SHINee Portugal

SHINee Portugal

Um lugar de carinho, uma segunda casa, um lugar de encontro de Shawols e não só!
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 YAYAYA {Completa, último chap na página 29}

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 11 ... 18  Seguinte

Estás a gostar da fic?
Sim!
79%
 79% [ 15 ]
Não :c
0%
 0% [ 0 ]
Ainda não li :s
21%
 21% [ 4 ]
Total dos votos : 19
 

AutorMensagem
Annlunah 찬영 상태 ♥
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1728
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/06/2011
Idade : 20
Localização : Philippines. Kidnaping SeHun's typist.

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 22:20:13

ahaha xD então eu posto agora xDD

Capítulo 8 – Parte II do Capítulo 7



Key para de lhe tirar a tinta e fica imóvel. Não se consegue mexer nem falar. MinYeon fica assustada ao ver que ele não tira os olhos de cima dela e que não se mexe nem fala. Aproxima-se mais dele, um pouco estranha também, mas preocupada com ele simultaneamente.

MinYeon, em tupi: O que se passa, Key? Key?!

Os outros saem da água o mais depressa que conseguem e vão-se embora. Pois percebem que algo se vai passar naquele momento. Correm dali para fora e escondem-se no bosque denso. Key aproxima-se dela sem falar ou dizer qualquer tipo de coisa. MinYeon assusta-se e tenta fugir, mas os pés ficaram presos ao chão. Key continua a avançar como se que estivesse possuído e encosta-se a ela. Ela não consegue recuar, e para isso, deita a cabeça para trás. Key agarra-lhe a cabeça e o cabelo suavemente e encostam os lábios. MinYeon fica automaticamente paralisada e ele avança. Ela ia levar a mão à cabeça, para ele a largar e deixar ir, mas deixa-a cair bruscamente e fecha os olhos com força enquanto um pequeno beijinho é libertado por Key. MinYeon impede-o de a beijar mais e para-o, bruscamente.

MinYeon, tenta explicar-se em hangul: Key, eu noona, tu dongsaeng. Proibido. Tu ter medo antes. Agora tu não ter?
Key: Isso não interessa, mesmo com a grande diferença de idades. E eu não tive medo. Acho que agora percebo.
MinYeon, em hangul: Percebes?

Key faz um coração com as mãos e MinYeon sorri. Key agarra-lhe a mão e saem do lago. Sentam-se nas toalhas e Key cobre-a com uma toalha pelas costas. O pequeno HongJi estava lá ainda, perdido. Mas corre para dentro da aldeia mal os vê aos dois ali. Mas em vez de ir para a aldeia, desvia-se para a direção dos arbustos onde eles todos estavam escondidos. SuMin apanha-lo e aperta-o junto ao peito. Todos continuam a observar e comentam sem tirar os olhos de cima deles.

Kai: Eu não fazia a mínima ideia que o Key gostava de alguém.
JongHyun: Já somos dois...
TaeMin: Ele andava com medo da MinYeon, mas nunca pensei que eles viessem a gostar um do outro... muito menos virem a beijar-se tão cedo... ele sempre foi todo diva, e escondia muito os sentimentos... parece que não escondeu muito mais...
Onew: Até ficam fofos, apesar da grande diferença de idades...

Key continua muito próximo de MinYeon e ela afasta-se de lado e acaba por cair de lado. Key persegue-a com o olhar e com os lábios à mesma e ela deita-se bem, como que a bronzear, mas de costas para cima. Key faz o mesmo. Agarra a toalha dele e mete-a pelas costas também.

Key: Agora estamos parecidos. Temos as toalhas os dois pelas costas e estamos deitados de forma igual.

MinYeon foge dele mal ele aproxima a cara dele. Cobre a cara com a toalha criando quase que uma barreira entre eles e os outros de fora.

Key: Não fujas, MinYeon. Eu só quero saber o que achas. Gostas de mim? Como eu de ti? Ou só como noona e dongsaeng?
MinYeon: Eu gosto de dongsaeng e noona, mas gosto como yeobo. 예뻐 키 (yeppo Key). 사랑해 (saranghae).
Key: A sério?
MinYeon: Deh.

Key cobre MinYeon com a toalha e esta fecha logo os olhos. Key pigarreia. MinYeon abre um dos olhos e aproxima-se mais, Key dá-lhe um pequeno empurrão que a faz cair de costas, mas sem se aleijar. Ela ia-se erguer para cima, mas em vez disso, o Key junta logo os lábios aos dela, após os tapar com a toalha. Sentam-se os dois como deve ser, e Key abraça MinYeon debaixo da toalha e torna o beijo intenso. Deixam-se levar pelo beijo e depois param. MinYeon sorri muito.

MinYeon, para Key: Feliz.
Key: Eu também estou. Nunca pensei que isto me pudesse acontecer... achava que ia ser o rapaz sem noiva, dos oito.
MinYeon: Aconteceu. Felizes. Muito felizes.

Key recebe um pequeno beijo da MinYeon e sai de debaixo da toalha. Levanta-se e ergue-se a olhar para os arbustos. HongJi sai a correr dum arbusto na direção da MinYeon.

Key: Já podem sair daí, o espetáculo já acabou.
Onew, espreita por entre os arbustos: Pois... vocês ficam tão fofos ~ não resistimos em espreitar...
TaeMin, corre para o Key e começa a dar-lhe carolos: Ouve lá, Key? Eu disse-te que gostava da Momo, e ao Onew também, e porque é que tu não me contaste que gostavas da noona? Eu quero uma boa justificação... ouviste? Justifica-te!
Key: Porque só cheguei a essa conclusão agora! ~
JongHyun, no gozo: E depois eu é que sou o playboy, mas o Key beija para saber se gosta ou não, eu nunca fiz isso... isso é comportamento de playboy! Ai Key, o que andas a fazer...
Key: Não me apercebi quando a beijei, ó bado (idiota), foi antes...
DaeSung: Mas bem, meninos, parem de discutir... o que importa é que tudo corra bem e sejam felizes. Vocês são um casal tão fofo! ~
TaeMin: Ei, quando fui eu e a Momo, vocês não disseram isso...
MinHo: Porque será?
DongWoo: Porque não estávamos ao pé de ti, e quando soubemos, já estavas com ela... além de que o Key não se pôs a beber meia garrafa de shot por causa da MinYeon.
TaeMin: Mas parecia possuído...
JongHyun, no gozo: O que é pior? Um possuído ou um bêbedo?
MinHo, goza com o JongHyun: Acho que o pior mesmo é um idiota.
JongHyun, com cara séria: Estás-me a chamar idiota?
MinHo: Não, tu és o playboy, eu é que sou o idiota. Apesar de os playboys serem idiotas também...
JongHyun, no gozo: Considera-te um idiota morto então.

JongHyun começa a “lutar” com o MinHo e MinHo empurra o JongHyun para dentro de água, caindo de costas, ficando só com os pés de fora.

MinHo, começa-se a rir: Onde é que eu já vi isto?
Key, empurra-o para a água: Cala-te e nada! Alguém que nade bem pode chegar aqui? É que acho que eles se vão afogar um ao outro...

Todos vão a correr para o lago de novo, mas TaeMin ia entrar, mas volta para trás e leva a Momo às cavalitas, e Key entra e sai, para levar a MinYeon para a água, ao colo. Ela vai com medo de cair, e agarra-se muito a ele, mas ele salta com ela ao colo criando um enorme splash para as pessoas que ainda não tinham entrado. HyunAe decide entrar num salto, e salta, mas raspa o cotovelo numa rocha. A água tinge-se de vermelho. As raparigas vão a correr ver. E com ela, os rapazes.

HyunAe, conforta-os, em tupi e hangul: Estou bem.
DongWoo: É mesmo doida esta rapariga... já devias ter idade para ter juízo... não? Anda para aqui a saltar e a trepar e cair e depois é o que dá... partes-te toda...
JongHyun, para os outros: É impressão minha ou ele tá um bocado preocupado? Óbvio que estamos todos, mas ele nota-se mais...
MinHo: Parece-me que sim... mas seria estranho.
DaeSung: Eu acho que é a vontade suprema do JongHyun para os juntar para ver se consegue ficar com a SuMin à vontade... não é?
Onew: Concordo plenamente contigo, hyung.
JongHyun: Pelo menos que resulte com alguém... agora só falta conseguir o outro casalinho, mas o outro é meio, impossível, já que a rapariga é inocente e o rapaz gosta de assanhadas... não é verdade, MinHo? As assanhadas são as melhores...
MinHo: E lá vem a conversa! Ainda vou ter pesadelos por causa de ti! ~ E dessa conversa, é sempre... já começo a ficar farto disso...
Onew: Eu acho essa conversa interessante. E continuas a precisar de uma rapariga para te preencher o coração, a não ser que prefiras ficar solteiro e a ver os outros todos com namoradas...
MinHo, sussurra, para que eles não deem conta do que ele vai dizer: Eu prefiro ficar sozinho a juntar-me com aquela gaja... ela apoia a relação forçada do SiWon com a tua queridinha, sabias? Mesmo sabendo que o que ele fazia melhor era largá-la da mão. Além de ser demasiado princesinha para mim... ainda concorda com esse casamento estúpido. Eu acho isso demais. Muito politicamente correta, mas depois concorda com uma barbaridade dessas.
JongHyun, sussurra também: Esperem lá, o que é que a ChanYoung e o Onew têm a ver contigo? Ainda para mais o SiWon! O que é que eles têm a ver contigo? É que isso está-me a fazer confusão...
Onew: E a ChanYoung não é minha queridinha, quantas vezes é que eu devo repetir? Mas bem, devíamos estar preocupados e não a falar disto agora...

Os rapazes param de falar e vêm o DongWoo a correr com HyunAe pelo braço. Sentam-se nas toalhas e DongWoo vê o braço dela, para verificar o que é que ela fez. Estava só mesmo raspado. Mas os raspões tinham sido um bocadinho fundos ainda, o que fez com que o cotovelo tenha começado a sangrar. DongWoo está a limpar a ferida com a toalha que o Kai foi buscar à tenda. Voltam para a água.

JongHyun: O que é que eu dizia, rapazes?

Os rapazes ignoram-no e voltam a nadar todos. As horas passam e eles continuam a nadar. Fica de noite. O sol desce lentamente e eles saem da água. Vão até à tenda e secam-se. Levam a roupa com eles e agarram na roupa e vão se vestir. As raparigas vão para as tipis e vestem-se. Encontram-se lá fora, após os jantares delas, com as respetivas famílias e voltam para fora. Uma criatura uiva e MinNeul corre para fora da aldeia com as outras índias. E YoungKi veio com elas desta vez.

MinNeul, agarra-se ao animal, e fala em tupi: Gyeoul! ~ há tanto tempo que não nos vinhas visitar! Então, amiguinho?
MinHo, aproxima-se da MinNeul: Isso é... um lobo?
MinNeul: É. Queres lhe dar uma festinha?
MinHo, pensa:Porque é que estás a ser estranhamente simpática?Dirige-se a ela. – Ele é fofo... mas ele não morde?
MinNeul: Pode ser um lobo, mas é um lobo domesticado. Logo, não ataca as pessoas. Ele é solitário. É o Gyeoul. O meu pai encontrou-o ferido quando ainda era uma pequena cria de lobo, era ele por volta da idade do meu irmão mais velho. E depois cuidou dele e ele ficou domesticado. Ele de vez em quando vem para esta zona.
MinHo, dá-lhe uma festa no dorso: Ele é uma criatura meiga... – Gyeoul lambe a cara ao MinHo.
MinNeul, surpreendida: Gyeoul... – Afaga-lhe o pelo. – Ele só me faz isso a mim... deve ter gostado de ti. – Gyeoul muda de alvo e lambe a cara a MinNeul e ao fazê-lo, empurra-a, que estava de cócoras, fazendo-a cair no chão, desequilibrada. – Gyeoul! ~
MinHo, pensa: Porque é que ela continua a ser simpática? E porque é que o lobo gosta de mim? Eu não gosto muito de lobos...Sai de perto do lobo e ajuda MinNeul a subir.
MinNeul, ainda estava a pôr-se de pé: Eu podia muito bem ter-me posto em pé sozinha... não precisava da tua ajuda...
MinHo, larga-lhe a mão e ela cai de rabo no chão: De nada. - Pensa.Logo vi que tanta simpatia ia acabar...
MinNeul: Hey! ~ Tinhas mesmo de fazer isso? Ajuda-me a levantar!
MinHo: Tu disseste que te levantavas bem sozinha, agora desenrasca-te! É que nem agradecer sabes...
MinNeul, reconhece que foi errada com ele: Eu sei, tens razão...
MinHo: É só isso que me tens para dizer?
MinNeul: Desculpa... Agora ajuda-me a subir. Magoei o pulso...

MinHo puxa MinNeul para cima e dá uma festinha mais a Gyeoul. Este ergue a cabeça para cima e cheira MinHo. Imite um som como um chiar como quando os cães estão tristes. MinHo dá-lhe mais algumas festas no pelo espesso e o lobo volta a lamber-lhe a cara uma vez mais.

MinNeul: Hmm... gomawo.
MinHo: De nada. Só o fiz porque estavas magoada no pulso, que fique claro. Porque não merecias que fosse simpático contigo. Annyeong-gaseyo, Gyeoul. És um lobinho muito simpático. – Dá-lhe uma festa uma vez mais e vai-se embora.
MinNeul: Onde é que vais?
MinHo: Vou dormir. Eu também não pergunto onde vais quando vais nadar, pois não?
MinNeul: Só não perguntas porque não queres.
MinHo: Só não pergunto porque não me diz respeito. Até amanhã.
Kai, aproxima-se com os outros: O que é que lhe deu?
MinNeul: Não me perguntem...
JongHyun: O MinHo é meio doido... de vez em quando passa-se.
TaeMin, repara no Gyeoul: Oh ~ É um cãozinho fofo!
Momo, ri-se: É um lobo, TaeMin...
TaeMin: Há cães que parecem lobos... por isso é que eu disse...
Key: Não te esqueças que estamos num bosque, podem acontecer muitas coisas, desde aparecerem lobos, a passares a gostar de insetos.

Nena e YoungKi estavam as duas de cada lado a mimar o Gyeoul com festinhas. Momo e TaeMin sentam-se no chão os dois juntinhos e recostam-se para trás. Key e MinYeon fazem o mesmo e ficam a olhar para as copas das árvores. TaeMin e Momo conversam um pouco e MinYeon investiga o visual do Key, com os brincos brilhantes e investiga os sapatos e as calças, e as pulseiras coloridas.

MinYeon, tira-lhe o sapato: Isto é?
Key: É uma all-star. Um ténis-bota. Experimenta-as.
MinYeon, calça-as: Fofas. – Entrega as all-star de volta ao dono e mexe nas pulseiras. – Isto?
Key: São pulseiras. São para meter os pulsos bonitos.
MinYeon, tira-lhe as pulseiras e mete-as: Outra grande, relógio?
Key: Sim. É um relógio. Quem é que te disse?
MinYeon: ChanYoung dongsaeng. Explicou. Gosto das pulseiras. Fofas. – Mete a mão em cima das calças do Key e olha. – Nunca vi destas justas. Bonitas. Isto? – Aponta para os bolsos.
Key: São bolsos. São para guardar coisas. – Vê que ela repara na breguilha das calças. – Não não não... Essa aí não é bolso...

Key sussurra ao ouvido da MinYeon e ela abre muito os olhos mal ouve para que serve.

MinYeon: Melhor não abrir...
Key: Exato, vês como sabes? Proibido abrir.
MinYeon, mexe-lhe nos brincos: Gosto destes. Pedrinhas coloridas.
Key, tira um brinco e mostra-lhe: São brincos.
MinYeon: Fizeste buraco? Doeu?
Key: Sim, mas parou logo de doer. É pequenino.
MinYeon: Dói e faz sangue?
Key, tenta explicar: Sim, mas é pouco. O JongHyun tem três buracos. Eu só tenho dois, um em cada orelha. Mas o JongHyun não usa sempre os brincos. Mas eu sim. Quase sempre. E tu encontraste-me por causa deles. Dos brincos. Não foi?
MinYeon: Hmm... foi. Mas brilhas. Como eles. Mas mais. Aponta para os brincos.
Key: Tu brilhas mais que eu... és linda...

Encosta a cara à dela e deitam-se os dois na relva a ver a lua e as estrelas, que se viam lindamente pois aquela zona não tinha muitas árvores, só as suficientes para tapar a aldeia. Dão um pequeno beijinho romântico. MinYeon estava à procura da mão do Key, mas acaba por a pousar na perna dele. Ele dá-lhe a mão e um beijinho na testa. Deixam-se estar a ver as estrelas. Juntam-se todos os outros, MinNeul é seguida por Gyeoul, que se deita debaixo do braço dela, para receber festas enquanto eles vêm as estrelas.

JongHyun, deita-se com as pernas para cima: SuMin, o HongJi?
SuMin, em hangul, mas com falhas: Ele ficou na tipi. Na minha tipi. Ele fica a dormir na minha cama. Preguiçoso... – Ri-se.
JongHyun, boceja: Estou a ficar com sono... vou dormir.
SuMin: Aniyo!~ Aqui...
JongHyun: Está-se a tornar muito frequente... demasiadas vezes.
SuMin: Olha, nós somos... chingu? (=amigos)
JongHyun: Deh. Porque não?
SuMin: Diz o que achas de mim. Chingu?
JongHyun: Sim, és minha amiga. Mas não sei bem. Mas porquê estragar as coisas agora por causa disso? Chingu...
SuMin: Não gostas. Pois não? Mas eu quero saber. Chu ae? (= gostas de mim?)
JongHyun: Não pressiones. Não sei bem...
SuMin: Diz-me porquê. Problema.
JongHyun, sussurra: Eu costumo gostar de todas. E todas gostarem de mim. Habituei-me a todas gostarem de mim. Mas é uma coisa nova desta vez. Pode ser carinho ou não. Não sei. É por isso que não quero que me pressiones. Tenho de explorar e conhecer, só depois ver de perto.
SuMin, entristecida: Está bem, vou dar tempo. Agora vai dormir.

JongHyun agarra-se à SuMin e puxa-a para baixo. Encosta-se a ela.

SuMin: Na tenda...
JongHyun: Vamos deixar assim.
SuMin: Tenda... eu dou tempo e tenda, ou dizes e aqui. Escolhe.

JongHyun tinha acabado de adormecer nesse momento. SuMin mexe-lhe no cabelo e no rosto e ele encosta-se mais a ela, mesmo a dormir. Ele mesmo a dormir, não a larga. Subiu a cabeça para cima dela e virou-se ligeiramente de lado. SuMin não faz nada senão estar quieta. Adormece ela também. ChanYoung sobe o corpo e vê-os bem, o JongHyun a dormir parcialmente em cima da SuMin, e outras cabeças se erguem para os verem a dormir.

Onew, sussurra para não os acordar: Agora tenho a certeza que o JongHyun está a mudar... eu acho que ele está a começar a saber o que é o amor verdadeiramente... porque ultimamente não goza tanto, nem se arma em playboy, nem engatatão, nem nada do género.
ChanYoung, segue o mesmo padrão: Achas que eles gostam um do outro? Ou achas que o JongHyun vai magoar a SuMin?
Onew: Magoar? Ele foi sincero com ela, e disse que era diferente desta vez... se ela ficar magoada será porque ele está a demorar demasiado tempo a dizer-lhe. Mas eu acho que ele está a esforçar-se para mudar e ser exemplar desta vez.
TaeMin, sussurra igualmente: Eu acho que ele deve gostar dela. Agora ou lá mais para a frente. Eles ficam fofos. Era muito mau se ele a magoasse, mas vê-se na forma como ele interage com ela que não a quer magoar. Muito menos pressionar.
DaeSung, sussurra: O nosso Jjong está a crescer como pessoa...
Kai: E eu vou imitá-lo e vou dormir. Mas eu vou para a tenda.
DongWoo: Acho que também vou...
MinNeul: O meu pai e os meus irmãos devem ficar radiantes quando virem o Gyeoul! ~ Vou andando também. – Dirige-se em tupi. – Mais alguém vem para dentro comigo?
Nena, em tupi: Eu vou, há muito tempo que ando a dormir pouco. por causa dos encontros noturnos das índias com os forasteiros...
HyunAe, sem vontade nenhuma: Se tiver de ser... aff... lá vou eu.
YoungKi: É melhor, e depois bebes um bocadinho de café...
HyunAe: Eu não quero café! ~ Eu por mim ficava aqui a noite toda, mas só devem ficar os casalinhos, portanto, vou-me embora...
YoungKi: Eu vou.

Elas vão para dentro. ChanYoung ia para dentro também, mas o Onew puxa-lhe o braço e afasta-se com ela. As outras continuam a andar.

Onew: Queres ir dar uma volta agora? Não tenho sono. E assim deixamos os casalinhos mais à vontade.
ChanYoung: Hmm, está bem. Onde é que poderíamos ir?
Onew: E que tal ao lago? Eu sei, passamos a vida lá enfiados, mas só para molhar os pés, ou assim. O que é que achas?
ChanYoung: Podemos ir.

Onew e a ChanYoung decidem ir ao lago – de novo – e Onew descalça-se e tira as meias. Metem os dois os pés de molho na água. Onew pretende começar uma conversa. Mas não sabe como.

Onew: E então, está tudo bem? Não temos falado muito os dois...
ChanYoung: Eu estou, e tu?
Onew: Também. Tens algumas novidades?
ChanYoung: Não, e tu?
Onew: Também não. Mas acho que está qualquer coisa boa prestes a acontecer. Os rapazes estão todos felizes, e alguns deles já encontraram a rapariga da tribo. Vai haver um que vai ficar de fora. O que é que achas que lhe vai acontecer?
ChanYoung: Não sei. Quem é que achas que é essa pessoa?
Onew: Ou sou eu, ou o DaeSung, ou o Kai. Acho que o JongHyun vai ficar com a SuMin, aliás, é óbvio, o Key e o TaeMin já estão com uma rapariga, ou seja, há cinco restantes. O Kai não gosta de ninguém, o DaeSung também não, e eu também não. O MinHo tem umas discussões um bocado estranhas com a MinNeul, mas vai acabar por ficar com ela, segundo o JongHyun, e o DongWoo anda a ser perseguido pela HyunAe. Portanto só sobram três. Mas o que não se apaixonar por uma índia, o que é que lhe vai acontecer? E quem é a nona pessoa que irá ajudar a salvar a tribo da ruína?
ChanYoung: Eu sei que não vou ser uma das sete índias pelas quais vocês se vão apaixonar, além disso não ia poder, de qualquer das maneiras... eu estou noiva do SiWon, embora só o SiWon queira manter a decisão... ele ainda vai arruinar a vida dele por causa da obsessão doentia por mim. Eu só espero que ele me deixe duma vez... para poder ser livre, como o vento.
Onew: O que é que acontecia se te apaixonasses por outra pessoa, enquanto noiva ou mulher do SiWon?
ChanYoung: Depende do que acontecesse entre mim e essa pessoa. O mais provável era que fosse expulsa e obrigada a tornar-me citadina, após me tornar maior de idade. A não ser que ele me deixasse ir e cancelasse o noivado. Enquanto mulher dele, teria de continuar a desempenhar a minha função enquanto mulher dele. Cuidar dos filhos e dar-lhe um herdeiro para o bastão e para a coroa de penas.
Onew: Que estupidez... porque é que ele não casa com quem ele ama, desde que essa pessoa o ame também?
ChanYoung: Porque ele quer que eu o ame. E não me vai deixar ir nunca. Acho que ele nunca mesmo me deixaria ir. Sabes? Eu gostava de me poder livrar dele, e se pudesse ia para bem longe daqui. E gostava de conhecer outros sítios e outras coisas, sem ser este pedaço de terra. Ia ser muito mau, pois ia deixar de poder falar com toda a gente daqui, talvez até deixar de falar com a minha irmã, mas não sei. Eu sinto que quero fugir daqui para sempre, nem que implique deixar de poder pisar esta terra e este bosque. Mas eu gostava de me ir de vez. Como o vento, ir e não voltar, mas como o vento, levar as folhas consigo, as melhores recordações e memórias. – Começa a chorar. – E por isso, ia levar esta tribo comigo, vocês todos, os rapazes que me ajudaram de alguma forma a libertar-me e a ser como o vento, pelo menos enquanto falava. Como agora. Ia levar todos comigo caso decidisse mesmo sair daqui após o SiWon me libertar. Eu não o iria odiar se o fizesse, eu já lhe expliquei, no dia em que te encontrei no rio, que ainda ia a tempo para me libertar de vez ao deixar-me ir e cancelar o casamento, mesmo que me expulsasse da tribo, não me interessava. Eu quero ser feliz e tenho esse direito, não é por ser índia que não o tenho...
Onew, abraça-se a ChanYoung: Tem calma, do que depender de mim, vou-te tentar ajudar e apoiar. Todos têm de ter o seu final feliz e todos merecem ser felizes, a menos que cometam uma crueldade para com alguém. E mesmo assim ainda têm oportunidade de se redimirem e serem felizes. Por isso, não chores. Tudo se vai resolver. O SiWon tem de aprender que não pode ter tudo aquilo que quer, e ele aprenderá, com o tempo. Basta sermos pacientes e esperar que ele caia em si.
ChanYoung, ri-se: Eu não me admirava nada se chegasse lá dentro e me expulsassem... mas não quero saber, que venham eles todos e que expulsem por te estar a abraçar... eles não compreendem o que é ter amigos. São todos tão movidos pela ganância e vontade de obter poder e influência junto do chefe e do SiWon, que perdem as caraterísticas humanas. Eu não gosto de pessoas desse género. São egoístas e falsas.
Onew: Fico feliz por te ouvir rir, significa que estás melhor. Mas de vez em quando, chegamos a um ponto que choramos tudo o que temos a chorar, não é? Porque não costumamos chorar muito, fazemo-nos de fortes, mas o nosso mundo está todo a cair, e nós ruímos por dentro também. Eu costumo-me rir e ignorar os problemas insignificantes, mas há coisas que me fazem cair e partir-me aos bocados, por dentro. Há muito tempo que não tenho nada desse género, portanto vai ser mau quando voltar a ter um assunto delicado. Nisso somos muito parecidos, o que faz com que te perceba bem.
ChanYoung: Às vezes penso que parece que nos conhecemos desde sempre. Eu posso parecer um bocado rebelde, querer fugir das minhas responsabilidades, mas é só uma tentativa de ser feliz. Tu és muito inocente e envergonhado, mas também só queres ser feliz. E no resto, somos quase iguais. O que me leva a pensar que me conheces melhor que ninguém porque somos quase iguaizinhos.
Onew, ri-se baixinho: E é verdade. Eu acho que dispenso mapa.

ChanYoung abraça Onew agora de felicidade, porque deu para desabafar longe de tudo e todos e estar um pouco só com ele, facilitando o conhecimento de ambos, como as palmas das suas mãos. Onew abraça-a de volta. Onew sente-se estranho nesse momento e olha para trás. Não via ninguém. A MinYeon e a Momo tinham ido para dentro, para a aldeia. E o Key e o TaeMin para as respetivas tendas. Olha para o relógio.

Onew: Já é tão tarde! ~ Já só o JongHyun e a SuMin estão aqui, ainda devem estar a dormir os dois, mas eu tenho de ir.
ChanYoung: Está bem. Eu também tenho de ir para dentro, depois os meus pais matam-me! Eles estão fartos que chegue à tipi de madrugada... Bem, até amanhã...

Onew e ChanYoung acenam um ao outro e ChanYoung tropeça mal se vira totalmente para a frente e mete-se de novo em pé. Ri-se para o Onew e entra na aldeia. Onew vai para a tenda onde estão as roupas e veste o pijama. Depois calça as havaianas e vai para a sua tenda, para a sua divisão da tenda e deita-se, cobrindo totalmente a cabeça. Adormece. SuMin acorda de novo e JongHyun continua a dormir em cima dela. Esta carrega-o como pode, sem que ele acorde, até à sua tenda e acaba por o deitar lá dentro, na divisão que estava vazia e com o fecho aberto. Era a segunda tenda, da esquerda para a direita. Ele não acordava por nada, possivelmente consequência de dias a fio sem dormir o número devido de horas. SuMin dá-lhe um beijinho na bochecha e tapa-o com os lençóis. Sai da tenda rapidamente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://chanlunah.tumblr.com
lenitta
Flaming Charisma
Flaming Charisma
avatar

Feminino Mensagens : 2574
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2012
Idade : 26
Localização : Setúbal - Montijo

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 22:25:43

aaaaaaaaaaaaaaaaaa fixeeeee é tão grandeeeeeeeeeee... vou ler já hehe a unnie adora-te
Voltar ao Topo Ir em baixo
Annlunah 찬영 상태 ♥
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1728
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/06/2011
Idade : 20
Localização : Philippines. Kidnaping SeHun's typist.

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 22:26:48

lool xD a Unnie vai amar-me depois deste chap xD
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://chanlunah.tumblr.com
Rafiki
Drunken Lover
Drunken Lover
avatar

Feminino Mensagens : 6421
Reputação : 0
Data de inscrição : 03/02/2012
Idade : 20
Localização : caca

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 22:46:17

NHAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA :67: :67: :67: ADOROOOOOO :67: :67: AIH JASUS... AGORA VEM O CHAP 9 *-* AIH É QUE EU VOU MORRER *-*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Annlunah 찬영 상태 ♥
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1728
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/06/2011
Idade : 20
Localização : Philippines. Kidnaping SeHun's typist.

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 22:49:05

CALA A BOCA, RAFA! SECRETS, remember? Only you, MarthaShiro e Nês sabem um pouco do qe vem no chap (6)9 xDD
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://chanlunah.tumblr.com
lenitta
Flaming Charisma
Flaming Charisma
avatar

Feminino Mensagens : 2574
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2012
Idade : 26
Localização : Setúbal - Montijo

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 22:53:54

eu imagino esse capitulo hehe

aiii key... não se pode mexer na breguilha porquê????? hehe onde a minha cabeça já anda... aii a unnie quer mais... jjong e sumin, tão fofos *.*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Rafiki
Drunken Lover
Drunken Lover
avatar

Feminino Mensagens : 6421
Reputação : 0
Data de inscrição : 03/02/2012
Idade : 20
Localização : caca

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 23:00:26

Annlunah escreveu:
CALA A BOCA, RAFA! SECRETS, remember? Only you, MarthaShiro e Nês sabem um pouco do qe vem no chap (6)9 xDD

AHAHAHAHAHAH SORRYYYYY XD

lenitta escreveu:
eu imagino esse capitulo hehe

aiii key... não se pode mexer na breguilha porquê????? hehe onde a minha cabeça já anda... aii a unnie quer mais... jjong e sumin, tão fofos *.*

Imagina.. imagina... O.O

AHAHAHAH EU SABIA QUE IAS DIZER ISSO XD
São não são? *-*
Voltar ao Topo Ir em baixo
lenitta
Flaming Charisma
Flaming Charisma
avatar

Feminino Mensagens : 2574
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2012
Idade : 26
Localização : Setúbal - Montijo

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 23:05:34

e foi ele a dar beijinho, sempre pensei que ia ser ela tipo pedo ^^

rafa o jjong tá in love, tadinho ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 23:07:18

hahaa podes ter a certeza LOL xD
*-* que fofo páh xD ahahah adorei *-*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Rafiki
Drunken Lover
Drunken Lover
avatar

Feminino Mensagens : 6421
Reputação : 0
Data de inscrição : 03/02/2012
Idade : 20
Localização : caca

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 23:15:02

lenitta escreveu:
e foi ele a dar beijinho, sempre pensei que ia ser ela tipo pedo ^^

rafa o jjong tá in love, tadinho ^^

o key é um malandro xD

poix tá *-* oin... que flofito xD
Voltar ao Topo Ir em baixo
Annlunah 찬영 상태 ♥
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1728
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/06/2011
Idade : 20
Localização : Philippines. Kidnaping SeHun's typist.

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 23:48:04

esperem pelo próximo chap, eu morri ao escrever aqilo o.o do início o.o na altura vão perceber.

Lenitta unnie, o Key tem medo qe lhe tires as calças, como fizeste com os sapatos.

O Jjong já não é o playboy dos primeiros chaps a fazer-se à HyunAe e à SuMin *-* e ainda bem para a SuMin qe a HyunAe mudou de target!

Não digo mais nada hoje! Esperem até terça pela ação xDD
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://chanlunah.tumblr.com
Rafiki
Drunken Lover
Drunken Lover
avatar

Feminino Mensagens : 6421
Reputação : 0
Data de inscrição : 03/02/2012
Idade : 20
Localização : caca

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Sab 21 Abr - 23:55:59

AIIH CALA-TE NEM DIGAS ISSO QUE ATÉ DOI... so de pensar que tenho de esperar por terça *dead* o que vale é que vais postar o chap.. NA MINHA CASA eheheheheh xD
Voltar ao Topo Ir em baixo
lenitta
Flaming Charisma
Flaming Charisma
avatar

Feminino Mensagens : 2574
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2012
Idade : 26
Localização : Setúbal - Montijo

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 10:37:48

ora e faz ele muito bem, eu tirava com todo o gosto haha
Voltar ao Topo Ir em baixo
Annlunah 찬영 상태 ♥
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1728
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/06/2011
Idade : 20
Localização : Philippines. Kidnaping SeHun's typist.

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 12:29:15

ahahah, com tanta gente ao pé não, unnie xDD
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://chanlunah.tumblr.com
lenitta
Flaming Charisma
Flaming Charisma
avatar

Feminino Mensagens : 2574
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2012
Idade : 26
Localização : Setúbal - Montijo

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 12:46:43

é tens razão ^^

a unnie tem cá uma mente.....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Annlunah 찬영 상태 ♥
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1728
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/06/2011
Idade : 20
Localização : Philippines. Kidnaping SeHun's typist.

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 12:47:58

deixa lá, vais deixar de pensar assim quando leres o próximo chap o.o
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://chanlunah.tumblr.com
lenitta
Flaming Charisma
Flaming Charisma
avatar

Feminino Mensagens : 2574
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2012
Idade : 26
Localização : Setúbal - Montijo

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 12:48:59

haha tenho mesmo de esperar ate terça feira? devia ser hoje ou amanha, que tou de folga ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Annlunah 찬영 상태 ♥
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1728
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/06/2011
Idade : 20
Localização : Philippines. Kidnaping SeHun's typist.

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 13:01:35

eu hoje não porqe já postei ontem dois chaps, amanhã também não porqe não tenho net, só terça, qe é quando vou à casa da Rafa xD
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://chanlunah.tumblr.com
lenitta
Flaming Charisma
Flaming Charisma
avatar

Feminino Mensagens : 2574
Reputação : 0
Data de inscrição : 04/01/2012
Idade : 26
Localização : Setúbal - Montijo

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 13:16:52

então metes logo dois na terça ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Annlunah 찬영 상태 ♥
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1728
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/06/2011
Idade : 20
Localização : Philippines. Kidnaping SeHun's typist.

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 13:17:27

nop, I can´t :s
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://chanlunah.tumblr.com
Nikkie
Dream Girl
Dream Girl
avatar

Feminino Mensagens : 4125
Reputação : 0
Data de inscrição : 03/06/2011
Idade : 20
Localização : Korea ♡

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 13:21:58

Posta o nove hoje por amor de deus :ccc


Vaa lá xdddd
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://yoonhuns.tumblr.com/
Annlunah 찬영 상태 ♥
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1728
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/06/2011
Idade : 20
Localização : Philippines. Kidnaping SeHun's typist.

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 13:38:14

possas, cambada de perversas e doidas T.T
eu faço na vontade à minha Sarangah e posto, ok :x

LÊ E CALA-TE, MINNEUL xD



Capítulo 9
MinHo está de frente de MinNeul ao lado do lago. MinNeul estava sentada no chão, vestida com roupa de rapariga civilizada, mas visual de discoteca, possivelmente de Momo, e ambos estavam a conversar, sentados na relva fresca. Gyeoul estava com eles, mas de repente, este desaparece. A conversa dá lugar a um discurso picante entre os dois.

MinNeul: MinHo, porque é que me chamas assanhada? Eu assanhada não sou, mas posso ser muitas outras coisas...
MinHo: Porque gosto de ver as raparigas exaltadas comigo, é de certa forma... interessante. Se é que me percebes.
MinNeul: Não estou a perceber. Mostra-me o que queres dizer...
MinHo: Interessante de uma forma estranha...
MinNeul: Continuo sem perceber onde queres chegar. Mas eu gosto de coisas interessantes de formas estranhas... diz-me o que queres dizer, ou melhor, mostra-me.
MinHo: Interessante de ser... – Sussurra. – Excitante.
MinNeul, de forma perversa: Eu não sei o que é, por isso mostra.
MinHo: Isso é o que eu quero dizer com assanhada também. É exaltada e excitante...
MinNeul: Queres ver o que é excitante?

MinNeul começa a andar como se fosse um felino, de joelhos e mãos no chão e derruba MinHo, enquanto se senta em cima dele. Debruça-se à frente e começa-o a beijar, não o deixando sequer respirar, tocando-lhe de forma selvagem e bruta, e passando as mãos pelo tronco. MinHo senta-se e tira a t-shirt, e MinNeul senta-se com as pernas à volta do tronco dele. MinHo ia tirar-lhe o vestido justinho e que deixava marcar todo o corpo dela. Abre-lhe o fecho do vestido. Seguem-se beijos no pescoço e pelos ombros enquanto ela lhe passa a mão pelas calças – zona da breguilha – vezes sem conta. Abre-lhe a breguilha.

Tudo isto não tinha pensado de um sonho. Era dia 13 de férias. De manhã cedo. MinHo acorda envolto em suor. Ele olha debaixo dos lençóis.

MinHo, começa a falar sozinho: Oh deus, isto não me está a acontecer... KIM JONGHYUN, EU VOU-TE MATAR! EU DISSE QUE IA TER PESADELOS ~ Até nem foram muito pesadelos, mas eu estava quase a prostituir a miúda... oh deus...

MinHo embrulha-se nos lençóis e vai a correr para a tenda do JongHyun, onde ele estava ainda a babar a almofada, no seu décimo sono, ou assim.

MinHo, grita: Acorda! Eu disse-te que ia sonhar com o que disseste! Tava eu muito bem...
JongHyun, ensonado: O que foi? O que é... ah, da filha do boss...
MinHo: Eu acho que nem preciso de dizer nada, porque a explicação para ter os lençóis à volta da cintura quer dizer duas coisas: ou estou nu, ou...
JongHyun, acorda logo com a última frase: OH MEU DEUS~ , tiveste um sonho pornográfico?
MinHo: Bingo.
JongHyun: E tu que não suportas a “assanhada”, não é? Ui, onde isso já vai, até tens sonhos que... enfim. – Pigarreia
MinHo: Nem me digas essa palavra, acho que foi a palavra que mais dizíamos no sonho... eu nem te vou contar, porque como sabes, a culpa é tua! Começas a dizer as tuas coisas, eu vou dormir e acordo assim!
JongHyun: Eu quero é detalhes!
MinHo: E tu que não quisesses, não é? Mas eu não te vou contar, podes correr o mesmo risco que eu...
JongHyun: Eu não corro, não sou eu que estou a começar a gostar da MinNeul, és tu... e não me venhas com “a culpa é tua, Jjong” porque tu é que andaste a sonhar, não fui eu que te fui enfiar esses sonhos na cabeça, eu só disse a palavra ‘assanhada’, dita por ti inicialmente, tu é que foste meter a miúda toda ‘assanhada’ na tua cabeça!
MinHo: Paciência... não te vou dizer.
DongWoo, acabado de acordar: O que é que se passa, que não me deixam dormir? Vocês estão a fazer uma algazarra...
JongHyun: Foi aqui o nosso dongsaeng que andou a sonhar com o que não devia. Se é que estás a perceber onde eu pretendo chegar...
DongWoo, com cara de OMG: Pois... não me digam que foi um daqueles sonhos quentinhos, ou melhor... escaldantes... – Tosse.
MinHo: Não querem fazer isto chegar aos ouvidos do boss, ou mesmo da gaja?! É que parece, vocês estão para aí todos empolgados...
DongWoo: Mas passou-se alguma coisa entre vocês no sonho?
MinHo: Não passou porque eu acordei mesmo a tempo. Mas eu não vou dizer mais nada sobre os meus sonhos. Eu também não venho aqui perguntar os vossos...
JongHyun: Mas vieste aqui dizer que tinhas tido um sonho bem quentinho... então agora vais ter de dizer o resto!
MinHo: Vou trocar de roupa mas é...
JongHyun: Pois, convém. MAS DEPOIS QUERO SABER DE TUDO!
MinHo, sai da tenda: Isso querias tu! ~
JongHyun: Ai estes rapazes...
DongWoo: Olha lá, Jjong, como é que tu ontem vieste parar cá à tenda? Tu adormeceste lá fora... com a SuMin... outra vez. Como é que vieste parar aqui e dormir? Eu ouvi ainda os fechos da tenda, já era para aí três ou quatro da manhã... olha lá, o que é que se passou?
JongHyun: Queres mesmo saber?
DongWoo: O que é que vem daí? Já estou com medo...
JongHyun: Para dizer a verdade, não me lembro...

JongHyun sai da tenda, seguido de DongWoo que tenta arrancar-lhe as “informações” e vão para o fogão a gás, onde ninguém estava. Apenas Kai estava lá sentado ao lado. Do outro lado do bosque, à saída, uns metros mais para a frente, havia uma casa grande. E muitas caixas no chão. Possivelmente alguém se ia mudar para lá. Essas pessoas eram endinheiradas e um homem com aspeto de pedigree estava ao telefone. Falava sobre negócios. Estava uma miúda com aspeto de rebelde, meia emo, a arrastar caixas até à porta.

Dr. Shiro: Sim, eu gostava de comprar o terreno. Por favor, dê-me o valor que vale. Eu sei que é um património de todos, mas eu darei o valor que acordarmos, seja ele qual for. Eu só quero mesmo o terreno. Gostava que entrássemos em contacto em breve. Arigato.
Neko, vai para junto dele: Quem era?
Dr. Shiro: Era por causa do terreno para construir a clínica. Vamos ficar a viver aqui e depois eu ficarei a gerir a clínica assim que estiver construída e com pessoal. O terreno é este aqui.
Neko: Então e eu? Eu já te disse que isto aqui é no meio do nada! ~ Ou mandas-me de volta para Tóquio, ou mandas-me para Seul! Escolhe!
Dr. Shiro: Neko, não sejas insolente. Sabes muito bem que ainda não sei como vai ser contigo. Eu tenho de ganhar dinheiro com este projeto, só depois mandar-te para a escola. Para além de que ainda tens quase dois meses e meio. Nesse tempo podes-te habituar à vida aqui.
Neko: Tu e o teu trabalho... é mais importante que a própria filha.

Neko pega nas coisas e vai para dentro. Tem um quarto já mobilado e tudo mobilado e decorado por uma decoradora, contratada pelo pai dela.

Neko, para a decoradora, que estava a avaliar o quarto dela: Quantas vezes é que preciso de dizer que do meu quarto trato eu?! Eu uso as minhas coisas com o meu gosto pessoal, não me importa se está fora de moda ou assim, o meu gosto é que conta... – Entrega-lhe os candeeiros cor-de-rosa e os cortinados cor-de-rosa. – Mas por favor não me tente impingir estas coisas cor-de-rosa, que eu não gosto! – Coloca as coisas dela, candeeiro de lava preto que muda de cor, cortinados góticos, peluches de quando era pequena, coisas negras... e “expulsa” a decoradora do quarto dela.

Nessa altura, na tribo, MinHo estava agora vestido em condições e leva um saco de plástico na mão com alguma roupa para lavar e JongHyun vai atrás dele como que a persegui-lo, com DongWoo.

MinHo: Ainda querem saber o que se passou? Oh pá, que chatos...
JongHyun: Vais lavar a roupinha, é?
MinHo: Parece que sim, não é? Mas bem, eu posso contar...
Kai: Eu também quero ouvir!
MinHo: O quê?! Ele também sabe?
Kai: Eu ouvi tudo de cá de fora... agora fiquei curioso.
MinHo: Eu conto, aff...

MinHo senta-se com os rapazes à volta dele, curiosos para saber o que afinal se tinha passado na cabeça dele, e ele começa a contar baixinho. Eles, curiosos, chegam-se o mais perto que podem. Acaba de contar

Kai: Oh deus...
JongHyun, no gozo: Acabou logo na parte interessante...
MinHo: Qual interessante qual quê! Na parte má!
DongWoo: Na parte do sonho mais propícia a que acontecessem coisas desse género... como te aconteceu a ti, não é? Eu diria na melhor parte, pelo que aconteceu a seguir...
MinHo: Deixem-se de coisas, podia acontecer com qualquer outra rapariga... se o sonho fosse o mesmo, podia acontecer.
JongHyun: Mas tu sonhaste com a MinNeul, não foi com outra qualquer, ou seja, escusas de dizer mais nada, porque é óbvio que ela mexe contigo, senão não te tinhas posto em pé...
MinHo: Não digas mais nada, já percebi onde queres chegar. Vou lavar a roupa mas é... e não me chateiem mais, eu já contei o sonho. – Sai dali e pega no saco de plástico, onde tinha a roupa e o sabão para lavar. Mas para depois e recua. – Hmm... mais daqui a bocadinho.
JongHyun, repara: Oh deus, MinHo, a tua... – Pigarreia. – deve estar estragada, só pode. A não ser que seja alguma coisa censurada que está ali à frente... – Uma rapariga – MinNeul – sai da água, com um tecido grosso, que serve como toalha, à volta dela mesma. – Estás-te a tornar pedófilo, MinHo. Sem dúvida... já percebi tudinho.
DongWoo: Tens de te declarar à rapariga, sem falta...
MinHo: Qual declarar! Não tenho nada a dizer...
Kai: Ai não? Já reparaste bem?
MinHo: Já, e se quiser que venha cá ela! Ainda levo uma bofetada...

MinHo vai-se embora dali com o saco, finalmente, pois ela já tinha saído de lá. Vai lavar a roupa dele. Nesse momento todos os outros se reúnem. TaeMin e DaeSung saem da tenda.

Kai: Por falar em declarar, não é verdade que o Onew também anda a precisar de um empurrãozinho?
TaeMin, acabado de chegar, mas percebe logo: O que queres dizer, KaeIn? Não me digas que queres juntá-lo à ChanYoung...
JongHyun: Ele tá sempre com ela a toda a hora... mas era bom juntá-los de vez. – Olha para a tenda onde estavam os mantimentos guardados, e a roupa deles. – E eu acho que sei como.
DaeSung, acabado de chegar: Qual é a tua ideia, Jjong?
JongHyun: Prendê-los os dois juntos na tenda...
Kai: Só na tenda? Os dois trancados? Isso não tem romantismo nenhum... sei lá, tirávamos as coisas para as nossas tendas durante a tarde e fazíamos-lhe um jantar romântico. Primeiro trancávamos lá dentro a ChanYoung e depois trancávamos lá o Onew. E depois esperávamos que resultasse. Até podíamos deixar lá uma câmara escondida a filmar para ver o que se passava...
DongWoo: Já gostei da ideia...
JongHyun: E podíamos pôr a cama feita lá e tudo... se bem que ia ser difícil que eles a usassem, mas ao menos estava pronto a usar...
DaeSung: O Onew não ia fazer isso à ChanYoung, desculpa lá, Jjong.
TaeMin: Pois, ele não era capaz... ele capaz era, mas não ia...
JongHyun: Oh, mas deixava-se à mesma...
TaeMin: Eu até podia arranjar maneira de o tirar daqui, mas a ChanYoung também tinha de ser tirada daqui...
Momo, passa por eles: Bom dia! O que é que andam a tramar?
TaeMin, sussurra: Vamos tentar juntar o Onew com a ChanYoung...
Momo: Está bem. Eu vou andando para o parque, não posso faltar hoje, já ontem faltei... e depois ainda vinham à minha procura... bem, até logo, rapazes! – Sussurra. – E boa sorte com o vosso plano.

Momo dá um beijo de despedida ao TaeMin e sai do bosque. Eles continuam a falar. Onew chega e calam-se todos.

Onew: Bom dia a todos. Como é que dormiram? Bem?
JongHyun desmancha-se a rir.
Onew: A tua noite a dormir cá fora agarradinho à SuMin foi assim tão boa, Jjong? Ou estás-te a rir porque te apeteceu?
JongHyun: Estou-me a rir porque boa foi mesmo a noite do MinHo.
DongWoo: Oh Jjong, não lhe vais contar, pois não? É que ele ainda tem um badagaio e cai aqui no chão desamparado... além de que o MinHo vai ficar furioso quando souber que lhe contaste também. E se contares ao Key, ainda pior.
JongHyun, sussurra: Eu tenho mesmo de contar... desculpa lá, mas eu não resisto a uma fofoca deste tipo... e vou acrescentar a outra de quando ele estava connosco...
DaeSung: Onew, acho melhor te sentares, porque isto vai sair conversa ilegal daqui. E não é lá muito inocente, esta conversa...
Kai, olha para a tenda vermelha: Vem aí o Key...
JongHyun, quando Key sai da tenda: Key, chega aqui! ~
Key: Bom dia. O que se passa?
Onew: O Jjong vai-nos contar uma fofoca...
Key: Uh, gosto disso! Conta!

JongHyun conta o que MinHo lhe contou e eles ficam boquiabertos. Acrescenta o que se passou quando estavam na rua.

Onew: OH MEU DEUS! ~
Key: Aigo! ~ não esperava esta!
DongWoo: Agora pergunto-me: quem vai ser o próximo casal? JongHyun e SuMin ou MinHo e MinNeul?
JongHyun: Eu acho que vai ser DONGWOO E HYUNAE! ~
DongWoo: Eish, tá irritado, o nosso dinossaurinho...
JongHyun: Também és dinossauro! ~
DongWoo: Aff, que paciência... Onew, porque é que não vamos dar uma volta a seguir ao almoço? Não tenho paciência nenhuma para este JongHyun... podemos ir com a ChanYoung para ela explicar tudo bem, que me dizes? E quem quisesse vir, podia vir também. MENOS O JONGHYUN ~
Onew: Está bem, mas ainda falta tanto tempo, porque é que não vamos agora? Assim íamos e livrávamo-nos deles mais depressa. – Ri-se. – Não que eu me queira livrar de vocês...
DongWoo: Porque quero comer... e a ChanYoung ainda deve estar a dormir. Então depois do almoço, podemos ir e passar a tarde toda lá. Andar pelo bosque, explorar, sei lá... alguma coisa assim.
Onew: Hmm, está bem. Vamos tomar o pequeno-almoço...

Já eram quase 10 da manhã quando eles foram, tiveram bastante tempo a falar. MinHo volta e estende a roupa. Come uma banana e junta-se a eles a comerem sanduíches de geleia e com chocolate barrado e a beberem leite. Agarra numa garrafa de água. Os rapazes ficam logo todos calados e a olharem uns para os outros.

MinHo: Vocês contaram, não foi? Quem foi?
JongHyun, com os dedos todos apontados a ele: Não resisti...
MinHo: Mais um bocadinho e sabem do lado de lá das estacas... vocês só sabem contar aquilo que não devem... só espero que nenhum de vocês dê com a língua nos dentes e vá contar a nenhuma índia. Nada de contar às namoradas, TaeMin, Key e Jjong...
JongHyun, engasga-se: Namoradas?! A SuMin não é... minha namorada nem nada desse género. Por enquanto...
MinHo: Não interessa, dá igual.
Onew: Por enquanto? Isso quer dizer que pretendes que seja?
DaeSung: Volto a dizer que o nosso Kim JongHyun está a crescer enquanto pessoa... estou muito orgulhoso do nosso dinossaurinho...
JongHyun: Outra vez dinossauro? – Ri-se. – Eu também acho que estou a crescer, pelo menos deixo de ser o baixinho! Estes índios são uns guindastes, e eu sou o mais baixo do nosso círculo de amigos. Mas agora a sério. Pode ser que cresça mais em termos de cabeça. Estas férias estão-me a fazer bem.
Kai: E tens de admitir que a SuMin também...
JongHyun, feliz: Também...
Key: Oh Jjong, francamente... estás à espera de quê para ires ter com ela? Se vocês gostam um do outro, porque é que não vais?
JongHyun: Realmente tens razão...

JongHyun sai do círculo de amigos e espreita para dentro da aldeia. Vê lá dentro YoungKi, a irmã da ChanYoung e dirige-se para ela.

JongHyun: Pequena luz, viste a SuMin?
YoungKi, em hangul: Não. Ela saiu cedo. Ainda não voltou, mas não sei onde ela foi. Ela às vezes costuma desaparecer...
JongHyun: Gomawo, YoungKi. Ah, diz à tua irmã que o DongWoo e o Onew querem falar com ela mais logo. Eu vou ver se encontro a SuMin. Até mais logo e kasamnida.
YoungKi: De nada e até logo. Espero que a encontres.

JongHyun corre o mais depressa que consegue para o lago. Não estava lá ninguém, felizmente. Descalça-se e anda pelas pedras. Descobre uma pequena escada feita de rochas e sobe-a. Entra na gruta da SuMin. Encontra-a na gruta a dormir. Tem a cara molhada. Tinha estado a chorar.

JongHyun, sussurra para não a acordar: Oh SuMin... para que é que estiveste a chorar? Não sejas tonta, achas que se considerasse minha amiga que me agarrava a ti daquela maneira?

Limpa-lhe a cara com os dedos suavemente. A tinta das riscas estava toda borrada e tinha restos de pigmento na almofada. JongHyun põe-se de joelhos de frente dela, enquanto ela aperta a almofada contra o peito, enquanto dorme. JongHyun limpa-lhe a cara com as mãos e encosta-se mais enquanto a vê dormir. Ela sorri e JongHyun percebe que ela estava a fingir que estava a dormir.

JongHyun, manda-se para cima dela e começa a fazer-lhe cócegas: Com que então a fingir, não é, senhora SuMin?
SuMin, abre os olhos e ri-se: Descobriste... encontraste SuMin aqui. Como? Disseram? Ou descobriste? Só tu?
JongHyun, ri-se: Não foi difícil, tu estás sempre aqui...
SuMin, tenta articular as palavras, mas gagueja: Eu... deitei na tenda... ontem a ti...
JongHyun, gagueja, enquanto se aproxima dela: Ah... foste tu que me... me... levaste para a tenda... ontem...

JongHyun vê SuMin toda encolhida com a almofada à frente da cara e senta-se convenientemente. Puxa-a para cima. Após uns minutos de silêncio, SuMin articula as palavras

SuMin: Já sabes? A resposta...
JongHyun: Eu disse-te ontem. Quando te abracei.
SuMin, sem perceber onde ele queria chegar: Não ouvi...
JongHyun: Não era para ouvir. Era para ver. Mostrei-te. Mas posso mostrar de novo caso não tenhas visto ou percebido.
SuMin: Vais fazer?
JongHyun: Fecha os olhos e conta até 3. Hana, dul, set. Faz.
SuMin, acena afirmativamente sem perceber: Hmm.

JongHyun vê-a fechar os olhos e com os dedos contar até três. Avança e encosta-se à medida que ela conta. Mal ela abre os olhos, ele avança uns centímetros em direção à boca dela, ficando quase colado a ela. Ela ri-se mas sem se mexer do sítio onde estava, e ambos avançam, puxados por uma atração. JongHyun agarra a almofada que ela tinha na mão e mete-a para trás dele. Deixa-se cair para trás e SuMin cai parcialmente em cima dele, mas nada os impede de continuarem a beijar-se. JongHyun e SuMin acabam por parar o beijo e SuMin abraça-se com força a ele. Sentam-se.

SuMin, começa aos saltinhos, sentada na cama e a bater com os pés no chão de forma quase compulsiva: Chu ae! ~ (=tu gostas de mim!)
JongHyun: Não sejas tola, tens tudo para eu gostar de ti...
SuMin: Sério?
JongHyun, acena afirmativamente com a cabeça: Hm hmm.

SuMin agarra-se de novo a ele, e ele oferece-lhe uma volta às cavalitas dele. Saem os dois da gruta sem ninguém ver. Os rapazes iam começar a almoçar e de repente vêm a SuMin sentada às cavalitas do JongHyun, com as pernas à volta da cintura dele, para não cair. Ambos estão com as duas mãos dadas e eles ficam a olhar para aquilo, muito surpreendidos.

JongHyun, no gozo: Vamos fazer um acordo: dou 500 wons ao próximo que beijar uma índia. O que me dizem? Quem alinha? – Só o Kai levanta o braço, no gozo. – Sendo assim, entram todos em competição. Eu fiquei com o terceiro lugar da tabela, e quero saber quem é o quarto classificado.
Key: Eu sabia que ias ter com a SuMin e lhe ias dizer...
DongWoo: Agora queremos é o beijo!
JongHyun: Isso não tem qualquer tipo de dificuldade...
MinHo: Então vá! Que venha ele!

JongHyun baixa-se para SuMin sair das cavalitas dele e ergue-se para cima. SuMin fica um bocadinho atrapalhada por estarem mais sete rapazes à frente dela. Mas JongHyun conforta-a dando-lhe a mão e desce um pouco a cara, inclinando-a para um lado e ela faz o mesmo. Dão um beijinho que começa curtinho e inocente, mas prolonga-se e ganha intensidade.

DongWoo: Dá-lhe gás, Jjong! ~
Kai: Não é por nada, mas nós pedimos que dessem um beijo, não que se “comessem”, ainda por cima com plateia...
SuMin, para o beijo, assustada: Comer?
JongHyun: Não lhes ligues, eles têm é inveja...
SuMin: Volto à tarde. Vou comer... comida mesmo.

SuMin diz adeus aos rapazes e beija JongHyun e afasta-se para a aldeia. Todos estavam a almoçar nesse momento. Tanto na aldeia como fora dela. Mas havia uma pessoa que já não estava a almoçar. Era ChanYoung, e SiWon tinha saído da tipi dele e da sua família para saber onde ela andava.

SiWon, segura-lhe o braço: ChanYoung, onde vais?
ChanYoung, em hangul: Larga-me SiWon, não te devo explicações de qualquer género! Já sabes disso há muito tempo... LARGA-ME!~ – Os rapazes ouvem-nos do lado de fora da aldeia. Largam o almoço e vão ver o que se passa sem darem nas vistas. Onew fica chocado com o que vê.
SiWon, aperta o pulso a ChanYoung, tentando obter resposta: Responde à minha pergunta. Onde vais?!
ChanYoung: Estás-me a magoar, SiWon, por isso, larga-me!
SiWon, bate-lhe: DIZ-ME! Vais-me trair, não vais?! ~
ChanYoung, leva a mão à cara: Realmente tornaste-te num monstro... e eu não tenho vontade de ser expulsa, por isso sigo o acordo. Às vezes era preferível, porque és horrendo, és um monstro em forma de gente! – Liberta uma lágrima de dor.
SiWon, começa a chorar: Eu juro-te que não queria... eu não queria fazer isto... desculpa-me... eu amo-te com todas as minhas forças, não tinha intenções de te magoar...
ChanYoung: Pensasses nisso antes de me teres batido. Eu não te vou perdoar nunca, percebes? NUNCA! ~ Nem por me estares a obrigar a fazer isto, nem por me bateres. Não há perdão possível! Agora larga-me!

SiWon cai de joelhos no chão a chorar e ChanYoung sai de perto dele e corre dali para fora. Onew ia atrás dela, mas os outros param-no, pois pode não ser o melhor momento. Ele está visivelmente perturbado com aquilo que acabou de ver.

Onew, visivelmente mal, quase a chorar: DongWoo, esquece o passeio... vou para a tenda. Acordem-me quando o jantar estiver pronto. – Sai de perto deles e tranca-se na tenda.
TaeMin: Acham mesmo que vale a pena fazermos o que tínhamos combinado? É que com eles dois assim...
JongHyun: Não ouviste o que ela disse? Ela disse que às vezes era preferível o ter traído a comportar-se como uma boa noiva e futura esposa. Ou seja, quer dizer, que já teve vontade de o fazer, mas não o fez para não ser expulsa. E quem é o único rapaz com quem ela se dá?
MinHo: Pois, é o Onew...
DongWoo: E eles vão estar os dois com as emoções à flor da pele, ou seja, poderá acontecer algo de bom entre eles...
Key: Pois, eu não gosto nada de ver o Onew todo tristonho...
TaeMin: Está bem, vamos fazê-lo... quem cozinha?
DaeSung: O Key, é óbvio.
Key: Mas vou precisar da minha musa inspiradora para ir comigo apanhar os ingredientes para fazer um manjar bom. Temos frango na geleira, certo? Podia fazer massa para acompanhar. Um jantar de faca e garfo. Propício a nódoas na roupa... – Key faz uma cara não muito comum vinda dele, quase que perversa.
JongHyun: Gostei disso... de preferência com molhos ou assim...
Kai: Eu podia ir contigo e com a MinYeon, e com outra pessoa… isto se não te importares que vá fazer de velinha. É tipo polícias.
TaeMin: Eu posso ir e ajudar. Os outros ficam cá a saber o que a ChanYoung e o Onew têm em comum, que gostam de comer.
JongHyun: Está bem. Nós vamos levando as malas com roupa e as outras coisas para a minha tenda e para a dos gémeos.

Enquanto eles planeavam o jantar romântico para o Onew e para a ChanYoung, ela estava a tentar fugir de tudo e todos, e refugiou-se no topo da cascata a chorar. Ninguém sabia onde ela estava ou o que fazia. O SiWon continuava a sentir-se mal consigo mesmo. ChanYoung chorava no topo da cascata, oculta pelas vegetação, SiWon, na sua tipi, sozinho, e Onew na sua tenda, tentando simultaneamente se acalmar. Key, MinYeon e os gémeos foram buscar ingredientes como frutos vermelhos, que cresciam em arbustos na zona, cogumelos, e outras coisas desse género. Apanham alguns cogumelos e frutos vermelhos, especiarias que MinYeon ajudou a identificar, como salsa e outras ervas aromáticas, e coisas desse género. MinYeon ouve passos no bosque. Escondem-se todos nos arbustos. Uma pessoa com uns sapatos altos, abertos à frente e com padrão de zebra, roxos e pretos, estava a andar pelo bosque. Era uma rapariga. Não muito alta. Mediana. Vestia-se de preto pelo resto do corpo e tinha o cabelo pintado de castanho, tom médio, mais para o claro. Cabelo volumoso com um laço roxo. Neko.

Spoiler:
 

Kai, inaudível: Que coisa é esta?
Key, inaudível: Só espero que ela não avance mais...
Neko, para de andar: Hmm, então é esta coisa que o meu pai quer comprar... isto está cheio de bichos, e cobras... e coisas assim... mas se é para deitar abaixo, é para deitar abaixo... era preferível que fosse em Seul. Poupava-se o ambiente, e era provável obter muito mais lucro... bem, eu vou voltar para trás, isto é tudo assustador, com estas cobras todas...

Neko ouve um barulho semelhante ao de cobras a rastejar, feito por Kai e sai dali apressada, olhando para trás e saindo do bosque.

TaeMin: KaeIn, estás doido?! Aquela coisa estranha e emo podia nos ter visto ou percebido e ouvido que eram pessoas...
Key: Já está o mal feito, não podemos fazer nada, vamos é voltar para a aldeia que eu ainda tenho de cozinhar. E está-se a fazer tarde.
MinYeon: MinYeon noona ajuda...
Key: Basta me manteres inspirado para cozinhar bem. Mas se me quiseres ajudar, podemos lavar os legumes e as frutas juntos. Eu cá não gosto de cenoura, mas se eles gostam, vamos-lhes dar cenoura. E dar as outras coisas que apanhámos. Ora bem... temos o frango, as natas, os cogumelos, as massas, fazemos uma salada para eles e temos um jantar italiano improvisado. Só espero que resulte... que mais a ChanYoung gosta, MinYeon?
MinYeon: Doces. Frango. Massa. Isto. – Apanha vários rabanetes que estavam ao lado deles. – Tudo. Gosta comer.
TaeMin: Isso é bom. São dois que gostam de comer frango e que não são esquisitos com comida. Desde que seja comida, comem.

Eles saem do bosque espesso e estavam todos a preparar as coisas. As geleiras e caixas com comida estavam na tenda do MinHo e do Key, tal como as roupas. Estavam com a mesa e os bancos na tenda do JongHyun e do DongWoo, prontos para pôr na tenda assim que a ChanYoung chegasse. E chegou nesse momento também. MinHo foi falar com ela. JongHyun foi com um pano por trás dela e tapou-lhe os olhos. Levaram-na para a tenda os dois e meteram-na supostamente na divisão onde estava a cama, já feita, e com pétalas de rosas em cima, e trancaram-na lá dentro, pondo uma corrente e um cadeado nos fechos. Meteram-me um recado preso em hangul. O DaeSung tinha ido com a bicicleta até à vila, à florista, para comprar algumas rosas, para as pôr na cama.

MinHo: Custa fazer isto, mas é para o bem deles os dois... depois ainda nos vão agradecer...
JongHyun: E depois ela desata a gritar ou assim... não, porque lhe tapei a boca com o pano, apertado e com nó cego, mas se ela o conseguir tirar é capaz de fazer uma algazarra... e ainda não temos tudo pronto...

JongHyun e DongWoo levam a mesa, e MinHo leva os bancos. A mesa tinha já uma toalha posta e os bancos tinham almofadas nos tampos. Metem várias velas – que tinham levado para caso de precisarem de luz durante a noite por causa de alguma lanterna estragada ou assim, sem estarem acesas, pelo chão fora. Puseram uma câmara escondida num canto da tenda. Saíram da tenda para que a ChanYoung não se apercebesse do plano deles. Juntam-se todos.

DongWoo, sussurra: Pronto, só falta o jantar e o Onew sair da tenda. Quem é que tem o outro cadeado para trancar a tenda?
DaeSung, fala baixo: Sou eu. Mas o que é que fazemos agora?
Key, chama-os baixinho: Ajudem-me a cozinhar. Devo ter um prato grande tipo travessa na tenda. Procurem-no e tragam-no. Para depois meter a massa.

TaeMin vai buscar a travessa e todos colaboram no “encontro” entre eles. Key cozinha a carne com os cogumelos pequeninos, cortados ao meio e em três e com natas no fogão a gás, comida essa «com muito molho e propícia a nódoas» como dizem o Key e o JongHyun. MinYeon estava a ver e SuMin, Nena e HyunAe estavam lá. As únicas que não sabiam eram MinNeul – para não dizer ao SiWon – e YoungKi – para não dizer aos seus pais. Estas estavam sentadas em roda a falar todas sobre o que iria acontecer ou não nessa noite e a fazer palpites. Key acaba o primeiro prato. Falta apenas a alface, a cenoura em pedaços e o rabanete. Desliga a chama e decora com a salada a toda a volta, já temperada à parte.

Key: Voilá! Uma comida cheia de molho e propícia a nódoas!

Mete a comida em cima do fogão a gás e todos se deslumbram com o cheiro, mas não se atrevem a tocar com um dedo que seja. Key prepara uma taça bem grande, com chantilly e outra do mesmo tamanho, com os frutos do bosque – mirtilos, amoras, framboesas, entre outros – e mete-as numa mesa improvisada que eles arranjaram, e que taparam com uma toalha, onde estava escondida a câmara, pela toalha. Levam a comida toda para lá e meteram os talheres – faca, garfo e colher de sobremesa. Todas as índias se escondem e ficam só os rapazes. DongWoo e DaeSung estão escondidos atrás da tenda e Key chama Onew.

Key: Onew, a comida está pronta! Preciso só que vás buscar os talheres à tenda, por favor.
Onew, sai da tenda com cara de choro: Hmm, está bem... eu vou.

Onew vai para dentro da tenda e fica espantado quando não vê nada daquilo que espera. Tenta recuar para trás, mas os rapazes empurram-no para dentro da tenda e fecham-no lá dentro. Tenta abrir os fechos, mas DongWoo fecha-os com força. DaeSung mete a corrente à volta dos fechos largos e grandes e fecha com o cadeado, bastante resistente. Onew desiste e repara no papel.

Onew: Boa, agora estou trancado aqui dentro... mas o que é que eles querem? Aff... o que é aquilo? – Vai até à porta do “quarto” e tira o papel. Lê o que diz. – Onew, salva-me. ChanYoung. – [/b]Tira o cadeado o mais depressa que pode e vê ChanYoung com a boca e as mãos atadas. Tira-lhe o pano da boca.[/b] – ChanYoung? O que é que estás aqui a fazer? Como é que vieste aqui parar? E porque é que isto está assim?
ChanYoung: Não sei. Diz-me tu o que estás a fazer aqui dentro. Mas por amor de deus, que não tenhas sido tu que me trancaste aqui dentro... eu só vi o MinHo a falar comigo e depois esta coisa tapou-me os olhos. Alguém o fez. Deve ter algum dos rapazes...
Onew: Claro que não fui eu... que disparate... olha só, estava isto na porta... se calhar foram eles, porque isto é a caligrafia do JongHyun...
ChanYoung: Que estranho... O que é isto aqui?
Onew: Suponho que queriam prender-nos aos dois aqui. Isto aqui é a tenda onde guardamos a nossa roupa e a comida para cozinhar, e os talheres, e esse género de coisas... resta saber porquê... – Sentam-se os dois no chão, recusando-se a usar qualquer que fosse das coisas que estavam na tenda. A câmara estava a gravar.
ChanYoung: Onew, tens os olhos meios vermelhos...
Onew, disfarça: Deve ser da luz das velas... espera... velas... já sei o que é que eles tentaram fazer aqui... mas não interessa, se calhar nem é isso... esquece.
ChanYoung: O que foi? Diz-me...
Onew: Esquece... não é nada, só maluquices da minha cabeça. – Ouve-se um estômago roncar baixinho. – Estou cheio de fome... – Junta a cabeça aos joelhos e esconde a cara.
ChanYoung: Eu também... Espera! Tem ali comida... cheira... a...
Onew e ChanYoung, em coro: FRANGO! ~

ChanYoung sai do chão e vai a correr para a mesa com água na boca. Onew faz o mesmo e sentam-se os dois à mesa a comer. ChanYoung pega no garfo e faca e não sabe como usá-los.

ChanYoung: Que forca em miniatura esquisita é esta? E esta coisa bicuda... Como é que é suposto se comer com isto?
Onew: Pega nos talheres como eu... e depois rodas a forca em miniatura chamada garfo. E comes a massa. A carne é para cortares mais pequeno e o garfo é para espetares na carne e levares até à boca.

ChanYoung pega no garfo e na faca como o Onew lhe disse para fazer, mas, naturalmente, pega mal neles. Mas ainda assim consegue bem. Dão, os dois, uma garfada com sete ou oito massas e várias delas eram daquelas grandes dum lado ao outro. E algumas delas estavam a ser comidas pelos dois simultaneamente. Quando Onew se apercebe que estão a comer a mesma massa, corta-a com os dentes, em vez de a puxar para si, como ChanYoung estava a fazer. Onew fica confuso, pois ChanYoung ou não se apercebeu que a massa era a mesma, ou então, não se importava que fosse. ChanYoung dá mais uma garfada e vê que Onew não está a comer. Mastiga e engole o que estava a comer e para de comer.

ChanYoung: Onew, porque é que não comes? Passa-se algo?
Onew, pensa: Não percebo... afinal o que é que ela quer? Ela disse ontem que não pretendia ter nada com ninguém por causa do SiWon, há bocado disse-lhe na cara que mais valia ter-lhe sido “infiel” e agora faz isto? A sério que não entendo isto... O que é que ela quer ao certo?
ChanYoung, levanta-se da mesa: Onew, estás bem?
Onew, fixado num ponto, onde estava ChanYoung sentada inicialmente: Não penses demasiado... – Acorda dos seus pensamentos profundos e reage. – Hmm, o que se passa?
ChanYoung, pensa: Tu queres não me assustar na próxima? És demasiado importante... embora não saibas disso.Senta-se de novo à mesa. Explica-se. – Não estavas a reagir. Podia-te estar a dar qualquer coisa... – Bate na mesa. – Mas estás bem, não é?
Onew: Estou ótimo, estava só a pensar... assuntos que não interessam. E às vezes dá-me para falar sozinho quando penso, sei lá, pensar alto. Não é lá muito bom às vezes...
ChanYoung: Hmm. Está bem. – Faz-se silêncio por instantes. – Estás a gostar da comida?
Onew: Deh... mas continuamos aqui presos... e se tiverem feito como fizeram com os fechos daqui de dentro, estamos feitos. Eu não consigo rasgar o tecido da tenda, nem rebentar com o cadeado, portanto, ou nos soltam, ou vamos ter de passar a noite aqui dentro... e duvido que nos venham cá soltar... portanto, já sabes.
ChanYoung, sente-se gélida: Brr... a noite está fria... O tempo deve mudar e ficar mais fresco. Pelo menos de noite. – Espirra. – Pelo menos meteram uma cama, se o objetivo era deixar-nos cá de noite...
Onew, para si mesmo: Acho que isto deve ser ideia do JongHyun... e acho que o objetivo era mesmo ter uma cama... aff...
ChanYoung: O que é que disseste?
Onew: Nada, estava a pensar alto outra vez...
ChanYoung: Aff, acho que não consigo comer muito mais massa, frango e cogumelos... oh meu deus, agora lembrei-me duma coisa muito má... Se nós quisermos “ir à casa de banho”, como é que fazemos?
Onew: Parece que quem nos trancou aqui não pensou nisso...
ChanYoung: Pois... parece que não. Tens fome?
Onew: Hmm, não muita. Mas posso comer mais um bocadinho...

Onew come mais um bocadinho de massa e frango e para logo de comer, pois não consegue mais. Deixam apenas mais um bocadinho de massa e frango no prato. ChanYoung tenta apanhar as massas uma a uma, e tinha uma inteira ainda.

ChanYoung: Porque é que não fazemos uma espécie de um concurso para ver quem acaba de comer primeiro as massas? Era giro...
Onew: Está bem. Mas depois vou ficar mais que cheio...

ChanYoung e Onew fazem uma corrida para ver quem come primeiro as massas e eles começam a comer as maiores massas, e mais uma vez são enganados uma massa grande, que Key tinha deixado grande para que pudessem surgir oportunidades como essa, de um possível beijo. ChanYoung começa a comê-la e Onew também. Torna-se evidente que a massa vai de um lado ao outro e ChanYoung começa a comê-la mais rápido. Onew apercebe-se que afinal ela apenas queria que a massa se mantivesse intacta. Ou seja, ela não tinha medo de arriscar nada. Parte a massa e engole-a. Para de comer.

Onew: Diz-me só o que se passa. Porque é me fazes isto...
ChanYoung: Isto o quê?
Onew: Das massas.
ChanYoung, atrapalhada: Vamos comer o resto...
Onew, aperta-lhe os braços contra o tronco com as mãos: Explica-me tudo. Eu quero saber tudo, com todos os detalhes. Quero saber porque é que fazes isto. Nós somos quase como melhores amigos, não devemos ter segredos um para o outro, a menos que existam coisas muito pessoais que sejam delicadas, mas quando já diz respeito aos dois, deves sempre me dizer. Está bem?
ChanYoung: Eu digo depois de comermos o resto, sim? Mas agora larga-me, porque me estás a aleijar... Primeiro comemos, depois conversamos sobre o que quer que seja.
Onew, larga-a logo, perturbado com as imagens do sofrimento dela nas mãos do SiWon há horas atrás: Desculpa, não te queria magoar...
ChanYoung: Pareces perturbado... o que se passa?
Onew: É só que não gosto de aleijar pessoas, muito menos raparigas, e depois fico meio piegas...
ChanYoung: Não estás a dizer as coisas como devias... acabei de te prometer que não ia ter segredos contigo, então tens de o fazer também.
Onew: Então digo-te depois da sobremesa também.

ChanYoung e Onew juntam os frutos silvestres ao chantilly e comem os dois. Têm duas colheres e comem dele os dois. Não comem tudo e deixam quase metade da taça.

Onew: Então? Quem começa a falar? Tu?
ChanYoung: Podes começar tu... eu não me importo...
Onew: É difícil, vou parecer um intrometido, mas tu és minha amiga e não posso deixar passar uma coisa como a que vi hoje.
ChanYoung: O que é que viste?
Onew: Foi o SiWon. O que ele te fez à hora de almoço. Eu fiquei com uma vontade de partir para a violência que nem queiras saber... e eu sou contra, mas uma pessoa que faz isso porque quer saber onde uma rapariga vai só pode ser louca, obsessiva ou um monstro.
ChanYoung: O quê? Tu... viste? Tudo?
Onew: Sim, desde que gritaste ‘larga-me’. Mas bem, agora já estás melhor, certo? E já sabes que eu não deixar que ele te faça mal, nem que ele me mate, que me expulse, sei lá, não posso fazer com que um homem daqueles te trate assim, como uma aquisição que pode espezinhar... – Faz-se silêncio e ChanYoung deixa verter uma lágrima. – Mas o que é que ias dizer mesmo?
ChanYoung, levanta a cara: Eu sei que nunca disse nada, mas desde o primeiro dia que te vi, que senti uma simpatia estranha por ti, e isso passou logo a uma bonita amizade que foi crescendo e crescendo e não parou de crescer. Foste a pessoa com a qual eu desabafei, passei mais tempo nos últimos tempos, e mudaste a minha maneira de pensar do mundo. Pensei que o melhor mesmo era ficar para sempre nesta tribo, mesmo com o SiWon, e que a opção de me tornar citadina estava fora de questão. Mas eu perdi o medo deles. Eu perdi o medo. Quero ser o vento livre e quero que sejas a minha folha, para levar-te sempre comigo.
Onew: Eu sabia que este jantar ia acabar por ter alguma coisa...
ChanYoung: Aceitas ser a minha folha?
Onew: Então e o SiWon?
ChanYoung: Que se lixe o SiWon, eu quero-te é a ti! ~
Onew, cora: Que- queres?
ChanYoung, acena com a cabeça e dirige-se: Sabes que mais?
Onew, ainda acanhado: O quê?
ChanYoung: Eles não nos estão a ver... – Desliga a máquina de filmar, que tinha encontrado quando foi buscar a sobremesa. – Pelo menos não agora... E mesmo que vissem, não me interessava.

ChanYoung agarra de novo a taça e dá um pouco da mistura ao Onew. Deixa cair um bocadinho desta na t-shirt dele. Limpa-a, mas a mancha não sai. Onew deixa-a estar. Prefere dormir com uma camisola suja, com uma mancha que repassou para o outro lado, do que dormir sem t-shirt. Onew tira a colher da mão de ChanYoung e esta aproxima-se mais dele. Ao contrário do que seria esperado, foi Onew que fechou os olhos com toda a força. ChanYoung fecha os olhos puxa a cara dele até à dela e acontece um pequeno beijo. Onew e ChanYoung abrem os olhos em sintonia. Sorriem. ChanYoung adormece momentos depois. Onew leva-a ao colo para a cama, cheia de pétalas de rosas e deita-a lá. Ao deitá-la, arranca um pouco dos lençóis e vê um papel no chão, escrito com a mesma caligrafia que o que estava preso ao cadeado. Dizia: “Kekeke, se precisares de alguma coisa disto, já sabes. Pode-te dar jeito. Os teus amigos cupidos.” Onew levanta mais o lençol e encontra um preservativo.

Onew, ri-se: Oh céus... gente perversa... só mesmo coisas do JongHyun, está claro... agora anda armado em cupido, e aposto que o DongWoo e o MinHo também concordaram com esta da cama...

Onew deixa estar o preservativo no lugar e deita-se do lado de fora dos lençóis, deixando claro que nada se tinha passado.


Última edição por Annlunah em Dom 22 Abr - 16:43:43, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://chanlunah.tumblr.com
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 14:52:47

xD que comédia xD ahahah
*o* gostei muito xD
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidado
Convidado
avatar


MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 14:52:47

xD que comédia xD ahahah
*o* gostei muito xD
Voltar ao Topo Ir em baixo
Annlunah 찬영 상태 ♥
Broken Time
Broken Time
avatar

Feminino Mensagens : 1728
Reputação : 0
Data de inscrição : 15/06/2011
Idade : 20
Localização : Philippines. Kidnaping SeHun's typist.

MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   Dom 22 Abr - 14:54:07

ainda bem qe gostaste xD
não achaste qe sou uma perv descontrolada nem nada, Yukon? :o
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://chanlunah.tumblr.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: YAYAYA {Completa, último chap na página 29}   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
YAYAYA {Completa, último chap na página 29}
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 4 de 18Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 11 ... 18  Seguinte
 Tópicos similares
-
» YAYAYA {Completa, último chap na página 29}
» Lulu Santos - O Último Romântico - Linha de Baixo Completa e Detalhada com Tablatura
» A Chave do Quinto Elemento ~FANFIC COMPLETA~
» Elle Girl Entrevista com Tokio Hotel completa por Natsumi
» Vídeo-Aula Completa: Modos Gregos e suas Aplicações na Improvisação

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
SHINee Portugal :: SHINee Club! :: FanFic's-
Ir para: