SHINee Portugal

SHINee Portugal

Um lugar de carinho, uma segunda casa, um lugar de encontro de Shawols e não só!
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 It's war~ [Fanfic]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1 ... 13 ... 22, 23, 24
AutorMensagem
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Qui 25 Out - 12:46:11

mais para vcs amores ^^ :


Amber: tens razão.
Que lugar seria ocupado por mim? Talvez simplesmente o da árvore? Ou, o do pássaro no céu?

-----Bia-----
Estava a achar interessante até agora, HyoSung tinha-me ensinado a fazer todo o tipo de curativos com plantas, desde os mais simples até aos mais complexos.
HyoSung: E esta ser- CUIDADO BIA!
Empurrou-me para o lado.
HyoSung: Foge!! Rápido corre para fora daqui! – começou a empurrar-me cada vez mais bruscamente.
Não tive tempo de perceber o que se passava até me virar para trás. Estava lá um urso.
Hyosung estava a tentar arranjar uma maneira de lutar contra ele.
Bia: NÃO HYOSUNG NÃO!!
Corri para ao pé do urso.
Hyosung: Bia, o que estás a fazer?
Bia: eu… conheço-o.
Hyosung: Tu… o quê?
Bia: Eu… eu conheço-o.
Aproximei-me cada vez mais do urso, parecia assustado.
Bia: Shh, tem calma prontos, calma calma. Hyosung, a terra não é só o que está agarrado a ela, mas sim também o que vive nela.
Abracei o urso.
Hyosung: bia! Tu és maluca! O que raio estás a fazer? Bia ouve-me!
O pêlo do urso estava contra o meu corpo.
O urso levantou-se, pôs-se de pé.
Hyosung: o que estás a fazer?
Bia: A dançar~
Hyosung: Raios! Onde é que estás? SULLI APARECE ONDE QUER QUE ESTEJAS!
Sulli: tão perspicaz Hyosung~
Hyosung assumiu uma posição de combate.
Hyosung: Já o levaste, a ela não lhe levas OUTRA VEZ PERCEBESTE?
Sulli: Calma Hyosung, calma. Não tenho o teu tão amado Tao.
Hyosung: Cala-te!
Sulli: Oh Hyosung, minha querida, eu quero a Beatrice~
Hyosung: Não! Só por cima do meu cadáver, nunca a terás.
Sulli: Querida, não tornes isto mais difícil do que é, fazemos assim, dás-me a Bia, e eu, em troca dou-te o Tao, com pozinhos de perlim pim pim~
Hyosung: Lê os meus lábios, N-U-N-C-A!
Sulli suspirou.
Sulli: Enfim tornas-te isto mais difícil do que era necessário, mas prontos.
Apareceu uma figura do fumo, vinha da água.
Catarina: Encontrei-te Goo Ha-
Bia: Catarina?
Catarina olhou-me e arregalou os olhos.
Catarina: Bia? O que raio fazes com o urso?
Bia: Bem… - afastei-me do urso – estava a tentar entendê-lo…
Catarina: ah…
Hyosung: Não é momento de estarem aqui na conversa! As duas FORA DAQUI RÁPIDO!
Bia: Não.
Hyosung: o quê?
Sulli riu-se
Bia: Não.
Hyosung: Bia, não me faças perder o controlo, vai! JÁ IMEDIATAMENTE!
Bia: NÃO! Da última vez que me disseram isso… o Tao.
Surgiu-me como que um flashback na cabeça. Lembrava-me de tudo, inclusive de Tao a subir a árvore.
Pus-me ao lado de Hyosung.
Bia: Vou lutar a teu lado.
Hyosung: BIA! VAI!
Bia: não grites comigo, já disse que vou ficar, ao teu lado a lutar. Não me impedirás disso.
Sulli: oh, que comovente, acho que vou chorar.
Catarina estava de cabeça baixa.
Catarina: Tu… tu…
Sulli: Oh, mais uma~ oh que divertido que isto vai ser~ IU anda cá amor~
Apareceu uma rapariga mais nova, pelo menos aparentemente.
IU: OH! CATARINA! Que giro, posso matar-te agora~ olha só quem eu trouxe~ A minha marioneta favorita.
Catarina: IU… tu… eu não te vou perdoar! Anota BEM estas palavras, tu, vais, morrer, nem que seja a última coisa que faça, OUVISTE-ME BEM? – levantou a cabeça e apontou para ela.
Catarina começou a correr, nem sei bem como trepou uma árvore de pé. Experimentei fazer isso, claro que o resultado era evidente, caí.
Hyosung: Deixa a catarina, concentra-te, se queres lutar ao meu lado não te distraias.
Sulli: Bem, não tenho tempo para isto, vamos lá. – estalou os dedos. Apareceram milhares e milhares de facas. – vamos brincar~
Hyosung: Cuidado com as fa- - Sulli tinha mandado algumas facas contra Hyosung.
Sulli: Xiu, assim não tem piada~
Bia: Hyosung? Hyosung? Ouves-me? Estás bem? Hyosung?
Hyosung; Estou b- BIA NÃO VIRES AS COSTAS AO ADEVERSÁRIO!
Virei-me, Sulli estava mesmo ali, tão perto que até metia medo.
Aproximou-se ainda mais de mim. Passou a ponta de uma faca na minha garganta.
Sulli: Sabes, tens duas opções meu amor, ou vens comigo, ou morres aqui~
Bia: E se eu escolher a terceira? – a minha voz tremia
Sulli a rir: Terceira? Qual terceira?
Bia: Esta – agarrei-lhe na mão e dei-lhe com o joelho no estômago.
Sulli começou a tossir.
Sulli: Sua…
Bia: Nunca me devias ter subestimado, não me conheces.
Peguei em Hyosung, ao colo e comecei a correr.
Sulli: Para a próxima não me escapas!
Comecei a pensar, isto tinha sido tudo demasiado rápido para mim.
‘’Desculpa Catarina, não te queria deixar só’’
Isto revelou-se mais perigoso do que eu pensava ao início…
Hyosung: Obrigado.
Pousei-a no chão.
Bia: ai…e agora? Estás a sangrar!!! Espera… eu sei, vou… uh… como é que era mesmo? Vou, estancar…o sangue?
Estava meia aparvalhada, rasguei um pouco da minha t-shirt.
Agarrei no braço dela e dei um nó. Tentei fazer o que me ensinou.
Bia: Estás a ficar ROXA!
Hyosung a rir: Bia, tens de fazer o nó menos apertado…

-----MinHo----
CL: OH vá lá não sejas tão idiota pá~ já disse que eu não sofro.
MinHo: Mesmo assim…
CL: VÁ JÁ!
MinHo: mas…
CL: Se eu digo, vais fazê-lo ouviste?
MinHo: Que remédio tenho eu…
CL: Tás a gozar? Por causa dessa baboseira toda que tens no rabo, Beatrice ganhou-te na corrida, ou não te lembras? Kekeke foi muito divertido de ver~
MinHo: O quê?
CL ria-se à gargalhada
CL: Ainda não percebeste que isso foi uma aposta entre mim e o DongHae? E tu perdeste, estava previsto isso claro que era para te ‘’ensinar uma lição’’ visto que alguns dos deus ares não são muito gentis.
MinHo: Ah… então quer dizer que somos marionetas lá em baixo…não?
CL: Sim, bem, não, bem….mais ou menos.
CL recorreu à desculpa de treinar-mos para desviar o assunto. Bem, pelo menos pareceu-me visto que ficou atrapalhada e não me voltou a responder
CL: estive muito tempo enferrujada, vais-me perdoar, tenho que me desenferrujar~
MinHo: Sim à vonta-de – deparei-me que estava a falar para o boneco, CL não estava ali, tinha desaparecido assim do nada parecia que tinha fugido ou coisa parecida. – CL? HEEEYY CL? Onde estás? Ouves-me?
CL voltou a aparecer assim do nada.
CL: Perdão, mas tive que me desenferrujar, sabes isto de ficar parada dá muitas dores e calorias, já para não falar do peso que ganhamos.
MinHo: Ah... okay.
CL: Não percamos mais tempo, mostra-me do que és capaz. Quero que dês uma volta a isto como eu acabei de fazer. Quero que me mostres se és capaz do que eu estou a pensar ou superas as minhas esperanças.
MinHo: Okay, diz-me, quantos metros tem isto mais ou menos...
CL a rir: Metros? Isto tem à vontade uns 40 quilómetros~

---- catarina ----
Tentava consolar-me com as feridas que já tinha feito a IU.
IU: Já acabaste?
Catarina: E esta... esta é por me teres enganado sua... sua - nem sabia o que raio lhe chamar. Estava tão irritada com tudo isto que só me apetecia dar-lhe umas quantas até ela não se levantar mais.
IU: Terminaste?
Catarina: Não, estou longe disso!
IU: Então com licença que eu não tenho paciência para esta porcaria. - deu-me com a mão na parte de trás do pescoço – isso deve ser suficiente - agarrou-me e carregou-me – vamos ver o TaeMin, mas primeiro vamos até ao mago~
Não demorou muito para me aperceber que tinhamos mudado de mundo. Era tudo completamente diferente, ao contrário do outro mundo, era de noite.
IU: vamos lá~
Abriram-se várias portas, parecia ser automático.
Vejo passar-me pela frente dos olhos uma guilhotina, cortou-me uma parte da minha franja.
IU: oh, desculpa.... esqueci-me de tirar o sistema de proteção~
Comecei a gritar
Catarina: mas tu...és maluca?
IU: Sou ilusionista~ kekeke
Catarina: Leva-me ao mago, não quero falar contigo.
IU: Vou só fazer-te sofrer um pouco~
Pousou-meno chão. Agarrou numa faca e cortou-me o cabelo nem sei bem como.
Catarina: O que raio foste tu fazer? Eu amava o meu cabelo!
IU: pois amavas~
Empurrou-me até uma sala.
A sala tinha muitas escadas, olhei para todos os lados, via animais congelados, pessoas velhas, trapos...tudo e mais alguma coisa.
Chamou-me a atenção um rapaz mais velho de olhos azuis. Tinha ao seu lado com a cabeça deitada no seu colo, a dormir TaeMin.
Catarina: TAEMIN!
TaeMin acordou de relance.
Desci as escadas a correr. Vinham-me lágrimas aos olhos.
IU: Mais devagar minha menina!
Apareceu um monte de crocodilos.
IU: Não é bem assim, pensas que chegas aqui e vais ter com ele?
Olhei-a virando-me na sua direção.
Catarina: Só isto? Não chega! Nem mesmo se houvesse um buraco.
Tentei passar lentamente por entre os crocodilos, tinham todos as bocas abertas, estava com medo. Lembrei-me da Bia, sim a Bia tinha compreendido o animal... ele não a atacou. Vou tentar passar sem ver...
Fechei os olhos. Claro que com muito receio do que me pudesse acontecer.
TaeMin; Catarina!
Tinha conseguido passar pelos crocodilos.
IU: Como raio...? Quem és tu?
Catarina: O que nunca serás. Podes partir o mundo a meio, podes quebrar tudo à tua volta, mas de uma coisa te garanto, nunca serás capaz de me separar dele. Nunca.
Faltavam uns centímetros para alcançar TaeMin, também ele tinha vindo ao meu encontro. Abraçou-me. O cheiro dele invadiu o meu nariz, chegou-me aos pulmões, era o cheiro de que eu sentia falta.
Taemin: Pensei que nunca mais te ia ver!
Catarina: Eu...tinha esperanças.
Taemin: ainda bem que estás aqui, senti tanto a tua falta.
IU: Oh que comovente, anda vá.
Taemin: Espera!
Algo nos separava.
Taemin olhou para IU: dá-me mais três minutos!
Catarina: Não quero três minutos, quero a eternindade, ou para além disso, desde que estejas comigo.
IU: Unf, três minutos que sejam. Depois vou levar-te ao mago, talvez voltes e faças parte da minha coleção, ou talvez fiques como efeite na sala dele~
Taemin: O que aconteceu ao teu cabelo?
Catarina: nada... eu cortei-o.
Taemin aclarando a voz: Ficas bem...de qualquer das maneiras.
Olhei-o nos olhos.
Catarina: Obrigada.
Taemin: Amo-te de qualquer das maneiras, sejas o que fores.
Abracei-o.
Catarina: Também eu. E tu sabes disso.
IU: Bem casalinho já chega, estou a ficar enjoada.
Iu abriu a mão esquerda e levantou-a. Ao mesmo tempo o meu corpo voou como se fosse um robô, estava a ser comandada por ela.
Mal alcancei o piso onde ela se encontrava, agarrou-me nos cabelos.
IU: a andar que eu não tenho o dia todo, tenho muito mais coisas para fazer~
Chegámos a um corredor era mesmo estranho. Tinha quadros que se moviam, pareciam contar uma história.~
Lá no fundo havia uma porta.
A porta abriu-se. Fui sugada para dentro da sala. Era um escritório, estava todo arrumado.
Um homem fechou a porta.
Mago: Ai IU, estou tão satisfeito contigo, anda cá. - aproximou-se dela e beijou-a.
Parecia que IU era uma marioneta.
Mago: Serás recompensada como deves~ depois da guerra se ganhares. Quanto a ela, liberta o outro rapaz, ela já tem a cadeira à espera dela.
A cadeira? Que cadeira.
Mago: A cadeira que te fará esquecer de Taemin e juntares-te a mim! – ria-se
Catarina: nunca, nunca, nunca. É impossível esquecê-lo!
Mago: veremos isso.

-----Goo hara ----
Estava a ficar preocupada estava quase a acabar o quinto dia. Decidi regreçar. Thunder esperava-me à chuva debiaxo de uma árvore,a dormir.
Goo hara: THUNDER!
Thunder acordou.
Corri, estava aflita.
Thunder: Voltaste! – abraçou-me.
Goo hara: Sim. Não há tempo para isto! A tua prima...está em prigo, não a encontro, perdi-lhe o rasto!!
Era como se tivesse ligado o alarme de incêndio, Thunder saiu disparado ela floresta dentro. Segui-o.

----DaeSung----
Onew: Sei lá. Não quero lutar.
DaeSung: Então não me serves de nada.
Onew: até a mais insignificante formiga é importante.
DaeSung: credo, mais um a falar em poesia... não tenho paciência para isso...sabias? Se não sabias ficas a saber!
Onew: Estou a falar na realidade DaeSung!
DaeSung: Não é questão de realidade ou não realidade! Vocês os dois parece que não têm consciência pá! Parecem duas criancinhas parvas!
Onew: Parvas?
DaeSung: Sim parvas! Não queres fazer nada, o que raio estás aqui a fazer então? Tens alguma razão que te prenda aqui? Não pois não? Então fora!
Onew: até tenho...
DaeSung: O quê?
Onew: A minha banda.
DaeSung: Pensei que fosse algo mais especial, alguém em particular.... abre as asas galinha, qualquer dia todos eles vão voar, vão ser livres, ficarás só!
Onew: Não tenho medo, estou pronto para esse dia, assim que ele chegar, sentirme-ei completo.
DaeSung: É disso que tu te queres convenser não é? Sabes bem que a realidade não é essa, sabes bem que estás desesperado, que procuras o teu lugar e ainda não o encontraste.
Onew: para quê apressar as coisas hyung?
DaeSung: Não chores quando fores solitário.
Onew: Não vou chorar. Acredita que não.
Fiquei a pensar nas palavras de DaeSung, ele tinha razão, eu não queria encarar a solidão.
DaeSung: Bem, não vou discutir contigo, tenho mais coisas a fazer. Por exemplo, podias tomar uma desisão sobre qual rumo queres seguir... queres ficar aqui e ajudar-me...ajudar-nos, ou ires-te em bora e voltares as costas a todos?
Onew: Dás-me... tempo?
DaeSung: Não te estou a pedir que cases comigo, não tenho tempo. Preciso imediatamente da resposta.
Onew: um dia?
DaeSung: Proposta interessante, vais ver se há algo que valha a pena salvar não é?
Onew: Mais ou menos...
Levei o meu olhar até ao horizonte.
Onew: Sei que algo existe para lá do imaginável. Sei que às vezes nem sempre fazemos as escolhas acertadas. Sei que o ser humano é tão estúpido como... um palhaço. Sei que tenho medo de errar, cair e não me poder levantar a seguir.
DaeSung deu-me uma palmada nas costas.
DaeSung: E são nesses momentos que os amigos te dão a mão e te levantam depois da tempestade ter destruido tudo e do céu ter caído sobre terra, depois do mundo se ter destruído. Depois de não restar nada, são eles que te puxam para o que está certo. É isso não é?
Onew: Uma coisa assim , qualquer coisa desse género.
DaeSung: Vou deixar-te só então, quero que me dês uma resposta amanhã, por volta das três da tarde estarei aqui debaixo desta árvore à tua espera, não vale a pena te atrasares.
Onew: Cá estarei.
Sabia que não tinha grande coisa em que pensar, não tinha grande coisa para proteger, claro que temos de ser fortes quando tudo parece destruir-se mas mesmo assim, não tenho razões para continuar aqui. Devo desistir? Devo continuar aqui? O que tenho eu a ver com isto?
Lembro-me do dia em que aqui cheguei. Foi estranho. Porquê a mim, porquê tanta nostalgia e tantos sentimentos juntos? Não podia ser tudo mais calmo? Ou mais fácil de se entender?
Olhei para a esquerda, era perto do bosque, estavam lá Minzy e Nena, Nena tirava fotos com o telemóvel, parecia completamente recuperada. Decidi que deveria entrar na floresta. Despertar o que em mim estava adormecido.

---- HyoSung ----
Estava com tanto frio, nem sabia se era só eu ou se realmente estava frio.
Bia: hum, HyoSung, agora....devemos seguir para que lado?
HyoSung: Norte, vamos chegar perto de MinZy, por mim tu já podes voar.
Bia: Huh?
HyoSung: Quero dizer que estás pronta para o que aí vem. Estás mais do que pronta, agora está na hora de te pôr à prova.
Bia: Quanto tempo falta?
HyoSung: Sensivelmente... uma semana, sabes... sinto um estranho arrepio na barriga. Algo vai acontecer, Tao vai voltar assim como DongHae e BaWon, regressarão ao mesmo tempo. A guerra vai ser interessante.
Bia: devo ter medo?
HyoSung: De modo nenhum. – passei-lhe ambas as mãos pelo rosto. Segurei-o de frente – deves ser corajosa o suficiente, nunca te deves dar por vencida. Anda, vamos ver o Key, deve estar exausto.
Crusamo-nos com Onew à saída da floresta.
Bia: Oppa! Onde vais?
Onew: Dar uma volta...
HyoSung: Então o protegido do principe não está a treinar? – estava confusa.
Onew: Por favor não fales comigo como se fosses minha desconhecida. Trata-me como me tratam todos os outros, por Onew. Sinto-me mais à vontade.
HyoSung: Como queiras, o que vais fazer lá dentro?
Onew: Vou pensar. Talvez não seja grande ajuda... para esta guerra.
Bia aproximou-se de Onew, olhou-o nos olhos
Bia: ou talvez estejas confuso, Onew, acredita no que te digo, és preciso aqui... uma guerra sem o líder é como perder sem sequer jogar. É como céu estrelado sem estrelas. É como... um humano num deserto à procura de água. Juro-te que todos os outros têm esta opinião.
Onew: Às vezes tens de pensar por ti, não pelos outros. Vou tentar pensar um pouco por mim. Estou farto de ter de pensar duas vezes... vou pensar calmamente.

---- Key ----
Estava sentado meio zonzo.
Tao apareceu à minha frente.
Key: Diseste que a ias proteger, só lhe trouxeste...sofrimento.
Tao: Eu estou a protegê-la...
Key: Ai estás?
Tao: Claro que estou, estou a protegê-la com todas as minhas forças.
Key: Então porque não te juntas a mim... pelo menos uma vez, esquecemos esta rivalidade e fazemos tréguas?
Tao: Por mim, as tréguas estão feitas à muito, tu tens aquilo que eu nunca tive, tens o coração dela. Isso não te posso tirar. Por isso, sempre que for preciso vou juntar-me a ti para a proteger. A vida é assim.
As palavras de Tao não faziam sentido, não encaixavam. Eram estranhas.
Tao: Escuta com atenção, temos de traçar um plano... temos de ter cuidado com Sulli. HyoSung está ferida, por enquanto terei de te guiar...
Key: Eu sei fazer isto por mim próprio.
Tao: Esse teu orgulho estraga tudo... sabes, às vezes tens de pensar com o coração, não com a cabeça.
Key: Eu penso com ambos.
Tao: Então acorda!
Mestre: Tao tem razão meu filho, a tua história está no meio. Quero que a completes, tens de ma contar. Mas para isso, tens de a viver. Toma, dou-te isto. O antepassado do escorpião usou-o na sua última guerra. Venceu.
Key: Quem é o antepassado?
Mestre: um homem corajoso, era parecido contigo quando era jovem. Tinha alguma ligação contigo. Espero que não acabes como ele... espero bem que não.

----Kim ----
Estávamos todas prontas, Sulli fazia os últimos preparativos. Gyuri preparava-se para a caçada.
Gyuri: É hoje que a apanho. Hoje. Anota as minhas palavras.
IU: é para já amor~ assim posso gozar contigo quando FALHARES! AHAHAHAHAHA
Yoona: Calem-se por um bocado pá!
Estava lá também uma rapariga que nunca tinha visto antes. Era mais ou menos da minha altura. Era engraçadinha.
IU: Bem, vou levar esta coisa para ver o Taemin... e depois deixo-os lá e venho para cá. Pode ser que os meus animaizinhos tratem de ambos assim...de uma vez só!
Yoona: faz como quiseres.
IU saiu do quarto.
Gyuri e Yoona tinham uma estranha proximidade.
Gyuri: Diz lá o que se passa.
Yoona: Eu... apaixonei-me... por um deles.
Gyuri; TU O QUÊ?
Yoona: Fala baixo! Eu sei tá?
Gyuri: Por quem?
Yoona engoliu a seco.
Yoona: Há lá um... um rapazinho lindo! A sério... ele é mais ao menos alto. Tem o cabelo castanho e é muito fofinho.
Gyuri: Não vejo a quem te referes...
Yoona abriu a mão, projetou-se um rapaz alto, muito alto para contar a verdade. Tinha cara de vampiro. Cabelo preto e não castanho. O olhar dele era sexy... mas o rapaz era muito fofo.
Gyuri: Sabes ao menos o nome? Ele até que nem é feio. É é demasiado magrinho... não tem músculos. Mais rapidamente escolhia aquele atleta famoso sabes... o... Min qualquer coisa.
Yoona: Acho que se chama Tao... mas, ele está preso. Não sei se quero continuar com isto Gyuri...ajuda-me Gyuri! O que faço? Liberto a rapariga? Mato-a? Rapto o rapaz ? o que raio devo fazer?? Ajuda-me!!
Gyuri: mata-o. Se não queres ter problemas com o mago, MATA-O.
Yoona: Mas...eu...
Gyuri saiu e bateu com a porta. Pensei que Gyuri ia realmente ajudar Yoona. Mas... tentei concentrar-me no que Gyuri tinha ido fazer, ouvia-a na minha mente.
Gyuri: ‘’Quanto mais tenho que me aproximar dela... para que ela perceba?... Estou farta disto!’’
Algo me confundia quanto a Yoona e Gyuri... eram muito estranhas as duas.

---- Baro ----
Nunca mais encontrava JongHyun, realmente ele tornava-se no ‘’rei’’ da brincadeira.
Decidi sair do sítio onde estava escondido.
Baro: JONGHYUN, GANHASTE, ESTOU FORA, ADMITO A DERROTA, AGORA VÁ MOSTRA-TE!
JongHyun saiu a rir de um dos arbustos.
JongHyun: É nestas alturas que amo ser pequeno, vês como não me encontraste? Eu estava a ver-te perfeitamente~
Baro: Xiu, vamos regressar, estás pronto... só tens de treinar um pouco mais... em alguns aspetos.
Estava farto de estar ali. Reparei que havia uma gaivota a pairar.
Baro: mas que raio? Então... a pantera não estava presa? Como raio saiu?
JongHyun: Pantera? Qual pantera?
Baro: O animal de estimação do meu appa...
JongHyun: vocês são estranhos...
Baro: Sim sim, agora vai para casa, vou procurar o riao da pantera, ela não pode andar à solta... vai fazer demasiados estragos...
JongHyun foi lentamente andando para fora da floresta.
Sentia um arrepio invadir-me o corpo.
Baro: Quem está aí?
Sumin: sou só eu... viste a Amber? Perdi-a!
Baro: Ah Sumin... és tu. Não, não vi Amber, queres que a chame?
Sumin: Não de maneira nenhuma, eu vou encontrá-la, não te preocupes.
29º Capítulo – O início do fim

Baro: Hum...só uma pequena curiosidade, o que é esse arranhão que tens na cara....?
Sumin: ah isso... isso fui eu contra ela...kekeke ela tem um pior não te preocupes
Baro: mulheres... – desabafei para mim mesmo quando percebi que tinham andado as duas ‘’à caça’’

---- Taemin ---
Estava finalmente ao pé de catarina, tinha tudo corrido bem. Pelo menos acho eu. De repente IU entra na sala.
IU: Podes ir embora... que pena e eu a pensar que tinha mais um para a minha coleção... afinal... vais-te embora, não é justo taemin... nada mesmo.
Taemin: vou embora?
IU: Sim, o mago não te quer aqui... vais ficar sem a catarina~
Taemin: o quê?
IU: é isso que ouviste, e como sou muito ‘’boa pessoa’’ dou-te uma hora para te despedires dela. Ouviste? Uma hora, nem mais, nem menos um milésimo de segundo está a contar. Depois terás de deixar isto ouviste?
IU parecia triste. Saiu dali deixando-nos com todos os outros que ali estavam.
Homem: toma cuidado Taemin, o mago quer qualquer coisa com a catarina, caso contrário não te deixava ir...assim.
O homem tinha razão. Não me deixaria ir se fosse algo que não tivesse importância.
Catarina sorriu-me.
Catarina; Agora estás livre!
Taemin: E tu?
Catarina: Ora eu...vou arranjar maneira de também fugir! Não te preocupes!
Taemin: sabes que é impossível, vais estar sempre presente na minha mente...
Catarina aproximou-se, levantou a mão.
Catarina: ainda bem, então vou estar sempre contigo, aqui – tocou-me no peito.
Fechei os olhos e assenti.
Catarina: Ainda bem.
Taemin: Vamos aproveitar a hora que nos deram... tenho a certeza que tens muito que me dizer não?
Catarina: Olha, à parte de ter estado a fazer de vela não tenho grande coisa a dizer até porque... sabes vi a Bia a dançar com um urso! – riu-se – e depois...depois vim parar aqui...ainda dei uns belos de uns socos e pontapés nela~
Taemin: é assim mesmo, minha catarina~ - despenteei-lhe o cabelo com a mão.
Catarina: é não é? Kekeke sou fantástica!
Taemin: é que nem duvides disso!
Aproximei o nariz da cara dela, rocei-o.
Taemin: vou sentir a tua falta.
Catarina: somos dois.
Encostei os meus lábios aos dela. Não os queria soltar, mas...tudo o que é bom tem um fim, para além disso a hora tinha passado a correr.
Catarina; nunca uma hora tinha passado tão rápido...
Taemin: Podes querer
IU: bem, chegou ao fim o tempo.
Catarina; Já tinhamos reparado nisso...
IU: Calma, vim só abrir a porta vá, sai lá que eu tenho trabalho a fazer!
Demorou para que eu lhe conseguisse largar a mão, não queria ir. Queria ficar com ela. Claro que, ia ser difícil.
IU: Bem, adeus... espero ver-te em breve, davas um bom casaco sabias?
Taemin: Desculpa?
IU: Estava só a brincar, adeus.
Empurrou-me para fora daquela sala. Estranhamente começou um nevão. Sentia muito frio. Tentei, a custo sair dali. Claro que só consegui chegar ao início da floresta.
Adormeci no chão gelado. Já só me lembro de sentir bastante calor e acordar.
Taemin: onde estou? – perguntei confuso ao abrir os olhos.
Thunder; Estás ‘’em casa’’
Taemin: A catarina?
Thunder: Isso gostava...eu de saber meia leca!
Goo hara: Não comecem já, por favor, agora a sério! Estou regaladíssima com a Catarina, aquela IU vai pagá-las!! Sendo minha irmã ou não, não quero saber, vai pagá-las!
Taemin: Quanto tempo falta?
Goo hara sabia a que me referia, Thunder ficou meio abananado.
Goo hara: Cerca de... 4 dias, porquê?
Taemin: Só para saber, vamos confrontar-nos...
Goo hara: Odeio fazer isto, mas espero que Marte a proteja... esper bem que sim, não a quero magoar. Sei muito bem do que o mago é capaz...
Taemin: Como assim?
Goo hara suspirou.
Goo hara: Desconfio que o mago lhe vá ‘’apagar a memória’’ quero dizer, uma certa parte e virá-la contra ti – apontou para mim – mas à parte disso... vamos ter de lutar contra ela, seja como for... pesso desculpa Taemin.
Aquelas palavras pesavam de certa forma, pesavam na minha cabeça, era como se tivesse levado com uma pedra. Não, era pior, muito pior, parecia o fim do mundo. Algo parecido pelo menos. Tenho medo de a magoar. Tenho medo de errar. Como farei? Catarina, ajuda-me, perdoa-me... eu não quero isto assim para nós. Talvez... se desistisse.
Thunder deu-me um chapadão na cabeça.
Thunder a olhar para um canto da casa: Não sejas otário, a minha prima não queria que desistisses assim, pensei que como namorado dela a percebesses, neste momento ela deve estar a tentar resistir contra algo. Resistir por ti... e tu limitas-te a mostrar a tua fraqueza e desistir com um simples problema... unf otário.
Refleti um pouco com as palavras de Thunder.
Goo hara: ham ham... eu percebo a parte de não a quereres...magoar.... percebo perfeitamente. Se não o quiseres fazer, não és obrigado taemin, só para saberes. Não te fico a ver mal. Entendo a tua posição. Garanto-te que não serias o único. Mas... – há sempre um mas... – quero apenas contar-te... o que se passou enquanto estiveste fora. Sabes, a catarina estava muito preocupada contigo. Andava ‘’noite e dia’’ a pensar em ti. Nunca baixou a cabeça, andava sempre dum lado para o outro a pensar em alguma forma de te salvar. Sabes...quando eu lhe disse para ela não se iludir com o que possa ver ela respondeu ‘’ eu confio nele, sei que faria o mesmo por mim’’ foi algo do género. Desde então ficou determinada em salvar-te. E conseguiu-o.
Agora não tinha só de pensar nas palavras de Thunder, as de Goo hara invadiram igualmente a minha mente. Era algo que teria de pensar com o relativo cuidado. Não teria passado isto tudo para desistir agora... pois não?

-----DaeSung----
DaeSung: Bem me parecia...
Como pensava, Onew não tinha comparecido. Restavam cerca de quatro dias, Onew não estava ali, debaixo da árvore. Tinha desistido? Tinha-se esquecido? Não sei. Não faço a mínima. É um rapazito estranho.
Olhei à minha volta, só para confirmar que Onew não vinha, como tinha pensado, não compareceu. Despachei-me a sair dali. Fui ter com MinZy.
MinZy: Boa, agora vamos... esquerda?
Nena: Estou cansada. Quero descansar um bocadinho... por favor tia?
MinZy: Unf... tu e o teu cansaço...
Nena: Posso tirar mais umas fotos à floresta? Por favor tia!
MinZy suspirou.
MinZy: Vai lá...
Aproximei-me um pouco mais. Nena afastou-se.
MinZy: Não te afastes muito! Oh DaeSung, estás aí.
DaeSung: Tenho que falar contigo...
MinZy: Fala.
DaeSung: Menos um.
MinZy: Mataste-o?
Daesung: Não... ele é que parece que desistiu.
MinZy: Ah.... mas, e agora?
DaeSung: Agora, temos de pôr toda a nossa fé nela, visto que... nós não podemos fazer nada. Ela tem de lutar, contra a mãe, contra Gyuri e contra a irmã...
MinZy: Então...
DaeSung: Não posso fazer nada MinZy, não tenho culpa, o destino assim o quis.
Nena voltou a correr para nós.
Nena: Tia tia! Olha só! – parecia uma criança – olha só! É um animal lindo!
A cara dela tomou uma certa expressão fechada
Nena: O que foi tia? Pareces desiludida...
MinZy: Não foi nada, anda vamos acabar de te treinar para poderes descansar.
MinZy olhou-me, pôs uma das mãos nas costas de Nena e empurrou-a até dentro da casa de madeira.
Imagino que não deve ser fácil ser apunhalada mais do que uma vez pelas costas.
Abriu-se um clarão no céu.
DaeSung: BaWon, dá-lhe forças, ela bem vai precisar.
BaWon: Não te preocupes príncipe. Ela terá força suficiente para isso.

----Bia---
Key: Começava a ficar completamente maluco! Vocês não voltavam!
Bia: Desculpa... tivemos uns pequenos imprevistos.
HyoSung: Hum...tenho que voz dizer uma coisa... sobre a guerra.
Ambos a olhámos.
HyoSung: Só lá vão estar vocês os dois. O destino de tudo depende do vosso empenho.
Key: Não vens? Nem o Tao?
HyoSung: O máximo que poderiamos fazer era...assumir os vossos corpos.
Bia: Então... vai ser dois contra um?
HyoSung: Não propriamete, para vocês sim...agora depende de cada um... o MinHo por exemplo vai ‘’lutar’’ contra 2, o desfavorado é ele.
Mestre: Meninos, quero dar-vos isto, por favor, guardem-no.
HyoSung: O MESTRE NÃO PODE FAZER ISSO!!!
Mestre: HyoSung, tenho que o fazer.
HyoSung: Mas mestre!
Mestre: HyoSung, o trono está assegurado a BaWon, ou até mesmo a Baro, não te preocupes.
HyoSung: O mestre não o pode fazer! Mestre suplico-lhe, eu vou em seu lugar, não faça isso, por favor, o mestre sempre me ajudou, deixe-me retribuir-lhe.
Começava a não perceber nada daquilo.
Mestre: HyoSung, não. Eu já vivi tudo. Este combate agora é a nível pessoal. JinHyuk passou dos limites. Não pode continuar assim.
HyoSung: Mas mestre! O mago pode matá-lo.
Mestre: Não interessa, um bom mestre protege o seu povo com a sua própria vida se preciso. JinHyuk terá de perceber que está errado de uma forma ou de outra. Os espíritos dos antepassados começam a ficar irrequietos. Estão todos a fazer-me cócegas por todo o corpo. É hora de ajir HyoSung, pesso-te toma conta da HyunRi.
HyoSung baixou a cabeça. Começou a chorar.
HyoSung: Assim seja meu mestre.
Mestre: HyoSung, assim que Tao voltar... espero que tudo corra bem. Mereces ser feliz HyoSun depois de tudo. – aproximou-se dela e beijou-lhe a testa – o teu avô abençoa-te.
HyoSung agarrou o animal, preto que o Mestre trazia com ele. Era muito pequeno. Era lindo. Parecia um gatinho.
Mestre: A pantera HyunRi é tua a partir de hoje. Como simbolo da minha gratidão por tudo o que fizeste por mim. Obrigado. Bem devo ir-me. Ainda vou a tempo de evitar esta guerra toda. Beatrice – olhei-o – KiBum – Key levantou também o olhar – boa sorte meus jovens. Estarei convosco – sorriu e desapareceu.

----JongHyun----
Baro tinha admitido a derrota, estávamos finalmente de regresso ‘’a casa’’. Subi pelas escadas, o elevador era demasiado estranho.
Baro abriu-nos a porta mal chegámos.
Key: Boas.
JongHyun: boas.
Bia: hum, olá.
JongHyun: O que se passa com HyoSung?
Key: Não sei explicar...
Bia: O mestre
Baro: NÃO!
HyoSung levantou-se com um gatinho ao colo e foi agarrar-se ao Baro.
HyoSung: desculpe príncipe, eu tentei travá-lo mas ele... ele – começou a chorar ainda mais.
Baro: Esquece isso HyoSung, a culpa não foi tua – abraçou-a e levantou uma mão para lhe fazer festas na cabeça.
HyoSung chorava cada vez mais. Não percebia o porquê do choro. Devia ter algo a ver com Baro. Ou coisa do género.
Baro pegou no gatinho.
Baro : HyunRi, obrigado por teres protegido o meu pai.

----Sumin----
Acabei por encontrar Amber, estava perto de um rio.
Amber: Anda, vamos voltar para casa.
Sumin: Acabei de ver Baro. Ia para casa também.
Amber: Boa, vamos lá.
Amber começou a correr para Sul. Fiquei algo confusa. Não era para Este?
Sumin: Hey...Amber... não vamos para Este?
Amber: Sim tens razão... Este, desculpa estava um pouco desorientada.
Ri-me.
Sumin: Anda, eu indico-te o caminho então.
Comecei a sentir uma coisa estranha, nunca tinha sentido isto antes.
Sumin: Hey Amber, não sentes uma... presença estranha?
Amber: Quem eu? Não, de maneira nenhuma, deves estar a imaginar...!
Sumin: Se tu o dizes...
Comecei a correr, queria sair dali. Não me sentia bem, era como se estivesse a ser obcervada.
Virei-me para trás. Estava a sentir algo a puxar-me a roupa. Reparei que tinha a t-shit um bocado rascada, Amber tinha a parte que faltava da minha T-shir t na mão.
Sumin: O que raio... estás a fazer?
Amber escondeu as mãos atrás das costas: Quem eu? Nada... – começou a assobiar.
Sumin: Sim...vamos fingir que não é...nada. vamos fingir.
A Amber estava estranha...muito estranha para dizer a verdade.
Havia um silêncio interminável, tínhamos finalmente chegado a ‘’casa’’. Estava tudo muito calmo.
Amber saltou e foi parar a uma das janelas, quis ser civilizada e entrar pela porta.
Mal cheguei deparei-me com a triste cena de choradeira de HyoSung.
Sumin: O que se passou?
Baro: O meu pai...
Sumin: Peço desculpa...
HyoSung; E tudo por minha culpa! Tudo isto por minha culpa! Porquê?
Amber abriu a janela e entrou.
Amber: Por tua culpa?
Baro: Cuidado!
Amber: Com o quê?
Baro: Eu reconheço esse cheiro de qualquer lugar, Jessica.
Amber: Baro, não sejas tonto!
Key agarrou numa faca.
Atirou-a contra Amber.
Amber: Ei! O que raio estás a tentar fazer?
Baro: AH HA! EU SABIA! Olha bem a tua sombra!
Jessica: Unf, esqueci-me que és filho do Mestre... enfim.
Bia pegou em HyoSung e levou-a para o quarto.
Baro: Porque raio não esperas mais quatro dias? Daqui a quatro dias defrontas todos eles.
Jessica: Tem mais piada se eu te raptar para ficares do meu lado, outra vez.
Saiu um fumo castanho do corpo de Amber. O corpo caiu no chão.
Baro: Sumin, levanta Amber e leva-a daqui! Rápido não há tempo!
JongHyun: vá rápido!
Key: anda eu ajudo.
Key e eu pegámos no corpo de Amber que estava ao pé do fumo castanho.
Amber estava a acordar.
Key puxou-a e ambos a levámos também para o quarto deixando JongHyun e Baro para trás.
HyoSung: Amber? Amber unnie?
Amber acordou completamente, estava tonta.
Amber: HyoSung? Huh? Onde... o rio...? JESSICA!
Key: Xiu! Ela está ali na sala, está com o Baro e com o JongHyun... estão os três a...
Pus a cabeça fora do quarto, conseguia ver Baro de pé. Mas não via JongHyun. Via uma mulher loira. E ao lado de Baro havia um carneiro.
Sumin: Está ali um carneiro na sala!
Amber: Sim é o JongHyun.
Olhei para ela.
Sumin: Eu sei que não te dás com ele... mas também não é preciso ofendê-lo indiretamente....
Bia: Não, a Amber está a tentar dizer que esse carneiro é o Jong... sabes o Key é um escorpião... e os outros não sei.
Sumin: O Onew deve ser uma galinha~ kekeke
Bia: O Jong bem podia ser um dino~
Começámos a rir-nos.

----Nena----
Nena: Olha só! São tão bonitos~
MinZy: Hum... Nena, está na hora de saberes... o que vais enfrentar.
Olhei-a. Não estava lá com muito boa cara.
MinZy: Bem... digamos que...vais ter de enfrantar isto tudo sozinha.
Nena: hum?
MinZy: bem... hum... eu e o DaeSung não podemos intrevir na guerra... tu vais ter de lutar só.
Nena: Ah... só isso?
MinZy; Como assim só?
Nena: Estou habituada a tar sozinha, já nem me importo. A vida é assim tia, devias sabê-lo.
MinZy: Não estás chateada?
Nena: Para quê chatear-me? Não ia acontecer de qualquer das maneiras? A luta também é minha, sou eu que tenho que recuperar a minha mãe e a minha irmã... não tu tia...
MinZy: Então...tu sabias que a tua mãe...
Nena: Sim... o meu pai contou-me a semana passada ou coisa assim.
MinZy: Mas eu pensei que...
Nena; Não digas isto a ninguém, mas prontos vou dizer-te, eu sei que ela errou, sei que não me devia ter feito o que fez, nem a mim nem à Kim... mas a cima de tudo... tia... ela é minha mãe, posso discutir muito com ela... mas amo-a a cima de tudo.
MinZy: E eu que pensava que eras uma pedra...
Nena: O que significa mesmo pedr-
A casa começou a abanar
MinZy: Oh não... não é bom sinal... uh oh!
Nena: O que raio está a acontecer?
MinZy: Gyuri está por perto! Tens de fugir.
Nena: Não, eu tenho umas continhas a acertar com ela!
MinZy: Mas... tu...
Nena: Tia, eu sei o que estou a fazer. Fica aqui com o tio. Já agora, diz que gosto muito dele e pede-lhe desculpa pelos cabelos que lhe arranquei...
MinZy: Estás a falar como...se não fosses voltar.
Nena: Eu volto, mas gostava que ele soubesse disso agora, e visto que não tenho tempo, ficas tu com essa responsabilidade, pode ser? Adeus tia~ sranghaeyo~
Corri para fora da casa. Havia um rio ali perto, a água tremia. Cada vez que corria cerca de dez metros sentia melhor o chão a tremer.
Nena: Estou muito perto...
Num dos tremores acabei por cair.
Gyuri: Estúpida, porque demoraste tanto? Ham? Ham?
Nena: Estúpida és tu sua coisa feia.
Gyuri: O quê? Eu sou linda! LINDA OUVISTE?
Nena: Ai és? Deixa só ir buscar uns óculos... ou será que o teu espelho se partiu?
Gyuri: Sua... eu vou matar-te.
Nena: Tu blá blá blá muito mas não vejo ação nenhuma...estou à espera velhinha~
Gyuri: TU...! Sua peste deixa só por-te as mãos em cima!
Aproximou-se uma figura humana.
Nena: Ah... não és tão feia quanto pensava, mas também não és grande beleza portanto...
Pôs uma das mãos no bolso dos seus calções. Começou a sair de lá um pau comprido feito de ... ferro?
Quando já estava completamente de fora o objeto vi que era uma foice. Ela baixou-se um pouco e preparou-se para atacar.
Comecei a olhar para ela.
Nena: Olha lá... isso não é...injusto?
Gyuri: Xiu, anda vá, tens duas opções ou morres aqui ou vens comigo!
Suspirei.
Nena: Tenho mesmo que escolher?
Gyuri: Já!
Nena: Tá bem então – tirei o meu telemóvel do bolso. Pus uma música que MinZy me tinha mostrado, segundo o que me tinha dito foi o tio Baro que a tinha escrito com a sua banda. Cantaram num festival qualquer – vamos.
Gyuri riu-se à gargalhada : vais... lutar comigo a dançar é? Hahahahah
Nena: Se quiseres. Não me importo nada, derrotava-te com uma perna às costas.

-----onew----
Ouvia alguns sons vindos de uma clareira. Ouvia também uma música.
Parecia um confronto. Cheirava a sangue. Fui-me aproximando um pouco. Fiquei entre os abrustos dava para ver perfeitamente. Eram duas raparigas, uma baixinha, dava-me a impressão de ser Nena. Era magrinha e tinha o cabelo ainda meio branco nas pontas. A outra não conhecia. Tinha uma foice. A que eu não conhecia, passou a foice mesmo perto da cara de Nena.
Nena: hum? A luz apagou-se... que raio...? Hello?
Gyuri: é agora, finalmente deixas de me irritar.
A rapariga voltou-se tinha ali uma bolsa. Deitava armas e mais armas cá para fora.
Seria aqui que eu deveria agir? Deveria deixá-la ali? Seria ela quem eu deveria salvar? Não ia ficar para ver. Levantei-me lentamente e pus as mãos nos bolsos. Ia a andar no sentido contrário.
BaWon: ‘’vais deixá-la assim...?’’
Onew: Quem és tu?
BaWon: ‘’vais deixá-la assim?’’
Onew: Não tenho nada a ver com ela.
BaWon: ‘’Então suponho que possas ficar para ver a rapariga decapitá-la.’’
Onew: Não...
BaWOn: ‘’Dá-me uma boa razão para não a salvares.’’
Onew: Dá-me tu uma boa razão para eu a salvar!
BaWon: ‘’Estás perdido, estás a agir da forma errada, estás a agir sem pensar’’
Onew: Jura.
BaWon: ‘’ O teu futuro vai tomar outro rumo... se continuares a ser indiferente a quem te quer bem’’
Onew: Eu nem a conheço.
BaWon: ‘’Nem eu conheço montes de gente que salvo, e daí?’’
Onew: Tu não és eu!
BaWon: ‘’Graças a Deus! Não queria ser testemunha de uma morte, ficaria eternamente com esse peso na consciência... ela salvou-te porque não lhe retribuis?’’
Onew: Salvou-me de quê?
BaWon: ‘’ Da solidão’’
Onew: Qual solidão?
Desapareceu.
Onew: Ei! Espera um pouco! Volta aqui!! RAIOS!
Poque haveria eu de a ajudar quando só a conhecia à mais ou menos dois meses...?
''É disso que tu te queres convenser não é? Sabes bem que a realidade não é essa, sabes bem que estás desesperado, que procuras o teu lugar e ainda não o encontraste.''
''E são nesses momentos que os amigos te dão a mão e te levantam depois da tempestade ter destruido tudo e do céu ter caído sobre terra, depois do mundo se ter destruído. Depois de não restar nada, são eles que te puxam para o que está certo. É isso não é?''
Aquelas frases ecoavam na minha mente. Como era possível tanta indecisão?

----- Kim ----
Tinha um mau pressentimento quanto ao rapaz que tinha falado comigo pela mente. A sério que tinha. Era algo...instintivo.
Yoona: hum... queria tanto poder estar com ele... unf... mas acho que, isto nunca se vai poder concretizar... sou tão parva! Como é possível estar apaixonada pelo meu inimgo? Que raiva HUMANOS IDIOTAS!
Yoona descarregava a sua raiva no ‘’nosso mundo’’.
Via a terra a abrir-se, fogo a surgir nas florestas. Imagino o quão mau deve ser estar lá...
Yoona: Não quero mais esta vida para mim... NÃO QUERO... Kim, vou libertar-te
Kim: huh?
Yoona: Desculpa Kim... a sério...desculpa ter-te capturado, taparam-me os olhos... eu não tenho culpa, quero dizer, tenho mas... desculpa a sério...
Kim: oh... ah...hum.... uh...
Yoona: Compreendo que... não queiras perdoar-me compreendo a sério, só quero começar tudo de novo.
Surgiu uma corda que prendeu Yoona, elevou-a.
Yoona: FOGE RÁPIDO KIM ENQUANTO TENS TEMPO FOGE!
Comecei a correr para fora do quarto. Cheguei a um corredor, segundo o qual apenas os ‘’demónios’’ saberiam andar. Vi uma janela. Saltei pela janela. Aterrei em terra firme.
Comecei a correr com a pouca energia que me restava. Mal pus o pé fora das redondezas do castelo comecei a pensar que fui uma cobarde, devia ter ajudado Yoona, ela ajudou-me também...apensar de ter sido estúpida ao ponto de me ‘’raptar’’ mas mesmo assim... acredito que ela tenha mudado. Vou ajudá-la.
Sentei-me um pouco no chão a olhar para a lua. Fiquei a pensar.
Mais ou menos uma hora depois decidi que deveria encontrar CL... de certo modo isso iria ajudar-me. E conseguiria também ajudar Yoona, ou talvez tivesse de o fazer por mim própria.
Dei mais um passo, mudou completamente a minha vista, era tudo diferente, era de manhã.
CL: Força MinHo!
MinHo? Choi MinHo? Será?
Comecei a aproximar-me da voz.
MinHo passou mesmo ao meu lado, sem querer desiquilibrei-me. Ele segurou-me.
MinHo: Quem és?
CL: KIM? OMO KIM!!
MinHo: Era ela que... eu deveria salvar?
CL: Sim, mas cuidado, Yoona pode ainda estar dentro dela.
MinHo pegou numa lança e apontou-ma ao peito.
Kim: Sou a Kim...
CL: Isso todos o dizem, prova-o.
Kim: A Yoona foi capturada pelo mago, ela vai ser executada se eu não a ajudar, ela libertou-me. Por amor de Deus, eu não estou a gozar, acreditem em mim!
MinHo: ia mesmo acreditar nisso! – estava prestes a cravar-me a lança no peito.
Kim: Macaco idiota!
MinHo: Espera... és mesmo tu...
CL riu-se: Que forma de a disinguires...
MinHo recolheu a lança.
Deu-me a mão.
MinHo: Vamos, levanta-te.
Kim: Hum... eu... queria salvar a Yoona...ajudam-me?
CL: O quê??
MinHo: O quê?
Kim: Bem... ela... ela não é má pessoa, foi obrigada a fazer parte do bando de avestruzes.
CL: Pões isso em termos que...
Kim: Juro pela minha saúde, ela não é má pessoa... ela... estava confusa, ela pediu-me ajuda e libertou-me e depois foi atacada, quantas mais provas vão precisar para que percebam que ela é boa pessoa?
MinHo: Pode ter sido tudo planeado! Acorda para a vida, estamos no século XXI
CL: Por acaso aqui estamos no século XXIII
MinHo: Whatever... pensa um bocado Kim, achas mesmo que o homem a ia descartar assim?
Kim: Penso! Tu não viste aquele homem... ele... já agora como raio sabes o meu nome?
CL bateu com a mão na cabeça.
MinHo: Ela falou-me de ti...
Kim: Ah... okay
CL: MENINOS!
Kim: Pois… desculpa.. mas tu não viste como ele trata todas elas... parecem cães... mete pena... a sério que mete.
MinHo: Se tiveres pena de tudo... então
Kim: então nada! Eu vou ajudá-la se não quiserem ajudar não ajudem! Eu peço ajuda à Nena!
CL: Não faças isso! A tua irmã certamente está com muito trabalho agora...
Kim: E eu com isso! Vou mesmo ter com ela buh bye~
Comecei a andar.
MinHo: E sabes onde ela está?
Parei.
Kim: Hum... isso... uh...
Nena: KIM?
Kim: por acaso até sei! Mwahaha!
CL: Bem que pontaria...!
Nena começou a correr para ao pé de mim
Nena: Kim! Kim kim! Tu estás bem Kim! Omo Kim!
Kim: Sim... sou eu... sou eu!
Nena: Fogo, estava muito preocupada... contigo.
MinHo: e então para que raio sou eu preciso no meio de isto tudo...?
CL: Pois... ainda precisamos do DongHae... ou pelo menos para derrotar o Mago és preciso.

---Bia---
Ora bem... não era muito normal uma situação destas... o JongHyun e o Baro a conviverem? Era muito estranho. Metia medo.
Baro: Não, ainda não isso é para o fim ó bode.
Parece que o JongHyun não falava.
Baro: Sim desculpa, esqueci-me que eras um carneiro e não um bode.
JongHyun parecia revoltado.
Jessica: Podemos parar com os joguinhos parvos e lutar a sério?
Baro: Como queiras, tenho pena de fazer isto a uma senhora do teu estatuto mas prontos... tu pediste e para além disso, puseste demasiadas vidas em jogo.
O fumo tinha tomado forma humana, estava uma rapariga loira mesmo em frente deles. Ela parecia mais ou menos nova, JongHyun fê-la recuar até ao pé de uma janela, Baro deu-lhe com o pé no estômago, o vidro partiu-se, ela agarrou o pé dele. E ambos cairam pelo segundo andar a baixo.
Amber: BARO!
Amber levantou-se, e correi para perto da janela.
Nesse mesmo momento uma figura humana saltou para trás dela.
Era Jessica de novo.
Jessica: Agora vim-te buscar a ti.
Virou-se de costas, agarrou os braços de Amber, e deixou-se cair de cabeça.
JongHyun estava paralizado, assim como todos nós. HyoSung tinha adormecido, e nós os três que sobravamos estávamos a assistir dentro do quarto. Com algum medo.
JongHyun, melhor o carneiro recuou até ao quarto, virou-se de costas para a porta. Jessica voltou a surgir.
Jessica: Agora faltam vocês os dois! Ou será que deveria levar também o resto? Ah... não vou só levar-vos os dois.
JongHyun tomou a forma humana.
JongHyun: Wow... consegui voltar a transformar-me... primeiro tens de passar por mim para tocar em quem quer que seja que esteja dentro do quarto – discretamente, com a mão esquerda atrás das costas fazia-nos sinais para fugir-mos pela janela.
O grande problema disto tudo é que a janela era situada num segundo andar, era já mais alto do que propriamente seguro.
Mesmo assim tentei manter a calma, procurei manter a calma coletiva.
Bia: Tive uma ideia! Eu vou saltar lá para baixo. Depois faço uma caminha de folhas, vocês saltam todos, um de cada vez, pode ser?
Sumin: E HyoSung?
Bia: Eu apanho-a, não te preocupes.
Bia: Então vou okay?
Saltei pela janela.
Doeu-me um pouco, visto que não tinha nada que me amparasse a queda.
Comecei a apanhar folhas, mas logo me dei de conta que não iria conseguir fazê-lo rapidamente, teria de haver outra forma qualquer de os fazer cair sem os magoar.
Bia: Manda a HyoSung!
Sumin aproximou-se da janela. Key ajudo-a. Sumin agarrou nas pernas dela e Key nos braços. Puseram o corpo dela no muro da varanda. Lentamente, Sumin libertou as pernas e HyoSung ficou suspensa pelos braços que estavam a ser agarrados por Key.
Key: Bia, despacha-te, não aguento por muito mais.
Bia: Larga-a.
Sabia que se ela caísse de maneira errada acabaria por fraturar um osso ou...algo parecido.
As mãos de Key largaram os braços de HyoSung, vi o corpo dela a cair. Girou duas vezes, com os meus cálculos mentais, consegui saber exatamente onde ela iria cair. Pus-me por baixo, com a esperança de conseguir apanhá-la. Por sorte correu tudo bem. Apanhei o corpo de HyoSung. Sentei-a ao pé de uma árvore.
Bia: Vamos Sumin, agora vem tu! Rápido.
Sumin: para onde raio salto?
Bia: Anda, salta, não tenhas medo eu agarro-te.
Sumin: Ai não...
Bia: Não confias em mim? Anda lá pá! Rápido o JongHyun não vai resistir eternamente vá!
Ouviu-se o som de algo a partir. Sumin olhou para dentro, fechou os olhos e saltou também
Sumin: Seja o que Deus quiser!
Bia: apanhei-te.
Sumin: Ufa...
Bia: Importas-te...de sair? És pesada... sorry
Sumin: Ai desculpa.
Bia: Vamos Key, vá agora tu.
Key tinha vertigens.
Key: Bia...
Bia: Por mim Key vá anda, eu apanho-te.
Key: mas Bia...
Bia: KEY! Imediatamente!
Key estava cheio de medo.
Via o corpo dele tremer. Fechou os olhos e começou a gritar ao mesmo tempo que se mandava.
Bia: Vês? Custou?
Key abriu os olhos.
Key: Ai bia! – abraçou-me – credo que medo.
Bia: Sim... – pousei-o – nunca pensei pegar-te ao colo~
Pus HyoSung às costas. Um pouco mais à frente estavam Baro e Amber. Baro tinha sangue na cabeça. Amber estava a tentar acordá-lo.
Amber: Baro, baro, baro? Baro? Baro? Fala comigo! Baro? BARO?
Pousei HyoSung.
Bia: Afasta-te.
Amber afastou-se com lágrimas nos olhos.
Sentei Baro. Tentei ver de onde vinha o sangue, era do pescoço.
Juntei o indicador e o médio. Tentei sentir-lhe a pulsação.
Bia: ele está bem , calma, só está a sangrar e provavelmente deve ter batido com a cabeça em qualquer sítio. Amber, consegues levar HyoSung às costas? Não sou capaz de levar ambos, e visto que baro deve ser mais pesado...
Amber: Sim... acho que consigo.
Bia: Então vamos fazer assim, Key, levas Baro, Amber, levas HyoSung. Corram para o rio. Lavem a cabeça de Baro e o pescoço, mas não o encharquem. Passem apenas a cara por água para o refrescar. Prontos. Depois abriguem-se vou ajudar o JongHyun. Okay? Vemo-nos lá perto da floresta. Amber sabe onde vos levar.
Olhei para Key, passei-lhe a mão na cara. Beijei-o levemente nos lábios e corri para dentro do apartamento.
Key: Cuidado... Bia....

---- catarina ----
IU: e agora? Que drama! Não tenho brinquedos! QUERO O TAEMIN! Era tão bonito ...
Fiquei o dia inteiro a levar com esta brincadeira.
Catarina: IU vamos esclarecer uma coisa, não te quero ouvir mais a falar do meu namorado.
IU riu-se.
IU: Ah, cala-te mas é.
Catarina: Quem raio és tu para me mandar calar? Hu hu. Deves pensar que és superior. Se quiseres falar do meu namorado pelo menos não faças birras que já estou farta de te ouvir falar que queres o Taemin, a propósito... ele é meu.
IU: Ui... que proteção tem esse menino.
Catarina: hunf, não tens nada a ver com isso. Ele é meu e ponto final parágrafo. Não tens direito de mo roubar.
IU: Calma calma. Bem, agora vem a parte de eu te tornar má. Deixa-me explicar-te o que te vou fazer. Vou sentar o teu rabo naquela cadeira. Depois vamos fazer um wash a essa memória que está demasiado sobrecarregada. E vais viver à base de mentiras, assim ficarás do nosso lado, não te lembrarás quem é o Taemin e na guerra mata-lo. E depois...ele fica aqui comigo, dá um lindo tapete!
Voltar ao Topo Ir em baixo
kk-angel
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1742
Reputação : 0
Data de inscrição : 01/04/2012
Idade : 22
Localização : na minha casa c/ os meus husbandos/lovers/Brothers & Cousins ㅋㅋㅋㅋ

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Sab 27 Out - 15:57:06

Sonecasss, eu comento logo dpois do teste de Historia ;3; ( segunda) , oki?

ainda faltar ler uma beca ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://hysteriee.tumblr.com/
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Sab 27 Out - 16:26:50

oki my lovey na boa :D espero q gostes *-*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Dom 9 Dez - 17:33:28

Isha tanto coment -.- a sério? xP

bem quando eu n posto vcs matam-me mas quando posto nem s dao ao trabalho d ler -.- enfim, cá vão mais 2 caps :D

29º Capítulo – O início do fim

Baro: Hum...só uma pequena curiosidade, o que é esse arranhão que tens na cara....?
Sumin: ah isso... isso fui eu contra ela...kekeke ela tem um pior não te preocupes
Baro: mulheres... – desabafei para mim mesmo quando percebi que tinham andado as duas ‘’à caça’’

---- Taemin ---
Estava finalmente ao pé de catarina, tinha tudo corrido bem. Pelo menos acho eu. De repente IU entra na sala.
IU: Podes ir embora... que pena e eu a pensar que tinha mais um para a minha coleção... afinal... vais-te embora, não é justo taemin... nada mesmo.
Taemin: vou embora?
IU: Sim, o mago não te quer aqui... vais ficar sem a catarina~
Taemin: o quê?
IU: é isso que ouviste, e como sou muito ‘’boa pessoa’’ dou-te uma hora para te despedires dela. Ouviste? Uma hora, nem mais, nem menos um milésimo de segundo está a contar. Depois terás de deixar isto ouviste?
IU parecia triste. Saiu dali deixando-nos com todos os outros que ali estavam.
Homem: toma cuidado Taemin, o mago quer qualquer coisa com a catarina, caso contrário não te deixava ir...assim.
O homem tinha razão. Não me deixaria ir se fosse algo que não tivesse importância.
Catarina sorriu-me.
Catarina; Agora estás livre!
Taemin: E tu?
Catarina: Ora eu...vou arranjar maneira de também fugir! Não te preocupes!
Taemin: sabes que é impossível, vais estar sempre presente na minha mente...
Catarina aproximou-se, levantou a mão.
Catarina: ainda bem, então vou estar sempre contigo, aqui – tocou-me no peito.
Fechei os olhos e assenti.
Catarina: Ainda bem.
Taemin: Vamos aproveitar a hora que nos deram... tenho a certeza que tens muito que me dizer não?
Catarina: Olha, à parte de ter estado a fazer de vela não tenho grande coisa a dizer até porque... sabes vi a Bia a dançar com um urso! – riu-se – e depois...depois vim parar aqui...ainda dei uns belos de uns socos e pontapés nela~
Taemin: é assim mesmo, minha catarina~ - despenteei-lhe o cabelo com a mão.
Catarina: é não é? Kekeke sou fantástica!
Taemin: é que nem duvides disso!
Aproximei o nariz da cara dela, rocei-o.
Taemin: vou sentir a tua falta.
Catarina: somos dois.
Encostei os meus lábios aos dela. Não os queria soltar, mas...tudo o que é bom tem um fim, para além disso a hora tinha passado a correr.
Catarina; nunca uma hora tinha passado tão rápido...
Taemin: Podes querer
IU: bem, chegou ao fim o tempo.
Catarina; Já tinhamos reparado nisso...
IU: Calma, vim só abrir a porta vá, sai lá que eu tenho trabalho a fazer!
Demorou para que eu lhe conseguisse largar a mão, não queria ir. Queria ficar com ela. Claro que, ia ser difícil.
IU: Bem, adeus... espero ver-te em breve, davas um bom casaco sabias?
Taemin: Desculpa?
IU: Estava só a brincar, adeus.
Empurrou-me para fora daquela sala. Estranhamente começou um nevão. Sentia muito frio. Tentei, a custo sair dali. Claro que só consegui chegar ao início da floresta.
Adormeci no chão gelado. Já só me lembro de sentir bastante calor e acordar.
Taemin: onde estou? – perguntei confuso ao abrir os olhos.
Thunder; Estás ‘’em casa’’
Taemin: A catarina?
Thunder: Isso gostava...eu de saber meia leca!
Goo hara: Não comecem já, por favor, agora a sério! Estou regaladíssima com a Catarina, aquela IU vai pagá-las!! Sendo minha irmã ou não, não quero saber, vai pagá-las!
Taemin: Quanto tempo falta?
Goo hara sabia a que me referia, Thunder ficou meio abananado.
Goo hara: Cerca de... 4 dias, porquê?
Taemin: Só para saber, vamos confrontar-nos...
Goo hara: Odeio fazer isto, mas espero que Marte a proteja... esper bem que sim, não a quero magoar. Sei muito bem do que o mago é capaz...
Taemin: Como assim?
Goo hara suspirou.
Goo hara: Desconfio que o mago lhe vá ‘’apagar a memória’’ quero dizer, uma certa parte e virá-la contra ti – apontou para mim – mas à parte disso... vamos ter de lutar contra ela, seja como for... pesso desculpa Taemin.
Aquelas palavras pesavam de certa forma, pesavam na minha cabeça, era como se tivesse levado com uma pedra. Não, era pior, muito pior, parecia o fim do mundo. Algo parecido pelo menos. Tenho medo de a magoar. Tenho medo de errar. Como farei? Catarina, ajuda-me, perdoa-me... eu não quero isto assim para nós. Talvez... se desistisse.
Thunder deu-me um chapadão na cabeça.
Thunder a olhar para um canto da casa: Não sejas otário, a minha prima não queria que desistisses assim, pensei que como namorado dela a percebesses, neste momento ela deve estar a tentar resistir contra algo. Resistir por ti... e tu limitas-te a mostrar a tua fraqueza e desistir com um simples problema... unf otário.
Refleti um pouco com as palavras de Thunder.
Goo hara: ham ham... eu percebo a parte de não a quereres...magoar.... percebo perfeitamente. Se não o quiseres fazer, não és obrigado taemin, só para saberes. Não te fico a ver mal. Entendo a tua posição. Garanto-te que não serias o único. Mas... – há sempre um mas... – quero apenas contar-te... o que se passou enquanto estiveste fora. Sabes, a catarina estava muito preocupada contigo. Andava ‘’noite e dia’’ a pensar em ti. Nunca baixou a cabeça, andava sempre dum lado para o outro a pensar em alguma forma de te salvar. Sabes...quando eu lhe disse para ela não se iludir com o que possa ver ela respondeu ‘’ eu confio nele, sei que faria o mesmo por mim’’ foi algo do género. Desde então ficou determinada em salvar-te. E conseguiu-o.
Agora não tinha só de pensar nas palavras de Thunder, as de Goo hara invadiram igualmente a minha mente. Era algo que teria de pensar com o relativo cuidado. Não teria passado isto tudo para desistir agora... pois não?

-----DaeSung----
DaeSung: Bem me parecia...
Como pensava, Onew não tinha comparecido. Restavam cerca de quatro dias, Onew não estava ali, debaixo da árvore. Tinha desistido? Tinha-se esquecido? Não sei. Não faço a mínima. É um rapazito estranho.
Olhei à minha volta, só para confirmar que Onew não vinha, como tinha pensado, não compareceu. Despachei-me a sair dali. Fui ter com MinZy.
MinZy: Boa, agora vamos... esquerda?
Nena: Estou cansada. Quero descansar um bocadinho... por favor tia?
MinZy: Unf... tu e o teu cansaço...
Nena: Posso tirar mais umas fotos à floresta? Por favor tia!
MinZy suspirou.
MinZy: Vai lá...
Aproximei-me um pouco mais. Nena afastou-se.
MinZy: Não te afastes muito! Oh DaeSung, estás aí.
DaeSung: Tenho que falar contigo...
MinZy: Fala.
DaeSung: Menos um.
MinZy: Mataste-o?
Daesung: Não... ele é que parece que desistiu.
MinZy: Ah.... mas, e agora?
DaeSung: Agora, temos de pôr toda a nossa fé nela, visto que... nós não podemos fazer nada. Ela tem de lutar, contra a mãe, contra Gyuri e contra a irmã...
MinZy: Então...
DaeSung: Não posso fazer nada MinZy, não tenho culpa, o destino assim o quis.
Nena voltou a correr para nós.
Nena: Tia tia! Olha só! – parecia uma criança – olha só! É um animal lindo!
A cara dela tomou uma certa expressão fechada
Nena: O que foi tia? Pareces desiludida...
MinZy: Não foi nada, anda vamos acabar de te treinar para poderes descansar.
MinZy olhou-me, pôs uma das mãos nas costas de Nena e empurrou-a até dentro da casa de madeira.
Imagino que não deve ser fácil ser apunhalada mais do que uma vez pelas costas.
Abriu-se um clarão no céu.
DaeSung: BaWon, dá-lhe forças, ela bem vai precisar.
BaWon: Não te preocupes príncipe. Ela terá força suficiente para isso.

----Bia---
Key: Começava a ficar completamente maluco! Vocês não voltavam!
Bia: Desculpa... tivemos uns pequenos imprevistos.
HyoSung: Hum...tenho que voz dizer uma coisa... sobre a guerra.
Ambos a olhámos.
HyoSung: Só lá vão estar vocês os dois. O destino de tudo depende do vosso empenho.
Key: Não vens? Nem o Tao?
HyoSung: O máximo que poderiamos fazer era...assumir os vossos corpos.
Bia: Então... vai ser dois contra um?
HyoSung: Não propriamete, para vocês sim...agora depende de cada um... o MinHo por exemplo vai ‘’lutar’’ contra 2, o desfavorado é ele.
Mestre: Meninos, quero dar-vos isto, por favor, guardem-no.
HyoSung: O MESTRE NÃO PODE FAZER ISSO!!!
Mestre: HyoSung, tenho que o fazer.
HyoSung: Mas mestre!
Mestre: HyoSung, o trono está assegurado a BaWon, ou até mesmo a Baro, não te preocupes.
HyoSung: O mestre não o pode fazer! Mestre suplico-lhe, eu vou em seu lugar, não faça isso, por favor, o mestre sempre me ajudou, deixe-me retribuir-lhe.
Começava a não perceber nada daquilo.
Mestre: HyoSung, não. Eu já vivi tudo. Este combate agora é a nível pessoal. JinHyuk passou dos limites. Não pode continuar assim.
HyoSung: Mas mestre! O mago pode matá-lo.
Mestre: Não interessa, um bom mestre protege o seu povo com a sua própria vida se preciso. JinHyuk terá de perceber que está errado de uma forma ou de outra. Os espíritos dos antepassados começam a ficar irrequietos. Estão todos a fazer-me cócegas por todo o corpo. É hora de ajir HyoSung, pesso-te toma conta da HyunRi.
HyoSung baixou a cabeça. Começou a chorar.
HyoSung: Assim seja meu mestre.
Mestre: HyoSung, assim que Tao voltar... espero que tudo corra bem. Mereces ser feliz HyoSun depois de tudo. – aproximou-se dela e beijou-lhe a testa – o teu avô abençoa-te.
HyoSung agarrou o animal, preto que o Mestre trazia com ele. Era muito pequeno. Era lindo. Parecia um gatinho.
Mestre: A pantera HyunRi é tua a partir de hoje. Como simbolo da minha gratidão por tudo o que fizeste por mim. Obrigado. Bem devo ir-me. Ainda vou a tempo de evitar esta guerra toda. Beatrice – olhei-o – KiBum – Key levantou também o olhar – boa sorte meus jovens. Estarei convosco – sorriu e desapareceu.

----JongHyun----
Baro tinha admitido a derrota, estávamos finalmente de regresso ‘’a casa’’. Subi pelas escadas, o elevador era demasiado estranho.
Baro abriu-nos a porta mal chegámos.
Key: Boas.
JongHyun: boas.
Bia: hum, olá.
JongHyun: O que se passa com HyoSung?
Key: Não sei explicar...
Bia: O mestre
Baro: NÃO!
HyoSung levantou-se com um gatinho ao colo e foi agarrar-se ao Baro.
HyoSung: desculpe príncipe, eu tentei travá-lo mas ele... ele – começou a chorar ainda mais.
Baro: Esquece isso HyoSung, a culpa não foi tua – abraçou-a e levantou uma mão para lhe fazer festas na cabeça.
HyoSung chorava cada vez mais. Não percebia o porquê do choro. Devia ter algo a ver com Baro. Ou coisa do género.
Baro pegou no gatinho.
Baro : HyunRi, obrigado por teres protegido o meu pai.

----Sumin----
Acabei por encontrar Amber, estava perto de um rio.
Amber: Anda, vamos voltar para casa.
Sumin: Acabei de ver Baro. Ia para casa também.
Amber: Boa, vamos lá.
Amber começou a correr para Sul. Fiquei algo confusa. Não era para Este?
Sumin: Hey...Amber... não vamos para Este?
Amber: Sim tens razão... Este, desculpa estava um pouco desorientada.
Ri-me.
Sumin: Anda, eu indico-te o caminho então.
Comecei a sentir uma coisa estranha, nunca tinha sentido isto antes.
Sumin: Hey Amber, não sentes uma... presença estranha?
Amber: Quem eu? Não, de maneira nenhuma, deves estar a imaginar...!
Sumin: Se tu o dizes...
Comecei a correr, queria sair dali. Não me sentia bem, era como se estivesse a ser obcervada.
Virei-me para trás. Estava a sentir algo a puxar-me a roupa. Reparei que tinha a t-shit um bocado rascada, Amber tinha a parte que faltava da minha T-shir t na mão.
Sumin: O que raio... estás a fazer?
Amber escondeu as mãos atrás das costas: Quem eu? Nada... – começou a assobiar.
Sumin: Sim...vamos fingir que não é...nada. vamos fingir.
A Amber estava estranha...muito estranha para dizer a verdade.
Havia um silêncio interminável, tínhamos finalmente chegado a ‘’casa’’. Estava tudo muito calmo.
Amber saltou e foi parar a uma das janelas, quis ser civilizada e entrar pela porta.
Mal cheguei deparei-me com a triste cena de choradeira de HyoSung.
Sumin: O que se passou?
Baro: O meu pai...
Sumin: Peço desculpa...
HyoSung; E tudo por minha culpa! Tudo isto por minha culpa! Porquê?
Amber abriu a janela e entrou.
Amber: Por tua culpa?
Baro: Cuidado!
Amber: Com o quê?
Baro: Eu reconheço esse cheiro de qualquer lugar, Jessica.
Amber: Baro, não sejas tonto!
Key agarrou numa faca.
Atirou-a contra Amber.
Amber: Ei! O que raio estás a tentar fazer?
Baro: AH HA! EU SABIA! Olha bem a tua sombra!
Jessica: Unf, esqueci-me que és filho do Mestre... enfim.
Bia pegou em HyoSung e levou-a para o quarto.
Baro: Porque raio não esperas mais quatro dias? Daqui a quatro dias defrontas todos eles.
Jessica: Tem mais piada se eu te raptar para ficares do meu lado, outra vez.
Saiu um fumo castanho do corpo de Amber. O corpo caiu no chão.
Baro: Sumin, levanta Amber e leva-a daqui! Rápido não há tempo!
JongHyun: vá rápido!
Key: anda eu ajudo.
Key e eu pegámos no corpo de Amber que estava ao pé do fumo castanho.
Amber estava a acordar.
Key puxou-a e ambos a levámos também para o quarto deixando JongHyun e Baro para trás.
HyoSung: Amber? Amber unnie?
Amber acordou completamente, estava tonta.
Amber: HyoSung? Huh? Onde... o rio...? JESSICA!
Key: Xiu! Ela está ali na sala, está com o Baro e com o JongHyun... estão os três a...
Pus a cabeça fora do quarto, conseguia ver Baro de pé. Mas não via JongHyun. Via uma mulher loira. E ao lado de Baro havia um carneiro.
Sumin: Está ali um carneiro na sala!
Amber: Sim é o JongHyun.
Olhei para ela.
Sumin: Eu sei que não te dás com ele... mas também não é preciso ofendê-lo indiretamente....
Bia: Não, a Amber está a tentar dizer que esse carneiro é o Jong... sabes o Key é um escorpião... e os outros não sei.
Sumin: O Onew deve ser uma galinha~ kekeke
Bia: O Jong bem podia ser um dino~
Começámos a rir-nos.

----Nena----
Nena: Olha só! São tão bonitos~
MinZy: Hum... Nena, está na hora de saberes... o que vais enfrentar.
Olhei-a. Não estava lá com muito boa cara.
MinZy: Bem... digamos que...vais ter de enfrantar isto tudo sozinha.
Nena: hum?
MinZy: bem... hum... eu e o DaeSung não podemos intrevir na guerra... tu vais ter de lutar só.
Nena: Ah... só isso?
MinZy; Como assim só?
Nena: Estou habituada a tar sozinha, já nem me importo. A vida é assim tia, devias sabê-lo.
MinZy: Não estás chateada?
Nena: Para quê chatear-me? Não ia acontecer de qualquer das maneiras? A luta também é minha, sou eu que tenho que recuperar a minha mãe e a minha irmã... não tu tia...
MinZy: Então...tu sabias que a tua mãe...
Nena: Sim... o meu pai contou-me a semana passada ou coisa assim.
MinZy: Mas eu pensei que...
Nena; Não digas isto a ninguém, mas prontos vou dizer-te, eu sei que ela errou, sei que não me devia ter feito o que fez, nem a mim nem à Kim... mas a cima de tudo... tia... ela é minha mãe, posso discutir muito com ela... mas amo-a a cima de tudo.
MinZy: E eu que pensava que eras uma pedra...
Nena: O que significa mesmo pedr-
A casa começou a abanar
MinZy: Oh não... não é bom sinal... uh oh!
Nena: O que raio está a acontecer?
MinZy: Gyuri está por perto! Tens de fugir.
Nena: Não, eu tenho umas continhas a acertar com ela!
MinZy: Mas... tu...
Nena: Tia, eu sei o que estou a fazer. Fica aqui com o tio. Já agora, diz que gosto muito dele e pede-lhe desculpa pelos cabelos que lhe arranquei...
MinZy: Estás a falar como...se não fosses voltar.
Nena: Eu volto, mas gostava que ele soubesse disso agora, e visto que não tenho tempo, ficas tu com essa responsabilidade, pode ser? Adeus tia~ sranghaeyo~
Corri para fora da casa. Havia um rio ali perto, a água tremia. Cada vez que corria cerca de dez metros sentia melhor o chão a tremer.
Nena: Estou muito perto...
Num dos tremores acabei por cair.
Gyuri: Estúpida, porque demoraste tanto? Ham? Ham?
Nena: Estúpida és tu sua coisa feia.
Gyuri: O quê? Eu sou linda! LINDA OUVISTE?
Nena: Ai és? Deixa só ir buscar uns óculos... ou será que o teu espelho se partiu?
Gyuri: Sua... eu vou matar-te.
Nena: Tu blá blá blá muito mas não vejo ação nenhuma...estou à espera velhinha~
Gyuri: TU...! Sua peste deixa só por-te as mãos em cima!
Aproximou-se uma figura humana.
Nena: Ah... não és tão feia quanto pensava, mas também não és grande beleza portanto...
Pôs uma das mãos no bolso dos seus calções. Começou a sair de lá um pau comprido feito de ... ferro?
Quando já estava completamente de fora o objeto vi que era uma foice. Ela baixou-se um pouco e preparou-se para atacar.
Comecei a olhar para ela.
Nena: Olha lá... isso não é...injusto?
Gyuri: Xiu, anda vá, tens duas opções ou morres aqui ou vens comigo!
Suspirei.
Nena: Tenho mesmo que escolher?
Gyuri: Já!
Nena: Tá bem então – tirei o meu telemóvel do bolso. Pus uma música que MinZy me tinha mostrado, segundo o que me tinha dito foi o tio Baro que a tinha escrito com a sua banda. Cantaram num festival qualquer – vamos.
Gyuri riu-se à gargalhada : vais... lutar comigo a dançar é? Hahahahah
Nena: Se quiseres. Não me importo nada, derrotava-te com uma perna às costas.

-----onew----
Ouvia alguns sons vindos de uma clareira. Ouvia também uma música.
Parecia um confronto. Cheirava a sangue. Fui-me aproximando um pouco. Fiquei entre os abrustos dava para ver perfeitamente. Eram duas raparigas, uma baixinha, dava-me a impressão de ser Nena. Era magrinha e tinha o cabelo ainda meio branco nas pontas. A outra não conhecia. Tinha uma foice. A que eu não conhecia, passou a foice mesmo perto da cara de Nena.
Nena: hum? A luz apagou-se... que raio...? Hello?
Gyuri: é agora, finalmente deixas de me irritar.
A rapariga voltou-se tinha ali uma bolsa. Deitava armas e mais armas cá para fora.
Seria aqui que eu deveria agir? Deveria deixá-la ali? Seria ela quem eu deveria salvar? Não ia ficar para ver. Levantei-me lentamente e pus as mãos nos bolsos. Ia a andar no sentido contrário.
BaWon: ‘’vais deixá-la assim...?’’
Onew: Quem és tu?
BaWon: ‘’vais deixá-la assim?’’
Onew: Não tenho nada a ver com ela.
BaWon: ‘’Então suponho que possas ficar para ver a rapariga decapitá-la.’’
Onew: Não...
BaWOn: ‘’Dá-me uma boa razão para não a salvares.’’
Onew: Dá-me tu uma boa razão para eu a salvar!
BaWon: ‘’Estás perdido, estás a agir da forma errada, estás a agir sem pensar’’
Onew: Jura.
BaWon: ‘’ O teu futuro vai tomar outro rumo... se continuares a ser indiferente a quem te quer bem’’
Onew: Eu nem a conheço.
BaWon: ‘’Nem eu conheço montes de gente que salvo, e daí?’’
Onew: Tu não és eu!
BaWon: ‘’Graças a Deus! Não queria ser testemunha de uma morte, ficaria eternamente com esse peso na consciência... ela salvou-te porque não lhe retribuis?’’
Onew: Salvou-me de quê?
BaWon: ‘’ Da solidão’’
Onew: Qual solidão?
Desapareceu.
Onew: Ei! Espera um pouco! Volta aqui!! RAIOS!
Poque haveria eu de a ajudar quando só a conhecia à mais ou menos dois meses...?
''É disso que tu te queres convenser não é? Sabes bem que a realidade não é essa, sabes bem que estás desesperado, que procuras o teu lugar e ainda não o encontraste.''
''E são nesses momentos que os amigos te dão a mão e te levantam depois da tempestade ter destruido tudo e do céu ter caído sobre terra, depois do mundo se ter destruído. Depois de não restar nada, são eles que te puxam para o que está certo. É isso não é?''
Aquelas frases ecoavam na minha mente. Como era possível tanta indecisão?

----- Kim ----
Tinha um mau pressentimento quanto ao rapaz que tinha falado comigo pela mente. A sério que tinha. Era algo...instintivo.
Yoona: hum... queria tanto poder estar com ele... unf... mas acho que, isto nunca se vai poder concretizar... sou tão parva! Como é possível estar apaixonada pelo meu inimgo? Que raiva HUMANOS IDIOTAS!
Yoona descarregava a sua raiva no ‘’nosso mundo’’.
Via a terra a abrir-se, fogo a surgir nas florestas. Imagino o quão mau deve ser estar lá...
Yoona: Não quero mais esta vida para mim... NÃO QUERO... Kim, vou libertar-te
Kim: huh?
Yoona: Desculpa Kim... a sério...desculpa ter-te capturado, taparam-me os olhos... eu não tenho culpa, quero dizer, tenho mas... desculpa a sério...
Kim: oh... ah...hum.... uh...
Yoona: Compreendo que... não queiras perdoar-me compreendo a sério, só quero começar tudo de novo.
Surgiu uma corda que prendeu Yoona, elevou-a.
Yoona: FOGE RÁPIDO KIM ENQUANTO TENS TEMPO FOGE!
Comecei a correr para fora do quarto. Cheguei a um corredor, segundo o qual apenas os ‘’demónios’’ saberiam andar. Vi uma janela. Saltei pela janela. Aterrei em terra firme.
Comecei a correr com a pouca energia que me restava. Mal pus o pé fora das redondezas do castelo comecei a pensar que fui uma cobarde, devia ter ajudado Yoona, ela ajudou-me também...apensar de ter sido estúpida ao ponto de me ‘’raptar’’ mas mesmo assim... acredito que ela tenha mudado. Vou ajudá-la.
Sentei-me um pouco no chão a olhar para a lua. Fiquei a pensar.
Mais ou menos uma hora depois decidi que deveria encontrar CL... de certo modo isso iria ajudar-me. E conseguiria também ajudar Yoona, ou talvez tivesse de o fazer por mim própria.
Dei mais um passo, mudou completamente a minha vista, era tudo diferente, era de manhã.
CL: Força MinHo!
MinHo? Choi MinHo? Será?
Comecei a aproximar-me da voz.
MinHo passou mesmo ao meu lado, sem querer desiquilibrei-me. Ele segurou-me.
MinHo: Quem és?
CL: KIM? OMO KIM!!
MinHo: Era ela que... eu deveria salvar?
CL: Sim, mas cuidado, Yoona pode ainda estar dentro dela.
MinHo pegou numa lança e apontou-ma ao peito.
Kim: Sou a Kim...
CL: Isso todos o dizem, prova-o.
Kim: A Yoona foi capturada pelo mago, ela vai ser executada se eu não a ajudar, ela libertou-me. Por amor de Deus, eu não estou a gozar, acreditem em mim!
MinHo: ia mesmo acreditar nisso! – estava prestes a cravar-me a lança no peito.
Kim: Macaco idiota!
MinHo: Espera... és mesmo tu...
CL riu-se: Que forma de a disinguires...
MinHo recolheu a lança.
Deu-me a mão.
MinHo: Vamos, levanta-te.
Kim: Hum... eu... queria salvar a Yoona...ajudam-me?
CL: O quê??
MinHo: O quê?
Kim: Bem... ela... ela não é má pessoa, foi obrigada a fazer parte do bando de avestruzes.
CL: Pões isso em termos que...
Kim: Juro pela minha saúde, ela não é má pessoa... ela... estava confusa, ela pediu-me ajuda e libertou-me e depois foi atacada, quantas mais provas vão precisar para que percebam que ela é boa pessoa?
MinHo: Pode ter sido tudo planeado! Acorda para a vida, estamos no século XXI
CL: Por acaso aqui estamos no século XXIII
MinHo: Whatever... pensa um bocado Kim, achas mesmo que o homem a ia descartar assim?
Kim: Penso! Tu não viste aquele homem... ele... já agora como raio sabes o meu nome?
CL bateu com a mão na cabeça.
MinHo: Ela falou-me de ti...
Kim: Ah... okay
CL: MENINOS!
Kim: Pois… desculpa.. mas tu não viste como ele trata todas elas... parecem cães... mete pena... a sério que mete.
MinHo: Se tiveres pena de tudo... então
Kim: então nada! Eu vou ajudá-la se não quiserem ajudar não ajudem! Eu peço ajuda à Nena!
CL: Não faças isso! A tua irmã certamente está com muito trabalho agora...
Kim: E eu com isso! Vou mesmo ter com ela buh bye~
Comecei a andar.
MinHo: E sabes onde ela está?
Parei.
Kim: Hum... isso... uh...
Nena: KIM?
Kim: por acaso até sei! Mwahaha!
CL: Bem que pontaria...!
Nena começou a correr para ao pé de mim
Nena: Kim! Kim kim! Tu estás bem Kim! Omo Kim!
Kim: Sim... sou eu... sou eu!
Nena: Fogo, estava muito preocupada... contigo.
MinHo: e então para que raio sou eu preciso no meio de isto tudo...?
CL: Pois... ainda precisamos do DongHae... ou pelo menos para derrotar o Mago és preciso.

---Bia---
Ora bem... não era muito normal uma situação destas... o JongHyun e o Baro a conviverem? Era muito estranho. Metia medo.
Baro: Não, ainda não isso é para o fim ó bode.
Parece que o JongHyun não falava.
Baro: Sim desculpa, esqueci-me que eras um carneiro e não um bode.
JongHyun parecia revoltado.
Jessica: Podemos parar com os joguinhos parvos e lutar a sério?
Baro: Como queiras, tenho pena de fazer isto a uma senhora do teu estatuto mas prontos... tu pediste e para além disso, puseste demasiadas vidas em jogo.
O fumo tinha tomado forma humana, estava uma rapariga loira mesmo em frente deles. Ela parecia mais ou menos nova, JongHyun fê-la recuar até ao pé de uma janela, Baro deu-lhe com o pé no estômago, o vidro partiu-se, ela agarrou o pé dele. E ambos cairam pelo segundo andar a baixo.
Amber: BARO!
Amber levantou-se, e correi para perto da janela.
Nesse mesmo momento uma figura humana saltou para trás dela.
Era Jessica de novo.
Jessica: Agora vim-te buscar a ti.
Virou-se de costas, agarrou os braços de Amber, e deixou-se cair de cabeça.
JongHyun estava paralizado, assim como todos nós. HyoSung tinha adormecido, e nós os três que sobravamos estávamos a assistir dentro do quarto. Com algum medo.
JongHyun, melhor o carneiro recuou até ao quarto, virou-se de costas para a porta. Jessica voltou a surgir.
Jessica: Agora faltam vocês os dois! Ou será que deveria levar também o resto? Ah... não vou só levar-vos os dois.
JongHyun tomou a forma humana.
JongHyun: Wow... consegui voltar a transformar-me... primeiro tens de passar por mim para tocar em quem quer que seja que esteja dentro do quarto – discretamente, com a mão esquerda atrás das costas fazia-nos sinais para fugir-mos pela janela.
O grande problema disto tudo é que a janela era situada num segundo andar, era já mais alto do que propriamente seguro.
Mesmo assim tentei manter a calma, procurei manter a calma coletiva.
Bia: Tive uma ideia! Eu vou saltar lá para baixo. Depois faço uma caminha de folhas, vocês saltam todos, um de cada vez, pode ser?
Sumin: E HyoSung?
Bia: Eu apanho-a, não te preocupes.
Bia: Então vou okay?
Saltei pela janela.
Doeu-me um pouco, visto que não tinha nada que me amparasse a queda.
Comecei a apanhar folhas, mas logo me dei de conta que não iria conseguir fazê-lo rapidamente, teria de haver outra forma qualquer de os fazer cair sem os magoar.
Bia: Manda a HyoSung!
Sumin aproximou-se da janela. Key ajudo-a. Sumin agarrou nas pernas dela e Key nos braços. Puseram o corpo dela no muro da varanda. Lentamente, Sumin libertou as pernas e HyoSung ficou suspensa pelos braços que estavam a ser agarrados por Key.
Key: Bia, despacha-te, não aguento por muito mais.
Bia: Larga-a.
Sabia que se ela caísse de maneira errada acabaria por fraturar um osso ou...algo parecido.
As mãos de Key largaram os braços de HyoSung, vi o corpo dela a cair. Girou duas vezes, com os meus cálculos mentais, consegui saber exatamente onde ela iria cair. Pus-me por baixo, com a esperança de conseguir apanhá-la. Por sorte correu tudo bem. Apanhei o corpo de HyoSung. Sentei-a ao pé de uma árvore.
Bia: Vamos Sumin, agora vem tu! Rápido.
Sumin: para onde raio salto?
Bia: Anda, salta, não tenhas medo eu agarro-te.
Sumin: Ai não...
Bia: Não confias em mim? Anda lá pá! Rápido o JongHyun não vai resistir eternamente vá!
Ouviu-se o som de algo a partir. Sumin olhou para dentro, fechou os olhos e saltou também
Sumin: Seja o que Deus quiser!
Bia: apanhei-te.
Sumin: Ufa...
Bia: Importas-te...de sair? És pesada... sorry
Sumin: Ai desculpa.
Bia: Vamos Key, vá agora tu.
Key tinha vertigens.
Key: Bia...
Bia: Por mim Key vá anda, eu apanho-te.
Key: mas Bia...
Bia: KEY! Imediatamente!
Key estava cheio de medo.
Via o corpo dele tremer. Fechou os olhos e começou a gritar ao mesmo tempo que se mandava.
Bia: Vês? Custou?
Key abriu os olhos.
Key: Ai bia! – abraçou-me – credo que medo.
Bia: Sim... – pousei-o – nunca pensei pegar-te ao colo~
Pus HyoSung às costas. Um pouco mais à frente estavam Baro e Amber. Baro tinha sangue na cabeça. Amber estava a tentar acordá-lo.
Amber: Baro, baro, baro? Baro? Baro? Fala comigo! Baro? BARO?
Pousei HyoSung.
Bia: Afasta-te.
Amber afastou-se com lágrimas nos olhos.
Sentei Baro. Tentei ver de onde vinha o sangue, era do pescoço.
Juntei o indicador e o médio. Tentei sentir-lhe a pulsação.
Bia: ele está bem , calma, só está a sangrar e provavelmente deve ter batido com a cabeça em qualquer sítio. Amber, consegues levar HyoSung às costas? Não sou capaz de levar ambos, e visto que baro deve ser mais pesado...
Amber: Sim... acho que consigo.
Bia: Então vamos fazer assim, Key, levas Baro, Amber, levas HyoSung. Corram para o rio. Lavem a cabeça de Baro e o pescoço, mas não o encharquem. Passem apenas a cara por água para o refrescar. Prontos. Depois abriguem-se vou ajudar o JongHyun. Okay? Vemo-nos lá perto da floresta. Amber sabe onde vos levar.
Olhei para Key, passei-lhe a mão na cara. Beijei-o levemente nos lábios e corri para dentro do apartamento.
Key: Cuidado... Bia....

---- catarina ----
IU: e agora? Que drama! Não tenho brinquedos! QUERO O TAEMIN! Era tão bonito ...
Fiquei o dia inteiro a levar com esta brincadeira.
Catarina: IU vamos esclarecer uma coisa, não te quero ouvir mais a falar do meu namorado.
IU riu-se.
IU: Ah, cala-te mas é.
Catarina: Quem raio és tu para me mandar calar? Hu hu. Deves pensar que és superior. Se quiseres falar do meu namorado pelo menos não faças birras que já estou farta de te ouvir falar que queres o Taemin, a propósito... ele é meu.
IU: Ui... que proteção tem esse menino.
Catarina: hunf, não tens nada a ver com isso. Ele é meu e ponto final parágrafo. Não tens direito de mo roubar.
IU: Calma calma. Bem, agora vem a parte de eu te tornar má. Deixa-me explicar-te o que te vou fazer. Vou sentar o teu rabo naquela cadeira. Depois vamos fazer um wash a essa memória que está demasiado sobrecarregada. E vais viver à base de mentiras, assim ficarás do nosso lado, não te lembrarás quem é o Taemin e na guerra mata-lo. E depois...ele fica aqui comigo, dá um lindo tapete!





30 º CAPÍTULO – A CHUVA DE AMANHÃ
O quê?
Catarina: NUNCA!
IU: Nem vale a pena negar. A sério, está tudo pronto. Só tens de sentar ali o rabo. Nem te vais lembrar que te fiz mal, ou que beijei o teu namorado~ apenas vais ter em mente que és minha amiga e que o queres matar, não é nada muito doloroso!
Recuso-me, impossível. Não o farei.
IU: visto que sei que te vais recusar. Por isso – estalou os dedos – vamos lá rapazes.
Dois robôs pegaram em mim. Agarraram-me com força.
Robô 1: Menina, ir sentar.
Comecei a espernear quando me tentaram sentar.
Robô 2: Mestre, poder bater?
IU: Se ela oferecer resistência sim, mas nada muito violento, o mago quer que ela esteja intacta.
Robô 1: Boa noite menina.
Senti um soco na parte de trás do pescoço. Adormeci.
Lembro-me de voltar a acordar. Estava sentada.
IU: Já te disse que não devia ter sido com tanta força! Só posso começar com a operação quando ela acordar!
Tentei fingir que estava a dormir.
IU: OH catarina! Acordaste!!!
Bolas!
IU: bem vamos começar!
Senti tipo mãos eletrónicas a prenderem-me a cabeça. Estavam frias.
Apareciam imagens no monitor.
IU: Oh que fofo – disse ironicamente – vocês conhecem-se quanto eram pequeninos ohhh que fofinhos. Pena ter de vos separar agora~ espera, o que é isto? Oh, o dia em que te apaixonaste por ele? Oh meu deus! Que fofos! Andavas no secundário! Olha, o dia em que ele se declarou. Ainda eram tão pequenos. Ahhahahha olha, o dia em que começaram a namorar!
Catarina: PARA PARA PARA PARA! CHEGA CHEGA NÃO VEJAS ISSO!
IU a rir: Prontos prontos, vou passar diretamente à parte em que tu vais sofrer.
Pareceu que algo me penetrou a cabeça. IU não estava a brincar, podia isto ser apenas sofrimento mental? Poderia só estar a imaginar? Não, estava bem acordada. Sabia que estava a gritar. Doía. Muito mesmo. De um momento para o outro parou.
IU: Catarina?
Catarina: Uh? Quem és tu?
Estava assustada não sabia onde estava.
IU; Oh catarina, ainda bem que estás bem... o taemin... ele...
Catarina: Quem é o tae...min?
IU: AI ANDA BEM QUE NÃO TE LEMBRAS! ELE ACABOU COMIGO...
Catarina: E o que é que eu tenho a ver com isso?
IU: O quê? Não te lembras de mim? – começou a chorar – não acredito catarina!
Catarina: não... não me lembro.
IU: Como te pudeste esquecer da tua...melhor amiga?
De alguma forma a implantação das palavras ‘’melhor amiga’’ não me soou muito bem.
Catarina: Não me estás a tentar enganar...como fazem nos filmes?
IU: Eu? Catarina? Perdeste a consciência?
Catarina: Eu não sei quem és... porque estou nesta cadeira?
IU: Catarina, estiveste no hospital, eu fui-te buscar.
À minha volta via um quarto muito bem arrumado, haviam duas camas. Uma tinha IU escrito no topo. A outra era branca, não dizia nada.
IU: Vieste passar o fim de semana comigo...
Catarina: ah... okay...
Algo explodiu.
IU olhou furiosa para um ursinho de peluche com um coração que estava num dos cantos do quarto.
IU: Agora não... fogo! Estava quase...
A parede do quarto rebentou.
Thunder: Catarina!
Catarina: Primo?
Taemin: catarina!
Catarina: huh?
IU: Catarina! Foi ele...FOI ELE!
Taemin: Eu? O que é que eu fiz?
IU: Catarina...
Catarina: PARA PARA COM ISSO ESTAS A ALEIJAR-ME! PARA JÁ!
IU: não sou eu catarina! É ele!
Corri para perto do rapaz que estava perto do meu primo. Guardava uma faca na manga da camisola, tirei-a.
Goo hara: Cuidado TAEMIN AFASTA-TE!
Uma rapariga pôs-se à minha frente. Tentei desviar-me dela, mas ela continuava à minha frente, resultou em desastre. A faca acertou-lhe em cheio no peito.
Thunder; GOO HARA!
Thunder olhou aterrorizado para mim. Não conseguia controlar o meu corpo.
Thunder: Catarina... o que...fizeste? Goo hara??
Olhei para as minhas mãos e de seguida para Thunder
Catarina: eu... thunder...eu desculpa...eu
O outro rapazinho olhou-me e depois olhou para IU.
Taemin: Ela não tem culpa
Thunder: Pára de a defender! Não quero saber que sejas namorado dela ou não olha bem o que ela fez!
Taemin: Eu estou a falar a verdade, IU é que tem culpa! IU controla as pessoas. Com os dedos. Percebes?
Thunder: Cresce e aparece taemin!
Taemin: Estou a falar a verdade! Porra olha só!!
Estava posicionada atrás do rapaz que acompanhava o meu primo.
Taemin: Ca-ca-catarin-na? O que estás a fazer?
Thunder: o que raio…?
Taemin: Olha para IU thunder!
IU mexia os dedos.
IU: AH são tão vulneráveis! Eu posso matar-te agora príncipe encantado~
Taemin: cata-rina… não… por favor, calma calma.
IU: O qu foi? Essa faca apontada ao teu pescoço não te faz sentir bem? Oh, não? Oh que pena! A sério que não te faz sentir bem? Não faz mal! Daqui a pouco não vais sentir nada! Olha só que alegria, morres e a tua namorada vai contigo! – IU mexia o indicador, o que me fazia aproximar cada vez mais a faca do pescoço do rapaz.
Taemin: Catarina, peço-te, pelo amor de Deus… estás a ouvir-me? Não te lembras de mim?
Thunder tapou-me os olhos.
Thunder: Vamos rápido Taemin, vá põe-na a dormir… não temos tempo e não é com falinhas mansas que lá chegamos!
Senti algo na barriga, pareciam cócegas, já não tinha o rapaz à minha frente, por alguma razão tinha conseguido soltar-se.
IU: Ah, assim não!
O meu corpo voou.
IU: Não vai ser assim tão fácil! Ela fica aqui, Thunder, salvas… a tua prima – tirou-me a faca da mão e pôs a mão no meu pescoço – ou a tua namorada? Como vai ser? Ham ham? Gostava de saber~ Thunder, estou à espera.
Thunder olhava confuso. Estava em pânico, notava-se pelo seu olhar.
IU: Não é nada pessoal, sabes tenho que aterrorizar as pessoas de vez em quando e as pessoas são muito indecisas, quero que escolhas. Quem salvas?
Abriu a outra mão. Goo hara foi puxada pelos cabelos e rebocada até ao pé de mim.
Goo hara gritava, devia sentir muita dor.
Thunder: GOO HARA!
IU: Então? Qual vai ser a escolha…?
Thunder baixou a cabeça.
Thunder: Desculpa… eu não queria fazer isto… mas…visto que sou obrigado a fazer tal escolha…
Estava quase certa que iria escolher Goo Hara, afinal até o percebia. Não… me iria salvar depois de tudo o que lhe fiz… acho eu.
IU começou a rir.
Thunder: Eu escolho…
O rapazito prendeu Thunder, puxou-o para trás.
Thunder: Não sejas egoísta Taemin, Goo Hara…
IU começou a baixar a mão direita onde tinha Goo Hara.
Thunder alcançou Goo Hara.
Thunder: Desculpa amor, eu… prometo que te venho buscar.
IU: O QUÊ?
IU puxou bruscamente Goo Hara.
IU: NUNCA! NUNCA NUNCA!
Thunder: Fiz a minha escolha – olhou-a com cara muito séria – tens de me devolver a catarina, imediatamente. A minha escolha foi feita.
IU: Não! Não é possível! Não ta posso devolver não! Não!

----- Minzy -----
Tinha ficado o resto do dia sem saber o que lhe dizer, tinha ficado a remoer.
MinZy: Ai DaeSung, DaeSung e agora? E agora? Como vou explicar à minha irmã que deixei a filha dela ir assim? COMO?
DaeSung passava-me a mão na cabeça.
DaeSung: Calma, calma, não vai acontecer nada de mal! Ela vai safar-se, não desistas MinZy. A sério. Tenho a certeza que ela vai conseguir. Vamos manter a esperança que ela vai conseguir…
MinZy: E se ela não conseguir…?
De repente houve um clarão.
DaeSung: O que é isto? – levantou-se de relance.
MinZy: O TIGRE! O que foste fazer Nena?
DaeSung: Tigre? Não pode… diz-me que estás a brincar!
Eu e DaeSung corremos o mais rapidamente possível para perto do clarão. Quando lá chegámos já só vimos um tigre branco a vaguear por ali. O corpo de Nena flutuava.
MinZy: Não… não… NÃO!
DaeSung tapou-me a boca.
DaeSung: XIU! Olha! – apontou para o outro lado da floresta, estava lá uma cabeça escondida. – ele vai ajudar!
MinZy: não… isto não pode ter acontecido…
DaeSung: Daqui a nada dou-te um carolo. Não lhe aconteceu nada!
MinZy: Então explica-me o que raio faz o tigre cá fora!
DaeSung: Está… a lutar? Talvez…
Engoli a seco.
O braço de DaeSung começou a brilhar.
Riu-se.
DaeSung: Claro… já calculava.
Escreveu no seu braço ‘’força, vai eu cubro-te, está bem pensado’’
MinZy: o que raio estás a fazer?
DaeSung: O Onew é quem está do outro lado. É mais perspicaz do que eu pensava, e eu a pensar que ele tinha desistido… muito bem.
MinZy: o quê?
DaeSung; Espera, vê e aprende.
O braço de DaeSung voltou a brilhar.
DaeSung: Já volto. Fica aqui.
DaeSung saiu dos arbustos. Foi direto a Gyuri.
Gyuri: Quem raio…? DAESUNG?
DaeSung: Eu mesmo, acho que ficamos com umas continhas por acertar da última vez, não foi? – começou a empurra-la para fora da clareira.
Do outro lado algo saltou. Parecia uma pedra. O tigre veio investigar o que era. Era apenas uma pedra. De alguma forma, Onew tinha trepado até ao cimo da árvore. Saltou. Agarrou no corpo de Nena e esmagou o tigre. O clarão dissipou-se, já não existia tigre.
Nena: uh? – pôs a mão na cabeça – onde… raio?
Aproximei-me.
Nena: O meu telemóvel! Cabrita frita vais pagá-las! E as minhas fotos?
Abracei-a.
MinZy: Nena, Nena! Estás bem! Oh meu deus, não me pregues sustos destes! Sua parva.
Nena: Tia?
MinZy: Oh Nena.
Onew levantou-se e afastou-se.
MinZy: Onde vais?
Onew: Andar. Vemo-nos por aí.
MinZy: Não a vais…ajudar?
Onew: Já a ajudei.
MinZy: E a guerra?
Onew: Ela sabe lutar só. Está habituada. Agora adeus.
Desapareceu.
Nena: Mas que raio? O que é que lhe deu?
MinZy: Não olhes para mim…
DaeSung voltou.
DaeSung: Onde foi o Onew?
MinZy: Em bora…
DaeSung: Hum… estou a ver.
Nena: Onde foi a Gyuri?
DaeSung: Voltou para o mundo dela… ora essa. Anda vamos levanta-te – estendeu-lhe a mão.
Nena: Sei levantar-me sozinha.
Pôs a mão no chão e levantou-se.
Nena: As minhas fotos… que pena, eram tão bonitas.
DaeSung deu-lhe um rolo.
DaeSung: Estão aí todas miúda.
Nena: Obrigada…
MinZy: Vamos Nena, tens de descanar.
Nena: Tás a brincar? Quanto tempo falta?
Suspirei.
MinZy: Dois dias.
DaeSung: Hum, MinZy… o teu pai…
MinZy: Eu sei disso… nem me relembres…
Nena: O que se passou?
MinZy: O teu avô… bem como ei de dizer? Foi ‘’acertar contas’’ com o irmão dele…
Nena; ah...

---Bia---
JongHyun: Não, esquerda já!
Corri para a esquerda.
JongHyun: Perfreito.
Mandou-me uma corda...estranha, era muito irregular.
Jessica: O que estão a fazer?
JongHyun: Madar-te a baixo~
Jessica: isso era ao que queriam! Espera...
Ela estava presa com a corda.
Jessica: Como raio?
Bia: Jong, vamos rápido. Vamos sair daqui!
JongHyun: Concordo, pelo menos parece-me bem~
Empurrei JongHyun pela janela partida, deu um salto magnifico, aprecei-me a fazer o mesmo.
Bia: Anda, começa a correr. Vamos ter com os outros, estão perto do rio.

----Catarina----
IU: Salta salta Thunder, ela nunca será tua~ não te vou deixar levá-la~
Thunder tentava agarrar os meus pés. Taemin, nesta altura já me lembrava dele…parece que foi temporária a lavagem… Taemin planeava algo, estava demasiado quieto para estar simplesmente a desistir, teria feito um escândalo se estivesse a desistir.
Pegava em coisas e em seguida atirava-as para o chão, enquanto isso, IU brincava com Thunder puxando-me para cima cada vez que ele saltava para agarrar os meus pés.
De longe vejo algo brilhar, era uma coisa fina, foi contra um dos cinco fios que prendiam respetivamente os meus pés, mãos e cabeça. Um dos meus braços foi solto, de seguida voltou a brilhar novamente outra coisa, desta vez era azul, aconteceu o mesmo com o outro braço, e novamente com a cabeça. O resultado foi ter caído de frente, Thunder agarrou-me os braços e começou a puxá-los. O meu corpo caiu sobre Thunder.
Thunder: Brilhante ideia – riu-se.
Taemin: Sim sim, despacha-te e trá-la!
Fui carregada tipo saco de batatas para fora dali.
Thunder parecia concentrado.
Catarina: A Goo hara?
Thunder: Só podia salvar uma das duas… e se te deixasse lá não me ia perdoar, entende isso e não questiones por favor.
Não o questionei. Afinal pensava que ia salvar goo hara.

----MinHo----
Já nem CL sabia onde raio podia eu ajudar. Comecei a ficar farto der ser deixado para trás.
MinHo: Ela também…podia ter saído dali um pouco mais tarde…ou ao menos ter esperado que eu a ajudasse.
CL: Então ajuda-a.
MinHo: Em quê?
CL: Simples, sabes ela quer ajuda para libertar a Yoona, porque não?
MinHo: Mas a gaja não a tinha aprisionado?
CL: Bem…
MinHo: Então prontos.
CL: nunca ouviste falar em segundas oportunidades?
MinHo: é por isso que tenho a vida lixada! Segundas oportunidades… unf.
CL: Já agora, hás de reparar no teu relógio – era obviamente uma maneira de desviar o assunto.
MinHo: O que tem o relógio?
CL: O ponteiro dos segundos, quando passa do quatro anda duas vezes para trás.
Fui verificar, era verdade, sempre que chegava ao quatro dava como que dois toques para trás e continuava a trabalhar.
CL: Como vês~ sabes, é por causa do magnetismo que existe por aqui~
MinHo: Estranho…
CL: Ah, é uma das coisas que vocês não iam notar se acontecesse no vosso mundo…são demasiado cabeças-de-vento para o saberem. Não tenho culpa.
Voltar ao Topo Ir em baixo
cataemin & Miss Zelo
Dangerous Addicted
Dangerous Addicted
avatar

Feminino Mensagens : 9287
Reputação : 0
Data de inscrição : 08/08/2011
Idade : 21
Localização : lisboa- I live with SHINee forever eheh(i wish)

MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Dom 9 Dez - 18:24:09

YOYO AMO ESTES TRES CAPS. AMO MM dcp so comentar agr love
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   Dom 9 Dez - 20:14:37

hahaha xP ainda bem ^^
n tem problema :3
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: It's war~ [Fanfic]   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
It's war~ [Fanfic]
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 24 de 24Ir à página : Anterior  1 ... 13 ... 22, 23, 24
 Tópicos similares
-
» A Chave do Quinto Elemento ~FANFIC COMPLETA~
» Fanfic:Rebelde
» Fanfic: Um Natal com Jonghyun
» My Sun (Fanfic com Bill Kaulitz)
» FanFic TOKIO HOTEL

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
SHINee Portugal :: SHINee Club! :: FanFic's-
Ir para: