenço que branco que se encontrava no chão. Rasgou-o em dois. Em seguida cobriu os olhos das serpentes de pedra que se encontravam ali. Estas transformaram-se em serpentes reais.
De um momento para o outro a serpente pôs-se à minha frente e com os seus dois dentes mordeu-me. Algo tomou conta do meu corpo, num impulso empurrei a porta que se encontrava à minha frente.
Tao: Boa sorte. Espero que consigas resistir~ - Foram as últimas palavras que ouvi antes de entrar. Não conseguia falar
A principio via tudo negro. Mas a cada passo que dava, aproximava-me de algo…
Entrei numa sala, onde conseguia ver-me claramente. Seung Ho sentado a meu lado, no chão. Mir e Lee Joon sentados no sofá a conversar. G.O. não se encontrava na sala.
Mir: Não, o Thunder é estranho!
Lee Joon: Não digas isso~ é novato~ só isso~.
Seung Ho: Não te preocupes, vais ver que acabamos por nos dar todos bem…
Estranho… Não me lembro disto…

---Catarina----
Estava dentro de uma penumbra. Ao longe avistava uma luz já minha conhecida…
Médico: Não se preocupe…é apenas uma fratura no pé, ela ficará bem depois de repousar uns dias.
Mãe da Catarina: A sério? Ai que alívio!
A minha mãe chorava.
Reconheci de imediato a situação em que encontrava. Tinha sido a primeira vez que vira Taemin, logo após conhecê-lo.
Um passo mal feito, Acabei por partir o pé. Estava demasiado elétrica por ter conhecido alguém tão parecido comigo que… enfim , aquilo correu para o torto.
Mais à frente vi uma luzinha azul que me despertou uma certa curiosidade.
Ao alcançar a luz, reparei que era o dia do meu 15º aniversário. Um dia passado na praia. À noite. Encontrava-se lá mais de metade da minha família, e alguns colegas de escola.
Para meu espanto, ao olhar para o mar, vi uma onda enorme. Tentei falar, mas a minha voz não saía, tentei tocar nas pessoas mas a parecia um jogo, sempre que tocava numa delas essa dissipava-se.
Não pude fazer nada. A grande onda cada vez estava mais perto.
Tentei fugir mas os meus pés estavam enterrados na areia e por mais que os tentasse desenterrar não conseguia, aparecia mais areia… a areia era fina e bem amarela.
Dei por mim a respirar debaixo de água.

---Bia---
Bia: Está aí alguém? Alguém? Acudam! Key? Tao? Minho? Alguém? Treinador?
Não sei onde estava, estava com alguma fome. Estava num espaço completamente preto.
Algo peganhento estava espalhado por todo o meu corpo, desde os fios dos meus cabelos até às unhas dos pés, mesmo que estivessem dentro dos sapatos.
Tentei abrir uma saliência por pequena que fosse, mais nada conseguia fazer.
Comecei a pontapear o que se encontrava à minha volta.
Fosse o que fosse era elástico…
O elástico rebenta sempre…ou seja…tenho que arranjar uma maneira para esticar isto…
Mas depois lembrei-me que, não tinha nada que me pudesse ajudar… estava de fato de treino, não tinha mada mais. Tinha ficado tudo no balneário.
Eu estou a enlouquecer mas vou tentar!
‘’Taooooooo!!! Ajuda-me ou ainda levas um pontapé nesse rabo de panda!’’
Pft….o que estou eu aqui a fazer? A pensar que sou super mulher, tenho super poderes e posso falar com Tao pela mente? Bia…cresce…sinceramente…

---Donghae----
Tao começou a olhar à volta
Donghae: O que se passa?
Tao: A BIA ACORDOU! – Exclamou feliz mas continuando a olhar à volta para ver se não se tratava de uma partida.
Donghae: Como é possível? Huh? O que dizes? Até hoje NENHUM humano conseguiu fugir da manta!
Tao: Eu sei lá! – Exclamou com lágrimas a correrem pelos olhos – ao menos sei que está bem…. – riu-se – e irritada também… - arregalou os olhos.
O portal abriu-se.
Daesung saiu de lá a puxar Nena. Ambos vinham a resmungar um com o outro.
Daesung: Prontos esta também já está… Agora deixa lá olhar bem para ti…
Os olhos de Daesung tornaram-se verdes.
Devia estar a analisar a pequena.
Nena: Waaaaa! Os olhos da pulga mudaram de cor! – Deu um salto para trás apontando para ele com o susto
Daesung: Fica quieta!
Nena: Humph…
Daesung: Prontos já está…
Tao: Então?
Daesung: Afinal não é elfo….E aquele símbolo que ela tem…não pertence à família real… mas sim…
Donghae: Ao descendente do tigre…
Tao: Ao menos já se aclararam as coisas…
Daesung: Para além disso esta pelo que parece, vive de ilusões causadas por Gyuri… o pai dela não matou a mãe…mas isso é coisa que ela tem de descobrir – disse a sussurrar de tal forma rápida que nena não percebeu. Voltou-se para ela – Desculpa, pensei que tu fosses MinJi, a princesa desaparecida nascida do céu…

---SuMin---
SuMin: Baro Inácio Gertrudes Almeida da Serra! Sai imediatamente do MEU armário!
À quanto tempo…
A tanto tempo que isto acontecia…
Baro: AAAAAAAAAAAAhhhhhhh!
Apesar de saber o que havia acontecido assustei-me e corri para abrir o armário. Depressa me apercebi que não o conseguia fazer…
SuMin: Baro? Ei…baro? Oppa? Isto não mete piada….Baro?
Esperei pacientemente que ‘’eu’’ abrisse a porta do armário. Baro não se encontrava lá dentro. Entrei lá para dentro e o ‘’meu outro eu’’ ficou ‘’assustado’’ à porta do armário e foi a correr chamar a minha mãe,
Enquanto isso coscuvilhei o armário, acabei por encontrar um portal, fazia todo o sentido que Baro tivesse caído por ali…se realmente isto tivesse acontecido.
Senti-me curiosa sobre o portal, acabei por entrar nele não ficando para trás para ouvir a conversa que se iria seguir sobre o psicólogo…
Desta vez já não me via em pequena….
Via-me a respirar fundo, talvez pelo nervosismo…. Tinha um microfone à frente, duas mesas e uma aparelhagem.
Pelo calor que sentia – sendo o tato e a visão os únicos sentidos que me restavam – penso que era Verão. Estava de calções e Top, com o cabelo solto – coisa que normalmente não faço… - e por fim, tinha uns ténis.
Homem: Vemo-nos outra vez nas finais Lee SuMin.
Fechei os olhos e quando voltei a abri-los estava num sítio completamente diferente…

---Catarina----
Encontrava-me agora numa das minhas piores recordações… tenho mesmo que relembra-la?
‘’Catarina, os teus medos são o que te tornam mais fortes, acredita, eu voltarei…’’ que frase…Thunder…
Thunder: …ela é um boneco…
Tapei os ouvidos, não quero, recuso-me a voltar a ‘’viver’’ toda aquela cena, outra vez NÃO!
Fechei os olhos com muita força, tapei os ouvidos e baixei-me, antes que aquela horrível frase voltasse a ecoar na minha cabeça.
Abri um dos olhos e vi 15 pessoas, nas quais reconhecia: Donghae, Minho, Daesung, Onew e Nena, baro, Jonghyun, SuMin, Tao, Key, Bia e por fim, Thunder, Taemin e eu…
De um momento para o outro voltei a poder falar, Donghae e Tao sorriam-me – havia voltado para a frente da porta.
Tao: Foi assim tão mau?
Catarina: Um bocado…
Donghae: Muitos choques emocionais?
Catarina: Alguns…
Reparei que Nena também se encontrava lá, assim como Daesung.
Catarina: E eles, estão outra vez a discutir?
Tao: Hum? Quem? – Ele olhou para onde eu estava a apontar – Ah eles, não, desta vez o Daesung está apenas a tirar algumas conclusões.
Catarina: Conclusões? – Perguntei baralhada.
Donghae: Sim, está a fazer-lhe ‘’um exame’’ para tirar algumas coisas a limpo. E a seguir és tu~
Catarina: Eu?

---Thunder---
Algo estava errado… A porta onde eu queria entrar, não abria e não havia nada à minha volta.
Apareceu um cavalo com olhos vermelhos, era branco, a crina e a cauda eram vermelhas também.
O cavalo aproximou-se de mim, tinha uma chave era prateada e tinha como que diamantes a revesti-la.
Cavalo: Abre-a – incentivou.
Até agora, havia sido a única interação que tinha tido com….um ser vivo
Cavalo: Vejas o que vires, segue em frente.
A voz do cavalo era-me familiar, já havia ouvido aquela voz antes…
Abri a porta e continuei a andar, deixando para trás o cavalo.
Mas à frente encontrei um pequeno espelho que dizia ‘’toca-me’’. Toquei-lhe.
Apareceu uma rua iluminada por três candeeiros de rua. Encontrava-se lá um rapaz baixo com as mãos nos bolsos, á chuva.
De repente apareceu uma rapariga que lhe agrediu. Aí consegui ver o rosto e aperceber-me que o rapaz era eu…
Fiquei espantado, por me ver a ser agredido assim… no meio da rua… por… uma rapariga… não que as raparigas não possam agredir pessoas mas….
De um momento para o outro, encontrava-me em casa da rapariga.
Ela pegou numa cassete e pô-la no leitor.
Surgiu um pequeno filme no pequeno quadrado.
Na TV apareceu o nosso single ‘’oh yeah’’ que, segundo o que parece foi chacota por…todo o mundo…
Caí dentro do espelho. Fui parar a um labirinto, onde cada vez que virava uma esquina me deparava com situações tristes.
A primeira esquina que virei, vi a separação dos MBLAQ.
Na segunda esquina esperava-me a separação dos meus pais. Na 3ª a morte da minha irmã.
E a última antes de chegar ao centro, suicídio.
Quando cheguei ao centro, surgiu um vento muito forte, fechei os olhos.
Quando os abri encontrava-me novamente ao pé de Tao.
Tao: Então rapaz? Que cara é essa?
Thunder; É a minha, não vês?
Donghae: elá~ o rapaz vem fera~
Catarina: Então primo, como correu?
Daesung: Catarina~ Anda cá.

---Daesung---
Tinha acabado de analisar nena, a rapariga é muito estranha.
Daesung: Catarina, se não te importares, agora vou-te ‘’examinar’’-
Nena_: Pft a mim é o mais bruto que consegue mas com os outros ‘’sou dou Juan em pessoa’’
Catarina: Ei ei…clama meninos… Nena, acho que o Tao quer falar contigo…
Nena: Porra que os gajos são chatos… Um dia destes fugo deles….eles não me largam!
Donghae de longe: Se conseguires fugir…
Daesung: Não me falas rir atrás de ti?
Nena: Já o fiz uma vez não tenho problemas em voltar a fazê-lo!
Daesung: E quem te abre os portais?
Nena : Abro-os eu!
Desmanchei-me a rir, mas ela estava com um ar extremamente sério.
Daesung: Bem, tenho trabalho a fazer.
Ela afastou-se extremamente irritada.

---Bia---
EU acho que avariei completamente… eu devo de estar a falar com uma parte qualquer do meu cérebro…
‘’Olha boa já tentei mas não vejo nada!’’
‘’Estás a duvidar que tenho os olhos abertos?’’
Senti o espaço onde me encontrava a diminuir.
‘’Ei…isto está a encolher, vê se te despachas…!’’

--Tao—
Tao: Donghae vê se dás conta do recado…tenho que encontrar o animal antes que isto dê para o torto….
Donghae: Cuidar desta miúda não deve ser tão difícil. Vai ao aeroporto.
Tao: descreve-o, se não te importares – pedi.
Donghae: Bem…não é feio… Cortou o cabelo. Tem os olhos e o cabelo castanhos. Vem num grupo de mais 4 rapazes e tem por volta dos 22 anos. É tudo o que consigo dizer.
Tao: Okay obrigada~
Donghae: É verdade, leva Catarina, reconhecê-los-á logo que os vir.
Tao: É um grande risco… eu não sou o salvador dela…
Donghae: Quem não arrisca, não petisca.
Daesung: Amarrem a ….coisinha, não tenho outro nome para lhe chamar e esqueci-me do nome. De outra maneira ela irá atrás do Tao.
Nena: A coisinha tem nome!
Tao: certifica-te que as portas se fecham e abre-lhe a porta.
Donghae: Não seria melhor abrir a porta agora? Depois abria-mos os portais. Assim ela não conseguirá sair dali~
Tao: Não porque eu tenho que ir o mais cedo possível. Catarina, vamos.
Thunder: Aonde?
Tao: Buscar os 5 animais…
Thunder: Vou co-
Tao: Não, quanto menos pessoas forem melhor. É menos confusão.
Thunder: Hum… e porque não a SuMin?
Tao: Não está cá.
Thunder: E a nena?
Tao: Não me responsabilizo….
Nena começou a resmungar.
Donghae: Tao, só vais poder voltar a abrir o portal amanhã…
Tao: Tempestade?
Donghae: Exato~
Abri o portal e levei catarina comigo.
Voltámos à escadaria, onde agora, tudo estava mais calmo.
Catarina: Hum… Quem vamos buscar exatamente?
Tao: Depois vês~ Acho que os conheces

---SuMin---
Havia chegado ao pé de Donghae.
Reparei que Nena estava lá. Daesung também.
Desta vez faltavam Catarina e Tao.
Donghae: Como foi?
SuMin: Estranho. Fora do normal. Para esquecer… Queres que continue…?


Capítulo 20 – Segredos revelados.
Donghae: Não precisas continuar, já percebi…
SuMin: Ainda bem.
Nena veio ter com Donghae aos saltinhos
Nena: Su~ a pulga quer falar contigo~ Donghae~ já posso entrar?
SuMin: Okay~
Dirigi-me para Daesung.

--_Tao---
Sentia-me nervoso. Iria realmente Catarina distinguir os 5 animais?
Tao: Bem, deveremos chegar amanhã. Acho melhor descansar-mos por hoje.
Catarina concordou.
Entrámos numa pequena pensão.
Empregado: Boa noite.
Tao: Boa noite. Importa-se de me dispensar um quarto?
Empregado: Quanto tempo irão permanecer?
Tao: Partiremos amanhã cedo.
O rapaz acompanhou-nos até ao quarto.
Empregado: Tenham uma boa noite.
Saiu do quarto e fechou a porta.
Tao: Catarina, vê se descansas, Vou dar uma volta.
Catarina: Okay.

---Beatrice---
-Como…Que raio de ser humano és…?
Bia: Sou um ser normal.
- Como é possível? Nos meus 20 anos de serviço ao mago nunca presenciei coisa igual ou parecida! O que raio tem o ser humano que tu gostas? Diz-me! Quero saber! – Exigiu.
Bia: Tem tudo o que me faz ser forte. Não tem nada, tem o suficiente. Tem o sorriso que é capaz de iluminar mil e um mundos. Tem os olhos que me fazem sonhar.
-E o que tem isso?
Bia: nunca te deves ter apaixonado.
- O que é isso?
Bia: Eu não sei explicar… é acordares e teres a necessidade de ver uma certa pessoa, é estares feliz com o seu sorriso. É saberes interpretar o seu silêncio…. É tudo e nada, é nada e tudo.
Cada vez que falava percebia melhor o quão importante Key me era.

--Nena—
Nena: Mamã? Papá? Mana? Alguém?
Porque é que me estava a ver sentada no meio do chão da sala naquele dia?
MDN: A mãe vai fazer o almoço o que queres?
Nena: Lasanha~
A minha mãe riu-se. Era tão bom poder voltar a ver a cara dela a sorrir.
De repente apareceu fumo à volta e ela desfez-se em pó.
Mãe? Mãe? Mãe? Onde foste mãe?
Em seguida apareceu o meu pai.
PDN: Queres vir com o papá à pesca?
Nena: Sim!
MDN: Voltem sãos e salvos.
Nena: Vou bater nos peixes que aleijarem o papá!
Todos nos rimos.

---Daesung---
Estou preocupado com ela…quero dizer, vivou sobre ilusões. Na verdade percebo-a bastante bem.
Daesung: Bem SuMin, acho que está tudo.
SuMin: Ainda bem….
SuMin encontrava-se algo em baixo
Daesung: Amber já a podes levar~
Amber: a sério?
Daesung: Sim, está tudo.
Amber: SuMin segue-me.
SuMin: Okay. Posso fazer uma pergunta?
Amber: Diz.
SuMin: Porque é que ainda não anoiteceu? Já passa das nove…
Amber: Pois hás de perceber daqui a uns minutos. Bem, vou levá-la.
Daesung. Faz as honras.

---Nena---
Sentia-me a sufocar. Não aguentava mais. Acabei de ver a minha mãe desaparecer, o meu pai morrer e Kim hospitalizada.


---Donghae---
SuMin havia desaparecido com Amber atrás dos arbustos
Donghae: Então ela já foi?
Daesung: Parece que sim.. Donghae… quanto tempo passou desde que Nena entrou ali dentro?
Donghae: Umas 2 horas…porquê?
Daesung: Não acho normal estar a demorar tanto tempo….
Daesung tinha razão. Algo estava errado…
Catarina e Tao haviam partido à 6 horas, SuMin havia ido para a sala com Amber. Thunder teria de esperar por nós.
Nena tinha entrado à pouco mais de 2 horas e ainda não havia regressado.
Donghae: Achas que lhe aconteceu algo?
Daesung: Não sei…ela mete-se em Cada Uma…
Donghae: Devemos abrir as portas?
Daesung: Não sei, diz-me tu, já que vês o futuro…
Fechei os olhos
Abri-os 20 segundos depois.
Donghae: Se a tirar-mos ela vai chegar aqui num estado lastimável… o mesmo sucederá se não a tirar-mos…

--Catarina---
A noite passou mais rápido que sei lá o quê…
Sentia a falta de Taemin, mas algo me dizia que o iria reencontrar dentro de pouco tempo.
Tao não parece ter dormido ali.
Eram 4:30 da manhã quando acordei.
Olhei para a janela e ali estava Tao a apreciar o nascer do sol…. Os primeiros raios digamos assim…
Tao: Dormiste bem?
A pergunta dele surpreendeu-me, não pensava que me tivesse visto
Catarina: Sim~
Tao: Ainda bem . Iremos partir daqui a 2 horas e meia.
Catarina: Hum…não dormiste?
Tao: Não consigo…
Catarina: Como assim?
Tao: Quando estávamos no ‘’meu mundo’’ conseguia falar com a Bia. Mas desde que viemos para aqui que não tenho notícias dela… Estou preocupada…
Suspirei.
Catarina: Como te percebo…
Tao: Mas acredito que ela consegue mudar o destino dela… confio nela.
Catarina: Todo o homem apaixonado é poeta.
Tao: Não o nego.
Ri-me, nunca pensei que Tao fosse assim…
Tao: Catarina, descansa o máximo que puderes.
Catarina: Já estou a 100%
Tao: Ainda bem~
Liguei a TV. Abstraí-me do resto à minha volta.

---Onew---
Estávamos a duas horas de embarcar no avião. Peguei no meu cubo mágico.
Jonghyun: Hyung?
Suspirei.
Onew: Diz Jonghyun.
Jonghyun: olha lá… sabias que após sairmos da Coreia uma floresta foi incendiada?
Onew: Olha lá…o que é que te deu hoje?
Jonghyun: Não sei…
Acho que ainda não encontrei ninguém para quem cantar… não importa..
Onew: Enfim…podia dar-te para pior…
Taemin: Do que se fala aqui?
Onew: Nada de jeito.
Voltei a dirigir as minhas atenções para o cubo.
Jonghyun: Vou buscar comida, alguém quer?
Acho que nunca me soube tão bem estar sem o Jonghyun ao pé.
Minho chegou seguido de Key.
Key; Perdi as minhas chaves….
Minho: Acho que foi uma fã~
Key: Vou dar chapada!
Acho que fui eu que as perdi naquele dia….
Fiquei a olhar para eles visto que não iria conseguir fazer o cubo.
Onew: Sinceramente, são 5 da manhã, não está aqui quase ninguém…vocês tiraram o dia…Lucifer~
Minho: Está tudo maluco…só pode…
Jonghyun regressou.
Jonghyun: é pá gostava mesmo de viver algo bizarro.

--SuMin—
Estava sentada já à duas horas naquela cadeira.
Amber: A partir de agora vais chamar-te (?)
SuMin: Porquê?
Amber: Para não te descobrirem…
SuMin: Ah okay…
Amber: Por agora, vais estar num dormitório, temos de esperar por, pelo menos mais três pessoas para eu poder explicar tudo….
SuMin: Ah… tá bem então.
Não me apetecia nada…

---Bia----
Estava ainda dentro da bolha… Quero dizer enquanto estive a falar com Sulli, consegui sair…Mas parece que a enervei com a conversa do ‘’amor’’…enfim…
Desta vez a bolha não encolhia~
Quero falar com alguém~
Oh bem vou cantar~
Bia: A vaca do António tem um pirolito a menos porque foi dançar samba~
Eu tenho mesmo que sair daqui… estou a dar em maluca…

---Jonghyun---
Jonghyun_ Não. Agora a sério! Imaginem só do nada estar-mos a salvar o mundo~
Todos me olharam espantados.
Key: E já agora fazemos espetada de vilões não…?
Taemin: Hyung… a sério?
Minho: Pois…
Taemin; Já agora chegava à Coreia e tinha a Catarina à minha espera.
Onew: Vocês beberam alguma coisa?
Jonghyun: É pá um gajo partilha os seus pensamentos genais e fantasticamente brutais e vocês são um bando de babuínos… enfim vou dormir.
Minho: Mas vamos agora para o avião…
Lá tenho o que me levantar…
O aeroporto encontrava-se completamente vazio, à exceção dos trabalhadores.
Tinha uma pequena fonte de água, e centenas de cadeiras disponíveis.
Iria deixar o aeroporto para trás em breve. Viajaríamos em 1ª classe.
Onew: Vais fazer serão ou vens connosco Jonghyun?

---Nena---
Sinceramente não sabia o que fazer, porquê enfrentar tudo isto?
Encontrava-me no mar, pelos vistos estava a mergulhar. Odeio mergulhar em águas fundas, principalmente quando são muito límpidas e têm corais por baixo, fico completamente paralisada, Resumindo e concluído, tenho medo.
Algo estava mal..eu estava ali no meio das águas, fundas, muito fundas, Mas não estava só…tinha como companhia dois rapazes, Um deles assemelhava-se a Daesung , cabelo curto, loiro e penteado. Olhos castanhos. Era extremamente magro e sorridente. O outro era, aparentemente, mais calmo. O Cabelo era castanho assemelhava-se à terra, os olhos também eram castanhos, extremamente profundos e também era magro, mas não tanto como o primeiro. Não conhecia ninguém parecido ….
Subitamente apareceram também Kim e os meus pais. Uma onda levantou-se
Voz: Escolhe quem queres salvar….
Não posso… Não posso escolher!
Olhei para todos eles…estavam com ar de pânico. Nenhum deles sabia nadar.
No entanto na cara de Kim reinava a calma, calma e tolerância.
Voz: Nena escolhe!
Não me quero obrigar a escolher…
Repentinamente vi o meu pai afogar-se.
‘’Calma Nena calma’’ pensei ‘’é só um sonho ‘’ no entanto não conseguia acordar.
Tentei, com calma pensar.
O pai…morreu, a mãe também, Daesung sabe salvar-se o outro rapaz arranjará uma forma….e Kim…Kim está aprisionada….
Tentei salvar Kim nadando para ela, mas tanto ela como a mãe haviam desaparecido do mar
Restavam Daesung e o outro rapaz.
Apesar de não querer salvar nenhum deles alguma escolha haveria de ser feita…
Daesung: nena, ajuda-me – ele tossia, tinha engolido água.
Não queria salvar Daesung apesar de saber que gostava dele –algo inevitável – sabia que ele não gostava de mim. Decidi por fim salvar o outro rapaz – fui egoísta - . Fechei os olhos.
Agarrei-me a ele. Logo toda a água desapareceu. Quando abri os olhos reparei que tinha voltado para ao pé de Donghae.

--Donghae---
Nena havia voltado, depois de quase três horas lá dentro.
Estava completamente encharcada, e estava abraçada um rapaz.
Daesung logo que a viu, deu um salto e correu para perto dela.
Daesung: Estás bem? – Perguntou quase histérico.
Nena: Desculpa. – Pediu ela a chorar
Daesung: Desculpo o quê?
Nena: Desculpa, não te salvei – Pediu mais uma vez, não tendo acalmado o choro.
Daesung: Hum? – perguntou confuso.
Achei a conversa demasiado estranha.
Onew: Onde estou? – Perguntou olhando á volta.
Daesung olhou-o de cima a baixo, examinou-o cuidadosamente.
Daesung: Ele é um dos cinco animais – Afirmou.
Onew: Animais???? – Arregalou os olhos.
Thunder decidiu juntar-se a nós.
Thunder: Onew! – A sua cara alegrou-se
Onew: Thunder? – Perguntou confuso.
O rapaz levantou-se e foi falar com Thunder. No chão encontravam-se Nena que chorava com todas as forças e Daesung que tratava de se assegurar se ela estava bem
Achei por bom senso não chamar Minzy para a vir buscar, como havia dito a Daesung, abrindo ou não as portas ela iria chegar num estado lastimoso….

---Catarina---
Ainda não tinha bem amanhecido, reinava a calma da noite e a lua no céu estrelado.
À exceção das ondas do mar não se ouvia nada, nada, nem carros. Apenas silêncio.
Tao: Estás cansada? Comeste?
Catarina: Não. Sim – respondi-lhe alternadamente.
Tentava acompanhar Tao que ia no sei passo de corrida, sempre com as mãos nos bolsos. Sempre que me conseguia aproximar dele o suficiente para ver a sua cara fixava os olhos dele.
Tao: Catarina… diz-me…
Catarina: Sim?
Tao: Tu viste?
Catarina: Vi o quê?
Tao: O final…
Fiquei confusa.
Catarina: o fim?
Tao: Sim…o fim…
Catarina: O fim de quê?
Tao: o fim…o fim disto…
Catarina: Não estou segura… vi 15 pessoas
Tao: Espero que percebas que o teu primo não vai poder voltar….
O quê?
Fiquei em estado de choque.
Tao: Aliás pode haver pessoas que…. Fiquem para trás…
Catarina: Estás-me a dizer que o Thunder…vai morrer?
Tao: N-não… eu quis dizer que ele vai ficar connosco… e só quando for realmente preciso voltará…se me percebes…
Catarina: Mas…
Tao: A tua vida vai decorrer normalmente vais seguir o teu curso… Assim como elas. Nós ficaremos a vigiar-vos, os anjos também… Podes sempre renegar tudo isto, votarás à tua vida normal, o Thunder desaparece e tu não te vais lembrar de nada… arranjarão uma desculpa como a morte de Thunder…
Catarina: Quer dizer que…não tenho escolha – Conclui.
Tao estava algo estranho. Como que a esconder algo, ou simplesmente esquecer. O ar de preocupação não desaparecia da sua cara. Os olhos dele pareciam simplesmente dois cadeados, nada expressavam a não ser…o vazio.

21~Capítulo – Passagem

Imagino as preocupações dele….

---Minho---
Neste exato momento estávamos sentados no avião, à exceção de Onew, que não se encontrava em lado nenhum.
Produtor: Não se preocupem, vamos encontra-lo.
O produtor estava notavelmente preocupado.
Mandaram-nos apertar os cintos, assim o fizemos.
Estávamos sentados nas mais confortáveis cadeiras de avião, ao meu lado ia Jonghyun a mastigar pastilha. Taemin ia ao lado de Key, do lado da janela a olhar para fora do avião. Key dormia e eu… Eu sentia-me culpado, só, vazio, estranho…
Decidi que deveria olhar pela janela.
Via apenas nuvens, lembrava-me da primeira vez que voara, tinha o meu pai a meu lado e Beatrice seguida dele, pelo que o cenário me era bastante familiar.


---Beatrice---
Comecei a ficar com fome. A minha barriga emitia sons, como que rugidos de um leão, um leão faminto.
Do nada lembrei-me da minha mãe, de Tao e de Key.
Bia: Credo! Cruzes! Não me digas que eu vou morrer! Estou-me a lembrar deles porquê?
A minha voz ecoava no vazio. Naquela estranha esfera preta, algo acolhedora. Não tão medonha como da primeira vez…

--Daesung---
Donghae tinha razão…nena iria chegar num estado lastimável.
Decidi chamar Minzy.
Daesung: Minzy, leva-a por favor.
Minzy assim o fez.
Tinha uma certa curiosidade em experimentar algo.
Daesung: Tu… Onew, importas-te de chegar aqui?
O rapaz apontou para sim, acenei com a cabeça e logo ele veio na minha direção.
Daesung: Dá-me as tuas mãos
Assim o fez.
Daesung: Agora fecha os olhos e deixa de respirar.
Onew: Para quê?
Daesung: Fá-lo! – Ordenei.
Assim que reparei que me tinha obedecido fiz o mesmo… comecei a sentir algo viscoso nas mãos, abri os olhos e vi uma serpente.
Donghae: Serpente e tigre…
Daesung: Parece que sim…
Apertei a cabeça da serpente e Onew voltou a aparecer. Thunder fitava-me
Daesung: Agora tenho a certeza que és o animal, virás comigo, iremos esperar pelos outros, Descobri o meu parceiro isto ajudar-me-á

---SuMin----
Amber: Uma chegou – Informou-me
Finalmente alguém…. Se bem que me fez bem ficar só…
Nena entrou na sala. Entrou com os olhos baixos. Estava pálida e com os olhos inchados, pelos vistos estava pior que eu…
Eça parecia cansada, os olhos dela não tinham vida.
A sala em que nos encontrávamos era bastante espaçosa, tinha sofás, janelas e cortinados. O chão era em madeira e a porta estava fechada.
Não me atrevi a meter conversa com ela. Tinha receio de piorar o seu estado ou ficar sem saber o que dizer, provocando mais silêncios incómodos…
Ela nem sequer se deu ao trabalho de se sentar na cadeira, mal chegou descaiu sobre o chão, que era gelado.
Era um impasse…
SuMin: Hum…
Ela levantou o olhar do chão, não parecia estar consciente do que fazia. De vez em quanto soluçava pelo que parecia havia ter estado a chorar, e não foi pouco…
Achei por bem não perguntar nada, nem falar, ficar ali, simplesmente de corpo presente com alma sabe-se lá onde.
Minzy e Amber conversavam, não pareciam importar-se com o estado dela.
De repente nena levantou-se de relance e começou a olhar à volta.
SuMin: Onde vais?
Nena: Onde o destino me leva – e saiu da sala a correr como Minzy e amber não deram pela falta dela corri para a apanhar.


---Tao---
O chão não é mais seguro…
Estávamos já muito perto do aeroporto a escaços minutos de os encontrar.
Tentava não mostrar qualquer tipo de emoção na minha cara. Estava a morrer de preocupação…queria encontrar o animal o mais rápido possível, para a poder tirar das mãos do demónio, afinal ela tinha acordado, era bom sinal. Também tinha sido eu que a tinha metido naquilo…se não a tivesse deixado só…

---Key---
Tentei pôr todas as minhas preocupações de lado. Tinha os olhos fechados para não me incomodarem.
Realmente fui muito estúpido…
Podia ter deixado Bia permanecer com o presente….
É isso… quando a voltar a encontrar dou-lhe.
Sentia-me como que uma certa angústia. Á medida que as horas passavam e nos encontrávamos mais perto da Coreia ficava mais nervoso, ansioso e com um leve sentimento de culpa e preocupação.
Talvez ela não conhecesse realmente o rapaz…talvez ela tenha dito a verdade…
Certamente não queria cair no sono, mas também não podia ceder e abrir os olhos. Estava lentamente a adormecer , a perder a consciência e os sentidos.

---Baro---
Granças a um salvador não fui completamente consumido , pelo que estou meio consciente.
Agora tenho aquilo que se chama bipolarização ou seja… como não estou completamente adormecido e uma parte de mim pode pensar… a outra obedece ao mago dos demónios….
Nunca pensei que iria presenciar o mundo dos demónios e sinceramente estava à espera que fosse diferente. Parecia Marte, era completamente vermelho, terra, céu, casas,,, tudo, tinha bastantes casas e no meio da cidade encontrava-se o chamado palácio que era preto e à sua volta tinha árvores descaídas, mortas e algumas completamente partidas.

---Nena---
Na minha cabeça ouvia vozes. Eu sabia que não estava maluca pois o facto de já ter ouvido a voz de Minzy e dos demónios afirmava isso mesmo.
Desta vez ouvia a voz de Kim, inconfundível.
Aproximei-me duma floresta escura , a voz vinha de lá. Hesitei.
Su vinha atrás de mim.
Nena: Por favor volta para trás não me sigas aqui…
SuMin: Mas vais onde?
Nena: Já te disse , vou seguir o meu destino… Não digas a ninguém que eu passei por aqui. Finge que nunca me viste, que eu nunca cheguei à sala, que eu nunca existi. Se perguntarem por mim, diz que não sabes. Ficar-te-ei grata se o fizeres. Tentarei retribuir-te um dia…
SuMin;: Espera nena!
Nena: Diz.
SuMin: Tem cuidado….
Sorri-lhe e entrei na floresta.

---SuMin---
Esqueci-me que não saberia voltar para trás.
Ouvi passos, alguém se aproximava.
Daesung: Por aqui Donghae?
Donghae: Sim
Percebi de imediato quem se aproximava pela voz.
Escondi-me.
Donghae: Ela já foi…SuMin podes sair.
Saí de trás dos arbustos.
Daesung: Ela foi onde?
Onew: Vocês andam rápido caramba…
SuMin: Onew?
Onew? SuMin?
Donghae: Responde! – Exigiu.
SuMin: Não sei…
Donghae: Daesung, não te enerves… ela não vai dizer nada…
Onew encostou-se a uma árvore do bosque, estava notavelmente cansado.
Daesung: SuMin não me faças a perder a cabeça, onde foi ela? – Avisou-me e insistiu.
SuMin: Juro que não sei….
Donghae: Calma….
SuMin: E.eu…eu vim a correr atrás dela, e perdi-a aqui… - Menti um pouco receosa.
Daesung: Então porque te escondeste?
SuMin: p-porque pensei que fossem…sei lá… outras pessoas
Onew: Vá vá…. Já chega, não vêm que a rapariga está assustada?
Acho que ele percebeu que eu ‘’ não podia’’ contar nada
Daesung: Eu um dia destes mato-me!
Daesung estava desesperado.
Daesung: O mago vai fazer-me em picadinho. Por acaso ela… não entrou…. Sei lá… no bosque, pois não? – Ele estava totalmente nervoso e irrequieto, a sua cara estava com uma sobrecarga de preocupação – não entrou pois não? – voltou a perguntar.
Onew: Qual é o azar?
Daesung: O azar é que… aqui é o portal para o lado dos demónios! É esse o azar, sele tiver passado vai ser apanhada de imediato!
Donghae: Acalma-te rapaz…
Daesung: É impossível o que me pedes, ela deve ter ido salvar a irmã… ou talvez apenas seguido a voz de Gyuri…
O que fui eu fazer?
Comecei também a ficar nervosa.
Donghae: SuMin não te preocupes~ - deve ter notado que a minha cara mudara repentinamente de expressão – se tu apenas s seguiste a responsabilidade é dela.
Uma voz grossa mas rouca surgiu.
Voz: Onew, ser-te-á concedida a permissão para passares o portal
Daesung: Me-me-mestre!
Voz: Não te preocupes, eu vi tudo, a culpa não é tua. Minzy não tomou atenção às pequenas o mesmo sucedeu a Amber.
Daesung suspirou de alívio.
Eu fiquei uma estátua, a culpa seria minha porque a deixei passar…
Olhei para Daesung. Mas baixei o olhar em seguida.
SuMin: Daesung –chamei.
Daesung: Diz.
SuMin: A nena..passou pela floresta…. – Acabei por confessar achei que seria o melhor.
Daesung desequilibrou-se.
Não sei porquê a floresta mostrava um ar mais assustador do que realmente era.
Daesung: Eu não acredito nisto.

---Catarina---
Estávamos perante o aeroporto, tinha amanhecido, o relógio marcava 8 da manhã
Entrámos no aeroporto e sentámo-nos nas cadeiras.
Catarina: Quem vimos buscar?
Tao: Os animais, só tu os vais poder distinguir.
Ai vou?
Catarina: Mas então….
Tao: Eu apenas sei o voo e donghae avisou-me que os conhecias….
Catarina: Então são conhecidos meus?
Tao: Pelo que parece…
Fiquei curiosa, conhecidos meus? Seriam os MBLAQ? Não…hum… os SHINee? Ah, claro que não… alguém da minha família? Uh… não estou a ver os meus pais alinharem isto….desisto, não faço a mínima.
Suspirei.
Tao: Eles estão a chegar…
Algo se desinquietou dentro de mim, não conseguia ficar quieta. Tinha alguma ansiedade e ao mesmo tempo curiosidade para saber quem seriam.
O aeroporto estava deserto nem uma alma.
Tao: Estou aborrecido… queres comer alguma coisa?
Recusei educadamente, Ele foi buscar comida para ele.
Apesar de estar curiosa com quem seriam os animais Tao fez-me pensar que ele era bastante misterioso. Nunca deixava escapar emoções, guardava-as todas para si, era simpático. Não deslizava nem um pouco, era calmo e nunca lhe conseguia arrancar um sorriso que fosse ou perceber as suas expressões.
Á medida que os minutos passavam o aeroporto enchia o que iria dificultar o encontro.
Conseguia desistir tao de longe.
Vinha com duas latas de sumo na mão direita e duas sandes na mão esquerda.
Tao: Pega catarina – deu-me uma sandes e um sumo.
Catarina: Mas eu disse que não queria nada – resmunguei
Tao: Catarina não vale a pena, Isto não é nada de mais
Catarina: Faço questão de devolver.
Tao: Eu não aceito.
Ficámos a discutir até ser anunciado que o voo onde vinham eles estava a chegar, no entanto tao ganhou. Tao descreveu um dos rapazes.
Catarina: Espera lá…esse é o key e os outros quatro são : o taemin, o onew , o jonghyun e o minho.
Tao: Sábio donghae! Bem sabia ele que os reconhecerias!
Quer dizer que eu tinha acertado~

---Onew---
Primeiro que tudo gostava de saber como vim aqui parar, e depois, porque estou aqui…
Daesung: Ficam bem?
Donghae: Claro~
Daesung e eu entrámos na floresta. Ao passarmos o portão ele disse que eu tinha de agir como se estivesse bêbado, ou possuído.
Tentei fazê-lo.
Jonghyun queria viver algo bizarro, se eu lhe contar isto ele não vai acreditar….
Estava numa terra totalmente diferente do anterior , metia medo ao susto.
Daesung: Vai ser di- não acabou a frase pois começamos a ouvir gritos que o interromperam.
Olhámos à volta, os gritos pareciam vir de Este pelo que seguimos para este.
O chão era peganhento parecia areia movediça, pelo que teríamos de passar a correr.
O céu era vermelho, parecia que estávamos dentro de um filme.
A certa altura Daesung parou estávamos perante a floresta. Não era a mesma pela qual tínhamos saído isso era certo… era muito mais escura, estava completamente seca e muitos ruidos surgiram dali.
Ouviam-se vozes, nitidamente eram vozes, conseguia-mos perceber toda a conversa.
Mesmo assim daesung parou.
Daesung: Separamo-nos aqui, ela só se mete em confusões , enfim sabes que é ela se a vires em sarilhos salva-a. Eu vou entrar por aqui. Procura noutro sítio, mantém-te em contacto comigo através desta caneta – deu-me a caneta – sempre que precisares de algo, escreve-o no teu braço, eu receberei de imediato a mensagem. Se me permites… - rasgou-me as mangas da camisa – tens de te manter assim. Atenção, ninguém te pode ver escreveres no teu braço. Cuidado.
Entrou na floresta a correr, Eu virei-me para sul e comecei a procura-la.

---tao---
Dirigimo-nos à zona de desembarque para os podermos ver quando chegassem.
Não passou muito tempo para que catarina saltasse de felicidade ao ver taemin com a mala na mão.
Catarina: Taemin, taemin! Taemin! – gritava ela por entre os gritos histéricos das fãs que se encontravam lá.
Agarrei na mão dela e dirigi-me à zona terminal da zona do desembarque.-
Nessa altura taemin levantou o olhar do chão e viu catarina, o que o fez começar a correr e deixar a mala para trás. Catarina esperava-o de braços abertos, com um sorriso na cara. Coisa que não se refletia no rosto de key quando me viu. Minho atrasava-se o mais que podia e jonghyun vinha a mastigar pastilha e puxando a mala dele. Key, apanhou, de má vontade a mala de taemin.
Taemin encontrava-se já junto de catarina com os pequenos olhos a brilhar.
Taemin: Como sabias?
Catarina: Foi donghae~
Taemin: Quem?
Catarina: longa história~
Achei por bem não os incomodar e esperar pacientemente que key, jonghyun e minho chegassem ao pé de nós.

22º capítulo – esperança
Key estava completamente de mão humor.
Tao: Ei! Kim kibum! Apanha – gritei-lhe ao mandar um pequeno papel.
Key podia não ser bom a desporto mas era ágil, apanhou o papel e abriu-o
Rapidamente a sua cara mudo de expressão. Um leve sorriso tomou o lugar do ar carrancudo que à pouco tempo reinava na sua cara. Enquanto que, nas caras de taemin e catarina baloiçava um sorriso confortável.

--Key---
Confesso que me irritou bastante quando levantei os olhos ao ver taemin a correr que nem um louco deixando a mala para trás – o que também me assustou – e vi tao.
Não estava à espera de ter nas minhas mãos aquele anel , aquela foto e aquele papel.
O papel dizia: ‘’considero todas as hipóteses de key se ter chateado comigo, no entanto não fiz nada de mal , não o conhecia de lado nenhum , até fiquei confusa… quanto à caixinha… podia estar lá dentro um colar, um pin, um anel,, alguma coisa do género mas não tive tempo de descobrir’’
Sorri ao ler o papel mas, senti uma angústia.
Parecia ser uma página arrancada de um diário.
A foto era de uma paisagem que me agradava bastante, tinha um rio, calmo. No verso da folha dizia ‘’procurar sítios assim como destino de férias’’ . Soltei uma gargalhada.
Quanto ao anel, suspeito ter sido de Bia.
Havia chegado ao pé de taemin.
Dei-lhe um toque na cabeça com o punho fechado e com pouca força.
Key: A mala.
Taemin: obrigada.
Virei-me para tao e cumprimentei-o com um aperto de mão.
Tao: isso foi o que consegui trazer parece que o anel te era destinado…
Key: Cuidaste bem dela?
Tao: Preciso da tua ajuda.
Depressa me apercebi que algo tinha acontecido.
Jonghyun juntou-se ao grupo. Assim como minho.
Catarina: O onew?
Taemin: Evaporou-se do nada….
Jonghyun: és bruxo taemin…
Taemin: porquê?
Jonghyun: disseste que catarina te vinha esperar e cá está ela…
Taemin: pois…quanto se trata dela… o perito sou eu~ - Aquela frase provocou gargalhada geral.
Sinceramente não tinha nada contra tao, apenas…ciúmes.
Key: tao, onde está ela?
Tao: pois…primeiro têm de vir connosco a um sítio…

---sumin---
Que seca…não se faz nada…
Queria sentir-me livre deste tormento que tinha em cima.
Ainda por cima estava a levar um sermão
Amber: Porque a deixas-te entrar?
Sumin: porque nos deixas-te sair? – não aguentava mais ouvi-la a culpar-me – tu és a principal culpada! Não nos tivesses deixado sair daqui enquanto falavas com Minzy, ora essa! – acrescentei.
Amber virou a cara e parou de falar no mesmo instante.

---Bia---~
Comecei a sentir o cheiro da comida , não aguentava mais, estava cheia de fome, já não comia à vários dias.
Aproveitei uma pequena abertura que surgiu na esfera e abri o resto, pelo menos o suficiente para poder sair.
A primeira coisa que fiz foi procurar um sítio onde pudesse ao menos tirar a gordura do meu cabelo e corpo. Encontrei um pequeno lago, atirei-me lá para dentro, Fiquei ‘’de molho’’, depois disso ouvi gritos, pareciam estar perto.
Acabei por permanecer um pouco mais antes de me ir embora descobrir de onde vinham os gritos.
A água era vermelha. Parecia o mar vermelho que pela quantidade exagerada de sal se consegue flutuar.
Acabei por me levantar e sair do lago toda encharcada.
Cheirava-me a salsichas, fui atrás do cheiro, detetei um pequeno acampamento. Não estava lá ninguém e as salsichas estavam tão sozinhas….
Decidi tirar duas e seguir os gritos.
Pareciam ser gritos femininos.
Fui contra um rapaz que também corria na direção dos gritos .
Daesung: desculpe….
Bia: não tem mal~
Acho que não o deveria criticar, quero dizer, eu estava totalmente encharcada e com uma salsicha em cada mão…
Bia. Uh….
Daesung: desculpe tenho que ir…
Bia: pois…eu também…
Ele correu em direção aos gritos eu também o fiz.
Eram gritos de horror…eram estranhos.
Não tive que entrar muito na floresta para encontrar os gritos e segui-los de perto, preferi não me aproximar.

---daesung---
Nena estava presa numa espécie de lianas que se encontravam à volta da lendária árvore do desespero. Esta árvore era conhecida por despertar o pior da pessoa. Realmente deve ser um desespero. Não me aproximei muito, não queria que me vissem. A arvore estava muito bem protegida pelos guardiões.
Nena gritava com todas as suas forças.
I meu braço começou a brilhar, onew havia mandado uma mensagem ‘’nem sinal dela’’
Peguei na minha caneta e escrevi-lhe ‘’ encontrei-a. Entra na floresta e segue sempre para norte, encontrar-me-ás. Preciso da tua ajuda’’.

---nena---
Não estou completamente consciente.
Não sei onde estou.
Kim chama-me
A minha cabeça anda à roda.
Tenho medo.
Não sinto o meu corpo
Alguma parte de mim me está a deixar….
Sinto-me atordoada, a perder as forças, a enlouquecer, a perder a respiração, a… morrer

---catarina---
Comecei a sentir uma dor de cabeça horrível. Como que se alguém estivesse a gritar dentro dela.
Estava feliz.
Dirigia-me para o ‘’outro mundo’’ na companhia dos 4 membros dos SHINee e de tao.
Metade da viagem estava feita. Tao ia-nos explicando ao pormenor tudo.
key; jonghyun querias coisas bizarras, aqui as tens!
Tao: mais uma coisa, preciso que confies em mim …kibum!
Key: key . informou
Tao: key – repetiu.
Key acenou com a cabeça
Tao pediu a key que fechasse os olhos e suste-se a respiração enquanto davam as mãos.
Key desapareceu, nas mãos de tao estava agora um escorpião.
Tao apertou a cauda do escorpião e key voltou a aparecer.
Jonghyun: wooow! Como fizeste isso?
Tao: bem…concentrei as nossas auras…
De repente as árvores começaram a secar , a terra começou a ficar peganhenta, o mar revoltado, o céu chuvoso e cheio de nuvens, o chão começou a partir-se e surgiram trovões .
Tao: uh oh….começou, temos de nos despachar!
Tao abriu rapidamente o portal deitando o gio que tinha no seu pescoço no chão, pediu que formássemos um círculo e nos juntássemos.

---tao---
Não quero usar o meu poder pelo que simplesmente os teletransportarei para o outro mundo abrindo ambos os portais ao mesmo tempo.
Não havia muito tempo. Acebei por optar por usar os meus poderes.
Juntei o indicador e o polegar, soprei para lá, surgiu uma chave, peguei na chave e no meu relógio de pulso. Pus a chave no relógio r rodei-a segundo o sentido contrário ao sentido dos ponteiros do relógio.
‘’tranquei o tempo’’
Toquei em todos eles para poderem passar pelo portal. Passei-os sem dificuldade por ambos os portais. ’destranquei’’ o tempo e entrei rapidamente para o portal para em seguida o fechar.

---donghae---
Haviam chegado todos menos tao.
Houve uma pequena hesitação por parte de thunder. Decidia se se ia levantar ou não.
Acabou por se levantar. Catarina correu para ele deixando taemin para trás.
Catarina: thunder!
Thunder: catarina! Estás bem, ainda bem!
Tai havia chegado com cara de pânico.
Tao: ai ai ai” começou donghae! Começou! – gritava ele com as mãos na cabeça – temos de os preparar de imediato!
Chamei goo hara para levar catarina.
Donghae: os restantes sigam-me.
Procurei não os afligir.
Passamos toda a aldeia até chegar-mos às colinas.
Minho: parece um filme de ação~
Donghae: acredita que isto, ainda nem começou….

---onew---
Havia encontrado a floresta, só faltava daesung.
Andei para norte.
Sempre me consegui orientar pelo musgo que se encontrava na copa das árvores, por causa da humidade.
Acabei por ir parar ao pé de daesung.
Daesung: ainda bem…agora, temos de nos despachar, não tarda nada ela deixará de existir. Só o corpo vai existir…temos de a tirar dali…
Daesung começou a pensar em várias maneiras de a tirar dali.
Onew: …que tal… tu fazeres aquela coisa que fizeste, e eu como animal, ir lá? – sugeri.
Daesung: isso é uma boa ideia – admitiu – porém… primeiro temos de pensar bem um plano sem falhas… - contrapôs.

---tao—
Sabia que não me restava muito tempo.
Tao: donghae, tenho de levar o key – afirmei aflito.
Donghae: mas…e o mestre?
Voz: é-te concedido esse desejo tao, leva o escorpião e traz-me a rapariga.
Suspirei de alívio.
Key olhou para mim, fiz sinal com a cabeça para me seguir.
Donghae: tao! Segue para norte na floresta da passagem! – gritou.
Comecei a correr. Key seguia-me.
Talvez ainda nada tivesse acontecido a bia, tinha esperança disso.
‘’bia, ouves-me?’’ – perguntei um pouco inseguro.
‘’tao?’’ – respondeu.
‘’sou eu, estás onde?’’ - interroguei
‘’n-não tenho a certeza… uma árvore’’ – no bosque….
‘’está aí mais alguém?’’
‘’não sei, só vejo animais e ima rapariga que conheço de vista presa na árvore’’
‘’já vou ai ter contigo’’ – Assegurei-lhe.
Tao: key , tens de correr… se a arvore do desespero a apanha não há forma de a salvar… acho eu…
Key: mas ela está bem?
Tao: por enquanto…
Key percebeu a gravidade da situação. Pôs-se a correr o mais rápido que conseguia.
Não passou muito tempo até nos encontrar-mos à frente da passagem.
Tao: bem é aqui… tem calma e tenta não gritar quando chegar-mos ao outro lado, não quero chamar a atenção. – avisei-lhe antes de passar-mos.
Felizmente conseguimos passar sem escândalos.
Seguimos para norte como donghae havia indicado.
Encontrámos falimente bia.

---key---
Ia a chamar bia. Uma bolha transparente envolveu-a os seus pés saíram do chão. Olhava confusa à volta.
Tao: não! Os guardiões ! caramba!
Tao começou a correr em direção a bia. Os arbustos eram o nosso único refúgio.
Tao: bia! – gritou.
Saltou para a alcançar mas não a alcançou pois a bolha rebentou e uma espécie de lianas agarraram-na.
Mesmo assim tao não desistiu.
Daesung: tao!
Tao trepou à arvore e partiu as lianas nem sei bem como.
Parecia estar desesperado.
Nem sei bem explicar o desespero dele ao subir a arvore.
Tao: kibum! Apanha-a e foge daqui! – ordenou.
Apanhei-a
Nesse momento bia olhou tao.
Bia: tao! Tao! O que estás a fazer? Tao! Devias ter-me deixado ir a mim! Tao!
Tao fechou os olhos e chorou, as lagrimas corriam-lhe lentamente pelo rosto a baixo.
Daesung: tao! Seu idiota!
Não estava lá o corpo de tao , em vez disso havia um pequeno panda.
Key: bia, temos de ir!
Bia: key?

--bia---
Tao havia desaparecido, só agora me tinha dado conta que key me segurava no seu colo.
Key: temos de sair daqui!
Bia: mas…o tao?
Nesse momento tao caiu no chão, ou melhor o corpo do panda caiu.
Bia: tao!
Key pegou-me na mão para fugir.
Recusava-me a sair dali.
Saiu uma serpente da arvore. O pandinha levantou-se. Apanhou a serpente e segurou-a.
Tao: bia, peço-te,,, foge, não vou aguentar por muito mais tempo. – informou com a sua voz rouca e com falta de ar. – são as ultimas forças que me restam, por favor – acrescentou.
Bia: seu parvo! – afirmei com lágrimas na cara.
Tao: kibum, leva-a daqui…obrigado. – sorriu caindo por fim no chão.
Onew surgiu do outro lado de uma arvore.
Onew: key?
Key; onew? Onde te tinhas metido?
Daesung: key, leva-a para fora daqui, eu trato do resto.
Key agarrou-me firmemente na mão e puxou-me para fora da floresta.

-daesung—
Tao…o que foste tu fazer rapaz?
Levantei o pequeno corpo de panda que se encontrava no chão e pisei a cabeça da serpente que logo tomou forma humana.
Mulher: como lhe posso agradecer?
Daesung: fuga daqui só isso.
Ainda tenho que libertar os espíritos aprisionados dos anjos de sleeping forest.
Onew: ei daesung..o cabelo da nena ficar branco é bom sinal?
Daesung: a nena! Ia-me esquecendo dela!
Peguei nas mãos de onew e ele rapidamente percebeu. Susteu a respiração e fechou os olhos também o fiz
Onew rastejou até à arvore e fingiu ser a serpente que faltava. Subiu lentamente à arvore simulando ser uma liana. Enrolou-se a nena, como tínhamos combinado. Mordeu todas as lianas quebrando-as. Lentamente o corpo de nena deixou a arvore e nena deixava de gritar. O corpo dela caiu.
Onew pôs um dos braços de nena ao pé dos arbustos de maneira a eu poder agarrá-la e puxá-la.

---donghae---
Estava totalmente aborrecido.
Estava na presença do mestre, que algo se assemelhava a Baro.
Sabia que dentro em pouco iria perder os meus poderes.
Donghae: grande mestre, tao não existe mais, bia chegará nos braços de key.
Mestre: eu sei donghae, eu sei disso.
Como pensei… o mestre também prevê o futuro….
e… a partir de agora não vou ler mais o futuro.
Estavam todos calados dentro da grande sala que fazia eco.
Mestre: tao sacrificou-se pela rapariga. – estranhamente aquela frase doeu ouvir. – thunder, meu filho – prosseguiu – tu mais que ninguém és sensível a tudo. Donghae, desejo-te boa sorte.
Donghae: sim mestre- fiz-lhe uma vénia, levantei-me e saí da sala. Estava na altura de a ir buscar.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Qui 18 Out - 12:40:42

Capítulo 23 – sonhos

---Jonghyun---
Após donghae sair da sala chegou key com bia.
Mestre: grande escorpião, diz-me o teu nome e conta-me a tua história.
Key ficou confuso mas lá acabou por responder.
Key: b-bem… sou o kim kibum..ou key se preferir – respondeu hesitante – quanto à minha história…ainda não a acabei, é preciso uma vida para a fazer.
Mestre_ sábia resposta meu grande, admiro-vos, haveis salvo beatrice só?
Key: não…na realidade tao salvou-a, eu apenas fugi como um cobarde puxando-a comigo…
Mestre: admiro a tua coragem e a tua sinceridade, podias ter mentido as preferiste dizer a verdade. Pousa as tuas preocupações e deixa os teus medos de lado no meu humilde espaço , para que possas descansar antes que a guerra comece…beatrice levantai o teu triste olhar do chão. Esboçai um sorriso alegre na cara, tao está bem. Hyosung ajudei beatrice.
Hyosung: sim mestre.
Minho estava simplesmente boquiaberto olhando para key.
Key não mostrava qualquer felicidade por encontrar beatrice.
Key: mestre…tao…
Mestre: não te preocupes kibum, ele está bem.
Key: kibum… - deixou-o pensativo o seu próprio nome? Ele olhava para o vazio com a cara mais triste que já vira ele encenar.
Key sentou-se, não estava a prestar atenção nenhuma.
Onew entrou na sala seguido de um rapaz que trazia uma rapariga ao colo.
O rapaz ajoelhou-se,
Daesung: mestre, devolva-lhe a vida… imploro-lhe – o corpo realmente parecia morto… - leve a minha…mas devolva a dela…
Mestre: não o poderei fazer, ela resistirá. Pela irmã, por onew, pelos amigos… ela não desistirá, lutara contra o que a mantém presa. Ela não morrerá.
Onew: por mim?
Mestre: sim por ti serpente.
Onew: porquê?
Mestre: são as leis da vida meu caro, minzy, minha filha aproximai-vos.
Minzy: sim pai?
Mestre: o vosso prometido.
Minzy: daesung?
Daesung: eu?
Mestre: sim, pela sua coragem, pela ajuda que nos tem prestado e pelo seu conhecimento , acho mais do que na altura de o recompensar.

---daesung---
Não estava à espera disto, nada à espera mesmo.
Passei as mãos pelo rosto de nena, estava completamente frio. Levantei-me, andei lentamente até onde o mestre se encontrava. Ajoelhei-me
Daesung: farei todos os possíveis para fazê-la feliz - porém custou-me dizer isto, foi sincero mas não espontâneo. Lembrei-me do meu pai… queria que me casasse com minzy.
Mestre: muito bem meu filho. – retorquiu.

---catarina---
O que terá acontecido?
Minzy estava de volta. Desta vez trazia nena nos seus braços.
Minzy: só nos resta ter esperança nela.
Minzy parecia triste.
Catarina: minzy, está tudo..bem?
Minzy: uh? Oh sim… - respondeu algo hesitante e triste – é só… o daesung.
Bia:: o daesung? Que tem o daesung?
Parece que eu não era a única que estava confusa.
Minzy: bem ele não está a ser sincero com ele mesmo…meu pai quis… e daesung assim o aceitou.
Amber: aceitou o quê? – cada vez fazia menos sentido a conversa.
Minzy: aceitou…casar-se comigo…
Amber: isso não é muito repentino? Ainda para mais numa altura destas….
Minzy: pois… e meu irmão, baro vai a seguir…Baro brevemente vai voltar, uma esposa o vai esperar e ele nada pode fazer?
SuMin: o baro? – sumin acordou quando ouviu ‘’baro’’
Minzy :sim, baro vai casar-se meu pai já deve estar à procura de pretendente ou talvez já a tenha encontrado. Muito provavelmente amber está nos seus pensamentos.
Amber: eu? Quer dizer… não que me importe…ele é encantador…e – estava entusiasmada.
Sumin bateu com as mãos na mesa. Não parecia aprovar.
Sumin: mas estamos aqui para falar de noivados ou para nos preparar-mos para o que aí vem? – de algum modo o ambiente tornou-se desconfortável.
Catarina: bem,., como era aquilo da floresta? – tentei desviar o assunto
Minzy: sim…a floresta.
Bia: a floresta é assustadora.
Amber: é verdade…vocês devem ter fome…e devem querer querer tomar banho e tudo isso…bem amanhã começamos a sério com as explicações, descansem por hoje. E levem-na . - apontou com ar de superioridade para o corpo que estava no chão.
Minzy e amber saíram da sala.
Hyosung tinha ficado a ajudar-nos a levar nena.
Hyosung: deixem que eu levo – logo saiu com ela nos braços.
bia: eu acho que estamos dentro de um filme…
goo hara: não se preocupem elas só agem assim porque se vão casar com pessoas ‘’importantes’’…não liguem…

--- thunder---
A casa encontrava-se cheia. Key estava com os olhos fechados deitado, não estava a dormir, algo o impedia de o fazer, estava constantemente a voltar-se.
Mestre: tao e nena encontram-se no mesmo estado – key abriu um dos seus olhos e lentamente, aproximou-se para ouvir.
Daesung: não exatamente, desculpe descordar mas temo que tao esteja pior, tao não dorme pelo menos à 3 dias…
Mestre: tens razão…
Daesung: a única explicação que arranjo para os três segundos que ele lá esteve foi ter-se selado em alguma parte do seu corpo…
Onew: mas nena esteve lá um montão de tempo …
Daesung: não é tão grave, o problema é ela estar fria , não creio que possas ajudar-nos enquanto ela não acordar, quanto a baro…
Mestre: não posso fazer nada…
Minho: isso é muito interessante mas… onde entramos nós?
Mestre: o quê? Donghae não te levou?
Taemin: mesmo…onde entramos?
Estou aqui a pensar para os meus botões…. Isto está cheio de triângulos amorosos…
Segundo a minha teoria… tao não ia salvar bia.. – quero dizer, ninguém faz isso sem mais nem menos – logo ele que andava desesperado. Segundo catarina me contou – minho contou a taemin e taemin a catarina. – key fez uma sena de ciúmes por causa de um beijo na bochecha… aqui está o primeiro.
O segundo é o de baro, sumin e jonghyun.
Sumin gosta de ambos…ou pelo menos parece, não reage bem a assuntos sobre baro.
Para além disso jonghyun e baro já se pegaram. E sumin da outra vez não pareceu estar muito contente com as acusações de jonghyun.
Isto mais parece uma revista cor-de-rosa.
Sinceramente tenho que arranjar outras ocupações.
Acho que minzy ainda vai acabar sem cabeça.
Tentei voltar a prestar atenção à conversa.
Daesung: mestre, onew ficará com nena, eu libertarei os espíritos dos anjos aprisionados.
Mestre: levai minzy. Onew dou-te autorização para vigiares nena.
Daesung levantou-se, provavelmente buscar minzy.
Mestre: os restantes, juntem-se com as raparigas e caso as raparigas ainda não tenham chegado fiquem com os salvadores.
Minho:_ bem…isto já é molho a mais, sem donghae, não conheço a gaja….
Mestre: ah! Sim tu meu filho..tu… tu permanecerás comigo até ambos chegarem.
Todos nos evaporámos da sala para cumprir as ordens.

---donghae---
Neste exato momento sentia-me perdido. Não sabia que direção seguir.
Parei, respirei fundo, passei a mão pelos meus cabelos, fechei os olhos e tentei concentrar-me.
Havia algo a privar-me de pensar, algum bloqueio numa certa parte da minha mente.
Após conseguir pensar um pouco, lembrei-me que, para trás havia deixado o animal…
Pergunto-me como se estará ele a safar.

--minho---
Eu não percebi bem o que se passou… dei por mim a jogar às cartas com aquele que parecia ser um viciado.
Mestre: perdeste outra vez!
Pudera….não percebi as regras…
O homem explicou que o duque, o oito, o nove e o dez não jogavam. Depois o sete – ou seja a manilha – é a carta mais alta a seguir ao Ás.
O às valia 11 pontes –cada um deles – as setes valiam 10, o rei 4, a dama 2, o valet 3 e os restantes nada valiam, eram palha.
Depois disso havia um trunfo – há quatro naipes – espadas, paus, outros e copas – um dos naipes é o naipe do trunfo.
Mestre: vamos jogar outra vez!
Suspirei.
Baralhei as cartas.
Dei-lhe 3 viradas para baixo e para mim também. Tirei uma outra carta que seria o trunfo, pu-la virada para cima e em cima dela pus as restantes cartas.
O naipe do trunfo eram copas.
Tinha tirado o rei, o valet e as setes de mão.
Minho_: jogue – incentivei.
Jogou um às de espadas, em cima dele joguei as setes do trunfo.
Minho: não vá o diabo tece-las mestre – comentei.
Pareceu ficar aborrecido…

---onew---
Estava numa casa. Sentado. Enconstado à parede.
Nessa mesma parede havia uma janela quadrangular.
A casa era feita de madeira parecia uma das casas de uma era passado do japão. Era limpa e pelo chão tinha espalhado uma espécie de lençóis e almofadas.
Hyosung chegou com nena nos braços . afastou a cortina, cumprimentou-me e pousou-a no chão.
Hyosung: amanhã volto por causa da sua higiene diária – apontou para ela. – se bem que também não faz mal enquanto ela dorme, venho mudar-lhe a roupa amanhã, ou minzy se encarregará disso… - concluiu.
Hyosung afastou-se de casa.
Olhei para nena. Continuava igual desde a última vez que a tinha visto . tinha os olhos fechados, o cabelo solto uma ferida na testa, e lágrimas já secas nas bochechas.
Peguei num lenço que tinha no bolso e molhei com água de um pequeno ribeiro que corria ao pé da casa. Limpei-lhe ambas as faces. Surpreendentemente o lenço congelou., parecia haver algum congelador.
A agua estava fria, mas a cara dela estava ainda mais. Experimentei aproximar um botão da minha camisa sem mangas – que me tinham sido arrancadas por Daesung.
Bastou meio segundo para, depois de aproximar o botão da face dela, o botão ficar congelado.
Peguem em vários lençóis que se encontravam espalhados pelo chão e cobri-a, tentando que o frio da sua face não se alastrasse pelo resto do corpo.
Puxei a mão dela. Como temia, não era só a face que estava gelada.
Hesitante peguei-lhe na mão e tentei aquecê-la… acabando por criar uma sandwich de mãos.
Sentia as palmas das minhas mãos arrefecerem.

---nena---
Estava presa dentro de um sonho, um sonho estranho onde a comida me perseguia.
De repente a comida desaparecia e eu sonhava com outra coisa qualquer.
Apesar de não estar consciente sabia que eu era um cubo de gelo. Estranhamente só a minha mão direita estava quente…

---bis---
Eu, catarina e sumin encontrávamo-nos numa espécie de termas.
Bia: bem,,, que dia - comentei.
Catarina: tens razão… - concordou.
Sumin: começo a achar que somos bonecos, tipo marionetas percebem? – afirmou furiosa.
Catarina: o melhor seria nem ligar-mos sumin…
Concordei
Sumin suspirou.
Sumin: mesmo assim…elas abusam…
Bia: queres o quê? Quando o casamento sobe à cabeça das meninas queque… bem vou mergulhar, já volto.
Baixei-me de modo a poder molhar o meu cabelo que ainda se encontrava alfo pegajoso.
Realmente elas às vezes abusam.
Não aguentei muito tempo debaixo de água. A minha cabeça acabou por se aproximar lentamente da tina de agua.
Catarina e sumin já tinham mudado de assunto, provavelmente para não se irritarem
Catarina: foi isso que o tao me disse…
Sumin: então o baro..
Catarina: calma…eles estão a desaparecer, um por um. Mas acredito que voltem.
Bia: o tao está bem – com aquela história toda tinha-me esquecido que podia falar com ele através da mente…
Sumin: como podes ter a certeza disso?
Bia: Bem… -corei- eu consigo falar com ele, normalmente faço-o nos meus tempos livres.
Sumin: como assim? – parecia ter um pouco de raiva na voz e na cara
Bia: bem…nem sei…só comecei a falar com ele entro da bolha – relembrei-me – chamei o nome dele e de alguma maneira conectei-me a ele..
Catarina: isso dava-me um jeitão…
Bia o problema é que só consigo falar de estivermos ambos no mesmo sítio..
Catarina: ou seja nos dois mundos?
Bia: bem, se eu estiver na floresta dos demónios e ele aqui sim, se ele passar para o nosso eu não consigo, talvez haja uma espécie de interferência… não faço a mínima…

--tao—
Mesmo tendo-me selado no meu próprio corpo sabia que não estava a salvo.
O yin yang que tinha no pulso tinha-me ajudado.
Não tinha bem a certeza quanto tempo mais iria aguentar ali fechado.
Sabia que estava em new tokchoto
Sentia-me como que a flutuar, parecia haver ondas debaixo de mim
Era uma sensação estranha, fazia cócegas.

---onew---
Sentia as minhas mãos completamente geladas como se fossem dois cubos de gelo
Minzy havia chegado. Olhou para mim
Minzy hum? Onew..o que estás a fazer?
Recuei um pouco.
Onew: bem.. estava a tentar aquecer-lhe as mãos…sabes.. ela congela objetos… - apontei para nena.
Minzy: pois… deve ter a roupa congelada – troçou.
Minzy tirou todos os lençóis de cima de nena
Minzy; OMO! Como é possível isto?? – gritou – Daesung! – chamou.
Daesung apareceu de seguida.
Daesung: Sim princesa?
Minzy; olha para isto!
Daesung: se me permite princesa, essa rapariga era descendente do tigre, pelo que… se o tigre que era a sua fonte de calor lhe foi tirada é normal esta situação – informou apesar de não lhe ter olhado uma única vez desde que havia entrado.

---nena---
Estava a sonhar.
Havia um tigre. O tigre falava.. que infantil.
Tigre: Acorda! – ordenou num tom ríspido.
Não me sentia bem.
Nena_ não consigo!
Tigre: consegues! Acredita em ti! – respondeu.
Nena: falar é fácil – o meu tom de voz diminuía
Tigre: não sou nenhum príncipe encantado
Nena desculpa – pedi.
A sua pata alcançou a minha mão.
Tigre: ordeno que acordes assim que eu desaparecer!
O tigre começou a desaparecer como se fosse água dentro de um copo. Primeiro desapareceu a cabeça logo depois o tronco, só restando quatro patas, uma das quais estava em cima da minha mão.

---minho---
Mestre: não quero jogar mais!|
Minho: mas o mestre…. Só perdeu 10 jogos…
Mestre: unf!
Parece que finalmente parou a mania do jogo…
Seguiu-se um silêncio aterrador.

24º capítulo - inocência.

Estava certo que iria passar um mau bocado

---donghae---
Avistei baro, mesmo de longe o reconheceria.
Ao sei lado estava kim, uma rapariga não muito baixa e.. completamente possuída. Podia dizer que a minha frente estava yoona e não kim. Cl dormia certamente guardava kim com ela. A única maneira de libertar ambas seria… procurar os seus espíritos em sleeping forest.
Teria de voltar para trás. Caso contrário não teria recursos suficientes para as acordar.
Baro: quem está aí? – notou-se uma voz feminina – donghae foge! Rápido estou a fazer-me de desentendido! – sussurrou uma voz masculina – volto a repetir, quem está aí? – no seu discurso consegui notar duas vozes diferentes. Uma que se assemelhava à de baro e outra como que eletrónica mas feminina.

---taemin---
Catarina : não podemos fazer grande coisa
Estávamos rodeados de árvores.
Jonghyun: aquele sa- quero dizer… o baro, era-te assim tão importante? – acabou por perguntar.
Sumin: um bocado, crescemos juntos…. – acabou por confessar-
thunder: unf. Podia estar na praia… mas não, estou aqui sentado a olhara para o nada…
catarina: Hum? O que é isto? – chamou a atenção de toda a gente.
Taemin: o quê?
Ela apontou para uma estrela de 20 pontas, mais parecia uma rosa dos ventos.
Goo hara: é a chamada estrela da caminhada, reza a lenda que tem duas iguais, e que na altura certa brilharão a mesmo tempo. Nessa altura haverá uma guerra. E a estrela vai-nos levar para lá. Mas só se estiverem bem posicionados.. não pode haver falhar.
Estávamos esclarecidos.
Jonghyun levantou-se depois de muito meditar.
Jonghyun: vou buscar baro - afirmou
Amber levantou-se da pedra onde estava sentada e olhou-a.
Amber: não! – respondeu
Jonghyun: vou sim.
Amber: não o faças!
Jonghyun: quem és tu para me impedir?
Amber: tens razão – abriu caminho – devo prevenir-te que podes ficar preso lá.
Não olhando para trás respondeu:
Jonghyun: há riscos que temos de correr para atingir a felicidade coletiva.
Haja coragem…
Key: vou contigo – disponibilizou-se.
Jonghyun: não. Há coisas que temos de fazer sozinhos… - afastou-se
Sumin não tirou os olhos dele enquanto ele não desapareceu atrás da vegetação.

--onew---
Tanto daesung como minzy já tinham partido.
Nena abriu lentamente um dos olhos o que me fez largar a sua mão e recuar.
Nena: então…eras tu – olhou-se . tinha uma voz rouca.
Onew: desculpa, não queria incomodar.
Nena_ não me estavas a incomodar, apenas achei estranho a minha mão estar quente – acabou por dizer.
Ela tossiu.
Onew: estás bem?
Nena : sim.
Onew: ah é verdade, - pus a mão no bolso – no outro dia, quanto estávamos na floresta era disto que andavas à procura? – mostrei-lhe um pequeno pedaço de tecido vermelho.
Ela olhou-me espantada
Nena: sim. Obrigado, como o encontraste?
Onew: sinceramente foi daesung que mo deu…
Nena: daesung hum=
Onew: sim…desculpa mas não pude deixar de reparar que está escrita uma frase aí…
Nena: o que dizes?
Onew: sim… uma frase em latim.
Nena: percebes latim?
Onew: não – mais uma vez fui sincero – foi daesung que me disse.
Nena: hum… outra vez… posso pedir-te um favor?
Onew: acho que sim…
Nena: não voltes a dizer o nome dele outra vez.
Concordei. Logo após ela ter dito aquilo ouviu-se como que um estrondo forte, parecia um soco noma das paredes. Pensei que a casa ia tombar.
Onew: quem está aí?
Ninguém respondeu.

---daesung---
Com que então não quer saber do meu nome não é? Que se dane. Ingrata.
Minzy: o que foi?
Daesung: nada princesa nada…
Minzy: não me parece que seja nada daesung – agarrou-me na cara com as duas mãos – o que te faz infeliz?
Daesung: mInzy…eu… não te posso contar….
Minzy; porquê?
Daesung: não irias intender.
Minzy: sendo tua mulher tenho o direito de sabe!
Daesung: sendo o teu marido tenho o dever de te fazer feliz! E chega minzy! – gritei algo irritado por não me ter compreendido.
Ela calou-se
Daesung: desculpa… - acabei por pedir alguns segundos depois.

---nena---
O meu coração está contigo? A pulseira.. é diferente…
Onew: bem , foi isso… era essa a frase que ele leu
Nena: unf…enfim pulga estranha e idiota.

---minzy----
Minzy: daesung! O que me escondes? – acabei por lhe gritar uns minutos depois.
Daesung: minzy! Não me faças perder a cabeça!
Minzy: kang daesung!
Daesung: minzy! Quero dizer. Princesa…
Minzy: seu idiota sua pulga! – agarrou-me nos braços.
Daesung: não voltes a repetir isso! – ordenou – por favor – acrescentou num tom mais calmo
Começou a andar em direção a sleeping forest. Segui-o.

--thunder---
Goo hara estava a explicar-me como utilizar os meus poderes
De vez em quando deixávamos de falar de assuntos importantes para nos distrair-mos um pouco.
Thunder: não propriamente, o lado mau de ser famoso é esse mesmo…
Goo hara: pois, a parte má de ser anjo é não poder viver no vosso mundo … mas às vezes compensa só vos ver – riu-se
Thunder: percebo – mostrei também um sorriso .
Goo hara: bem continuando ~ tu és especial, acho os teus poderes muito fofos – passou a mão pela minha cara. ~
Catarina levantou-se
Catarina: vou à casinha , onde é amber?
Catarina parecia irritada.
Goo hara: vês? Tu sabes como a tua prima se sente~ diz-me mais.
Thunder: a amber está nervosa e ansiosa. Taemin está preocupado sumin triste… bia está pensativa, hyosung está divertida key está a morrer por dentro. E tu… tu estás animada.
Goo hara riu-se.
Goo hara: bem , gostei de conversar contigo – admitiu – mas tenho trabalho a fazer, falamos mais logos – despediu-se de mim tocando-me na ponta do nariz com o indicador . afastou-se

---minho---
Mestre_ sabes, fiquei muito tempo só. Depois minzy nasceu, nasceu do lago foi um anjo abençoado. Baro nasceu na floresta, logo soube que ele seria o salvador e guardião da floresta. Depois surgiu minji mas minji desapareceu assim como bawon. Minji nasceu do céu e bawon do fogo enfim…
Já ia longo o desabafo, pensei quando me iria ver livre daquilo…
Mestre: e tu meu filho? Como são os teus descendentes?
Minho: eu não tenho descendentes…
Mestre: ai não?
Minho: não.
Mestre: saberás que eles são a maior alegria do mundo, dão-te forças quando sorriem mesmo que estejas no limite delas. Fazem-te acreditar no impossível, fazem-te ver mais claramente.
Minho: ah estou a ver…
Mestre: promete-me aqui e agora que quando tudo isto acabar, assim que o 1º dos teus descendentes nascer mo vens aqui mostrar.
Minho: prometo – prometi mesmo sabendo que não se iria cumprir.
Mestre: enganas-te meu filho, terás descendentes serão crianças alegres.
Minho: prefiro viver sem saber o meu futuro se não se importa.
Mestre: uma decisão acertada – soltou um riso abafado.
Donghae chegou ofegante.
Donghae: eu vi baro! Baro está vivo! Tem dupla personalidade!
Mestre: meu filho acalma-te . levai este jovem, minho contigo acordai cl que se encontra em sleeping forest depois regressai! Não faças nada mais.

---jonghyun---
Sentia-me esgotado. Havia pequena vegetação à minha volta. A voz de amber surgiu.
Amber_ continua em frente, chegarás ao pé de baro.
Segui a indicação de amber.
Não tardou para que eu estivesse ao lado de baro.

---bia---
Nas profundezas do meu ser sabia que tao viva.
Sentia-o.
Não cheguei bem a perceber o estado de key. Não tínhamos falado desde que houve o incidente na floresta.
Bia: key?
Key: ne?
Bia: estás bem?
Key: Claro… - tentou disfarçar a tristeza com um sorriso mas o seu tom de voz denunciava-o. Fingi acreditar.
Bia: hum okay… - parecia difícil falar, as palavras não saiam com naturalidade – então..
Key: é verdade… isto – tirou do bolso a caixinha e deu-ma – desculpa, não sei o que me deu naquele dia…
Bia: não tem mal – fiz uma conchinha com as mãos, ele pousou a caixa nas minhas mãos – posso abrir? – perguntei algo insegura e com medo de ouvir um não como resposta.
Key: ne~ - respondeu com um tom ligeiramente mais leve.
Respirei fundo. Key riu-se.
Key: calma~ acho que não é tão importante assim..
Bia: é importante – contrariei – foi algo que me foi oferecido portanto devo tratar disto com cuidado.
Key olhou-me com um ar de satisfação
Abri lentamente a caixa.
Key: já te tinha visto a olhares para algo parecido com isso na loja onde costumo ir. Pelo que achei que deviria de oferecer-to.
Bia: ó key! – deixei-o espantado.
Key olhou-me com preocupação.
Key: o que foi? Não gostaste?
Bia: não é isso… gastaste de certeza um montão de dinheiro com isto!
Key: bia, bia, bia, eu lá me importo!
Bia: importo-me eu!
Key: bia, se o usares não é desperdício nenhum.
Refleti.
Key tinha razão.
Bia: tens a certeza? – acabei por perguntar ao fim de algum tempo
Key: sim. Dá-mo para eu to por~
Entreguei-lhe o pequeno brinco.
Key pegou nele e cuidadosamente colocou-o na minha orelha. O brinco tinha um brilho fantástico.
Key: também tenho um – sussurrou – por isso como vês não gastei dinheiro nenhum.
Bia: como assim?
Key; esse brinco foi, o primeiro brinco que usei.
Bia: e então porque o tiraste?
Key: decidi guardar esse e comprar outro novo~ fica-te bem – comentou.
Bia: arigatou~ - agradeci algo envergonhada.
Para mim o brinco tinha um valor enorme.

---baro---
E se minzy se aproxima daqui?
Minzy, não venhas!
Já me havia apercebido que jonghyun estava ali, a sua aura era forte, muito forte devo confessar.
Tentava consolar-me ao recordar todas as vezes que estive com pessoas especiais. Nomeadamente minzy.
A presença de jonghyun fazia-me lembrar de sumin, tinha medo que jesseca me chegasse ao subconsciente enquanto eu pensava. Tinha receio que algo lhes acontecesse.
A presença de jonghyun tornava-se desconfortável.
Jessica: este pirralho mete raiva!
Yoona: o que foi?
Jessica: não consigo tomar conta dele! Ele está livre do resto da possessão!
Tudo isto se tornava perigoso. Se jonghyun fosse apanhado era bye bye plano.
‘’sumin’’ – chamei, não sei porque não me lembrei disto mais cedo.
Como esperado não obtive resposta


---catarina---
Taemin tinha vindo à minha procura.
Taemin; está tudo bem?
Catarina: mete-me raiva ver goo hara atirar-se assim ao meu primo…
Taemin: não queres que thunder seja feliz?
Catarina: bem…sim…
Taemin: então deixa, ele sabe cuidar dele. Acredita que sabe – abriu os braços – vá anda cá.
Taemin tinha razão. Acho que está na hora de para de me preocupar com thunder e tomar mais atenção à minha vida.
Aproximei-me de taemin e logo os seus braços me agarraram acolhendo-me.
Taemin: sabes, estão todos muito tensos lá fora…
Catarina: é, concordo… continuo sem saber o que vamos fazer no meio disto tudo… - confessei alfo preocupada.
Taemin apertou-me
Taemin: o que tiver de acontecer vai acontecer não te preocupes.
O nosso tom de voz não passava de um sussurro.
Catarina: tenho medo.
Não me largou, apenas levantou uma das mãos para tocar no meu cabelo.
Taemin: prometo que não vai acontecer nada.
Não ouvia mais nada a não ser a respiração de taemin.
Fomos vagarosamente de mãos dadas até à pequena floresta cuja vegetação era rasteira e verde.
Um homem já velho juntou-se a nós.
Mestre: a juventude que floresce, o belo lótus da vida que duas vezes floresce.. passou a estação dos pardais, veio certamente o inverno frio. Agasalhem-se meus caros, com o calor dos vossos corações, o belo calor do amor. Que a guerra que se aproxima não destrua esta beleza.

---onew---
Subitamente parecia que já a conhecia à muito
Onew: vá dorme lá, precisas de descansar – relembrei
Nena: não quero… aqueles dois dias já chegaram – reclamou.
Onew: sabes o que acho estranho?
Nena: não, mas vais-me contar – respondeu sorrindo.
Onew: acho estranho que não hajam noites, aqui é sempre de dia… não há estrelas – olhei pela janela.
Nena: é…parece que sim… - olhou pela janela – parece que é sempre de dia – reclamou – isto é estranho…
Onew: pois…
Nena: unf… quero andar – resmungou baixinho.
Onew: não podes – impedi-a.
Nena: eu sei que não… estou farta de estar deitada… achas que me vou conseguir pôr de pé em breve?
Onew: talvez…mas só se descansares.
Ela deitou-me a língua de fora.
Nena_ não sou criança – comentou aborrecido.
Onew: ages como uma – informei soltando um riso abafado.
Nena: hmph! Até parece! – deu-se de conta que eu estava certo e riu-se. Riu-se como se fosse criança, com um sorriso de orelha a orelha – desculpa – acrescentou num tom sério.
Onew: hum? – fez-me olha-la.
Pousei-me para trás com as mãos apoiadas no chão.
Nena: deves ter mais coisas que fazer e estás aqui…. – disse fazendo com que o seu tom de voz diminuísse a cada palavra que dizia e tapando a cabeça com o lençol.
Onew: só se for dormir… sinceramente não se faz nada aqui, pelo que te agradeço por me manteres entretido… agora, se tu dormires eu prometo que assim que acordares te levo a dar um passeio.
Nena: prometes?
Abanei a cabeça.
Nena: faz a jura do mendinho – exigiu.
Curvei o meu dedo mendinho, ela fez o mesmo e juntámos ambos.
Nena: então está prometido~
Onew: parece que sim… agora dorme vá – tentava que ela adormecesse para poder pensar melhor… achava que me estava a aproximar de quem não conhecia de lado nenhum, de uma desconhecida que estranhamente me era familiar…
Nena: okayº é justo~ - ela fechou os olhos – seria… pedir muito… se te pedisse… para…. Me dares a mão…? – perguntou com os olhos fechados e cobrindo a cara com o cobertor.
Onew: uh… não sei…
Nena: a tua mão é quentinha… sabe bem~
Onew: sendo assim… está bem … - ela sorriu.
Acabei por me deitar ao lado dela e adormecer.

---donghae---
Quanto mais rápido libertar-mos cl mais rápido tudo se acabava.
Minho: obrigado, safaste-me dos desabafos do mestre.
Donghae; desculpa ter-te deixado para trás, saí a correr e esqueci-me de ti… não estou habituado a fazer pessoas comigo nas missões.
Minho: na boa – respondeu.
Encontrávamo-nos prestes a entrar na sleeping forest.
Minho: só os de coração puro entrarão?
Donghae: pois… é a norma, os demónios não entram dessa maneira.
Minho: ah entendo… - o seu tom grave soou como eco na entrada de sleeping forest.
O eco serviu como música de fundo.

---minzy---
O silêncio já ia longo.
Tentei quebrar o gelo.
Minzy: daesung… - chamei-o baixo.
Daesung: hum? – virou-se para mim – diz
Minzy: está tudo bem?
Ele suspirou.
Daesung: princesa, não se preocupe – ele tratava-me como se eu fosse superior a ele, isso deixava-me desconfortável.
Minzy: se o dizes…
Daesung: confie em mim.
Minzy: daesung, somos amigos de infância porque me tratas assim e pelo nome? Porque me tratas como se eu fosse… algo superior a ti…quando somos iguais?
Daesung: princesa, perceba que mesmo sendo seu amigo, e agora seu noivo não posso deixar de falar-lhe assim. São simples as ordens.
Minzy: e porque raio não quebras a porcaria das regras uma estúpida vez na vida? – gritei.
Daesung pareceu espantado.
Daesung: acalme-se.
Minzy: como – perguntei a chorar – como? – repeti – como se só acartas as ordens de meu pai? Não sabes viver a vida por ti próprio? Porque aceitaste casar-te comigo se o sentimento não é sincero?



24º capítulo - estradas


Daesung: minzy…
Minzy: sê sincero comigo aqui e agora, o que te prende?
Daesung: eu… a verdade é que… nada esquece.
Minzy: daesung!
Ele suspirou. Virou costas
Daesung: se queres que te diga só estou a obrigar-me a esquecer algo… nada de mais, não te preocupes – não se atreveu a olhar-me.

---minho----
De longe avistei 2 cabeças.
Não me eram familiares.
Minho: donghae? Conhece-los? – apontei para os dois corpos que se aproximavam.
Donghae: hum? – olhou para eles – sim, daesung e minzy.
Voltou a tomar atenção a uma espécie de relógio.
Donghae: entra rápido! – ordenou.
Obedeci. Parecia ter entrado num pedaço de plástico. Sentia algo que vinha contra o meu corpo.

---sumin---
Estava constantemente a ouvir a voz de baro ecoar na minha cabeça
Podia ser alguma partida que a minha mente me tenha pregado.
Lembrei-me que beatrice tinha dito que conseguia falar com tao, através da mente.
Aos poucos lembrava-me da última vez que o tinha visto, tinha uma camisola vestida com umas calças de ganga simples. A camisola tinha um decote, pequeno mas tinha. Na cabeça, pousava um pequeno gorro preto.
Ouvia o meu nome ser chamado inúmeras vezes pela voz de baro mas não respondi a nenhuma delas.
Olhei à minha volta certamente mais ninguém se sentia assim, pesado.
Fixei o rosto de amber no qual escorriam à vez límpidas gotas de água salgada que se assemelhavam a diamantes. Saiam dos seus olhos. Estava a chorar.

---taemin---
Ia lentamente adormecendo
No pulso de catarina algo me chamou a atenção
Taemin: onde fizeste isso? – apontei para o pulso.
Catarina: não sei, acordei com ele…
Taemin: como?
Catarina: não sei, sumin tem um igualzinho~
Não relevei o assunto.teria

---daesung---
‘’espero poder conseguir voltar para devolver a pulseira e as chaves’’ . ri-me do meu próprio pensamento.
Minzy olhou-me.
Minzy: bem…
Suspirei.
Daesung: desculpa ser tão mau marido, outro certamente far-te-ia feliz…
Minzy: o que dizes? Todos temos os nossos altos e baixos…
Daesung: olha só para mim, estou aqui que nem posso. – ri-me
Pela primeira vez naquele diz minzy mostrou-me um sorriso verdadeiro.
Minzy: não somos mais crianças
Daesung: que pena…
Minzy: que alívio.
O caminho tornou-se confortável, o ambiente mais acolhedor e os silêncios quase nem davam ar da sua graça.

---nena---
Acordei. Não fazia ideia que horas eram.
Queria levantar-me mas mal tinha forças para abrir os olhos.
Onew dormia em cima de um lençol, segurava a minha mão.
Chegou uma pessoa. Ouvia passos vindos do exterior da casa.
Goo hara: nena! Que surpresa! Estás acordada! Que felicidade! – entrou num tom quase de histeria.
Nena: xiu! – repreendi pondo o dedo indicador da mão esquerda nos meus lánios. Fiz-lhe sinal com os olhos para perceber que onew dormia.
Goo hara: ah. Okay.
Nena: mas quem és? – perguntei a sussurrar.
Goo hara: goo hara. Anjo protetor de catarina e thunder.
Nena: ah – exclamei como se me tivesse esclarecido a dúvida
Goo hara: bem, vinha ajudar-te a mudar de roupa, mas pelo que vejo não será agora…certo? Esperarei até ele acordar para que também ele possa refrescar-se.
Nena: okay… eu não sei quanto tempo mais ele vai dormir…
Goo hara: não te preocupes , ele é madrugador, não tarda nada estará a acordar.
Nena: que horas são?
Goo hara: 6:30 da manhã~ ele acordará em breve. É questão de meia hora.
Esperava ansiosamente que as horas passassem. Queria passear.
Não demorou muito para que onew acordasse, como goo hara havia dito, era madrugador.
Goo hara: onew, importas-te?
Onew: hum? – olhou para nós – oh… não de maneira nenhuma.
Levantou-se e saiu.

---jonghyun---
Tentei aproximar-me.
Ouvi a voz de amber na minha cabeça.
Estava constantemente a tirar da minha mente planos estúpidos… já havia pensado em saltar-lhe para cima com um saco e rebolá-lo até o outro lado….também já tinha pensado em pegar numa frigideira… e dar-lhe com ela na cabeça…mas o problema… era que simplesmente não iria tirá-las da minha cartola mágica imaginária….
Outra das minhas ideias era mascarar-me de sumin e pôr uma minissaia mas…. Ia ser demasiado mau…
Era um simples gesto que me condenava.
A certa altura pensei para mim ‘’jonghyun, pensa em algo de jeito…!’’ mas entoei a frase com a voz de sumin, como se ela me tivesse dito aquilo. Deu-me inspiração. Acalmei-me e tentei pensar com a cabeça, tronco e membros ou seja, racionalmente.
Poderia atraí-lo até sleeping forest… ou até simplesmente a um dos portais. O mestre havia dito que todos os portais que haviam para o mundo dos anjos tinham uma espécie de proteção … só teria de o atrair….

---bia---
Todos dormiam silenciosamente. Relembro-me da entrada do apartamento, algo monstruoso.
Tive uma certa curiosidade em saber como dormiam os anjos. Abri um dos olhos. Amber estava sentada perto da janela olhando para o céu. Goo hara não se encontrava ali. Hyosung sentava-se e levantava-se, não parava. Minzy também não se encontrava ali.
Estava escuro, só sentia o braço de key em cima dos meus ombros. Estávamos todos sentados nos sofás menos sumin que dormia no quarto. Os olhos de amber de vez em quando escapavam-se para o quarto onde sumin estava.
Surgiu de cima de todos uma luz, uma luz forte e ao mesmo tempo inofensiva.
Minji: irmãs, a data está a aproximar-se – ouviu-se uma voz suave como uma pena.
Amber levantou-se de relance, hyosung levantou-se e ficou tensa. Key mexeu-se e esfregou os olhos. – claro que, obrigou-me a encostar a cabeça ao seu maxilar enquanto esfregava os olhos.
Hyosung: princesa!
Minji: não faleis disto a meu pai, aparecerei noutro momento, meu espírito está preso! BaWon e eu estamos bem bem, estamos felizes. Haveremos de aparecer…. Cometemos o crime, meu pai não o aprovará… não poderei ficar.
Depressa desapareceu a luz.
Amber: e agora hyosung?
Hyosung: amber… havemos de arranjar uma maneira…
Amber parecia agitada com algo, hyosung acalmava-a e key esmagava a minha cabeça… parecia precisar de se deitar. Levantei o braço dele, assim consegui soltar-me – não que quisesse… - tentei incliná-lo para a frente de forma a não o aleijar e o poder deitar no meu colo, bem só a cabeça…. Puxei um pequeno cobertor e tapei-o. Ri-me. Passei-lhe a mão na cara era um anjo. Toquei-lhe na orelha, era a orelha onde ele tinha o brinco. Ri-me outra vez e fechei os olhos para poder dormir.

---catarina---
Estava algo irrequieta, porém não sabia o motivo de tal.
Depois percebi que thunder não tinha adormecido e não parava quieto.
Catarina: thunder… - chamei-o baixo e com voz de quem acaba de acordar.
Thunder: diz – não parecia ter dormido.
Catarina: fica quieto… estás a pôr-me nervosa.
Thunder: desculpa, estou preocupado. Mas volta a dormir.
Catarina: então tenta não te mexer muito…
Taemin: já acordas-te catarina? – interrogou abrindo os olhos lentamente. Espreguiçou-se.
Catarina: bem…
Hyosung: já acordados? Bem, então não vamos perder tempo. Vamos preparar-vos para o que aí vem…
Amber abriu as cortinas, o sol já ia alto.
Catarina: que horas são afinal?
Amber: 8 da manhã – informou.
Catarina: mas…o sol…
Amber: aqui é sempre de dia…
Coisa estranha…
Goo hara entrou na sala. Thunder ficou mais calmo.
Goo hara: nena está acordada, porém ainda não se pode mexer… poucos movimentos pode fazer, brevemente conseguirá mexer-se. Sugiro que preparemos os restantes
Amber: estava a pensar nisso…
Hyosung: vamos acordar os restantes! – sugeriu.
Amber dirigiu-se lentamente ao quarto. Hyosung acordou bia e key.
Amber: preciso falar com baro… vão começando eu levo sumin depois… - disse andando mais rápido em direção ao quarto.
Amber e sumin ficaram para trás, os restantes dirigiram-se ao exterior do apartamento.
Goo hara: esta estrela… é aqui que tudo começa>!
Hyosung: key, beatrice, terão de se esforçar para se manterem juntos. Por enquanto lutarão contra mim.
Goo hara: faço minhas as palavras de hyosung. Thunder estará também do vosso lado.
O único problema…era… não sei lutar…

---sumin---
Amber: fecha os teus olhos e deixa-me entrar na tua mente por uns instantes – pediu.
Sumin: para quê? – recuei assustada.
Amber: preciso falar com baro… não dói – afirmou sentando-se em cima da cama.
Para isso ela teria de…entrar na minha cabeça, podia…utilizar algo contra mim.
Sumin: não quero!- respondi.
Amber: não é questão de quereres ou não! É urgente e só tu me podes fazer esse favor!
Sumin: não podes simplesmente ligar-lhe?
Amber: sumin! – chamou-me num tom autoritário.
Sumin: não quero! – recusei-me.
Amber: pareces uma criança !– comparou.
Sumin: azar da minha vida trato eu!
Amber: ouve-me! Faz o que te digo! –ordenou - Estou a tentar proteger-te!
Sumin: xiu! Eu é que sei!
Amber: é a tua vida que está em jogo… a tua, a do jonghyun e a do baro… não brinques, podes não os querer salvar mas são demasiadas pessoas! – avisou.
De algum modo doía-me ouvir-me o nome dele…era como o meu ponto fraco, como uma ferida aberta e álcool em contacto com ela.
Sumin: okay – acabei por desistir.
Fechei os olhos. As mãos dela alcançaram a minha cabeça. Senti o corpo dela cair mas as mãos dela estavam como que coladas à minha cabeça. Os indicadores exerciam pressão sobre o meu crânio. Ouvia vozes dentro da minha cabeça. Falavam uma língua desconhecida. Só de vez em quando percebia os nomes ‘’sumin; jonghyun; amber; daesung; minho; thunder; goo hara; hyosung e nena’’ durante a conversa.
Senti o corpo dela levantar-se e as mãos largarem a minha cabeça.
Amber: já está; obrigada, devo-te uma.
Acredita que deves mais que uma…

---baro---
De algum modo tinha conseguido falar com amber.
Estava a par de todas as novidades
Sentia o perigo aproximar-se
Achava estranho jonghyun estar a mover-se tanto, ora sentia a sua presença, ora não a sentia mais. Parecia indeciso sobre qual caminho escolher acabando por voltar para trás… tentei usar uma técnica antiga que o meu pai me ensinara para ler mentes. Não resultou, teria de ter o corpo em total harmonia com a mente. Minji surgiu-me diante dos olhos.
Minji: irmão, meu querido irmão baro. Jonghyun pretende expulsar jessia do teu corpo fazendo com que te aproximes dos portais, terás de ceder-te, deixar que jessica consumir o que de ti resta para que o plano corra bem. Fazei isso quando jonghyun se afastar, irei falar com ele.
Baro: minji? Sobreviveste?
Minji: bawon também. Meu irmão na altura certa apareceremos, o fogo não consome o céu nem o seu próprio espírito.
Baro: obrigado.
Minji desapareceu. Quando senti que jonghyun se mexia e já estava algo longe deixei que jessica se apoderasse do resto que faltava, ou seja o meu subconsciente.
Jessica: finalmente. Baro é meu! Espera…cheira a carneiro… o animal está por perto yoona vamos!
Jonghyun passou o portal.
Jessica; não cheira mais… hum … mas baro ainda o sente…talvez se eu passar…
Yoona: jessica! Vais ser presa!
O aviso de yoona chegou tarde de mais.
Consegui passar para o outro lado.
Jonghyun olhou-me de cima a baixo.
Jonghyun: bem vamos – virou-se e começou a andar.
Baro: espera…- olhou-me – obrigado.
Jonghyun: uh… sim…de nada.

---onew---
Onew: sim, prometido é cumprido. És chata , sabes?
Nena: pois…desculpa…é que não sou muito de ficar quieta quando é de dia…
Onew: estou a ver , havia de ser bonito se visses aqui… é sempre de dia.
Ela riu-se.
Nena: pois – concordou.
Onew: mas vá. Consegues mexer os braços?
Nena: só os braços…e a cabeça.
Onew: é suficiente…acho eu…
Nena: suficiente para quê?
Onew: bem… como estás à espera de passear?
Nena: não sei… de cadeira de rodas?
Onew: e onde vou buscar uma…?
Nena: realmente….então?
Onew: eu planeava levar-te às cavalitas, visto que só mexes os braços…
Nena: ah não… assim vou ser um estorvo para ti…
Onew: não vejo outra maneira….
Nena: então deixa…
Onew: mas não querias ir?
Nena: bem..sim… mas…
Mulheres…sempre com um mas…
Onew: então vamos! Não deves ser assim tao pesada…
Nena: hum… para baixo dos meus braços o meu corpo está morto…tempo desiludir-te mas acho que dessa maneira peso mais…
Suspirei.
Onew: enfim… vamos lá…
Nena: tens a certeza?
Onew: sim vá… dá-me o teu braço.
Ela estendeu o braço. Puxei-a para cima com a vaga ideia que ela não se aguentaria em pé.
O braço dela escorregou-me das mãos e ela caiu.
Nena: não tem mal, eu não sinto dores nenhumas.
Onew: ai deus! Desculpa!!!
Nena: não te preocupes, não te aleijas-te?
Onew: eu não…
Nena: ainda bem~
Onew: mas e tu?
Nena; eu estou bem já te disse – sorriu.
Onew: sou tão desastrado…
Nena: não és, simplesmente o meu corpo está pesado.
Onew: tens a certeza?
Nena: sim~
Voltei a dar-lhe a mão. Desta vez posicionei a minha mão livre nas costas dela para evitar que ela voltasse a sair.
Parecia que estava a dançar tango.
Ela gemeu.
Onew: o que se passa?
Nena: não sei… o que tens nas mãos?
Onew: eu?...nada…
Nena: aleijaste-me nas costas…
Onew: deve ter sido da queda…
Nena: pois…
Baixei-me um pouco e encostei o corpo dela às minhas costas.
Onew: agarra-te
Ela agarrou o meu pescoço, consegui levantá-la .
Onew: bem, vamos.
Transportei-a até um rio que não se encontrava longe de casa. Sentei-a numa pedra de maneira a que a água lhe molhasse as pernas.
Nena: obrigada~
Sorri. Sentei-me ao lado dela.
Onew: depois daquela queda… era o mínimo

---thunder—
Goo hara caiu, precipitei-me para a ajudar.
Goo hara: não thunder! –fez-me parar - Se eu for a tua inimiga não deves de modo nenhum fazer isso! O inimigo tomba acaba-se com ele!
Ela levantou-se a custo.
Goo hara: têm de ter atenção ao terreno que pisam. Eu por acaso agora não tomei atenção mas o inimigo não terá piedade e acabará convosco se tombarem.
Recuei.
Goo hara: vamos outra vez. Mas desta vez lembrem-se, não tenham piedade..pode sair-vos muito caro.
Atirou um tipo de boia para catarina.
Catarina olhava alternadamente para goo hara e para a boia.
Catarina: hm… e o que é suposto fazer com isto?
Goo hara não respondeu. Começou a atirar facas estranhas – do tipo da que estava no apartamento onde estava sumin – contra catarina.
Catarina fechou os olhos e baixou a cabeça.
Taemin ainda tentou pôr-se à frente de catarina mas da boia surgiram mãos que o impediram – eram mais de mil mãos – as outras mãos cobriram-na impedindo que as facas a alcançassem.
Goo hara: estou espantada por ter acertado à primeira no melhor elemento de defesa. Essa é a proteção de marte…mas mãos do guerreiro.
Começava a não perceber nada.
Olhei para catarina, ela tremia.
Goo hara: admiro-me de ainda não teres largado a força de marte - comentou – estou satisfeita quanto a ti – apontou para taemin - veremos do que és capaz olha-me nos olhos.
Taemin olhou-a nos olhos. Os olhos dela tomaram um tom cinzento. Rapidamente taemin empurrou catarina para um lado e saltou-me para cima fazendo com que caíssemos no chão.
Goo hara: percebo, és o cavalo, bons reflexos, conseguiste ler-me a mente… muito bem começamos a entender-nos meus caros.
Taemin levantou-se. E ficou a olhar para goo hara.
Taemin: cavalo?
Goo hara: sim. Cavalo de olhos, cauda e crina vermelhos. Tronco branco, ser-nos-ás útil.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Qui 18 Out - 12:41:33

25º capítulo – confrontos

Mas esse… foi o cavalo que eu vi!
Catarina tremia cada vez mais
Thunder: queres que pegue nisso? – andei em direção a ela e quando cheguei perto dela algo me repeliu, ‘’voei’’ para trás.
Catarina: thunder!
Goo hara: pois.. esqueci-me de dizer, marte só tem um portador. Só defende uma certa pessoa. Julgo que catarina seja sua ‘’filha’’.
Taemin continuou com os olhos fixos em goo hara, como que atento a cada movimento.
Goo hara: catarina, isso causar-te-á dor se não pousares… para pousares isso tens de simplesmente te ligar a marte, se o fizeres ele encarregar-se-á de te proteger mesmo sem esse instrumento.

---minzy---
Sleeping forest estava mais escura que nunca.
Minzy: daesung, isto preocupa-me
Daesung: a mim também, deve ter acontecido algo no mundo humano, o mestre deve ter mandado mais reforços para lá mais de pouco dever adiantar, talvez todos eles tenham adormecido…
Surgiu como que um vulto à nossa frente
Minji: minzy, irmã e daesung príncipe, trago boas novas.
Minzy e daesung: minji?!? – exclamámos ao mesmo tempo.
Minji: não há tempo para isso. Baro foi libertado, nena está a recuperar e goo hara, os pequenos dela mais hyosung e os pequenos dela, amber e sumin estão a treinar agora. Despachem-se. Cuidarei dos vossos pequenos enquanto aqui estiverem.
Minzy; o pai sabe que estás aqui?
Minji: não, o pai será uma forte oposição, mas no momento certo bawon e eu apareceremos, agora tenho que ir. Cuide-se princesa minzy, o senhor também príncipe daesung. Boa sorte – desapareceu no céu.

---amber---
Finalmente percebo, antes o céu era solitário, depois apareceu o fogo do sol. Esse fogo aqueceu o céu que era gelado. Bawon não pode viver sem minji nem minji sem bawon. Pena o pai ser uma forte oposição.
Por entre as arvores passava uma brisa.
Dirigíamo-nos ao campo
Baro surgiu. Jonghyun vinha à sua frente.
Amber: baro!! – corri para ele ao vê-lo.
Jonghyun:_ tanto o querias, aqui o tens – apontou para baro com o polegar e fez um sinal com a cabeça. Dirigia-se a sumin.
Baro: credo rapariga! Isso são tudo saudades?
Sumin olhava-me.
Baro: sumin, disse que voltava quando fosse realmente preciso, não foi?
Ela acenou com a cabeça.
Virei-me para jonghyun que olhava para baro pelo canto do olho. Ele estava com os braços cruzados e de costas para baro.
Amber: estou-te eternamente grata jonghyun – curvei-me, em sinal de respeito e de agradecimento.
Jonghyun; não fiz isto por ti – informou secamente.
Amber: eu sei, estou-te grata na mesma.
Jonghyun: como queiras… - pôs as mãos nos bolsos e começou a andar.
Baro: bem, vamos.
Dirigimo-nos ao campo.
Amber: a princesa apareceu
Baro: falas de minji?
Amber: sim. Disse que havia cometido o crime…
Baro: estar-se-ia a referir a bawon?
Amber: falou no plural.
Baro; meu pai irá opor-se.
Amber: fala baixo! Eu sei mas o seu pai terá de compreender que o céu não pode viver semo fogo do sol…
Baro: tens razão, quero ver como se vai safar…
Amber: estou preocupada.
Ele envolveu-me os ombros com um braço e puxou-me.
Baro: calma rapariga, o pior que pode acontecer é meu pai não concordar…

---donghae---
Tinha chegado ao centro de sleeping forest
Donghae_ acho melhor esperar-nos um pouco por daesung e minzy.
Minho: por mim…
Surgiu uma luz , parecia uma estrela.
Minji: donghae salvador, baro despertou. Obrigado por me teres aberto os olhos. Por me teres mostrado que o sol descansava a meu lado.
Donghae: eu conheço esta voz…
Minho: que raio? Um fantasma??
A estrela deu lugar a minji que desceu do céu.
Donghae: p-princesa! – curvei-me – peço desculpa por tremenda falta de educação…
Minji: não te curves donghae, logo tu. Não te curves meu irmão. Permanece com a cabeça levantada, não a baixes nunca…. Nunca fraquejes. Minho, a ti peço-te que cuides de donghae, que não deixes que ele fraqueje..
Donghae: certamente sabeis que fraquejei.
Minji: donghae, acabou o tempo do futuro, só queria que visses o teu presente com olhos de observador, que o aproveitasses, bawon diz estar satisfeito.
Donghae: obrigado princesa.
Minji: meu senhor, perdoe-me, tenho que tratar dos dois pequenos.
Donghae: com todo o respeito, não me oponho.
Minji: cuide-se
Donghae: esperamos por vós.

---nena---
Não era difícil manter a conversa com ele.
Onew: afinal quantos anos tens?
Nena: 16 e tu~?
Onew: 22
Nena: 6 anos de diferença! Nem pareces ser assim tão velho…
Onew: o segredo está na alma~
Ele começou a chapinhar com os pés.
Nena: também quero! É injusto~!
Onew: pois…
Sentia-me observada por alguém
Nena: enfim, a vida é injusta…
Onew: não digas isso…
Nena: eu tenho 61 anos e tu 22 no teu inverso! Continua a não ser justo…
Ele riu-se
Onew: que posso eu fazer? À 5 anos atrás tinha eu 71 e tu 11. Ainda era 10 anos mais velho que tu agora~
Nena: é bem passaste dos 71 para os 22, melhorou~
Onew: não posso dizer o mesmo de ti…
Nena: até parece!
Voltou a rir-se
Onew: posso fazer-te ima pergunta?
Nena: diz.
Onew: o que te fez acordar?
Nena: sonhei com um tigre… o tigre disse que eu tinha perdido algo. Mas acordei quanto ele desapareceu. Ele tinha a pata em cima da minha mão…
Onew: podes pensar que sou maluco, mas… tu congelavas coisas!
Nena: como?
Onew: sim, congelas-te um lenço e um botão… daes- - parou, deve ter-se lembrado que lhe pedi para não falar dele – ele disse que o calor tinha abandonado o teu corpo.
Nena: hum… e tu, porque me ajudaste?
Onew: bem…. Primeiro porque me puseram naquela casa, segundo porque, passo a citar ‘’ o onew é um coração mole’’ e terceiro…porque o destino assim o quis.
Nena: percebo~ obrigada, eu até me baixaria para te agradecer mas não me consigo mexer , desculpa.
Onew; não, de modo nenhum, não precisas pedir desculpa…
Sentia a presença de alguém, porém essa presença era protetora, sentia-o.
Nena: tens irmãos?
Onew: não…ainda não – riu-se.
Fiquei confusa mas não questionei.
Olhei para a água que se encontrava no rio. Não a sentia, não sabia se estava fria.
Nena: eu tenho uma – acabei por dizer – não sei dela e neste momento é a única família que tenho… foi por isso que entrei na floresta… assim que ela se casar ficarei sozinha – estava absorta nos meus pensamentos que nem notei que estava a dizer aquilo em voz alta – é isso – levei a mão à boca e ri-me. Ri-me com a ideia de kim arranjar um marido, casar e ter filhos.
Onew: estou a ver
Nena: a vida é assim certo? Cuidarei dela enquanto ela o permitir, depois… logo se vê. Ups! Desculpa estou para aqui a falar da minha vida…desculpa – pedi algo baralhada. Ele riu-se
Onew: não te preocupes, gosto de ouvir – mostrou-me um sorriso.

---bia--
Hyosung testava key.
Olhava-os mas…sentia como que se não lá estivesse…
Goo hara: hyosung, terminei por hoje, vou levar os pequenos e visitar nena.
Catarina levava um donut estranho na mão..parecia ser pesado.
Eu estava distraída.
Key: cuidado bia! – gritou.
Não tive tempo de reagir. Key pôs-se à minha frente, achei fantástica a rapidez que ele tinha alcançado.
Hyosung: não te distraias bia! Key podia não estar aqui… ou ser o teu inimigo.
Era-me difícil não ignorar as pessoas, ignorando-as o tempo passava mais rápido.
Hyosung: bem, já é tarde para vós. Descansem amanhã à mesma hora aqui… - informou.
Key: estás bem?
Bia: estou~ arigatou~
Key: ele está bem…
Bia: hum…?
Fiquei baralhada, não percebi de quem estava ele a falar.
Virou a cara
Key: refiro-me a tao.
Bia: AH! - exclamei – isso… eu sei – confessei
Key: então…quais são as tuas preocupações…?
Bia: a minha mãe…ultimamente tenho pensado muito nela…
De um momento para o outro hyosung alcançou-nos e parou à minha frente. O tempo tinha parado.
Hyosung: consigo garantir-te que a tua mãe está bem.
Fechou os olhos e fez uma concha com as mãos.
Ouvia uma música na minha cabeça. Eram violinos, notavelmente eram violinos, o som ia crescendo, à media que ia crescendo, haviam mais violinos a tocar.
Hyosung abriu os olhos, saiu como que uma corrente do peito dela. A corrente estava presa ao meu peito.
Vi a minha mãe a dormir serenamente.
Hyosung: esses escudos do teu coração protegem-na. Mas não vão aguentar muito mais. O tempo é escasso, e a terra em breve não será mais habitável.
Surgiram imagens de tempestades na minha cabeça. Tanto no mar como em terra. Haviam trovões no céu, caía chuva. Nessa imagem que parecia um sonho, o sol tinha-se apagado. Era como se o céu chorasse a perda do sol.
Bia: é tudo tão escuro…
Hyosung_ não tenhas medo.
Bia: eu não tenho medo, acho mau, muito mau aliás.
A corrente ia lentamente desaparecendo
Hyosung_ só tu viste isto, não contes nada a ninguém
E voltei a poder ver tudo claramente, conseguia respirar o ar normal em vez do ar pesado que tinha desaparecido.
Key: hum? Desde quando estás aqui hyosung? Não devias estar com goo hara?
Hyosung piscou-me o olho e desapareceu.
Agora deixara de ouvir violinos. Ouvia uma melodia de piano.

---catarina---
Sentia um peso enorme nas mãos.
Ouvia o assobiar do vento nos meus ouvidos.
Estava a esfriar, no entanto eu.. sentia calor, o calor vinha de dentro, como que diretamente do meu coração. Parecia estar a arder.
Olhei para o céu. Caiam gotas, gotas essas que refletiam o brilho do sol. As gotas davam um espetáculo de cores, das quais eram salientes: o roxo, o azul, o verde, o amarelo, o laranja, o vermelho e o rosa.
Abri uma das mãos pondo o peso totalmente na outra. Caiam gotas na minha mão. Formou-se um pequeno lago, pouco fundo.
No chão também havia esse efeito a única diference era que as poças eram mais fundas.
Todos andavam para a frente. Eu fiquei parada a apreciar o espetáculo da chuva.
Ouvia uma triste melodia de piano, não…não diria triste, diria profunda. Conhecia-a. Era como ouvir pela milésima ver a música que taemin tocara no piano. Não me cansava de ouvi-la. Se fechasse os olhos ouvia melhor. Era como se estivesse a viver o momento.
Taemin: catarina?
Baixei um pouco o olhar de maneira a que os meus olhos lhe alcançassem a sua face.
Catarina: diz.
Taemin: não vens?
Catarina: já vou, vão andando.
Taemin continuou a andar após assentir com a sua pequena cabeça.
O vento abrandara a doce melodia, a chuva agora tomava o seu lugar.
Lentamente comecei a movimentar-me.

---minzy---
Donghae: então daesung será príncipe de dentro em pouco certo?
Daesung: sim – levou a mão à parte de trás da sua cabeça e sorriu, fechando os olhos. Era a única maneira de se saber que o sorriso era sincero
Donghae: bem seja como for, que sejam ambos felizes – sorriu.
Minzy: obrigada.
Minho: pessoas, o lá o que vocês são…a conversa está ótima mas… o que é aquilo ali à frente? Porque brilha tanto?
Daesung: são as árvores da vida…agora… resta encontrar as que estão murchas.
Minho: e depois?
Donghae: depois…depois a minzy trata do resto não é princesa?
Assenti com a cabeça.
Ouvia o som da chuva a embater contra a vegetação rasteira era calma, como que uma melodia natural.

---baro---
Tanta chuva…
Amber: temos de vos treinar…
Jonghyun: porque não amanha?
Baro: bem…porque digamos que os outros levam um grande avanço sobre vós….
Sumin: e o que importa isso?
Sumin parecia diferente
Baro: tem que… o tempo…
Amber: o tempo é escasso… em breve virá a guerra e se não estiverem preparados nada poderemos fazer a não ser enfrentá-los… e não queríamos que isso acontecesse – completou a minha frase com as palavras perfeitas.
Sumin: ah okay.
Jonghyun: então, comecemos! – jonghyun estava notavelmente cheio de energia.
Sumin parecia absorta nos seus pensamentos, de alguma forma distante.
Ou poderia isto tudo ser fruto da minha imaginação por ter passado tanto tempo longe…dela…?
Teria mercúrio algo a ver com aquilo?
Poderia também algo ter mudado durante o tempo que passei fora…
Sinceramente não faço a mínima ideia e isso deixa-me preocupado. Já jonghyun estava na mais acelerada calma.
Sumin desapareceu de um momento para o outro.
Deixou jonghyun abananado.
Jonghyun: sumin?

---sumin----
Estava rodeada de crateras. Parecia a lua.
Na verdade era maior que a lua.
Mercúrio: quem és tu que te aproximas de mercúrio sem medos?
Sumin: onde estou?
Mercúrio: no território de mercúrio! Quem acordou mercúrio? Serás tu a pessoa que tanto tenho esperado? O teu nome.
Sumin: sumin… lee sumin.
Mercúrio: suponho que sejas quem espero… diz-me o que coisa, como vieste aqui parar?
Sumin: não sei..
Era estranho, mercúrio é completamente cinzento muito escuro mesmo com o sol ao pé.
Apareceu de súbito um rapaz vindo da escuridão. Trazia um caduceu – vara delgada e lisa terminada em duas asas, e rodeada por duas serpentes – um chapéu com asas e sandálias simples.
Mercúrio: sou mercúrio.
Soltei um leve riso. Ele fez-me lembrar o Asterix.
Sumin: lee sumin.
Mercúrio: o que procuras tu?
Sumin: não sei…
Mercúrio: de onde vens?
Sumin: da terra…
Mercúrio: o que esperas encontrar? O que te deixa inquieta?
Sumin: a paz interior… uma pessoa em concreto.
Aproximou-se ainda mais.
Mercúrio: não vens de certeza fazer-me companhia….então…senta-te.
Sentou-se no chão. Não baixou o caduceu. Sentei-me à sua frente.
Mercúrio: então terei de te ensinar o essencial. Escuta bem, se procuras a paz não sigas a guerra…
A frase fez-me pensar.
Mercúrio: com isto quero dizer : escolhe o teu caminho por ti mesma – apontou para mim . e não sigas o que os outros querem que sigas. Certamente saberás quem és nessa altura e ninguém to vai poder negar.
Levantou-se, apoiando-se no caduceu.
Mercúrio: concedo-te a proteção do deus mercúrio.
Sumin: ah bacano…acho eu….
Permaneci sentada. Ele baixou-se ficando com a sua cara ao nível da minha.
Mercúrio: com isto quero dizer que tens direitos – levantou o indicador e endireitou-se - porém também tens deveres.

---hyosung---
Comecei a entrar em pânico.
Pensei para mim ‘’credo vou morrer. Minzy e daesung não me perdoarão por perder os pequenos deles de vista…’’
Olhei para fora da casa, chovia.
Estava a dar em maluco, aceitando o facto de ter de morrer tão cedo quando vejo alguém afastar os cortinados da entrada.
Era onew. Nena estava ao sei lado. Tinha sido rebocada.
Hyosung: santo deus! Vocês são malucos! Estarem lá fora com esta chuva! Olhem-me bem para o vosso estado meus palermas! Estava preocupada com vocês.
Nena: desculpa unnie… - pediu sinceramente – a culpa foi minha – disse baixando a cabeça e fazendo o seu sorriso se apagar.
Hyosung: sim pois! Como se eu acreditasse!
nena: mas é a mais pura das verdades!... ele não tem culpa… eu obriguei-o…!
Onew: eu fui de livre vontade.
Nena: palerma! Eu aqui a safar-te de levares um sermão e tu…enfim…
Hyosung: palerma nada, de qualquer maneira ia culpar ambos, a ideia pode ter sido tua nena – cruzei os braços – mas precisavas de pelo menos mais um par de pernas para andar - encolhi os ombros – portanto…
Minji : não culpes os pequenos hyosung, não sejas tao dura. Onew fez isso com boas intenções.
Surgiu minji atrás dos pequenos
Nena virou a cabeça por curiosidade para saber quem falava
Começaram a correr pequenas gotas na cara de nena, ela levou a mão à boca
Nena: M-mãe?
Minji: desculpa ter-te arrastado atrás de tudo isto amor
Nena: mãe? Es mesma tu? Estás viva?
Minji: sim filha, sou eu – aproximou-se dela de maneira a lhe conseguir acariciar a cara – o teu pai também está.
O rosto de nena tornou-se duro
Minji: amor, não reajas assim tudo aquilo foi contracenado, era a única maneira de te salvar e a Kim também deste horrível pesadelo. Escuta, isso que tens aí - tocou-lhe na zona do coração - nesse pequeno coração que bombardeia o sangue que te corre nas veias, isso que sentes, esse ardente sentimento é o que sinto por ti, obviamente por kim e por Bawon, meu irmão e teu pai.
Ela levantou a cara de relance.
Nena: o que dizes?
Onew: seria melhor sentá-la – levou-a para um dos quatro cantos da casa e sentou-a de maneira a ficar encostada à parede para não cair.
Minji: filho, vai-te secar, podes deixá-la comigo. Obrigado por tudo.
Onew: ficam bem?
Nena: claro… - disse com pouca vivacidade
Minji: hyosung
Hyosung: sim, menina
Peguei no braço de onew e arrastei-o para fora da casa. Abri o guarda chuva
Onew: onde vamos?
Hyosung: tu vais tomar banho, isso levará o tempo suficiente para ambas se entenderem
Onew: não lhes vai acontecer nada… pois não?
Hyosung: a mãe não faria nada à filha
Onew: espero bem que não – olhou para trás

---minho---
Minzy: é aqui… sinto-o. CL vagueia algures por aqui
Donghae afastou-se. Segui-o com curiosidade
Ele sentou-se à frente de uma árvore e tentou abraçá-la.
Surgiram pequenos ramos e raízes que o abraçaram
Recuei devagar. Vim parar de novo ao pé de minzy e daesung
Daesung: o donghae?
Minzy: não sei, estava aqui à pouco
Minho: ele está…a fazer qualquer coisa com a árvore
Minzy e daesung: como assim qualquer coisa…? – ambos me olharam com caras estranhas
Minho: sei lá! Devia estar a tentar namorar com a árvore ou algo parecido…
Daesung: uh?
Minho: sim, a abraçá-la pelo menos…
Minzy: ele a abraçá-la ou ela a abraçá-lo?
Minho: a segunda…
Daesung: donghae! Oh meu deus mas o que raio se passa com estes idiotas? Não bastou Tao e Baro se sacrificarem?
Minzy deve estar a trazer a rapariga de volta. Duvido que consiga, quanto muito trás CL.
Minho: não o vão impedir?
Daesung e minzy: quem? Nós…?
Minho: sim…
Olhei para eles com cara de parvo, eles riram-se
Daesung: não
Minho: porquê?
Minzy; porque tem de ser assim, para além disso só CL acordará realmente o teu espírito…
Minho: ah…
Que bons amigos tem donghae…

---nena—
Estava estupefacta, encontrei a minha mãe, porém…
Minji: eu peço mil desculpas filha…
Nena: preferiste fazer-me sofrer a ficares comigo! Isso é inexplicável! Imperdoável mãe!
Minji: não filha… não quis fazer isso – pousou a mão na minha cara.
Nena: Larga-me! Eu não quero mais saber de ti! – fechei os olhos e pus as mãos nos ouvidos – lalalallalalalalala
Minji: nena!
Nena: cala-te!
Minji: nena…eu…filha…
Nena: cala-te! Cala-te! Tu não sabes o quanto foi difícil para mim! Nem falo da Kim que recentemente soube que morreste! És uma mentirosa! Desaparece daqui!
Agarrou-me nas mãos.
Minji: filha! Ouve-me. Eu…. Peço desculpa agora vejo que tudo isto foi uma estupidez- mas mesmo assim eu e o teu pai fizemo-lo com boas intenções. Foi para salvar ambas…
Nena: salvar? Chamas a ter uma dor enorme no peito e peso na consciência por terem discutido salvar?
Minji: nena… eu não pude fazer nada. Era o pacto.
Nena: o pacto? Qual pacto? Da minha sentença? Cala-te! Sai daqui! Nunca mais te atrevas sequer a aparecer-me à frente!
A minha mãe levantou-se e despareceu no mesmo momento. Havia um clarão.
Gyuri: nena
Nena: já te disse para me deixares!
Gyuri: não sou a tua mãe~ sou a tua melhor amiga~
Nena: a minha melhor amiga?
Gyuri: sim~
Nena: e porque não te vejo?
Gyuri: porque eu agora só posso falar. Queres salvar a tua irmã?
Nena: sim! – respondi sem hesitação.
Gyuri: junta-te a mim! Eu tenho o que tu queres e tu tens o que eu quero!
Nena: Como?
Gyuri: Apenas vem até à porta~
Nena: mas…não me consigo mexer…
Hyosung: não nena!
Gyuri: psh, volto mais tarde…
Hyosung entrou com Onew.
Hyosung: A princesa?
Nena: não sei de quem falas…
Hyosung: onew…não a deixes sair daqui
Onew: okay…
Hyosung saiu a correr
Onew: ei…está tudo bem?
Apenas me mandei contra o chão de maneira a ficar deitada.
Onew: então? O que aconteceu?
Nena: Nada…
Onew: nada não… quem nada não se afoga.
Nena: não quero discutir mais… por favor?
Fechei os olhos e tentei ficar de barriga para baixo de modo a tocar com as bochechas para o chão.
Onew: Queres um lençol?
Nena: não..estou bem assim

----catarina----
Tinha ficado encantada com a chuva. Nunca me tinha acontecido isto…
Goo hara: catarina! Concentra-te!
Levantei-me
Catarina: desculpa goo hara, hoje não.


26º capítulo – pior do que pesadelo
Goo hara: como assim hoje não?
Catarina: a sério…não me apetece…
Goo hara: o taemin corre perigo!
Via a figura de taemin no exterior.
Catarina: hum…já volto.
Ia a sair da sala…
Taemin passou por mim
Taemin: onde vais amor?
Catarina: já volto ta- espera…taemin?
Corri para a janela, já não se encontrava ali
Catarina: hum..estranho..
Taemin: vou à casinha~
Catarina: okay.
Voltei a olhar pela janela, taemin estava lá fora outra vez…
Catarina; mas que raio?
Desci as escadas do apartamento. Cheguei à porta e fiquei a olhá-lo escondida. Foi o suficiente.
Estava uma rapariga à sua frente. Não a conseguia ver bem. Só conseguia ver nitidamente taemin…
Catarina: taemin – chamei
Não me olhou.
Catarina: taemin! – chamei-o outra vez
IU: cala-te sua intrometida! Não me dificultes o trabalho! - disse a rapariga levantando a mão
Taemin estremeceu mas não saiu do lugar.
goo hara: catarina! Sai daí!
Olhei para cima, goo hara estava à janela.
Senti algo no meu peito.
Goo hara: catarina!
Goo hara saltou da janela.
Goo hara: sai daqui IU!
Goo hara fechou os olhos, baixou-se um pouco e abriu-os de seguida.
Goo hara: já te disse para saíres daqui!
IU: só depois de levar os dois~
Goo hara: NÃO! Deixa-os!
Só a via de costas
A chuva caía mais intensamente
Minji: goo hara calma!
Goo hara: Princesa!
IU: Tsk! Só faltava mais esta santinha… quero dizer, não és santa nenhuma… o mago haveria de gostar de falar contigo~
Minji: Deixa-os! Leva-me no lugar deles. Ou serás punida!
IU: acho a oferta interessante~… porém – beijou taemin – ele também vem~
Surgiram correntes das unhas da rapariga. Essas correntes apanharam uma outra rapariga e taemin.
IU: Adeus maninha.
Os três desaparecera,
Catarina: taemin…
Goo hara: não vale a pena..eles foram-se – informou olhando para o céu quase que a chorar.

---Jonghyun----
Sumin não estava em lado nenhum.
Jonghyun: sumin, cai do céu, não te preocupes, eu apanho-te
Levantei os braços. Algo começou a cair.
Não era sumin.
Jonghyun: bem..nao era bem o que eu estava à espera que caísse… obrigado pelo presente pássaro.
Baro e amber riram-se
Jonghyun: não tem piada
Caí no chão, algo embateu contra mim.
Baro: ai tem tem!
Jonghyun: porra, desta vez o pássaro deu-lhe com força…não poupou… o raio do animal devia estar com um AVC!
Amber: pois…eu não acho….
Sumin; hum voltei para aqui?
Jonghyun: é pá a queda foi tão grande que até oiço a voz da sumin atrás de mim~
Sumin: e estou mesmo meu palerma – deu-me um carolo.
Jonghyun: olha resultou~ deixa ver se me cai mais alguma coisa do céu… que chova comida que eu tenho fome!
Amber: tens assim tanta fome?
Baro: Vamos comer~
Sumin estava a sorrir agora, estava com bom humor

----taemin----
Estava assustado.
Só via animais mortos.
IU: hum, tu sendo o cavalo de olhos vermelhos terás de ficar num lugar especial depois da guerra~
Minji: não sejas t-
A rapariga levantou a mão.
IU: cala-te! Bem vamos recorrer às apresentações sou IU, IU a ilusionista. Ou seja, o vosso terror~ Tu.. rapaz, quem és? – apontou na minha direção. Começou a andar – quero saber o teu nome, és bonito….
Agarrou-me na cara, virou-a para um lado e para o outro.
IU: mas… já vi coisas mais bonitas. O teu nome
Taemin: taemin
IU: taemin..taemin… julgo já ter ouvido esse nome algures. Bem por agora vou juntar-te com aquele jovem – apontou para um homem velho de olhos azuis e cabelo loiro. Tinha bastante barba.
Fui lentamente para ao pé do homem.
Homem: quem és tu?
Taemin: taemin e tu?
Homem: eu…nem sei o meu próprio nome… quantos anos tens?
Taemin: 19~ e tu?
Homem: acreditas que sou mais novo que tu? Claro que não.
Taemin: és mais novo?
Homem: tenho 17~
Taemin: como? – fiquei surpreendido.
Homem: sim… sou mais novo. Vim para aqui quando tinha cinco anos, ela prometeu-me doces…e eu vim com ela…
A ilusionista olhou-nos.
IU: vocês os dois calem-se! O que haverei de fazer com a filha do mestre? Talvez a leve ao mago… - parecia satisfeita.

---onew---
Dava-me jeito ter o meu cubo mágico nestas alturas.
Onew: ei…nena…
Nena: diz.
Onew: hum… o que queres fazer?
Nena: quero ir até à porta, só até à porta.
Onew: hum… para quê?
Nena: para apreciar a chuva.
Onew: mas goo hara disse para não te deixar sair daqui…
Nena: deixa, eu vou sozinha.
Começou a mexer os braços como se estivesse na tropa com uma poça de lama por baixo e grades por cima.
Realmente a força de vontade é algo extraordinário.
Ela acabou por para a vinte metros da porta.
Onew: nena….estás bem?
Ela não respondia. Levantei-me e aproximei-me dela.
A respiração dela estava bastante acelerada, e ela parecia cansada. Não sou médico mas diria que ela estava com febre. Para confirmá-lo meti a mão na testa dela. Estava a arder.
Nena: não…me toques – depois de súbita paragem continuou a ‘’andar’’ com os braços. Não valeu de muito, parou dez metros à frente a tossir.
Onew: nena não sejas parva, vais acabar por ficar pior do que estás. Anda lá para aqui…
Nena: cala-te! Eu tenho que fazer uma coisa!
onew: eu ajudo-te mas recupera primeiro…
Nena: não percebes – voltou a andar . já estava perto da porta. Faltava pouco.
Daesung: nena! Volta para trás imediatamente sua pirralha. Olha-me só o teu estado!
Ambos levantámos o olhar, daesung estava ali mesmo.
Nena: não me venhas tu também!
Daesung baixou-se até ficar de joelhos.
Daesung: estou mesmo a ver que tens aqui uma bela encomenda onew…enfim.
Daesung levantou-se com nena.
Daesung: para a cama – declarou enquanto a levantava.
Nena: já disse que não quero que me toquem! Larga-me
Daesung: é estúpido nena! Metes dó! Estás doente e queres sair. Estás bem a ver a tua figura triste? – pousou-a enquanto gritava.
Ela virou-se de barriga para baixo. Estava a ver-lhe a cara. Algumas gotas brilhavam perto dos olhos. Acabavam por molhar a almofada quando caiam sobre ela.
Nena: e tu? – respondeu também a gritar – se dizer isso é porque nunca tiveste algo importante na tua vida, nada com que te importes tanto que eras capaz de te sacrificar por isso…!
Seguiu-se silêncio.
Daesung: haja paciência… faz como quiseres, a partir de agora estás por tua conta e risco não me preocupo mais contigo.
Daesung abandonou a casa.
Nena adormeceu lentamente.
Cada vez que nena dormia o seu cabelo voltava à cor normal, castanho.
Pergunto-me o que terá acontecido à sua mãe.

----bia---
Não estava lá grande ambiente na sala.
Menti para mim própria dizendo ‘’ isto é a penas a tua imaginação Beatrice!’’. Key acolhia-me nos seus braços.
Key: não seria mais fácil…sei lá ataca-los pela esquerda? Ou fazer uma emboscada…?
Hyosung: eu gosto das ideias o problema é que não conhecemos o terreno e tanto um como outro pode chegar primeiro…
Key e hyosung discutiam com papéis sobre a mesa, na maioria eram mapas, tendo como exceção alguns alguns papéis que tinham cores, inúmeras cores sobre o relevo deste mundo.
Hyosung: temo que seja um lugar plano…
Se pudesse entrar na terra… entrar na terra! É isso!
Bia: hyosung – ambos me olharam com cara de espanto por ser a primeira vez que participava na conversa – ainda à pouco disseste qualquer coisa sobre o elemento, o nosso elemento.
Hyosung: sim.. é?
Bia: e… tanto tu como eu fazemos parte da terra!
Hyosung: Sim?
Bia: não podíamos ‘’entrar na terra’’…?
Hyosung: percebo onde queres chegar não sei se é possível, nunca experimentei nem nunca sequer me tinha ocorrido fazer isso… mas não é má ideia bia…
Key: não percebo.
Hyosung: é simples o que ela está a tentar dizer é uma forma fácil e rápida de cercarmos o inimigo…. Como ela diz ‘’entrar na terra’’’ ou seja, fazer parte dela. Como que um guardião, algo como areias movediças, algo desse género~
Logo o rosto de key ficou surpreso, foi como se fizesse o clique o que tinha acabado de ouvir.
‘’obrigado tao’’
‘’sempre às ordens bia~’’
Sorri. Key fitou-me.
Key: onde está a graça?
Hyosung: ia perguntar o mesmo… à pala dessas distrações o coitado do tao levou com tanta batata na cabeça durante as aulas…
Parece que apanhei a conversa num mau momento.
Bia: Desculpa, estava a falar com o tao…
Hyosung: e ele está bem? – pareceu não se surpreender com o que eu tinha dito.
Bia: sim, dentro dos possíveis. Diz que flutua.
Hyosung: minji!
Bia: quem?
Hyosung: nada nada…

---catarina—
Thunder: ele vai voltar… não te preocupes.
Thunder estava abraçado a mim a tentar embalar-me
Thunder: shhh~ ele volta – assegurou.
Goo hara: fogo! Corre tudo mal porquê…? Estúpida daquela IU… vou dar cabo dela…!
Goo hara andava de um lado para o outro da sala pontapeando tudo o que via à frente.
Thunder: tu também goo hara….tem calma.
Goo hara: tenho calma? Thunder… não posso nem consigo! Ela levou o cavalo. Somos quase que vulneráveis sem ele!
Thunder: arranjaremos outra maneira!
Levantei-me
Catarina: sem luta não vamos a lado nenhum… eles que venham, vão devolver-me o que me roubaram…a bem, ou a mal… goo hara, ajuda-me. Quero treinar.
Goo hara ficou radiante.
Thunder: catarina…não te esforces…
Catarina: estou a investir no meu futuro, nada mais thunder.
Thunder: desde que tomes juízo… cuidado com os teus impulsos.
Goo hara agarrou-me na mão.
Goo hara: Anda! Vamos treinar!
Chegámos a uma espécie de cave.
Goo hara: ora bem… os princípios, terás de ter a mente em total harmonia com o corpo, depois… tens de saber o que o teu ‘’adversário’’ vai fazer…
Catarina: Ler mentes?
Goo hara: uma espécie disso… hum… como que futebol… os penáltis~
Catarina: sim…percebo.
Goo hara: Concentra-te. Acho melhor… jogar-mos ténis~
Catarina: para quê?
Goo hara: Sabes o que é que o ténis exige? – abanei a cabeça – então eu digo-te. O ténis exige concentração, força, coordenação… e o essencial… o ténis exige prática. Precisas de saber o que vais fazer. Precisas de ter uma tática formada… percebes?
Catarina: percebo… apesar de nunca ter jogado ténis…

----tao---
Não estava só.
Bawon: pois…parece que nos encontramos novamente tao~
Tao: Príncipe Bawon!
Bawon riu-se
Bawon: então como vai a vida?
Tao: mal… muito mal para dizer a verdade… se me libertar tenho o problema de ser apanhado… se ficar aqui é menos um na guerra… e nesta altura toda a ajuda é valiosa…
Bawon: sacrificaste a tua vida então?
Tao: bem… sabe como é… é uma decisão difícil. Mas todos fecham os olhos….
Bawon: percebo-te meu filho. Então abre os olhos, não os feches. Pensa antes de agir. Poderiam haver outras maneiras de salvares a rapariga… quero dizer, viste como daesung salvou nena?
Tao: sim… mas eu preferi fazer assim…sempre tinha garantias que ela sobrevivia.
Bawon: hyosung está preocupada contigo…
Tao: eu sei… minzy vai-se casar, assim como baro.
Bawon: eu sei, eu sei e estou feliz por isso. Ainda bem, ambos vão encontrar a felicidade que eu encontrei com minji. Ainda bem, meus irmãos estava na altura. Tao, tenho a certeza que quando tudo voltar ao lugar, também tu terás a tua oportunidade de ser feliz.
Tao: nem me importo com isso… a vida não faz sentido nenhum senhor… porquê viver? Para quê respirar? Porquê olhar para os outros, sofrer e fingir que tudo está bem? Para quê amar?
Bawon riu-se novamente.
Bawon: é o ciclo da vida. É assim. Não se pode negar. Nasce, cresce, desenvolve, reproduz, morre. Assim. Tal e qual. Aproveita a vida, não procures tanto. No momento certo tudo virá ter contigo.
Tao: o meu desejo já mais se concretizará…
Bawon: vou-te corrigir se me permites…como diz Richard Bach ‘’ nunca te é concedido um desejo sem que te seja também concedida a capacidade de torna-lo realidade, porém, poderás ter de lutar por ele’’
Tao: isso é tudo muito bonito príncipe. Mas eu não tenho forças
Bawon: não digas isso rapaz. Também eu não as tenho e não é por isso que vou desistir! Nunca deves dizer isso. Segue em frente se não dá. Mas… continua a lutar. Sabes? Desistir nem sempre quer dizer que és fraco, na maioria das vezes quer dizer que és forte o suficiente para a deixar ir.
Tao: o senhor dá o mesmo significado à vida?
Bawon: bem… sem te magoar… deixa ver… ela É a minha vida, não o nego. Mas… tive de lutar por ela. Até porque…sabes, isto é um crime. Apaixonei-me pela minha irmã. Depois… bem depois estive acho que uns dez ou onze anos no mundo ‘’normal’’ e depois fui aprisionado aqui.
Tao: percebo. Então…devo desistir… ou lutar?
Bawon pousou a mão no meu ombro.
Bawon: tens de seguir o teu coração. ‘’listen to your heart when he’s calling for you, listen to your heart there’s nothing else you can do, i don’t know where you’re going, and I don’t know why but…listen to your heart before you tell him goodbye’’
Tao: ouvir o meu coração?
Bawon: exato. Ouve-o com atenção, tomarás sempre o caminho e decisão certos se o fizeres. – sorriu.

----nena---
Adormeci tão pesadamente quanto me era permitido.
Tinha medo de perder mais uma pessoa da minha vida. Agora, apenas constava na minha ‘’lista’’ Kim. Kim era a única pessoa com quem me preocupava realmente.
Sentia saudades da minha mãe. Algures dentro de mim chorava. Lembro-me do dia em que chorei que nem um bebé. O dia em que vim para aqui…para ‘’este mundo’’ foi nesse mesmo dia em que descobri parte da verdade. Recordo-me vagamente de alguns dias antes, daesung ter dito que eu vivia sobre mentiras… vivi toda a minha vida enganada a pensar que o meu pai era um monstro quando nem perto lhe chegava.
Decidi não pensar mais neles, foi uma decisão importante da qual só cumpri durante uns cinco minutos.
Acordei. Já me conseguia viver mais livremente. Era estranho. No início parecia que estava dentro de um caixão, encurralada pelos quatro lados do caixão, muito apertada. O meu corpo estava dormente. Mexia-me da cintura para cima. O meu cabelo estava lentamente a voltar ao tom castanho que tinha no início de tudo isto. A única diferença que notava nele eram umas madeixas um pouco mais claras do que a cor real do meu cabelo. Espalhavam-se um pouco por todo o cabelo.
Nena: quem me dera poder mexer as pernas, não vejo a altura de o fazer… - sussurrei para mim mesma como um desabafo.
O sol ia alto.
Relativamente à minha família, que posição tomava eu? Se o meu pai fosse o sol…a minha mãe o céu, a minha irmã a terra… eu seria o ar? Nah…o ar está por todo o lado, todo o lado, todo o mundo, em tudo existe ar… não…definitivamente não seria eu o ar. Eu? Eu sou tão reservada quanto mais posso. Tenho medo de me aventurar a dar um passo que seja, como poderia eu ser o vento? Não tenho asas, nem nunca as terei. Para mim será sempre impossível alcançar os meus pais. Ambos estão no céu. Diria que Kim ocuparia então o meu espaço e seria o ar. Eu…seria a terra. Eternamente solitária, que apenas por um breve instante, no horizonte se junta com o céu. Sou a terra. Sou aquilo que todos alcançam. Eles os três….são o que todos querem e nunca alcançarão na vida. Sim… o céu e estranho, é um sítio vazio mas ao mesmo tempo cheio.
Pergunto-me quem me iria completar… quem seria a água que corre na terra? Que significado teria? Não sei. Nem planeio descobri-lo tão cedo quanto isso. Tenho pavor só de pensar que tudo me separa deles e que…alguém…alguém se junta a mim assim do nada. Porquê a mim? Porque não a kim? Kim merece-o mais do que eu… Kim neste momento estava a sofrer.
Aproveitei o facto de estar de barriga para baixo para andar até à porta…
Não sabia ao certo o porquê de ir até à porta…
Kim espera mais um pouco… eu vou salvar-te. Ou talvez seja demasiado fraca para o fazer…talvez não tenha força suficiente para suportar a dor que ainda está para vir. Não quero saber. Vou busca-la… vou! VOU, vou porque quero…porque neste momento, é isso que importa… a última pessoa que me resta… a última de quem devo cuidar antes de tudo isto chegar ao fim. É isso… a minha razão de existir…é ela…foi por ela que suportei toda esta dor sem nunca vacilar. Sem nunca sequer deixar uma lágrima correr à frente dela…. É por ela.
Lentamente os meus braços foram puxando o resto do meu corpo.

----kim---
Nada fazia sentido… brevemente estaria morta. Sabia-o…algo me iria acontecer, algo muito mau.
Nena, que fazes tu neste exato momento? Desculpa… não me queria ter chateado… daquela maneira, naquele dia contigo…
Recordava-me da expressão da minha irmã naquele dia. A cara dela era… quase indecifrável. Era-me difícil dizer o que ela estava a sentir… dor talvez. Dor… era dor que ela sentia. Todos os dias sentia dor… todos os dias fingia, encenava que nada se passava. Pouco ou nenhum tempo passava em casa. O tempo que passava comigo era normalmente em cafés a comer ou em casa a ver TV e a jantar. Arranjava sempre forma de não ter de dialogar comigo. Talvez eu lhe faça lembrar alguém…quem?
Gyuri estava sentada de perna cruzada em cima da mesa.
Gyuri enquanto batia com o dedo na mesa: ela nunca mais se despacha…estou fartinha de esperar… nunca mais pá.
IU: tem calma~ eu tenho a filha do mestre~ - informou ao entrar com uma mulher muito bela na sala. A mulher estava vestida de branco.
Minji: FILHA! KIM! Kim? Tu…kim!
IU: Conhecem-se? Oh deus! A segunda filha dela és tu?
Yoona: é… - disse para parecer esperta
Sulli: hum… não me digas que a caçaste sem saber que era ela.
Yoona: EU sabia PERFEITAMENTE quem era ela…
Mago: vá meninas, meninas não discutam. IU, muito bem estou satisfeito com o teu trabalho. Quanto a ti minha querida, entra, serás recebida conforme deves.
A mulher entrou dentro da sala de onde o homem tinha saído. O homem seguiu-a.
Cinco minutos depois, a mulher saiu novamente desta vez tinha um ar mais apagado.
Minji: suas burras, ao trabalho. O mago quer o resto! Vá!!!
Na minha mente surgiu uma voz masculina. Era parecida com a do meu pai.
‘’Kim, ouve-me bem. Sou o teu pai… vou tirar-te daqui… tens de fazer o que eu disser’’
‘’não. Não confio em pessoas…em ninguém’’
‘’vou arranjar uma maneira de te tirar daqui…e aí vais confiar em mim’’
Dei comigo a pensar, onde estaria o corpo de Yoona? Ela estava no meu corpo… porque não no dela?
‘’ouves-me?’’
‘’quem és tu?’’
‘’Donghae’’
‘’não…te conheço’’
‘’pois não… mas deves confiar em mim’’
‘’dá-me três boas razões’’
‘’primeira… estás a partilhar o teu corpo com outra pessoa, segunda, ouves vozes e terceira, se continuares com ela no corpo… morres’’
‘’são boas essas razões…suficientes’’
Não sei quem era, mas fosse quem fosse estava a par do meu estado.
‘’ora bem, mãos ao trabalho’’
Yoona: nem penses donghae… não a vais ajudar, vou-te esmigalhar, vais morrer. MORRER PERCEBES? Não lhe toques, não conseguirás. Estou a ouvir-te!
Pergunto-me se por esta altura teriam dado pela falta dos SHINee no mercado… talvez algo surgisse nos jornais…
‘’desculpa donghae…’’
‘’não tem mal… vamos tirar-te daí…prometo, nem que seja a última coisa que faça’’

----minho----
Perto de um apartamento, tudo era diferente de à pouco, desde a vegetação até mesmo ao céu. Nada, à exceção do ar era igual, nada mostrava pelo menos parecenças.
Minzy: não te irrites. – como de costume desde que os tinha encontrado, estavam ambos aos berros.
Daesung: fala baixo… e não estou irritado.
Minzy: que ideia, acordaste hoje numa de ser o sr. Sisudo… queres mesmo que acredite? A sério Daesung…
Daesung: não estou sisudo. A miúda é que me põe fora de mim… agora diz que eu não tenho nada importante na minha vida… raio da miúda… pft
Minzy: e tu ligas a isso? Sinceramente Daesung… és mais velho do que ela, devias ser maturo o suficiente para aguentar com comentários desses…!
Daesung: tens razão… não devia reagir assim… desculpa…
Minho: pedia que os excelentíssimos senhores não se pusessem… aí…em coisas menos improprias. Obrigado.
Ambos me olharam
Daesung e minzy: como se fossemos fazer isso…
Minho: estou só a pedir…
Não me olharam mais, seguiram para o apartamento sem proferir outra palavra. Entrámos. Na entrada estavam dispostas várias plantas de todas as formas e tamanhos.
Fomos até ao último andar, para contar a verdade era o segundo.
A explicação para os apartamentos serem tão baixos era o simples facto de quererem as suas próprias casas isoladas.
Reconheci de imediato jonghyun… e baro, o rapaz que tinha arranjado confusão com jonghyun no dia da minha prova. Também via beatrice.
Minho: também cá estás…pelos vistos…
Beatrice: pelo que parece…
Faltavam onew, e taemin. De resto conhecia apenas key… e pouco mais… talvez apenas daesung e minzy visto que beatrice apenas se encontrava com key.
Key: hyosung foi dar uma volta de reconhecimento à área da estrela, espera que seja igual… - disse como se tivesse lido o meu pensamento e respondido à pergunta que se formara na minha mente.

----hyosung----
O céu estava escuro, coberto de nuvens. De súbito vi uma estrela… a estrela…
Caí de joelhos no chão… não podia significar o que eu estava a pensar NÃO PODIA! Tao… não podes fazer isso…não agora, não me dês razões para desistir agora, não por favor NÃO TAO!
Porquê agora tao? Porque não… depois de tudo isto? Porque desististe? Por quê? Resiste…um pouco mais, só te peço mais uns dias tao… uns simples dias, chegam-me pelo menos vinte dias, não desistas… não… agora não… não me faças também deixar de existir, deixar de respirar, deixar de proteger aqueles que tenho que proteger…não me faças deixar a minha ‘’missão’’ a meio e largar tudo agora… por favor…
Mestre: Hyosung, calma minha filha, tudo volta ao lugar no devido tempo. Tao não tomou a decisão por completo…tao está apenas a experimentar, ele saberá o que fazer. Tao ainda não morreu. Não desistiu de viver. Tem razões para viver, encontra tu também as tuas razões. Mas mantém a calma. Não te precipites… hyosung, cuidado – o mestre desapareceu como se fosse fumo depois de me ‘’ralhar’’
Talvez estivesse a processar tudo de maneira errada…mas era impossível. Não… estava tudo certo. TAO!
Como podia encontrar eu a calma quando estava rodeada de problemas? Onde iria eu buscar a calma? Onde? Como…? Não era possível, pelo menos naquele momento não era. Era impossível.

---Jonghyun---
Amber: pouco passa das três da tarde… temos de vos treinar, despachem-se por favor.
Jonghyun: tem lá calmex… tenho de relaxar…
Baro: tiveste tempo enquanto fazias parte do teu mundo.
Sumin: eu estou pronta.
Amber; então vamos. Não podemos perder tempo.
Sumin levantou-se de imediato… parecia ter absorvido as minhas energias…como que uma esponja.
Não demorou muito para estarmos na parte exterior do edifício.
Baro: pega – atirou-me uma faca. – tenta ferir-me~
Jonghyun: com uma faca? Que danos vou fazer com uma faca? Se tivesse um sabre… talvez fizesse alguns…mas com uma faca?


Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Qui 18 Out - 12:41:50

27º capítulo – pegadas

Baro: logo veremos se a faca fere ou não, vais ficar aí parado? Ou vais atacar-me? Queres que torne isto mais interessante é?
Jonghyun: a faca fere…mas é difícil se fugires. Não, já vou. Como?
Baro: Vamos fazer um jogo… vou-me esconder no bosque, tu tens de me encontrar, se o fizeres tens de me enfrentar e eu deixo-te de chatear se ganhares, caso contrário, se eu ganhar vou-te chatear. Eu posso atacar-te se tu não me vires, sugiro que leves… munições… e água e comida. Sabes, isto pode demorar… sou bom a ‘’brincar às escondidas’’~
Jonghyun: vamos a isso. Que ganhe o melhor.
De certa maneira levei o confronto para outro lado. Baro certamente sabia que eu o ia fazer. Sumin e amber apenas… estavam à chapada…

----amber---
Sumin: será que vamos parar de andar à chapada?
Amber: lembra-me a razão de estar-mos à chapada primeiro…
Sumin: acho…que foi teres-me chamado galinha… ou algo do género…
Amber; então vamos mas é pôr-nos a trabalhar porque se não chegas lá e… deitam-te ao chão muito facilmente.
Sumin: até parece…
Amber: sejamos sinceras sumin, não sabes lutar e tu sabes disso.
Sumin: não sei mas aprendo olha-me que essa…
Amber: então vamos~
Lentamente sumin se habituava ao ritmo dos treinos. Claro que, sendo nova por estas áreas cometia erros básicos mas nada de grave, nada que com um pouco de treino não se resolvesse.

----bia----
Hyosung: estamos perto, agora calma.
Bia: eu tenho calma, já o meu estômago…não sei não.
Hyosung: trouxeste comida?
Bia: não… esqueci-me disso… na mochila…
Hyosung: Qual mochila?
Bia: A que estava no frigorífico…
Hyosung: qual…frigorífico?
Bia: Tu sabes, o que estava na cozinha ao pé do fogão.
Hyosung: BIA!!! O QUE RAIO FOSTE FAZER?
Assustei-me ao ouvi-la gritar daquela forma.
Bia: o que foi?
Hyosung: SANTO DEUS! Dentro do ‘’frigorífico’’ está… o…
Bia: Está quem? Espera… dentro do frigorífico? Guardam pessoas no frigorífico?
Hyosung: Não… dentro do ‘’frigorífico’’ está o animal de estimação do mestre… ou pelo menos estava… e tu abriste-o… e agora?
Bia: agora… não sei… mas a mala tinha comida….
Hyosung: Credo…queres comida? Arranjo já. Toma – deu-me folhas.
Olhei para ela.
Bia: não sou herbívoro….
Hyosung: E quem disse que era para tu comeres as folhas?
Bia: São para quê então?
Hyosung: são para guardares a comida.
Bia: nhumy, comida invisível… isso aconchega muito a barriga, neste momento está ela cheia de ar…

------catarina------
Goo hara: tudo a postos?
Catarina: sim…
Thunder: tudo.
Goo hara passou a mão na cara de thunder.
Goo hara: não venhas, fica aqui. Por favor, faz-me esse favor. Guarda a casa, em breve irão chegar pessoas talvez tao volte. Por isso… fica.
Thunder agarrou-lhe na mão.
Thunder: promete que voltas.
Goo hara riu-se
Goo hara: thunder, eu não vou morrer, eu volto. Prometo. Mas tem calma.
Thunder: tens dez dias, se não voltares dentro de dez dias… EU vou-te buscar.
Goo hara: volto antes que possas sequer conseguir chegar a uma mão cheia. Cuida-te.
Goo hara sorriu e virou-se de costas para thunder, ficando de frente para mim.
Goo hara : vamos.
Thunder: espera!
Goo hara olhou para trás.
Thunder: esqueceste-te disto… - thunder agarrou a cara de goo hara e beijou-a.
Goo hara voltou a sorrir.
Goo hara: vamos catarina.
Catarina: bora.
Tanto eu como goo hara desaparecemos no meio da vegetação. Corríamos por entre as árvores da floresta.
Catarina: o que vamos mesmo fazer?
Goo hara: vou testar as tuas capacidades. Se fores capaz de sobreviver a tudo isto, então és capaz de salvar o taemin, se não mais vale ficares quie-
Catarina: Eu sou capaz. Não precisas testar-me
Goo hara: lá determinada és…agora o problema é… no seres determinada seres parva percebes?
Catarina: hum?
Goo hara: Quero dizer… quem iria acreditar nisto dos ‘’anjos ‘’ e dos ‘’demónios’’ se não visse não acreditava, bem mas mesmo assim é isso do acreditar, não acredites em tudo o que vês. Percebes?
Catarina: Fantástico…até parece que eu já não sabia disso…quero dizer ele é famoso, oiço tantos boatos sobre ele…
Goo hara: pois, isso pode ajudar…
Parámos, estávamos no meio da floresta densa.
Goo hara: okay, separamo-nos aqui. Eu vou para norte e tu para sul. Tens cinco dias para me encontrares, tens de sobreviver a tudo isto que vais ver. Continuando, eu vou estar fixa neste ponto, só tens de me encontrar, tão simples quanto isso, achas que consegues?
Catarina: Claro!
Goo hara desapareceu apressei-me também a fazer o meu caminho.
Comecei a imaginar o que teria de fazer, em primeiro teria de seguir rastos deixados por ela, depois apurar se seria aquele o caminho ou outro qualquer e em terceiro…teria que saber orientar-me e defender-me

----nena---
Estava ainda deitada de barriga para baixo. Ainda não tinha alcançado o raio da porta. Quando se está com pressa ou mesmo com problemas parece que nunca mais acaba o tormento, era isso que se passava comigo, cada vez que me aproximava da porta parecia que estava ainda mais longe, algo estranho.
Um tigre, surgiu-me um tigre diante dos olhos.
Tigre: o que estás a fazer?
Nena: A salvar…a minha irmã?
Tigre: não… estás a cair num dos planos de Gyuri. Nena, acorda para a vida, há outras maneiras de a salvares… espera mais um pouco. Na altura certa vais salvá-la. A ela e a mais uns quantos, tenta ficar quieta, não querias ser a protagonista nem a heroína da história okay?
Nena: okay…
Tigre: promete-me que não vais fazer nada… obedece a Hyosung, ela sabe o que está a fazer.
Lentamente deixei de ver o tigre.
Estaria eu a alucinar?
Nena: Que bonito! Agora falo com animais…imaginários…!

---Catarina---
Ouvi o grito de Goo Hara, como tínhamos combinado seria assim o sinal para eu a procurar, ela ia manter-se no mesmo sítio, eu apenas teria de a procurar.
Parecia que ia chover.
‘’Catarina, habitua-te a isto, é o que mais vais ver…’’ pensei, sabia que ia ficar bastante molhada, não tinha grande prática com tendas nem nada disso.
Ouvi ruidos atrás de mim.
Virei-me, era um esquilo pequeno.
Tive a brilhante ideia de trepar à árvore, ia conseguir ver com maior pormenor a floresta, e com sorte encontraria Hyosung, claro que ela de certeza que estaria escondida, mas… deveria ser fácil visto que as árvores eram altas.
Comecei a trepar lentamente, olhava para baixo de vez em quando a ver se o meu esforço tinha sido em vão ou se estava a subir. Felizmente estava a subir. Olhava à volta, a única coisa que via eram pinheiros, pinheiros e mais pinheiros eram todos demasiado altos. Até que, a uns quilómetros à frente avistei fumo.
‘’Alguém está ali…’’ foi a conclusão a que cheguei imediatamente, havia alguém para além de mim e Goo Hara na floresta, quero dizer, acho que Goo Hara não iria fazer algo tão óbvio~

----Baro---
JongHyun andava à minha procura. Estava a vê-lo, por entre as árvores. Olhava-o, tentava perceber o que raio iria ele fazer. Não se decidia sobre qual lado seguir.
Decidi que não o ia atacar, mas isso tornou-se um inconveniente, até porque se o fizesse ele estaria em vantagem, visto que ele não se importava de me atacar pelo simples facto de ser-mos ambos demasiado imaturos. Tinha a minha faca em punho. Esta pronto para atacar. Saltei da árvore sem fazer barulho, posicionei-me atrás dele. Apontei-lhe a faca ao pescoço.
Baro: bu~ estás preso~
JongHyun engoliu a seco e começou a rir-se.
Agarrou-me no braço e deu-me um pontapé no joelho.
Larguei-o.
Baro: fogo…
Desta vez ele é que me apontava a faca ao pescoço.
JongHyun: E agora, quem é que é fraco? E quem é que está preso?
‘’Pensa em algo rápido Baro….’’
JongHyun levantou-se.
JongHyun: penso que agora é claro quem ganhou.
Virou costas.
Agarrei-lhe o pescoço.
Baro: não vires as costas ao teu adversário. Até porque posso acabar contigo agora se quiser.

----Taemin----
IU: vocês serão as minhas marionetas~, se eu mexer um dedo, vocês fazem o que o dedo quiser~ estão ligados a mim por fios~
Realmente, ela tinha razão, estávamos todos ligados por fios aos dedos dela. Eram como que pequenos fios. Eram como que azuis…
Mexeu os seus dedos, o meu corpo movia-se involuntariamente.
Homem: Cuidado TaeMin, cuidado com ela! Tenta soltar-te desses fios!
Acenei com a cabeça. O grande problema era o não me conseguir mexer.
IU: vamos brincar um bocadinho~ TaeMin~
O meu corpo moveu-se de um lado para o outro, até que eu me dei de conta que estava à frente de outra personagem qualquer com um sabre apontado ao peito.
IU: vocês são tão vulneráveis! Até dá pena! Se me apetecer mato-te agora…mas não o vou fazer – suspirei de alívio quando ela disse aquilo – pelo simples facto de fazer a minha maninha se irritar~ e a catarina também não vai gostar muito da brincadeira, pode ser que a consiga matar~.
Agora já não tinha a certeza se o ‘’não morrer’’ não era uma boa opção.
IU largou os fios, fazendo-me cair para a frente.
IU: De qualquer maneira vais morrer TaeMin, sei disso, não tens experiência nenhuma. Portanto~
Homem: não ligues às provocações dela… não vale a pena.

---HyoSung---
HyoSung: Chegámos, visto que queres ‘’fazer parte da terra’’ vais servir como que médica de serviço… percebes?
Bia: mas…eu não sei nada…
HyoSung: Não te preocupes, é simples… agora temos apenas de te pôr a fazer as coisas certas
Bia: porque não fico a lutar como vocês? Eu tenho muito boa forma física, sou quase tão boa quanto MinHo…
HyoSung: Pelo simples facto de alguém morrer naquele campo de batalha, não queremos que isso aconteça e visto que isso vai acontecer muito… prefiro que tu treines algumas capacidades curativas em vez de agressivas, percebes? Serias mais útil, já são demasiadas pessoas a lutar…
Bia: Estou a ver.
HyoSung: Vais ser o nosso ponto de refúgio. Nós defendemos-te.
Bia: mas não quero ser estorvo para ninguém…
HyoSung: se isto te anima, nós é que vamos ser estorvo para ti…
Bia: hum… não é muito encorajador…mas acho que serve.
Peguei em algumas plantas.
HyoSung; Primeiro…sabes os primeiros socorros? Os básicos…?
Bia: Sei. Aprendemos isso na escola.
HyoSung: ótimo, deduzo que saibas estancar o sangue então.
Bia: Bem…depende do sítio.
HyoSung: É praticamente igual… em quase todos os sítios.
Bia: Okay…
Dei-lhe algumas plantas que apanhei pelo caminho.
HyoSung: tens de te saber safar com isto, para sobreviveres é o princípio.
Bia: Vou…comer isto…?
HyoSung: Bem… supostamente era para… hum… sabes era para fazeres um curativo…mas se achares que podes comer isso… acho que algumas dessas plantas não têm lá muito bom sabor, mas tu lá sabes.
Bia: Ah… okay…
Bia foi buscar água.
HyoSung: para que é a água?
Bia: O corpo tem de estar hidratado~

----minzy----
Estávamos cada vez mais perto de acabar com este festival todo. Não chovia mais, apesar de ser inverno o calor do sol aquecia todo o lado exterior.
Minzy: eu fico com a Nena, tu vais com o Onew, pode ser assim…? Ou há algum…inconveniente?
MinHo: Por acaso… gosto muito de vocês, mas… onde é que eu entro nisto tudo? Tou completamente perdido…
MinZy; ish… ainda aqui estás?
CL: MinZy, há quanto tempo~
MinZy: CL?
CL havia acordado. Corri para a abraçar.
MinZy: CL! Ainda bem, ainda bem que estás bem, olha tens aqui um menino para tratar~
CL olhou para MinHo, MinHo estava boquiaberto.
CL: Não será difícil~ ai, estou tão enferrujada… sabes, isto de ter dormido um mês… credo acho que nunca dormi tanto… já nem estou habituada a ter os olhos abertos~
MinHo: E eu és…exatamente quem?
CL: Sou quem te vai salvar deste pesadelo…visto que o salvador da rapariga adormeceu para me ceder o seu lugar…tu tens de salvar Kim.
MinHo: Eu o quê?
CL: Sim… DongHae deveria tê-lo feito, mas visto que ele não o fez…quem a vai salvar, és tu~
MinHo: Olha que coisa linda, só me calham malucas na rifa… tenho cá uma sorte.
CL: Se quiseres desistir, - estala os dedos e aparece uma porta – podes sempre seguir por ali.
MinHo: Não há nenhum mas?
CL: não. É a tua escolha.
MinHo começou a andar em direção à porta. Chegou perto dela e pôs a mão na maçaneta, CL baixou a cabeça, ficou triste. MinHo afastou-se um pouco e deu um pontapé partindo a porta.
CL: para que foi isso? Destruíste a MINHA porta!!
MinHo a rir: Ia mesmo deixar a diversão toda para aqueles marmelos que pouco ou nada percebem disto… estás-me mesmo a ver fazer isso…? – Riu-se com uma gargalhada forte – não me conheces.
CL bateu palmas: boa boa! Vamos anda, não podemos perder tempo! Rápido!
CL agarrou a mão de MinHo e pôs-se a correr nem sei bem para onde.
DaeSung: Diria que este miúdo é muito confuso… acho que vai ser difícil com aquele, é mais um DongHae, muito imprevisível.
MinZy: o que se pode fazer…?
DaeSung: por agora podíamos ir lá para a cabana e raptar o JinKi…
MinZy: pois, isso é uma das soluções, vamos lá.

----DongHae----
Vagueava só por um sítio que me era desconhecido, não era bem desconhecido… o professor já tinha falado naquilo. O problema é que a minha cabeça estava sempre nas nuvens. Por falar em nuvens, o sítio parecia-se muito com o céu. Era coberto por um azul bonito. E aqui e ali tinha umas pontinhas brancas, a simular de nuvens.
Bastaram mais uns passos para avistar duas figuras masculinas, eram definitivamente masculinas… os braços eram fortes mas magros, eram muito altos, tinham roupas simples e… eram ambos magricelas. Ouvia duas vozes vindas de lá, isso confirmava que eram dois homens, o tom em que falavam era um tom grave.
À medida que me aproximava, via que conhecia aquelas duas figuras. Uma delas, a de cabelo preto deitou-se. A outra manteve-se em pé.
Dei mais um passo, com algum receio. A figura que estava de pé acenou-me. Parecia-me bastante familiar por isso, corri até ambas.
BaWon: DongHae? O que fazes aqui em New Tokchoto?
DongHae: New Tokchoto? Estamos mortos?
BaWon: Tecnicamente…não. Estás só aprisionado~
DongHae: Ah… Tao… o que é que estás a fazer?
BaWon: Está a tentar arranjar uma razão que o puxe para a vida… está a tentar decidir se acaba com ele agora mesmo ou se… se morre. Já está nisto à pelo menos dois dias~
DongHae: Espero que viva.
BaWon: Eu espero que ele tome a decisão certa, não o vou obrigar a viver e dizer o que tem de fazer, ele tem de se aperceber disso por ele mesmo~
Tao acordou de relance arregalando os olhos e sentando-se.
Tao: devo viver, algo me espera…
Bawon deu-lhe uma palmada nas costas: é isso mesmo, há sempre uma porta que se abre quando outra se fecha.
DongHae: Exato~
Tao: DongHae? Também tu?
DongHae: Consegui trazer CL de volta… nem sei bem como, agora o MinHo e a CL vão salvar a Kim~
Tao: E viverão felizes para sempre.
BaWon soltou uma gargalhada: pois, talvez sim, ou talvez não~

-----MinZy----
Estava-mos a caminho da casa onde estava Nena.
DaeSung: há aqui…algo muito… hum… muito estranho, cheira-me a uma presença… uma presença estranha… cheira-me a…. Demónio.
MinZy: Impossível!
DaeSung: Já nada é impossível, Gyuri anda à caça.
MinZy: Até assusta…isto está tudo demasiado calmo, porque é que o rio não canta? Porque é que a terra não deixa as flores nascerem? Já era época disso… o céu está lindo, o sol a brilhar… até o ar é fresquinho…então, porque raio…a terra…?
Eu lá no fundo sabia a resposta a isso… MinJi e BaWon estavam…algures a tentar salvar-nos. Estavam a manter a esperança, depois existiam os seus filhos, Nena e Kim… não sei bem qual delas está em que situação, mas provavelmente essa era a resposta à minha pergunta.
DaeSung: Agora que falas nisso… estranho não é?
Encolhi os ombros.
MinZy: Ui…aquilo ali dentro está preto…tenho medo de lá entrar….
DaeSung: Não temos mais opções MinZy, a sério que não…quem me dera poder fugir, mas estão demasiadas vidas em jogo.
Cautelosamente ambos entrámos lá dentro… Nena estava de barriga para baixo num dos cantos da sala. Onew estava sentado no outro canto.
MinZy: O que se passou…?
Onew: Ela… queria sair, mas…eu não a deixei. Ela está chateada comigo.
DaeSung: Para a próxima deixa-a sair, pode ser que se ela passar um pouco de tempo com Gyuri as poeiras assentem…
Onew: Quem é Gyuri?
MinZy: Gyuri é o demónio…da Nena, simplesmente isso.
Nena: Boa! Chama-a, não quero mais estar aqui, ao menos ficava com a minha irmã! Seu… seu…
MinZy: nena acalma-te. – Aproximei-me dela. – Vocês os dois, vão à vossa vidinha que eu trato da nena.
DaeSung e Onew saíram da casa sem grande alvoroço. Fiquei a olhar para Nena.
MinZy: O que haverei eu de fazer contigo…? Rapariga tu realmente…
Nena: O que foi?
MinZy: Estiveste a chorar outra vez?
Nena: Sabes o quão inútil me sinto desde que saí da árvore? Preferia ter morrido! Sabes… não me sinto bem.
MinZy: Nena, isso não é razão para fazeres tudo isto… como tua ti-tia….
Nena: Tia?
MinZy: Sim, a tua mãe é minha irmã. No entanto sou eu a tua protetora.
Nena: Não me fales nela, ela é outra causadora de buracos dentro de mim, neste momento estou rota com tantos buracos que tenho.
MinZy: Ainda vamos a tempo de cobri-los~
Levantou a cabeça.
Nena: Ai vamos?
MinZy: Claro! Já te consegues mexer por completo?
Nena: Quase, só os pés é que parecem ser de chumbo…
MinZy: Vamos dançar então~
A cabeça dela ‘’caiu’’ para a esquerda.
Levantei-a.
MinZy: Agora segue os meus passos~

---catarina----
O rasto de Goo Hara era demasiado fácil de se seguir, comecei a duvidar se ela não me queria despistar… ou algo do género.
Mesmo assim segui o primeiro rasto, claro que com muito cuidado.
Recorri a pequenos pedaços de pano deixados, pareciam ser das calças de Goo Hara, havia sangue. Pouco mas havia, haviam rastos de sangue pelas folhas que estavam caídas. Não parecia ser sangue animal, o animal não tinha cuidado por onde passava, certamente ia-se raspar em todas as árvores que avistasse enquanto que o ser humano tem algum bom senso e cuidado.
Mais à frente encontrei o sapato de Goo Hara. Ter-lhe-ia acontecido…algo?
Um pouco mais à frente estavam pegadas, pareciam pegadas de um urso pardo, eram grandes. Dei um passo atrás, estava com medo
O céu estava limpo. Desta vez já não chovia. Mas as pegadas estavam molhadas, serviam de poças. Andei um pouco mais, ainda que muito receosa do que me pudesse acontecer. Vi esquilos, aranhas, moscas, abelhas, serpentes…todos e mais alguns animais, até veados, animais que nunca pensei ver.
Sentia que me estava a aproximar de um precipício. Estava a ficar cada vez mais frio, como se estivesse ao pé do mar. Até mesmo o cheiro do mar estava presente. Aquele forte cheiro a maresia, aquela mistura do cheiro do sal com algas, esgoto, rocha e tudo mais. O cheiro que fazia as narinas arder por dentro.
Qual não foi o meu espanto quando cheguei ao fim da floresta, à última parte de rocha e olhei para baixo. Era uma arriba. Demasiado alta para o meu gosto.
Catarina: Credo! Agora ia caindo daqui para baixo. Ia desta para melhor…
Havia sangue lá em baixo. Estava maré baixa, acabei por me aventurar a descer. Não havia nenhum corpo. Havia apenas uma gruta que quando a maré estava alta não se via, era uma das muitas grutas que ficavam submersas. Entrei, estava toda molhada, era normal, esteve debaixo de água durante um bom tempo.
Toquei nas paredes da gruta, ao contrário do que eu esperava, estavam quentes e secas. Notei que a água estava a começar a subir a olhos vistos, a água que antes me dava pelos calcanhares agora chegava-me aos joelhos.
Catarina: E vou-me apressar a sair daqui.
A minha sorte foi não ter ido muito para dentro. Quando saí estava um cadáver ali. Um cadáver estranho. Não era animal, porém também não era humano, tinha uma forma estranha. Decidi não ligar para aquilo e despachar-me a subir a arriba antes que a maré me apanhasse.
------sumin------
Amber: então… acho que já te ensinei tudo o que sei….
Sumin: Então isso é básico, se eu levantar a pata assim – levantei a perna com intenção de lhe dar um pontapé – e tu não te defenderes, aleijas-te! – amber pôs os braços a cobrir a cara.
Amber: Tu és perigosa… mas olha, se eu te agarrar assim no pé – agarrou-me o pé antes que eu pudesse pousá-lo – então tu cais~
Tentei bruscamente soltar o meu pé. Consegui.
Sumin: Okay, não vamos a lado nenhum assim amber…
Amber baixou a cabeça: tens razão, mas acho que tu e eu somos daqueles casos da vida estranhos percebes?
Sumin: huh?
Amber: Sim, não coexistimos, percebes? É difícil.
Sumin: Ah~ pois mas porquê?
Amber: porque Mercúrio assim o quis, Mercúrio é o teu ‘’segundo pai’’ são assim as leis, não há nada que eu possa fazer, até ao fim dos nossos dias, vamos odiar-nos mutuamente.
Sumin: isso é estranho.
Amber: é estranho mas é a verdade, diz-me se eu morresse o que farias?
Fiquei meia aparvalhada com a pergunta.
Sumin: se tu morresses…? Eu, não sei… desculpa….
Amber riu-se
Amber: será que não é óbvio? Rapariga a primeira coisa que farias era criticar-me do género ‘’quer-se dizer, lutámos tanto para depois morreres’’
Sumin: talvez sim, talvez não. Nunca se sabe~
Amber virou-se para mim.
Amber: Eu sei, tu não sabes. Digo-te que me ias desprezar.
Sumin: okay então.
Sentei-me, bem, mandei-me para trás caindo no chão. Pus as mãos para trás e olhei para o céu.
Sumin: O céu é misterioso.
Amber: A quem o dizes… nunca sei o que ela pensa…
Sumin: Porque é que tenho a sensação…que estás a falar do oposto do que eu estou a falar?
Amber: Porque aqui tudo isto tem um significado diferente aqui. Por exemplo as estrelas que aparecem, quando o fazem, coisa que acontece muito raramente, na maioria das vezes estão a avisar que algum de nós tomou uma decisão importante, e só alguns de nós, por ligações é que percebem o que aconteceu. Sabes, somos todos muito chegados.
Sumin: ah, isto parece que é pouco povoado.
Amber encolheu os ombros.
Amber: apenas aqui, neste momento, sabes quando tudo isto acabar, vai tudo voltar a ser como era, vão haver noites, vão haver crianças a correr, a descobrir. Tudo vai voltar ao normal desde a semente até à chuva. Mas para isso, temos de ganhar a luta. Tenho muita pena das filhas dos Park, sabes estão ambas em apuros. Uma está aprisionada junto com a mãe, o pai está em New Tokchoto e a outra… está praticamente à beira da linha se é que percebes.
Sumin: Park?
Amber: Sim… Nena, MinJi, BaWon e Kim… esquece não conheces os meus irmãos. Esqueci-me disso. Mas deves conhecer as filhas.
Sumin: Kim? Nena? Eu já ouvi esses nomes…
Amber: Claro que já, deixa-me refrescar-te a memória – amber aproximou-se de uma árvore. Passou a mão na árvore.
Ali surgiram algumas imagens, como que aguarelas, mas estas mexiam-se. Retratavam exatamente o tempo em que conhecera Kim, no parque. Depois voltou a passar a mão na árvore, surgiu outra imagem. Desta vez passavam como que slide shows, eram os últimos segundos antes de Nena atravessar aquela espécie de portal para o outro mundo ou coisa assim.
Amber: Elas são as Park, conseguem fazer porcaria a torto a direito por assim dizer, ganharam fama aqui por causa disso. Enfim…
Sumin: Então aquela idiota não salvou a irmã?
Amber: Claro que não, muito pelo contrário. Tu viste-a, viste como ela estava, estava congelada. Mas parece que anda a recuperar. Neste momento parece que só não mexe da cintura para baixo se não estou equivocada. – informou à medida que ia fazendo um círculo com o indicador.
Quer dizer que toda aquela história de haverem regentes não era mentira, Daesung tinha razão de certa forma, nena e Kim faziam parte da realeza, ambas tinham o símbolo.
Olhei para o meu pulso.
Sumin: Oh, desapareceu!
Amber: o que é que desapareceu?
Sumin: nada nada, o que fazemos agora?
Surgiu uma voz na minha cabeça
Mercúrio: ‘’Sou teu protetor, como tal, vou-te proteger, minha filha’’
Amber: Hum, não sei. Já sabes tudo o que eu sei. Portanto não sei o que mais fazer. Só se for encontrar os outros dois que entraram ali dentro e tentar salvar um deles. Até porque não tenho dúvidas que Baro é quem vai ganhar
Sumin: Mau, não vamos começar já com as discussões, vamos?

@Bia – pois T.T também eu T.T MAS XD há sempre um mas *-* talvez no mês de Novembro eu volte *p* sim? :D
Miss you TOO!!! OH BIA XD BIA DO MEU CORAÇAO XD MISS YOU MUCH T.T sarangheyo~
OMO ainda bem!!!!!!!!!! *-* fico feliz por isso :D
xD pois… mim não funcemina sem comédia u.u mim is like that XD hahaha pois :s foram uma beca sentimentais xD tem a ver com o meu estado de espírito o.o xD oki dokie XD espero poder publicar mais uns quantos em breve ;3

@Caxty~ - MESMO T.T ISTO É MUITO MAU XD TENHO MUITAS SAUDADES PAH XD QUERO MATÁ-LAS XD HAHAHA o.o tenho mm de ter net pá o.o i’m missing you sowe muche T-T mucho mucho TTTTTTTTTT.TTTTTTTTT is no good T.T
Ainda bem q amaste mi amor *-* mim is feliz por that xD o.o isto de falar inglês and portuguese ao mm tempo is não good Xd
BTW +.+ MIM SAW A TUA FIC *-* NHACA NHACA *-* (mas só o 1º cap T-T) AWESOME NA MESMA XD *-* quero mais~
@for the missing saranhés xD – bem…o.o eu nem sei o que dizer xD o.o pera JÁ SEI!!
Ó RAFAELA ONDE ANDAS TU MINHA PARVA? XD o.o eu… pensei… *começa a chorar* que ia ter um comentário teu sua porca pá xD *u.u*
Bem… o.o é basicamente o que tenho para dizer o.o acho eu xD é q n me lembro…de quem lê a minha fic o.o e quem n a lê O.o visto que a minha M.A. me fez o favor de me dar os comments e só recebi 2… T^T tou uma beca desapontada xD pensei que ia chegar aqui memo à boss o.o e q o pessoal tinha comentado xD mas pronts xD life’s like that u.u rawr.
Bem… o.o minhas saranhés o.o xD é basicamente o q eu tenho para dizer… o.o
AH…tenho q agradecer a uma menina xD que tinha comentado no dia em que eu tive aqui no fórum u.u muito obrigado~ são importantes para mim os comentários que fazem ^^ sejam construtivos ou…outra coisa qualquer xD a sério :’3 thank yaw ;3
O.O E À MINHA M.A. TB XD Ó MARIA JERTRUDES THANK YOU *-* ÉS A MINHA SALVAÇÃO XD (not really o.o…bem… xD sometimes…nah xD lots of times xD nah… the most of the times XDDDD x’s)
Miss you all u.u much much muchy~
Bwáá T.T bubu i’m missing mah one-chan too T.T oh one-chan~ where are yoooouu?? T.T gonna cry T.T
XD porra xD ando a ter saudades de mta gente o.O xD mas pronts :3
Buh bay~
Saranhé’s, xD eu saranhé vocês todas xDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD
Voltar ao Topo Ir em baixo
Rafiki
Drunken Lover
Drunken Lover
avatar

Feminino Mensagens : 6421
Reputação : 0
Data de inscrição : 03/02/2012
Idade : 19
Localização : caca

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Qui 18 Out - 14:13:00

desculpem os termos mas .. FODASSE TANTO CAPITULO O.O XD Pronto .. Agr vou ter de ler isto tudo!!! Ofnourenvoerun á tarde leio :D
Voltar ao Topo Ir em baixo
lenitta
Flaming Charisma
Flaming Charisma
avatar

Feminino Mensagens : 2574
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2012
Idade : 25
Localização : Setúbal - Montijo

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Qui 18 Out - 20:23:21

rafa a minha reacção foi a mesma.. eu vou ter de tirar uma folga para ler tudo haha
Voltar ao Topo Ir em baixo
Mada/Yeri
Beautiful Stranger
Beautiful Stranger
avatar

Feminino Mensagens : 1281
Reputação : 6
Data de inscrição : 18/06/2012
Idade : 17
Localização : Setúbal

Ficha do personagem
Grupos:
0/10000  (0/10000)
Aulas&Pontuação!:
0/10000  (0/10000)

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Qui 18 Out - 21:05:30

Adorei :D
Escreves muito bem :)
Fico á espera dos proximos chap
FIGHTING!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Qui 25 Out - 12:05:52

Rafa: CONTENTA-TE!XD N QUERIAS CAPÍTULOS? XD
Umma: kekeke
Mada: Thank you so much <3 :3
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
It's war~ [Fanfic]
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 23 de 24Ir à página : Anterior  1 ... 13 ... 22, 23, 24  Seguinte
 Tópicos similares
-
» A Chave do Quinto Elemento ~FANFIC COMPLETA~
» Fanfic:Rebelde
» Fanfic: Um Natal com Jonghyun
» My Sun (Fanfic com Bill Kaulitz)
» FanFic TOKIO HOTEL

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
SHINee Portugal :: SHINee Club! :: FanFic's-
Ir para: